História My Sweet Bad Boy (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jimin, Park Jimin, Pockyx, Você
Visualizações 606
Palavras 2.482
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Último capítulo, stou chorando ;-;
Decidi colocar a foto dos meninos porque não to fazendo banner, mas é isso aí, eles são família, eles são nossos nenês, são nosso tudo, então eles representam kkkkk

Espero que gostem

Capítulo 22 - Chapter XXII


Fanfic / Fanfiction My Sweet Bad Boy (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 22 - Chapter XXII

Jimin On

Eu estava aliviado por um certo lado. Acabamos de pousar em solo brasileiro,  minha menina parecia animada, já que quando chegamos na casa, ela abriu as portas e sorriu para todos os serviçais. 

- Você voltou. - Uma das empregadas a abraçou. 

- Não ficaremos muito, quero as chaves de todos os apartamentos, papéis de minha mãe e meu pai, irei assumir a empresa daqui pra frente. - A mulher ficou surpresa, assim como restante de nós. 

- Certo, espere alguns minutos. - Ela assentiu e a mulher se retirou. 

- Não me olhem assim, são meus bens, minha herança, eu devo cuidar delas. - Nick riu, assim como o restante. 

- Sabe o que eu acho. - Ela me olhou. - Que você é nova demais pra isso. - Ela riu baixo. 

- Desculpa aí, idoso. - Soltei um sorriso e a abracei. 

Eu sentia como se tudo estivesse no lugar, ou nem tudo. Many nunca mais apareceu, o que é completamente estranho. Fico me perguntando se o mataram ou se ele simplesmente fugiu, dentre essas duas hipóteses, prefiro acreditar na segunda. 

Escutamos os passos da mulher no corredor e minha garota ir até ela, examinando todos os documentos e os colocando dentro de uma bolsa tira colo. 

- Eu aparecerei aqui pela tarde. - A mulher assentiu. - O carro está na garagem? - A mulher assentiu. 

- Ah, sua mãe... - Minha menina abaixou a cabeça. - Ela comprou um carro, seria um presente, então, entregarei essas duas chaves à você menina. - Ela sorriu. 

(...)

- Aqui é... Tipo, muito grande. - Gih falou olhando ao redor.

- Não esperava outra coisa vinda de minha mãe. - Gih riu baixo. - Sinto falta dos gritos dela. - Soltei um riso e a abracei por trás enquanto olhava pela janela junto com ela. 

- Seria errado pensar em você contra esse vidro. - Ela deu um tapa em minha mão e eu ri abafado em seu ombro. 

- Mas aqui é seguro. - Jungkook falou e nós dois olhamos para os dois casais que ali estavam. 

- Eu sei, só acho que é muito grande, não devíamos... Aish, não quero ser abusada só porque ela é minha amiga. - __________ riu baixo. 

- Gente, tem mais o da Nick, o qual ela vai dividir com Namjoon. - Ela arregalou os olhos levemente. 

- Vem cá, seu pai tinha uma mina de Ouro? - Soltamos uma risada. 

Entre risos, tambem ouveram lágrimas, entre lágrimas, ouve nossos sorrisos, em nenhum momento deixamos de sorrir, de nos amar, sempre estivemos um ao lado do outro. 

- Jimin hyung esta pensativo. - Encarei todos ali. 

- É que... Já passamos por tantas coisas, mas sempre estivemos um ao lado do outro, mesmo que tenha sido difícil. - Dei de ombros. 

- Ele ta poeta porque tá triste. - Nick falou e eu ri baixo. 

- Mesmo? - Neguei à ________. 

- Estou feliz por estarmos aqui, os meninos foram para onde sempre sonharam, e agora eu estou onde sempre sonhei, ao lado da garota que amo, dos amigos que amo. - Ele riram baixo. 

- Eu não vou nem falar que você está sendo gay. - Nick falou e se aproximou. - Mas até que é fofo. - Apertou minhas bochechas e me abraçou em seguida. 

- Otaria. 

- Zé ruela. - Soltei um riso e a soltei. 

- E como que fica a sua gravidez, __________? - Olhei para ela após ouvir a fala de Gih. 

- Vou esperar a barriga crescer e meu filho nascer, vou criar ele com Jimin e amar ele até meu último suspiro. - Deu de ombros. Aquelas palavras foram o suficiente para me fazer sorrir. 

(...)

- E esse, é o nosso! - Ela abriu a porta do apartamento. 

- Parece maior. - Ela fez um bico. 

- Não, é igual ao... - A colei contra meu peito. 

- Não estava mais aguentando ver só sua boca se mover e não poder beijar você. - Ela sorriu. 

- Quer inaugurar o sofá, banheiro, cozinha ou quarto? - Soltei um riso, a fazendo envolver as pernas ao redor de meu quadril. 

- Que tal o quarto, onde eu vou fazer você gritar meu nome. - Ela suspirou tendo um aperto na cintura. 

- Ah, Jimin eu te amo tanto. - Soltei um sorriso. 

Errando todos os cômodos e enfim achando a droga do nosso quarto, avistei uma cama e a joguei ali, os lençóis eram limpos, então ela apenas se ajeitou e me chamou com o dedo. 

- Droga, você me deixa maluco. - Ela sorriu de canto. 

- Vem, meu doce bad boy. - Passei a mão em meu cabelo e abri o cinto de minha calça. 

Ela tirou a camisa, expondo os seios cobertos pelo sutiã, joguei meu tênis e calça para longe, apertei meu membro sobre a cueca e soltei um gemido rouco. 

Senti ela me puxar pelo elástico do tecido, a olhei e pude ver que ela se encontrava semi nua, puxei seu rosto, até que se mantivesse próximo ao meu, deixando ela de joelhos sobre a cama e ficando a minha altura. 

- Gostosa. - A puxei. 

- Vai acabar comigo, Park? - Soltou um sorriso, colocando seus braços sobre meus ombros. 

- Pode apostar que vou. - Seu sorriso malicioso apenas aumentou. 

Senti ela adentrar a mão dentro de minha box, puxando meu membro, que estava completamente duro, para fora, em seguida, deslizando sua destra por ele, lentamente, me levando ao delírio. 

Senti o tecido descer mais, logo seus lábios estavam beijando meu abdômen, engoli minha saliva e passei a língua dentre meus lábios, subi na cama, ficando de joelhos sobre ela, os raios solares passavam pela janela, iluminando o corpo de minha garota e deixando a visão muito mais perfeita. 

Senti um chupão em meu quadril e grunhi, ela finalmente deu atenção ao meu membro, lambendo toda minha extensão, sugando minha glande e depois me abocanhando, escorregando sua boca lentamente por ele. 

- Porra! - Puxei meu cabelo e depois levei minha mão até as madeixas dela, as puxando e sentindo ela circular a língua por meu prepúcio. 

Sua mão apertou minhas coxas e eu a olhei, um sorriso apareceu quando ela parou de me chupar, indo para minhas bolas e as chupando, ela fechou os olhos, parecendo gostar de fazer aquilo.

Eu estava mais que duro naquele momento, céus, eu estava delirando, aquela garota me deixa maluco, se ela me toca com a ponta de seu dedo, ja é motivo para isso. 

Meus músculos se contrairam e eu sabia que estava próximo, a puxei, impedindo que isso acontecesse. 

- Eu vou gozar dentro de você, eu quero sentir você. - Ele gemeu quando eu a apertei contra meus braços. 

A puxei contra meu corpo, tendo certeza que ela estava ali e que seria minha e de mais ninguém. 

- Ahn, Jimin. - Apertei sua bunda, fazendo contato de seu quadril contra meu membro. 

Ela pegou minha mão e levou até sua calcinha, a adentrei e passei à estimula-la lentamente, seu gemido saiu baixinho, fino, seus olhos se fecharam e ela teve de se deitar. 

Deslizei sua calcinha lentamente, vendo ela me olhar completamente ansiosa, Mordi meu lábio, deslizando-o por sua perna. 

- Ah, anda logo. - Soltei um sorriso. 

- Calma meu amor. - Abri suas pernas e pude sentir meu membro formigar de novo. 

Lambi sua coxa interna, vendo ela estremecer e soltar um ofego. A intimidade dela estava completamente molhada, passei minha língua ali, sentindo os dedos dela embrenhar em meu cabelo e o puxar, indo com o quadril contra minha boca. 

- Assim. - Gemeu alto. 

Mordi seu clitóris e o suguei, ela rebolou de novo, apertei suas coxas, afundando minha língua em seu interior. 

- Ah! Jimin! - Gemeu, a voz dela estava meio rouca e isso só aumentava o tesão que eu estava sentindo. - Ji-Jimin! - Ela se contraiu e eu sorri. 

- Quer gozar em minha boca ou em meu pau? - A penetrei dois dedos. 

- Ahn... Por favor. - Sorri me colocando sobre seu corpo, ainda com meus dedos em seu interior. 

Ela agarrou minha nuca e me beijou afoita, envolvendo nossas línguas e dando mordidas em minha boca. 

- Jimin, por favor, dentro de mim. - Ofegou diversas vezes. 

Tirei meus dedos dali e me coloquei entre suas pernas, ela me envolveu com suas pernas e eu a penetrei, sentindo a intimidade dela se contrair contra meu membro. 

- Ah! - Suas unhas cravaram em minhas costas. Ela abriu a boca, sem emitir som. 

- Ah eu amo tanto seu corpo, você. - Ela desceu as unhas, indo direto para minha bunda e a apertando, me fazendo ir mais fundo. 

- Ah Jimin, mais, por favor. - Gemeu contra minha boca. 

Ergui sua perna até a altura de seu seio, encostando o joelho ali, me ajeitei na cama e comecei a ir mau rápido, com mais força, mais fundo. Seu interior me apertava, ela estava com as mãos pra cima, apertando os travesseiros, num intuito de extravasar. 

Puxei ela para perto, deixando a perna dela cair, seu corpo foi posto sobre o meu e ela sorriu rebolando. 

- Você acaba comigo. - Sussurrei e ela gemeu de novo. 

Meu quadril foi e voltou, a ajudando, seu corpo subia e descia, seus seios se movimentavam. A puxei, colocando minha boca em torno do bico rijo. 

- Ah! - Jogou a cabeça pra tras e puxou meu cabelo. - Jimin! - Ela acelerou os movimentos. Veio uma última vez com mais força, nos fazendo gozar ao mesmo tempo. 

Nossa respiração estava descompensada, o cheiro de sexo emanava pelo local, o cabelo dela estava grudado pelo pescoço e rosto. A abracei, encostando minha cabeça em seus seios, suas mãos se embrenharam em meu cabelo e ela se separou para me beijar.

- Eu te amo. - Sussurrou. - Eu te amo tanto. - Sorri e ela também. 

- Eu também te amo, muito meu amor. - Ela sorriu mais. 


ALGUNS MESES DEPOIS


- Mas olha que barrigão. - Nick falou ajoelhando no chão e beijando a barriga de _______ sobre o tecido do vestido. 

- Eu não estou aguentando comigo mesma. - Minha menina falou e eu sorri. - Ainda bem que tenho o Jimin. - Sorriu e piscou pra mim. 

- Meu pé Jungkook! - Olhamos sobre o ombro de Nick e vimos Gih descer do carro, enroscada em alguns fios coloridos. - Na próxima você vem no teto do carro. - Soltamos um riso ao ver ele dar um tapa na bunda dela e fazer ela andar mais rápido com a mão ali. 

- Oi Gih. - A abraçamos. 

- Oi gente, como que ta meu sobrinho? - Acariciou a barriga de __________. 

- Esta bem, estamos cuidando direitinho de nosso pequenino. - Sorrimos. 

- No? - Perguntaram. 

- Sim, é um menino. - Falei sorrindo. 

- Eu não vou aguentar com dois Jimin. - Soltamos uma risada pela fala de minha pequena. 

- Mas pense pelo lado bom, Jimin com Jimin se entendem. - Namjoon falou abraçando Nick por trás. 

Soltei um suspiro e voltei para a cozinha, eles foram para a sala e eu terminaria de fazer o almoço, ja que ________ fez grande parte. Estávamos na mansão, apenas para almoçarmos em família. 

Suspirei, eu queria que Many estivesse aqui, queria meu maninho ao meu lado, sei que não éramos próximos, mas sinto falta dele. 

- O que tanto pensa? - Senti os braços dela ao meu redor. 

- Many. - Ela beijou minhas costas sobre o tecido da camisa. 

- Pense positivo, ele deve estar bem, ok? - Me virei e Assenti, ela me chamou com o dedo e me deu um selinho. - Te amo. - Sussurrou. 

- Também te amo. - Sorri largo. 

O celular tocou e ela olhou, sorri pedindo para ela ir que eu atenderia, caminhei quando ela saiu e  deslizei o dedo pela tela. 

- Alô? - Falei ao atender. 

- Jimin? - Minhas pernas bambearam. 

- Many? Onde você está? - Ele riu baixo. 

Idiota, fiquei preocupado, porra, vem me buscar no aeroporto que eu te explico tudo. - Passei a mão na testa. 

- Espera, você está no Brasil? - Ele riu mais. 

Sim, vem logo, eu quero te abraçar. - Ele fungou. 

- Esta chorando? - Perguntei com um sorriso. 

Calado, vem logo. - Desligou na minha cara. 

Eu poderia pular de alegria, meu irmão está vivo. 

(...)

Eu estava no aeroporto junto com Jungkook, claro que Namjoon ficou com as meninas, eu estava tão animado que não conseguia dirigir, __________ mandou Jungkook me levar. 

Desci do carro tropeçando em meus próprios pés, olhei ao redor, parei naquele nanico, o qual tem minha altura. Ele sorriu e eu corri na direção dele, pulando em seu colo. 

- Veado. - Me xingou e eu ri. 

Desci do colo dele e o abracei com força. 

- Eu fiquei preocupado. - Ele riu baixo. 

- Sei disso, me perdoe. - Sussurrou

Minha família estava completa, e agora eu sei disso, meus amigos estão aqui, meu irmão, a minha garota, todos estão ao meu lado. 

(...)

- Many! - Namjoon o abraçou, seguido das meninas. 

- Meu Deus, que barriga enorme! - Ele falou ao abraçar _________. 

- Pois é. - Cocei a nuca e minha menina riu. 

- Vamos comer, está tudo pronto. - Ela falou e segurou minha mão. 

Fomos para o Jardim e nos sentamos nas cadeiras de frente à mesa, Many ficou em pé, parecia querer dizer algo. 

- Sempre estamos em perigo, sempre estivemos, mas agora tudo vai ficar bem, eu prometo não abandona vocês, sempre ficar ao lado de vocês, eu amo todos, sem excessão. - Soltei um sorriso. - Quando aquilo aconteceu, me apagaram... - Entre abri meus lábios. - Fui achado na estrada, foi o que os médicos me falaram, eu acordei tem dois meses, eu... Estava em coma. - Pisquei algumas vezes. - Mas eu voltei, e prometo não deixar ninguém, vocês vão ter que me aturar. - Soltamos um riso e ele se sentou. 

- Não quero mais uma vida assim, mas se tivermos que voltar algum dia para defender quem amamos, faremos o possível, até mesmo matar. - Minha menina falou e todos afirmaram. 

Eu sempre soube que ela era forte, nunca se mostrou frágil, minha menina é uma garota forte, eu conheço ela o suficiente. 

- Gente, que baixo astral, credo. - Gih falou nos tirando risadas. - Um brinde a família tão maluca e amorosa do mundo. - Ergueu a garrafa de cerveja, soltei um riso e a levantei também. 

- Saúde. - Brindamos e rimos. 

- Eu te amo. - __________ sussurrou em meu ouvido e eu sorri. 

- Também te amo. - Entrelacei meus dedos ao dela e a beijei com calma. 


Notas Finais


AAAAAH
Eu não sei se foi um lindo final, mas foi o que consegui.
Não sei se terá segunda temporada, estou sem tempo para fazer, então por enquanto minha resposta é não para a segunda temporada, mas se um dia eu fazer, pode apostar que falarei aqui, meus amorzinho que tanto amo s2

Me acompanhem nas outras fics, meu perfil > @Park_Nick

Eu amo tanto vocês, essa fic ja passou por tanta coisa kkkkkkkkk
Foi excluída, repostada, foi excluída de novo é repostada, prometo que pararei com essas minhas loucuras kkkkkkk

Espero que tenham gostado, pode ser que role um bônus, talvez, não sei de nada, bom, até a próxima fic s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...