História My Sweet Guardian - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Alina Kovalenko, Becky, Guardian, Justin
Exibições 34
Palavras 573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá queridaaas!

Acho que fui até rápida. Então já reescrevi o prólogo e assim que eu for reescrevendo os capítulos eu vou postando. Mudei algumas coisinhas e espero que gostem.

Boa leitura!♥

Capítulo 1 - Prologue


Na escuridão da noite o silêncio reina em todos os lugares. Apenas o vento se faz presente por onde passa. A janela aberta evidencia isso, o ir e vir do leve tecido lilás que faz o seu trabalho de esconder o interior escuro do quarto onde dorme a linda donzela. As cortinas não podem evitá-lo de observar a criatura mais linda que já viu. Nada poderia impedi-lo de estar perto de sua querida protegida. Nem mesmo o leve tecido da cortina, nem mesmo as paredes pintadas de um rosa clarinho. É assim que seu quarto está há anos. 

Ela jamais irá mudar a pintura de seu quarto. Prometeu a si mesma que jamais faria isso. Era a memória de seu pai a pintando que a fazia se agarrar tanto quanto a decoração do quarto. Mesmo que fosse uma lembrança vaga, afinal faz quinze anos desde sua morte. O pouco que lembra é muito importante. Jurou pelo seu pai e por Deus que só sairia daquele quarto depois de se casar e se casasse. Não que não fosse o seu sonho, mas se dependesse de seu atual namorado jamais se casará. O que é uma pena, pois ela tem esse desejo, porém quando a visão de que não poderá entrar com o seu pai na igreja vem a mente o desejo se esvai. 

Oh pequena Rebecca, não desista de seus sonhos. O seu pai ficaria tão feliz se soubesse que se casou conforme a tradição. Ele ficaria tão orgulhoso. Se ele visse o que, agora rapaz, vê todas as noites teria sempre um sorriso no rosto. Seus longos cabelos estão mais ruivos do que antes, talvez seja algum produto para realçar a cor, as poucas sardas que se encontram próximas ao nariz e um pouco das bochechas. Essas pintinhas que colorem o seu rosto, uma pena ela esconder com a maquiagem. Os olhos claros que brilham ao ver a mãe, os amigos, as coreografias das cheerleaders, uma roupa nova. Seus olhos só não brilham quando encontram os azuis do namorado. Ah se ela soubesse quem ele realmente é e o que ele quer dela. 

— Amanhã é o grande dia? — o som da voz do loiro sentado na janela chegou até seus ouvidos. Ryan, companheiro de serviço e irmão. — Já estava na hora não acha? 

O ignorou por completo enquanto ainda admirava sua protegida dormir serena. Se tornou um vício admirá-la enquanto dorme. É o que faz há quinze anos e se lamenta por não o fazer desde o dia do seu nascimento. 

— Justin, vamos, o dia vai raiar e os de cima querem o relatório do dia. — mais uma vez a voz de seu irmão invade seus ouvidos. Ele assente se afastando da cama onde a jovem dorme sem perceber a presença dos dois intrusos. 

Dá mais uma olhada no local para ver se tudo está no lugar. A escrivaninha continua bagunçada com vários trabalhos da universidade, roupas espalhadas pelo chão mostram o quanto estava cansada para catá-las hoje antes de se deitar, o celular está em cima da mesinha de cabeceira onde há um porta retrato com a foto de seus pais e ela antes da fatalidade. Suspirou antes de desaparecer pela janela, porém pairou sobre a mesma e proferiu sua frase cantada de todos os dias. 

— Até breve, minha protegida. — finalmente bateu as grandes asas alvas e voo pelo céu até o lugar onde devia estar. O departamento de relatórios do Céu. 


Notas Finais


Até breve, protegidas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...