História My sister, my child. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice In Chains, Audioslave, Eddie Vedder, Pearl Jam
Personagens Chris Cornell, Eddie Vedder, Jeff Ament, Mike McCready, Personagens Originais, Stone Gossard
Tags Chris Cornell, Eddievedder, Pearljam, Soundgarden
Visualizações 10
Palavras 1.419
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa tarde meninas!!! Tudo bem???
Custou para eu escrever esse capitulo hj mas finalmente estou eu aqui trazendo mais uma parte da historia pra vcs ♥

Então tenham uma boa leitura ^^

Capítulo 17 - Sangue virgem


Fanfic / Fanfiction My sister, my child. - Capítulo 17 - Sangue virgem

-E então... O que achou? – Perguntou Jeff deitado na poltrona acariciando minha nuca.

Minha cabeça estava apoiada em seu peito com meu corpo em cima dele.

-Inexplicável – Respondi.

-Doeu?

-Um pouco. Mas foi bom.

Ouvi Jeff dar um risinho, e logo ele beijou minha nuca.

-Você e esse seu talento de pedir com jeitinho. Eu não resisti quando você implorou para mim, sabia?

Dei uma risadinha.

-E esse é o resultado de você ficar me provocando toda hora com beijo no pescoço.

Jeff sorriu, e logo me deu um abraço muito forte me dando vários beijos no rosto

-Minha gatinha – Disse olhando em meus olhos ainda abraçado comigo.

Dei uma mordida em seu lábio em seguida de um beijo.

-Melhor colocarmos as calças, não é? – Comentei.

Jeff sorriu sem tirar os olhos de mim.

-È, mas... Fica mais um pouquinho aqui comigo, está tão bom.

Ele me laçou com um abraço e me beijou mais uma vez. Coloquei minhas mãos em seu rosto enquanto o beijava e logo me posicionei deixando Jeff entre minhas pernas, quando escuto alguem subindo as escadas do ônibus.

-Katriina?!

Era a voz do Mike.

Por sorte, a onde estávamos tinha muito banco na frente pra enxergar alguma coisa, por tanto, eu e Jeff aparecemos apenas com a cabeça a mostra e nos assustamos.

-Espera ai Mike! Não vem pra cá! – Gritei.

Mike parou na frente, longe da onde estávamos de uma maneira estranha.

-O que vocês estão fazendo? – Perguntou.

Jeff e eu começamos a se ajeitar. Se Mike chegasse ali... Meu Deus, que situação constrangedora.

-Nada demais – Disse Jeff.

Mike então começou a rir mesmo encarando a gente de cara estranha.

-Vocês estavam transando?

Puxei minha calça para cima imediatamente, e levantei do banco enquanto eu subia meu zíper.

-Qual o problema?

-Não, nada, nenhum é que... Vocês já haviam transado antes ou essa foi a primeira vez?

-Foi a primeira vez – Respondeu Jeff.

-Primeira vez?! Meu Deus! Você tirou a virgindade da Katriina em um ônibus?!

-Da pra falar mais baixo? – Resmunguei – Sim, foi minha primeira vez, ok?

-Caramba! Isso é muito... Estranho... Eu atrapalhei alguma coisa?

-Não, você chegou e o serviço já estava concluído – Disse Jeff envolvendo seu braço em minha cintura – Mas então... O que aconteceu dessa vez?

-Nada de grande coisa, só vim avisar que estamos precisando de você pra fazer os ajustes antes do show, e eu falei pro Eddie que eu iria te procurar.

-Ele perguntou de mim tambem? – Perguntei.

Mike sorriu.

-Não, por milagre. Mas se eu fosse você eu apareceria em um lugar como por exemplo perto do fliperama. Certeza que quando seu irmão inventar de te procurar o primeiro lugar que ele vai pensar é nesse. Então por favor, vocês dois.

-Tudo bem – Respondemos em coro.

Me virei para Jeff e demos o nosso clássico beijo que sempre demos antes de se separar, quando ouvimos Mike bufar.

-E sem sexo! Vamos logo!

-Desculpa – Disse Jeff.

 

E então, o show em Hamburgo foi como sempre, um sucesso. Efeito sonoro incrível, luzes bem colocadas, plateia encantadora, meu irmão suicida/macaco.  Tudo seguindo como sempre foi. Fim de show, macacadas e mais macacadas, bebidas de graça, conversas jogadas foras e mais perdidos com o Jeff por ai.

 

POV. Eddie

As horas se passaram e como o planejado, o ônibus sairia de Hamburgo direto para Zurique – Suiça. Não iriamos no luxo do avião dessa vez, por tanto, seriam 9 horas e 7 minutos de viagem até lá. Aja paciência.

Era noite, e Katriina dormia tranquilamente em um dos bancos na parte da frente ao lado de Jeff, com apenas um cobertor em cima dela. Jeff tambem dormia tranquilamente, ambos com a cabeça deitada um no ombro do outro. Katriina e Jeff já dormiam assim dês de que se conheceram, mas confesso que isso me incomoda um pouco até hoje, apesar de já está acostumado. Jeff era o meu melhor amigo e o segundo cara que eu poderia confiar depois de Chris. Ele nunca se quer demonstrou para mim algum interesse ou até mesmo alguma falta de respeito com Katriina, mas eu confesso que eu não ficava muito feliz em ver ela sozinha com Jeff e nem com ninguém, até mesmo com Chris. Mas sabe o que mais me incomodava nisso tudo? Não era o fato de Katriina estar dormindo ao lado de Jeff, mas era mais por causa do Stone. Tem algo acontecendo que está me incomodando muito! Stone anda muito alegre ultimamente, anda desaparecendo após os shows e tem conversado muito com Katriina ultimamente. Será que... Jeff está fazendo um esquema pros dois se encontrarem? Ou eu estou delirando?

‘’Ah Eddie, para de ser besta!’’ Pensei.

Logo voltei em mim e dei mais um gole em minha cerveja com o ônibus ainda em movimento.

-Eu nunca dancei pelado na frente do espelho – Gritou Mike sentado no ultimo banco do ônibus.

Eu estava sentado ao lado dele, e Beth sentada do meu lado. Em nossa volta estava Stone e Dave, e logo todos os homens deram um gole em suas bebidas, menos Beth.

-Caramba! Qual a graça de dançar pelado na frente do espelho? – Resmungou ela.

Dei risada.

-Eu não sei, mas é muito legal! – Disse Stone – Altos pirocopteros e tals...

Todos deram risada.

-Agora é a vez do Mike – Disse Dave.

-Eu?!

Bati em seu ombro sorrindo.

-Vai lá Mike!

-Okay! Okay! Lá vou eu... – Mike já estava meio embriagado – Eu nunca cai na piscina com roupa.

E todo mundo tomou um gole, e logo eu vi que Beth bebeu tambem. A encarei estranho ao ver sua ação e aquilo me incomodou. A regra da brincadeira do eu nunca era simples: ‘’Se a pessoa diz que ela nunca fez algo e você deu um gole na sua bebida, então é porque você FEZ ALGO’’

-Você já entrou de roupa em uma piscina? – Perguntei.

Beth terminou de beber e sorriu.

-Quem nunca fez isso amor?

-Eu pelo menos não lembro de você ter feito isso alguma vez. Quando você fez?

-Quando eu tinha a idade da Katriina. Eu já te contei essa história.

Encarei Beth seriamente e um clima estranho se espalhou pelo ar. A Beth nunca me contou de nenhum detalhe sobre os seus 16 anos, e eu não sei se eu confiava em suas palavras ou não, mas antes de qualquer coisa, Mike se levantou indo em direção ao banheiro.

-Eu preciso ir mijar – Resmungou apertado.

-Vai lá mijão! – Disse Stone.

Eu ri vendo o jeito apressado de Mike indo até o banheiro quando por relance eu vejo o banco onde ele estava sentado, e algo de estranho me chamou a atenção que me fez virar o rosto novamente para o local. No banco verde musgo tinha uma cor estranha, uma mancha meio esquisita que no escuro do ônibus eu não consegui identificar bem. No inicio eu pensei que fosse tinta, mas com um pouco de observação, aquilo me pareceu mais esquisito ainda. Na vinda para Hamburgo eu sentei nesse banco e ele estava impecável de tão limpo que estava, e agora tinha uma mancha que parecia mancha de... Sangue?! Quem se machucou?! Eu observei o pessoal conversando e tagarelando e sem prestar a atenção no que eu estava fazendo, e então, olhei novamente e passei minha mão pra ver se a mancha saia. Não, ela não saiu, então a macha estava lá a horas e já estava seco. Mas parece muito a mancha de sangue que apareceu quando eu tirei a virgindade de uma ex namorada minha. Mas espera ai: De mulher aqui temos só a Beth e a Katriina, mas a Katriina passou a tarde toda no fliperama e Beth estava comigo o tempo inteiro. Será que alguma roadie ou algum fotografo entrou aqui e fez alguma coisa? Mas esse ônibus é reservado só para a banda! A não ser que Beth e Katriina estejam naqueles dias e acabou manchando... Não, alguma coisa estranha estava acontecendo aqui! Esse sangue não é normal, não é sangue de machucado e alguem andou aprontando nesse ônibus...

‘’Ah Eddie! Já passou da hora de você parar de ver chifre em cabeça de cavalo, né? Já parou pra pensar que alguem pode ter derrubado vinho aqui, como por exemplo, o Mike?’’ Pensei novamente.

Chaqualhei minha cabeça mais uma vez e tentei voltar em mim. Eu acho que de todas as brisas tortas, essa foi a mais nada haver que eu tive. Sangue de virgindade... Que ideia mais idiota.

E então, o Mike voltou, e continuamos a brincadeira do Eu nunca.


Notas Finais


Estou ficando com dó do Eddie Kkkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...