História My Sweet Dark Angel - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Lemon, Lovesugamon, Não Tem O Exo Todo Pq Sim :v, Não Tem Tanta Purpurina (sorry)
Exibições 40
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá elaaaaa

Eu mesma, Love Sugamon Mello

Gente desculpa a demora, é que eu tava cheia de trabalhos e problemas :c

Não vou prometer não demorar, por que sempre q prometo, demoro. Mas vou dar meu máximo pra postar domingo a tarde. Amo vocês <3

Boa Leitura *-*

Capítulo 4 - C and B


Fanfic / Fanfiction My Sweet Dark Angel - Capítulo 4 - C and B

My Sweet Dark Angel

Chapter 4 - C and B

×

- Omma?

Chanyeol sussurrou próximo ao ouvido de sua mãe, que estava desacordada sobre o chão frio da viela onde estavam. 
A senhora não havia dado sinal algum desde o momento em que saíram daquele centro no Sul de Nova York, o que fazia o coração do jovem Park pulsar de modo mais acelerado.

- Chan.. Yeol... Chanyeol...

A senhora se pronunciou baixo, enquanto abria seus olhos pequenos com dificuldade, tentando encarar seu filho, porém foi impedida por um certo liquido salgado caindo em cima de seu olho. 

- Filho... Você está chorando?

Ela tentou rir, mas acabou tossindo um pouco, sendo amparada por seu filho.

- Você não tinha acordado mãe! Eu fiquei preocupado... Eu devo levar a senhora em um médico?

-Shh.. Você fala de mais. Quero que você me deixe no endereço que vou lhe dizer, e vá embora.. Suma... Você me entendeu?

O garoto parecia confuso com as ditas de sua mãe, que já estava começando a agir normalmente devido ao fato de que sua fratura não era grave, havia ficado tanto tempo desacordada pela queda de sua pressão.

- A senhora quer que eu vá embora? Mas mãe, nós estamos livres! Podemos fugir, seremos felizes juntos!

-Não seremos... Eles com certeza virão atrás de você, e, quando te acharem, o levarão de volta para aquele lugar horrível... Se fugir agora, poderá ir para longe, e comigp você só vai se atrasar mais...

- Mas mãe..-

- Eu estou frágil e doente Chan, eu vou atrapalhar você... - Ela o interrompeu, com a voz um tanto falhada. Já estava sendo doloroso toda aquela despedida. - Eu sei que vai doer o ver partir sabendo que posso não mais vê-lo... Mas é o único jeito de você conseguir mais tempo! Você pode sobreviver meu filho, é só fazer o que eu te peço.

Park parou para pensar em sua atual situação. A anos ele não podia sair daquela "compota" de vidro, que o fizera até se esquecer da textura da pele de sua mãe. Quando finalmente pode sair daquele lugar, sua progenitora o dissera que deveria fugir e deixá-la, pois logo o pegariam.

Por um lado, ela estava certa. Chanyeol não sabia como se virar na cidade, pois essa havia mudado muito em 20 anos. E também, não era a coisa mqis difícil do mundo achar um ser com mais de dois metros, com duas asas de mesmo tamanho, e as marcas causadas pelos fragmentos do vidro.

Ele não conseguiria se sustentar por muito tempo, teria que sair nos próximos dias.

- Você tem razão mãe. Eu.. Eu vou embora. Mas antes, vou te levar aonde quer ir, me passe o endereço.

Com todo o cuidado que conseguiu, ele pegou a mulher nos braços e subiu o mais alto que pode, ouvindo o tal endereço onde ficava a casa de uma amiga de sua mãe e a levando até lá. Quando colocou a senhora no chão, a frente do prédio, ele conseguiu chamar a atenção de todos em volta de si o que não o deu liberdade suficiente para fazer o que queria.

- Adeus mãe. Eu vou voltar para buscar a senhora...

Ele sussurrou devagar, quando pode ouvir gritou e avanços em sua direção. Se preparava para voar, quando sentiu algo atingir sua asa, o que o fez cair por alguns segundos.

- Chanyeol!

-Vai ficar tudo bem...

Ele sorriu e subiu rapidamente, com usa de suas mãos sobre o ferimento da asa. A senhora permanecia desesperada na terra, olhando freneticamente para o céu desejando ver o seu filho.

- Meu Chanyeol... Ele está ferido! Ele.. Ele não pode voar!

-Calma amiga... Ele disse que vai ficar bem. Vai ficar tudo bem... -Ela sentiu um abraço conhecido e despejou seu corpo sobre esse, ainda com o olhar preso no céu.

-É... Vai ficar tudo bem...

×

Baekhyun constantemente encarava o jovem agora caído ao chão, enquanto pensava de deveria falar com sigo, pois este parecia uma ameaça.

Byun ouviu alguns gemidos baixos que pareciam ser de dor, enquanto o tal homem segurava com força sua asa. Parecia sangrar, ele deveria estar ferido.

Foi então que Baek decidiu sair de trás da rocha, com um pequena pedra pontuda em mãos, seguindo na direção do anjo que até então não havia o notado. Quando o fez, o menor decidiu ameaçá-lo.

- Não se mexa! Eu tenho uma arma, e sei muito bem usá-la!

O jovem deitado riu soprado, e depois soltou um arfar de dor, se arrumando no chão.

- Se sem dor, eu não perderia meu tempo indo na sua direção, imagina só com ela?

- Hahaha,engraçadinho. - O garoto sorriu sínico, se aproximando um pouco mais do outro e chutando sua asa ferida.

-Ai! Seu idiota! Está ferida! Qual é seu problema?

- Você voou com sua asa ferida, depois sou eu o idiota.- o mais velho tentou se levantar e Baek sacou sua "arma"- Já disse para não se mexer!

- Cala a boca e me ajuda moleque! Para de falar besteira.

- Mas- que ousadia! Eu não vou te ajudar, e eu não sou um moleque! Sou um jovem...

- Um jovem tampinha de um metro e sessenta.

- Sessenta e três.- Byun retrucou, se sentando ao lado de Park, e observando seu ferimento, sem afastar-se da pedra.

-Você vai me ajudar? Se quiser, eu te ajudo em algo também.

- Eu não preciso de sua ajuda. Sou perfeito, e sei me virar sozinho. E além do mais, vou te ajudar por que sou muito bom, não por que preciso de você. Já disse, sou perfeito.

Baek se aproximou de Park e começou a observar suas feridas, vendo a gravidade de cada uma delas. Eram pequenas, mas profundas. Deveriam ter se estendido a medida que foram utilizadas, forçando a abertuda dos ferimentos. Byun deixou um tapa na testa do outro.

- Idiota. Deveria ter descansado! Agora vou demorar para sarar! Fique aqui... Eu vou pegar algumas folhas.

Baekhyun saiu dali,  procurando algumas folhas que havia visto e que acreditava ns cura das feridas auxiliadas por estas. Quando as achou, tratou logo de amassá-las com as mãos e misturá-las com água da chuva, voltando para a gruta.

- Fez bem em não se levantar. Isso tudo pioraria sua situação.- Disse enquanto colocava a mistura sobre as feridas, massageando devagar para não castigar ainda mais o garoto.- Pronto... Agora você descansa.

- E meu doutor? Não vai descansar?

-Corta essa. - O moreno se deitou sobre o chão de terra, e usou seu braço como travesseiro.

- Boa noite...

- Se for boa, amanhã eu te digo.

Park soltou uma risada baixa e se arrumou de modo que sua asa permanecesse confortável e ele conseguisse dormir normalmente. 

 

~continua~


Notas Finais


Obrigado aos que chegaram até aqui. deem suas opiniões. Já disse, amo vocês <3

Me desculpem qualquer erro, revisei mas sempre passa pq sou meio lerda e.e

Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...