História My sexy vampire - Bts - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Seungri, Suga, T.O.P, Taeyang, V
Tags Bissexualidade, Bts, D-lite (daesung), Drogas, G. Dragon, Harem, Hentai, Heterossexualidade, Homossexualidade, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Linguagem Imprópria, Rap Monster, Sadomasoquismo, Seungri, Sexo, Sobrenatural, Suga, Taehyang, Taeyang, Top, Vhope, Violencia
Visualizações 27
Palavras 1.713
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal ^^, aqui está um capítulo que eu fiz com todo amor e carinho *-*
Boa leitura bjs!

Capítulo 4 - Sede de sangue


Fanfic / Fanfiction My sexy vampire - Bts - Capítulo 4 - Sede de sangue

Jimin off

Essa é a sua segunda noite nessa casa, já é a segunda vez que não durmo, por causa da vontade de vê-la dormir.  Por mais que ela esteja bem diferente do que antes, ainda posso ver a Mery de antes, a minha Mery. Quero que ela se lembre de tudo, eu a quero de volta. A olhando sorrindo, me aproximo acariciando seu rosto.

- Tão fofa... - Sussurro, descendo minha mão até seus lábios. - Como eu queria... - Acariciei seus lábios. Desci minhas mãos até seu pescoço, eu sei que estou sendo talvez um pouco pervertido demais, mas é impossível aguentar. - Seu sangue tem um cheiro tão bom... - Esse sangue, o único que me satisfaz é esse. No passado quando bebi seu sangue, nunca mais consegui me acostumar com outro.

- O que disse? - Tiro minha mão do seu pescoço, rapidamente. - Você não devia estar dormindo? - Ela levanta um cenho. Por mais que sua aparência esteja diferente, suas falas e jeito de ser estão iguais. O que me deixa feliz.

- Devia mas.... Estou sem sono. - Sorri. - Você devia dormir, um anjo caído precisa de energias. - Ela revira os olhos.

- Quando eu achava que era um pessoa normal, eu dormia tarde então não mudará nada. - Ela diz friamente. Senti meus pelos se arrepiarem.

- Bem... Você acordou, por um motivo...

- Você me acordou... Mais antes eu tive um sonho... Novamente. - Ela bufa.

- E como foi? Foi bom? - Suas bochechas coram levemente. Achei fofo.

- Sim... - Ela sorri. - Mais, eu não quero falar sobre isso.

- Por favor, se você querer minha ajuda você precisa falar sobre seus sonhos.

- Okay... Eu sonhei que estava num jardim com um garoto. - Senti meu coração desparar. - E esse garoto parecia inciumado com algo... Alguém. - Ela revira os olhos. - Inciumado com um garoto chamado Taeyang. - Sorri mais por dentro queimando de raiva. Como eu quero que ela não saiba quem é ele. - Eu acabei me lembrando dele. - Ela sorri, cerrei os punhos mais ainda sorrindo para ela não ver nada errado em mim. - Não dói sua mandíbula, sorri tanto? - Desfiz o sorriso. - Bem, eu me lembro que eu e ele éramos um pouco amigos, mais ele era o tipo de garoto que tentava me encantar, mais eu sempre o ignorava. - Ela bufa. - Sua imagem apareceu na minha mente, e ele era muito bonito. - Tossi desconfortável. - Mais por ele ser meu amigo, sinto que eu não gosto dele. É possível você ser amiga de uma pessoa e não gostar dela? Não seria falsidade?

- Mery, você não o considerava um amigo. - Sorri, ela solta um "ah".

- Eu me lembrei! - Ela suspira. - Jimin, eu não consegui ver o rosto do garoto. Eu sei que ele tem seu nome. - Ela coça a nuca. - É você, não? Não é você a pessoa que estava comigo no jardim? Eu me lembro bem, estávamos conversando sobre uma possível guerra e... - Ela parou de falar, olhei confuso. - Nossa.... - Ela acaricia com suas mãos as duas têmporas.

- Você está bem?

- Do nada um dor de cabeça... - Ela resmunga.

- Você lembrou coisas demais... - Ri fraco, a abraçando.

- Por que está me abraçando? - Levantou um cenho.

- Por que eu quero. - Digo direto, não posso falar nada demais para ela. Mery precisa descobrir o seu passado sozinha. Arregalei os olhos e sorri, quando senti seus braços enlacarem em mim.

- Jimin, você era meu melhor amigo não? - Ela levanta um cenho. - Ou éramos mais que isso?

- Melhores amigos. - Engulo em seco.

- Senti sua falta. - Me senti triste, por ela não lembrar de algumas coisas, que tivemos. - Mais por que tenho a impressão que tivemos mais que amizade? Por que sinto que você está mentindo? - Não respondi nada.

- Mery, você vai descobrir as coisas.

- Esse abraço me fez lembrar de nossa amizade. - Ela ri fraco. - É um exemplo de como posso lembrar com facilidade, porque se qualquer coisa me faz lembrar de algo... - Sinto uma sede inesperada, por causa do cheiro de seu sangue. Se controle Jimin... Nós afastamos ela me olhou um tanto como confusa. - Por que seus olhos estão vermelhos? - Arregalei os olhos.

- E-eu... - Me levantei. - E-eu já volto... - Corri até a cozinha, antes que eu pudesse fazer merda.

Jimin off

Mery on

Por que ele estava com os olhos vermelhos? Será que é sede? Hum... Ele ficou assim depois que se aproximou de mim.

- Sede? - Levanto um cenho. Acabei me lembrando de uma imagem do meu sonho anterior. Mais do nada...

                              •••

"Assim que Taeyang foi embora, suspirei aliviada e quando ia entrar ao castelo, sinto meu corpo ser na velocidade da luz prensado na parede, arregalei os olhos.

- Jimin? - Levanto um cenho. - Qual é seu problema? - Pergunto irritada, ele anda agindo estranho ultimamente. - Não acha que pra um garoto de 17 anos está sendo muito pervertido? - Vi onde suas mãos estavam, - na minha cintura quase no meu quadril - num lugar onde ele não deveria tocar sem minha permissão.

- Esse garoto, é mais velho que você por tanto não fale como se você mandasse.

- Mais... Você não pode tocar em mim dessa forma. - Corei. Por algum motivo estranho, estava gostando de seu toque.

- Por que não? - Ele sabe a resposta, mais quer me provocar.

- Por que me prensou, aqui? - Levanto um cenho.

- Por que... - Ele cora levemente. Achei fofo. - Mery, não gosto daquele cara se engracando para você. - Reviro os olhos.

- O que posso fazer? Eu já conversei com ele. - Bufo. - Mais ele não para. - Choramingo.

- Ele vai parar rapidinho, quando eu socar a cara dele. - Ri fraco.

- Jimin... Por a causo está com ciúmes? - Ele assenti tímido, ri fraco. "

                               •••

Meus pensamentos foram ao ralo quando Jimin entrou raivoso.

- Merda... - Ele coloca a mão na testa andando meio tonto.

- Jimin... - Me senti preocupada, arrumando minha camisola me levantei da cama.

- Não se aproxime, por favor. - Ele diz, parei no mesmo instante.

- Jimin, o que houve? - Minha preocupação era tão grande, que resolvi me aproximar. Minutos atrás ele estavam tão bem, por que mudou dão repente?

- Seu sangue... - Ele me olha com seus olhos vermelhos. - Estou com sede, Mery. - Ele se acalma abaixando a cabeça. - Por mais que eu beba muito sangue, nenhum é comparado ao seu. - O olhei.

- Você já bebeu meu sangue? - Ele assenti, dessa vez olhando para meu pescoço. Num passe rápido, sinto suas mãos na minha cintura, me prensando na parede. - Jimin? - Pergunto assustada. Posso ver suas grandes presas, e seus olhos vermelhos. Ele estava com sede, louco por sangue. Sinto ele descer seu nariz até meu pescoço, cheirando o mesmo.

- Que cheiro bom... - Ele lambe os lábios. Engulo em seco. - Mais... - Ele mordi os lábios. - Eu não posso. - Ele se afasta, segurei seu pulso. Ele me olha confuso.

- Jimin. - Suspiro. Isso é tão errado. - V-você, pode beber um pouquinho de meu sangue... - Ele arregala os olhos.

- Não! - Ele exclama. - Não posso Mery.

- Por que não? - Levanto um cenho. - Você já bebeu uma vez mesmo... Mais uma, não fará falta.

- Você que pensa. - Ele ri irritado. Posso ver que pela sede ele está mais impaciente. - Essa mordida, dói pra cacete. Você vai se arrepender.

- Aí o problema será meu. - Sorri, ele bufa. - Por favor Jimin, termine com sua sede. Por mim. - Faço cara fofa. - O que uma simples dor é comparada a um amigo passando mau? - Debocho.

- Mas–

- Mas, nada. - Interrompi. - Eu sei que você está com sede Jimin, e eu acho que apenas eu posso satisfaze-la. - Ele cora levemente.

- Okay então... Mais só vou fazer isso por estar realmente com sede... - Ele se aproxima segurando minha cintura e colocando meu cabelo para o lado, expondo meu pescoço. - A onde que eu mais gostava.... - Sinto ele passar seu nariz pela região.

- V-você ainda tem que escolher o lugar. É no pescoço poxa, todo vampiro gosta dessa parte. - Ele ri fraco.

- Eu gosto do pescoço, mais também gosto de outros lugares...

- Tipo?

- Perto do ombro... Na coxa e no... - Ele ri fraco. - No centro do pescoço.

- Na coxa?

- Uhum... - Ele cheira meu pescoço. - Achei, o local. - Ele passa sua língua me fazendo estremecer.

- Me de sua mão Jimin. - Peço, ele sem responder segura minha mão entrelaçando nossos dedos. Ele lambe mais uma vez a região e logo sinto suas presas perfurar em minha pele, gemi de dor. Não é uma dor tão insuportável assim mais mesmo assim dói. Sinto a sua mão que estava na minha cintura, me segurar com firmeza. Apertei um pouco forte sua mão que estava entrelaçada com a minha. Depois de uns minutos quando pensei que ele ia parar, sinto suas presas aprofundarem um pouco mais, senti uma dor insuportável agora. - D-dói... - Gaguejo sentindo uma lágrima escorrer, de tanta dor. - Jimin, você está sugando demais. - Sinto meu corpo um pouco fraco. - Argh... - Arfei baixo. - Jimin... - Digo quase com minha voz aguda. - Você está me machucando! - Ele arregala os olhos e devagar se afasta, limpando o sangue que escorria em meu pescoço. - Pensei que ia me matar. - Sua mão ainda estava na minha cintura.

- Obrigado. - Ele diz olhando em meus olhos, estávamos tão perto um do outro. - Me sinto melhor. - Ele sorri, seus olhos não estavam mais vermelhos. O que me deixa feliz. - Me desculpe por passar dos limites...

- Tudo bem. - Desci meu olhar para seus lábios, creio que ele fez o mesmo. - Acho que você já pode me soltar. - Digo com meu corpo já um pouco fraco. Ele ri fraco.

- Ah, verdade. - Ele me solta, sorri.


Notas Finais


Gostaram? Gente, eu sei que está meio confuso algumas coisas mas... Por favor não desistem de ler, se tiverem com dúvidas comentem que eu explico ( sem dar expoilers kkk ), okay? Apenas por favor, não desistem de ler. É só o que eu imploro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...