História My Sweet Ilusion - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Park Jimin, Threeshoot
Visualizações 112
Palavras 5.210
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GENTE DO CEU
ME PERDOEM PELA DEMORA, EU FIQUEI DOENTE E TIVE QUE FICAR DE REPOUSO AHHHHHH SORRY ;-;
So consegui postar My Beloved Brothers, porem to aqui uuhuhuhuhuhu

Eu demorei muito pra escrever esse capitulo, então ou vcs gostam ou morrem
qq

por favor comentem
não deixem floppar ;-;

Kissus <3

Capítulo 2 - You humiliated Me, Park Jimin


Fanfic / Fanfiction My Sweet Ilusion - Capítulo 2 - You humiliated Me, Park Jimin

 

 

Eu tinha apenas dois anos de idade quando minha mamãe disse que iriamos para um lugar cheio de crianças para eu brincar. Acho que nunca fiquei tão feliz em minha vidinha. Fui correndo para o quarto da mamãe e do papai e abri o guarda roupa com cuidado para não quebrar a porta de novo e peguei meu vestidinho azul com babadinhos, mamãe tinha me dado esse vestido alguns tempos atrás e disse que era para eu usar só em ocasiões especiais, vai ser uma Ocasião especial, não? Então voltei rápido ate minha mamãe e mostrei o vestido e ela sorriu.    

    

- Vai querer usar ele hoje querida? - Perguntou enquanto acariciava minha bochecha.    

    

- Sim sim! - Gritei dando pequenos pulinhos.    

    

- Então vamos la pequena, vou te dar um banho e arrumar sua mala. - Ela disse baixinho a ultima parte. Não tinha entendido muito bem, põem não perguntei nada. Então ela me pegou no colo e me levou ate o banheiro, ligou o chuveiro e tirou pijama que eu usava, então ela colocou a mão na agua e fez uma careta, acho que a agua estava gelada.    

    

- Acho que seu pai não conseguiu arrumar o chuveiro. - Sorriu sem graça. - Se importa de tomar banho gelado? - Fiz um não com a cabeça, eu gostava de agua gelada, me lembrava piscina, e odeio agua quente, ela faz dodói na minha pele.    

    

Entrei de vagar de baixo do chuveiro, fiquei parada um tempinho me acostumando com a agua fria, olhei para minha mamãe e dei uma risadinha sapeca. minha mãe sorriu e vi seus olhinhos se encherem de lagrimas e ficarem brilhantes.    

    

- Porque esta chorando, mamãe? - Perguntei enquanto ela começava a me ensaboar.    

    

- Nada. -Ela disse focando em me dar banho.    

    

    

    

Assim que ela terminou, me enrolou na toalha a me levando para o quarto me secando e pegando o vestido azul e  pegou uma calcinha, me vestiu e logo penteou meus cabelos castanhos bem curtinhos. Pegou minhas sapatilhas branquinhas e colocou em meu pezinho. Então ela olhou para mim e de novo seus olhos se encheram de lagrimas, e quando fui perguntar ela se levantou e pegou uma bolsa media, e começou a colocar minhas roupas e sapatinhos la dentro.    

    

- Mamãe, nos vamos viajar? - Então ela me olhou e fez uma expressão cansativa.    

    

- Quase isso...    

    

Então ela pegou alguns papeis e colocou na bolsa. Ela os chamava de "documentos". Tsc. Pegou uma xuxinha e prendeu seu cabelo, pegou a bolsa com minhas roupas e segurou minha mãozinha. Fomos andando ate o lado de fora e tinha um carro amarelo com alguns quadradinhos pretos e brancos. Entramos no mesmo e logo minha mãe deu um papel pro moço que estava no banco da frente, e o carro começou a se movimentar.    

    

    

[...]   

    

    

Acho que se passou muito tempo, pois minha mamãe ja tinha dormido e o lugar era diferente, tinha muitas casas bonitas e grandes. Então o carro começou a ir mais de vagar e parou em frente a uma casa grandona, acordei minha mamãe e ela pegou a bolsa e deu uns papeis verdes, acho que é dinheiro. Enfim, mamãe me pegou em no colo e saímos do carro.    

Ela entrou na casa grandona e falou com uma moça que estava com um uniforme, então a moça deixou a gente entrar e dei de cara com um lugar cheio de crianças, todas usavam uma roupa branca, as meninas era uma saia e os meninos era uma bermuda, comecei a me mexer freneticamente e minha mamãe me colocou no chão e eu fui correndo ate as crianças, minha mamãe começou a falar com uma moça bem vestida e entregou minha bolsa para ela, então ela veio ate mim e me abraçou.    

    

- Seja forte ok? - Selou minha testa e tirou um colar do seu bolso e colocou em mim, era um colar prateado com um pingente de coração. - Eu vou sentir muitas saudades sua, me prometa ser forte ate o fim, apesar de tudo, eu te amo _____. - Ela disse me abraçando forte, sem entender a abracei também. Porque ela esta dizendo todas essas coisas? É como se ela estivesse se despedindo, ela não iria me abandonar, ne mamãe?   

    

Então ela se afastou e começou a seguir para a saída, comecei a ficar desesperada e  comecei a correr ate ela tropeçando em alguns brinquedos, porem uma mulher me segurou.    

    

- Por f-favor moça. - Falei ja chorando. - M-minha mamãe. - A moça começou a me aclamar e logo e comecei a parar de chorar. - Onde eu e-estou? - Perguntei soluçando.    

    

- Em um orfanato pequena.   

    

    

[...]   

    

    

- Eu quero uma irmãzinha!   

    

Já do outro lado do mundo, na Coreia do Sul, especificamente em Busan. Alguns meses depois. O pequeno Jeon discutia com seus pais novamente. O garotinho de 8 anos reclamava novamente com seus pais, os cobrando uma irmã.   

    

- Jeon. - Sua mãe o chamava, não era fácil explicar para uma criança que não podemos escolher o sexo do bebê tão facilmente, e de que não mandamos uma cartinha para as cegonhas dizendo "Oi querida Cegonha, quero uma filha, se puder me enviar hoje mesmo ficarei agradecida, Boa Tarde". - Não vamos discutir no meio do aeroporto. - Estavam no aeroporto Gimhae, de Busan, a família iria fazer uma viajem de ferias para o Brasil. E o Jeon mais novo decidiu implicar logo quando estavam almoçando no aeroporto e passou um menino de mais ou menos 12 anos com uma menina em seu colo de aparentemente 4 anos totalmente idênticos, provavelmente irmãos.   

    

- Mais Omma, eu nunca pedi nada de vocês, eu só queria uma irmãzinha para cuidar, igual o Hoseok Hyung, ele vive mimando e cuidando da SunHee. - Falou com um bico nos lábios e uma carinha emburrada. Então a Senhora Jeon olhou para o cirurgião cardíaco em sua frente, vulgo seu marido. O mesmo só deu risada e lhe lançou aquela típica frase quando Jeon da seus ataques.    

    

- Você é psicóloga, sabe muito bem como tratar esse tipo de situação.    

    

A Senhora Jeon apenas bufou e se agachou para ficar na frente do seu filho, que estava com lagrimas acumuladas em seus olhos.    

    

- Olha Jeon, quando voltarmos da viajem, eu e seu pai vamos conversar sobre o assunto, ok? Quando chegarmos podemos ir em um orfanato, que tal? - Sugeriu derrotada, sabia que seu menino não iria aquietar ate ter uma irmã, e não poderiam arriscar e no final ter um menino, amariam a criança, logico, porem Jeon ficaria chateado, e não da para ver essa criaturinha triste.    

    

- O que é um orfanato? - O Jeon mais novo perguntou confuso. Com o dedinho indicador pressionando o lábio inferior.    

    

- é um lugar onde as crianças ficam por não ter família ou as famílias o abandonarem. - Explicou para seu filho com um sorriso triste começando a pensar em varias crianças sem família.    

    

- Ah, entendi. Eu gostei da ideia. - Sorriu fofo mostrando seus dentinhos de coelho.    

    

- Então vamos? - O Jeon mais velho perguntou segurando a bagagem.    

    

    

[...]    

    

    

- Obrigada. - O Senhor Jeon agradeceu o taxista por traze -los ate a casa que alugaram para essas duas semanas.    

    

Entraram na casa e sorriram satisfeitos pela "compra" online.    

    

- Vamos Jeon. - A senhora pegou o menino no colo e subiu para o andar de cima. - Você precisa de um banho antes de dormir. - Os três estavam exausto, afinal, 27 horas de viagem sem pouso não é para qualquer um.    

    

Assim que todos estavam banhados e trocados, não esperaram mais nem um minuto se quer, e se jogaram na cama.    

   

  

[...]  

  

Quando deu 0 9 : 3 0 certinhos, o casal Jeon sentiu algo pulando na cama e ouviu gritinhos finos.  

  

 - VAMOS CONHECER O BRASIL, OMMA, APPA ACORDEM.   

  

Sentaram na cama de vagar, ainda raciocinando o que estava acontecendo. Deram de cara com Jungkook todo arrumado pulando pra cá e pra lá.   

  

 - Jeon, ainda são nove horas da manha, espere a gente se arrumar e enquanto isso vai tomar café da...  

 - EU JÁ TOMEI, VAMOS LOGO, AQUI NO BRASIL É MUITO QUENTE. - O casal deu risada da empolgação do baixinho.   

  

Levantaram preguiçosamente e foram ate o banheiro escovar os dentes e depois um de cada vez tomar banho.   

  

 - Esta animado JungKook? - Senhor Jeon perguntou sorridente vendo seu filho lendo um pequeno guia brasileiro. Apesar de ter 8 anos, JungKook era muito inteligente, ate demais para alguém do seu tamanho. Riu do seu próprio pensamento e foi ate seu filho o ajudando em algumas palavras, já que era fluente em português.   

  

Se passou um tempinho e logo a senhora Jeon desceu vestindo um macacão soltinho branco com a estampa de flores. Todos ali estavam vestindo algo "fresco", já que no Brasil fazia muito calor, não estavam muito acostumados, então passaram um pouco de protetor solar em seus próprios braços, pernas, pescoços e rostos.   

  

 - Então Omma, aonde vamos hoje? - Perguntou Jeon enquanto caminhava segurando a mão de seu Appa.  

 - Vamos em um parque bem famoso, o nome é Hopi Hari, é...Algo do tipo. - Deram risada com o sotaque da senhora Jeon e logo voltaram a andar para um "aluga carros" que tinha perto dali. Afinal, não iriam andando ate o tal Hopi Hari, certo?  

  

  

  

[...]  

  

  

 - Eu quero voltar mais vezes no Hopi Hari. - Disse o pequeno Jeon enquanto sai do parque com dois ursinhos de pelúcia e um algodão doce.   

 - Sim filhote, vamos voltar mais vezes, só que agora, vamos para casa, porque já vai anoitecer e eu li que aqui em São Paulo tem muito transito. - O Jeon disse segurando a mão de sua esposa que também estava segurando um algodão doce na cor amarelo.   

  

  

[...]  

  

  

E infelizmente, para o azar do Jeon mais velho, pegaram um transito daqueles, o som das buzinas e o fato de já estar escurecendo irritada JungKook, que estava olhando para o vidro do carro entediado, procurando algo de bom na rua para observar, ate que o carro para em frente a uma casa grande, om um letreiro chamativo, que fez seu papel, chamando a atenção do Jeon mais novo, u lugar parecia assustador a noite e tinha alguns desenhos infantis de umas crianças . A todo custo, Kook tentava ler o que estava escrito, a qual é! Treinou português dois meses todinho para não conseguir ler 4 silabas? Aish.   

Se esforçou um pouco mais e conseguiu finalmente ler.   

  

"Or-orfa-na-na-to"  

"Or-fana-to"  

"Orfanato"  

Pera, traduzindo isso, fica orfanato, aquele lugar onde Omma disse que tinha varias crianças.   

  

 - Appa. - Chamou seu pai. - Appa, vai ate ali. -Apontou para a casa grande.   

 - Querido, agora não da para o Appa comprar algum doce na rua. - Falou sem menos olhar para onde seu menino estava apontando.   

 - NÃO APPA, NÃO ANDA. - Gritou enquanto abria a janela do carro e colocando a mão para fora.   

 - JEON. - Sua Omma gritou e  o menino colocou o braço para dentro do carro.  - Para que essa gritaria toda? - Então o menino apontou para a casa que ainda estava em vista pelo transito. Então quando a Jeon olhou para onde era apontado e leu com dificuldade, arregalou os olhos.   

 - Omma por favor, você prometeu que poderíamos adotar uma menina.   

 - Jeon... -A mulher tentou negar, porem realmente prometeu, e não iria o iludir. - Vamos ver isso amanha de manhã certo? - O menino apenas emburrou a cara e ficou olhando a casa que ficava cada vez mais distante, já que o sinal verde tinha ligado.   

  

  

[...]   

  

  

Não precisava dizer que o Jungkook acordou seus pais aos gritos e tapas, precisava?  

  

  

 - Vocês prometeram. - O Jeon choramingou enquanto arrumava seu cabelo.   

  

  

  

[...]   

  

E la estava a família Jeon, na frente do orfanato. Ainda não acreditavam que depois de uma conversa enorme, voltariam para Coreia com uma nova "Jeon".   

  

JungKook estava mais que animado, não dava para descrever como se sentia. Era uma sensação muito além de felicidade.   

  

E assim que seu Appa terminou de falar com a recepcionista, tratou de rapidamente entrar, e deu de cara com varias crianças, as meninas brincando de casinha com algumas bonecas de pano, e os meninos brincando de corrida com alguns carrinhos.   

Todos estavam brincando, só tinha uma menina em um canto sozinha. Ela não brincava e não estava com ninguém. Ela apenas ficava deitada em um canto isolado, então o pequeno Jeon foi ate ela. Sentou do seu lado, ela era tão pequena, parecia uma bonequinha. Então o moreno cutucou a pequena, ela acordou e se assustou com a presencia de Jungkook dando um pequeno gritinho, trazendo uma risada gostosa do mesmo.   

  

 - Calma pequena, eu não vou te machucar. - Jeon disse com seu sotaque engraçado aos ouvidos da menina enquanto se aproximava mais ainda da mesma.    

 - Q-quem é você? Nunca t-te vi p-por aqui. - A baixinha disse enrolada.   

 - Sou JungKook. Jeon JungKook.   

 - Juin, join, juei... - A menina tentava pronunciar o nome do coreano sem sua frente, era tão dificil para ela.  - Seu nominho é muito difícil, é estranho, nunca ouvi em toda minha vida.   E você tem olinhos puxados, é fofoinho. - Ela disse sorrindo.

  

  

Enquanto as duas crianças conversavam animadamente, os Jeon's e a diretora do orfanato observava.   

  

  

 - Curioso. - Disse a diretora enquanto olhava o comportamento da menina.   

 - O que? - A senhora Jeon perguntou.   

 - Ela nunca fez amizade aqui no orfanato, sempre que alguém ia falar com ela, ela ignorava e saia.   

 - Podemos ver a ficha dela? - Senhor Jeon perguntou enquanto olhava o sorriso do seu filhote.   

 - Claro. - A senhora de idade foi ate sua sala e pegou uma ficha que contia todos os dados e informações da menina. Então o Jeon pegou seu celular de ultima geração, foi no Google Tradutor e tirou uma foto logo traduzindo para coreano.   

  

  

  

Nome : ___________ _______ ___  _______  

Idade : 2 anos  

Data de Aniversario : 01/04/2000  

Tipo Sanguíneo : O negativo   

Nacionalidade : Brasileira  

Doenças : Asma e Rinite  

Altura : 81,7 cm  

Peso : 12,2 kg  

Aparência : Cabelos curtos e castanhos, olhos verdes, pele morena e uma pinta de baixo do olho.  

Motivo do Abandono : Pais com baixas condições financeiras.   

Problemas : Bipolaridade, funga quando a rinite ataca, não conversa muito, as vezes fala em terceira pessoa.  

  

  

  

  

   

  - E qual é seu nome? 

 - ___________. - Falou sorridente. 

 - Ah, depois o meu nome que é difícil.  

 - O seu é difícil sim. 

 - Não é não.  

 - É sim sim! 

 - Não 

 

 

 

[...] 

 

 

Acordei sentindo meu celular vibrar varias vezes em baixo de mim. Olhei para o lado, e nada do Jimin. Peguei o mesmo e conferi o horario. 12 : 03. Olhei para as notificações forçando meus olhos por conta da claridade.   

 

Bunny Kookie : ________, onde vc esta?" 09 : 23 

Bunny Kookie : ________, me responde agora! " 09 : 24 

4 Ligações perdida de Bunny Kookie. 

Bunny Kookie : EU ESTOU DESESPERADO ONDE VOCÊ ESTA." 10 : 18 

Bunny Kookie : eu vou ligar para a policia. " 11 : 53 

"Bunny Kookie : Por favor __________, me responde. " 11 : 59 

  

"Bunny Kookie " 

" Atender – Recusar" 

"Atender" 

 

" _____________? Oh D-Deus. " Ele estava chorando, dava para perceber.  

"Kookie, eu estou bem" 

" Onde você esta? Merda, já tinha chamado Hoseok." 

"Calma Kookie, eu vou voltar para casa daqui a pouco" 

" Onde você dormiu? " A voz dele começou a se alterar. 

"Já estou voltando" 

"__________, não se atre-" 

 

 

Suspire enquanto finalizada a ligação. Olhei para o lado e vi Jimin segurando uma bandeja com algumas comidas em cima, ele estava so de cueca, corei e me cobri mais ainda.  

 

  - Seu irmão? - Perguntou enquanto se sentava do meu lado. Acenei um sim com a cabeça e ele me entregou a bandeja .  

 - Não vai comer?  

 - Já comi, esse eu fiz só para você. 

 - Obrigada. - falei abaixando a cabeça. Na bandeja tinha um potinho com morangos banhados a chocolate derretido, um prato com três panquecas com o mesmo chocolate derretido por cima, e um copo com suco de laranja, e tinha uma cartela de dipirona do lado. Quando ia perguntar o motivo do dipirona eu senti algumas pontadas na cabeça, que deis de que acordei estavam presente porem não tão fortes como estão agora. - Uau, fez tudo isso para mim? - Olhei para ele e ele sorriu , fazendo seus olhos desaparecerem, formando apenas um risquinho. Cortei um pedaço da panqueca e mordi... Pera, como os brasileiros falam mesmo? Ata... MANO DO CÉU, esta muito bom, meu Deus. - Não foi você que fez isso. - Na hora seu sorriso desapareceu. - Foi sua empregada que eu sei, Park Jimin não tem esse potencial todo na cozinha, da ultima vez você quase queimou o Lamen.  

 - Aigoo, a Yangi me ajudou me dando conselhos, mas ela não fez nada, quando eu me esforço para fazer algo, eu faço. - Ri do seu desespero e comecei a comer. Assim que terminei ele pegou a bandeja e colocou no chão e logo se deitou do meu lado me abraçando, e assim que ele tocou minha pele percebi que ainda estava nua.  

 - Jimin. - Ele começou a beijar meu pescoço. - Agora não. Preciso ir para casa, ou meu irmão vai me matar.  

  - Quer que eu te leve? - Perguntou enquanto me apertava mais ainda no abraço. Concordei com a cabeça.  - A proposito, adorei a noite de ontem. - Olhou para mim sorrindo, eu não sabia onde enfiar a cabeça, eu estava com muita vergonha.  

 - Eu também.  - Devolvi o sorriso. - A proposito, tem um cachecol para me emprestar? 

 

 

 

[...]  

 

 

Entrei de fininho em casa, e assim que tranco a porta e viro para frente, dou de cara com o Jungkook com os olho todo inchado e um rosto vermelho, atrás do mesmo esta Hoseok, um amigo de infância do meu irmão.   

 

 - Kook, eu posso expli... 

 - Aonde você estava. - Me cortou vindo em minha direção.  

 - Eu... Eu estava... - Não estava conseguindo falar, como ia dizer que dormi na casa de Jimin? 

 - RESPONDA. - Gritou dando um soco na porta que estava do meu lado, fazendo eu fechar os olhos.  

 - Jeon...Eu dormi na casa do Jimin. - Falei a ultima parte como um sussurro. Então o moreno em minha frente apenas deu um sorriso irônico.  

 - Eu não acredito... Porque não me avisou? - Falou enquanto me encarava profundamente, fazendo meus pelos se arrepiarem.  

 - Eu apenas esqueci, depois do jantar com seus pais ele me convidou para dormir na casa dele.  - Falei enquanto mexia os pés freneticamente, coisa que eu fazia quando estou nervosa. Então ele suspirou.  

 - Va para seu quarto. - Nada falei, apenas assenti e fui em passos lentos ate a escada, passei por Hoseok que me olhava serio, apenas dei um sorriso sem graça.  - Espere!. - Então Jeon me chamou.  - Você esta usando um cachecol nesse sol? Pera, você não saiu com esse cachecol. - Eu estava suando muito, então ele veio ate mim e segurou meu pulso, gritei o nome dele pedindo para me soltar e ele apenas ignorou e puxou o cachecol, revelando minha pele marcada por chupões e mordidas. Ele fechou os olhos e apertou mais forte meus pulsos. - Eu espero que isso não seja o que eu estou pensando e principalmente por quem eu estou pensando. -  Ele estava começando a suar e a cada segundo a tensão da sala aumentava. Não tem como eu escapar mais. Eu sei disso... 

 - E-eu vou te contar a v-verdade, apenas solte m-meu braço. - Ele me encarou serio, como se não fosse fazer o meu pedido e aumento mais ainda a força nos pulsos, que já estavam ficando dormentes.  - Certo eu conto. -Minha respiração estava ficando pesada, eu estava com muito medo.  - Eu fui para a casa do Jimin e dormi com ele. Você sabe em qual sentido eu estou falando. - Falei o encarando confiante, mas na verdade eu estava é morrendo de medo.Ele abaixou a cabeça e pude ver duas lagrimas cair. Então, com meus pulsos presos, ele pega impulso e me joga no chão, com os olhos arregalados e ele ia vim para cima de mim, quando ele iria se agachar o Hoseok segura ele.  

 - EU TE CRIEI A VIDA INTEIRA, TE TIREI DAQUELE INFERNO DE ORFANATO PARA VOCÊ VIRAR UMA VADIA E DAR PARA QUALQUER UM POR AI? - Não estava conseguindo acreditar em suas palavras, ainda estava no chão. Então levantei e fui em sua direção.  

 - VOCÊ NÃO PODE FALAR ISSO, EU ESTOU APAIXONADA, EU AMO O JIMIN, E EU CONFIEI NELE PARA TIRAR MINHA VIRGINDADE, ACHA QUE EU SOU UMA VADIA POR ESTAR APAIXONADA? 

 - VOCÊ NÃO ENTENDE? ELE NÃO GOSTA DE VOCÊ, SO ESTA TE USANDO, APOSTO QUE ELE NEM VAI LEMBRAR SEU NOME QUANDO SE VEREM, ELE SO QUERIA TE USAR. - Ele disse em um tom de deboche.  

 - NÃO! NÃO É VERDADE.  

 - Espero que quando ele não te humilhar, não venha chorando pedindo a minha ajuda.  

 - Você esta errado, e eu vou provar isso. 

 - Ah é? Como? 

 - Em menos de 2 meses Jimin me deu mais amor e atenção que você me deu a vida inteira. - Então vi sua expressão mudar para fúria, vi Hoseok negar com a cabeça. Com uma força absurda, ele se soltou de Hoseok e veio em minha direção me dando um tapa. Meu rosto começou arder de uma forma absurda, o olhei inacreditável, seu olhar esta serio e forte. Rapidamente me levantei e fui para um quarto. Me joguei na cama e comecei a chorar desesperadamente. E hoje eu finalmente senti aquele sensação de tristeza. 

 

 

[...] 

 

 

Já era segunda feira, e eu estava me arrumando para a escola, estavam na ultima semana de aula, para finalmente eu terminar o 3º ano da escola. Tinha passado o domingo inteiro trancada, eu não queria ver meu irmão. Eu estava magoada com ele.  Terminei de passar a base no meu rosto para esconder um pouco a marca da mão do Jungkook. Suspirei e peguei minha bolsa e sai do meu quarto indo para a cozinha, dando de cara com Jungkook tomando café. Então ele me encarrou. Ficamos nesse contato visual por segundos, que pareciam décadas. Eu apenas queria chorar por me lembrar das suas palavras rudes.  

 

Calma _______, você esta com dinheiro e não esta atrasada , é so você sair e comer na rua.  

Simples... não? 

Bom, era para ser.  

 

 

 

  -  Sente-se.  

 

Seu tom serio me fez estremecer, eu não iria desobedece-lo, afinal, ele é o meu responsável. E assim fiz, me sentei ao sua frente e abaixei a cabeça. 

 

 -  Desculpa. - A ultima coisa que eu pensei que sairia de seus lábios, saiu. Rapidamente levantei a cabeça para encara-lo. -  Eu sei que fui um tremendo babaca, não queria te dizer aquelas palavras e principalmente... - Passou o polegar  em minha bochecha vendo a base ficar presa em sua digital, suspirando por saber que eu odeio maquiagem. - Desculpe por te bater, eu realmente não consigo me imaginar fazendo isso, foi por impulso, você dizendo que prefere o Jimin do que eu... - Seus olhos começaram a marejar, e quando fui falar ele começa. - O dia em que nossos pais te adotaram, prometi a mim mesmo que iria cuidar de você, prometi que ninguém iria machuca-la. Eu sei que você gosta do Jimin, mas também sei que ele não é uma boa pessoa. Então apenas seja cuidadosa. E qualquer coisa que aconteceu, sabe que eu vou estar ao seu lado, sempre. - Não sabia o que falar, então apenas concordei e sai de casa o mais rápido possível, não estava aguentando essa tensão. 

 

Caminhando em passos lentos, eu chego na escola com 20 minutos de antecedência.  Fiquei olhando ao redor e encontrei meu melhor amigo, vulgo, Kim TaeHyung, então ele começou a gritar feito uma gazela com pneumonia. Fui em sua direção rindo mais que tudo.  

 -  TaeHyung amigo, quer para de passar micão? - Falei enquanto estapeava seu ombro esquerdo. 

 - Sorry, é que eu estava com saudades. - Falou jogando seus braços em meu pescoço. 

 - So ficamos dois dias sem se ver, para de drama. - Eu disse quanto ia ate um banquinho logo em seguida sentando.  

 - VOCÊ NÃO PODE FALAR NADA, EU SOFRI NESSES DOIS DIAS SEM SUA AJUDA. - La vem. - Viu a foto que seu delicioso irmão postou no Instagram? - Ah, esqueci de comentar, mais TaeHyung tem uma paixão absurda por meu irmão assim que pregou os olhos nele. - AQUELE HOMEM FODE MEU PSICOLOGICO.  

 - Eu ainda vou juntar vocês dois, só aguardem. - Falei tirando um saquinho com pães de queijo que tinha comprado. 

 - Amém. Enfim, em falar nele, ele disse algo depois da briga? - Como eu disse, ele é meu melhor amigo, ele sabe tudo que acontece comigo, assim como eu sei o que acontece com ele. 

 - Sim, hoje ele veio me pedir desculpas, ele disse estar arrependido de me xingar e me bater, e disse que eu so queria me proteger. - Taehyung por um momento parou de respirar. 

 - AAAAAAAAAAAAAAAAAAAH. - TaeHyung deu um berro se jogando em meu corpo. Alguns alunos olharam para a gente e apenas ignorou, já estavam acostumados com os berros de Tae. - Que fofo, aaaaaah Deus, se fosse eu iria pular em seu colo e dizer "Não se preocupe Kookiezinho, eu te perdoou, apenas me faça seu e... 

 - Já chega TaeHyung. - Falei enquanto tentava controlar a risada, nenhum cientista maluco pode descrever o que Kim TaeHyung sente pelo meu irmão mais velho. 

 - Ah, imagina acordar do lado daquele pedaço de mal caminho? Senhor, você é sortuda por ver aquele rosto angelical todo o santo dia.  - Tae suspirou apaixonado. 

 - Sabia que não consigo imaginar você com meu irmão? - Falei enquanto mordia um pão de queijo. 

 - Ué? Porque não? - Ele perguntou.  

 - Sei lá, meu irmão é tão puro e inocente, você é tão pervetido e safado. - Falei enquanto encarava seus rosto que teve uma expressão engraçado, como tivesse sido ofendido pela palavra mais suja. 

 - COMO VOCÊ TEM CORAGEM DE ESQUECER, QUE ALEM DE SER PERVETIDO E SAFADO, SOU PIRANHA. - Puta merda TaeHyung. Comecei a rir descontroladamente, realmente, Taehyung melhor pessoa do mundo. - Mal vejo a hora de cair de boca no pa... 

 - Aquele não é o Jimin? - Interrompi a frase suja do Tae com uma pergunta meio obvia. Jimin estava com seus amigos de costume, Kim NamJoon, Kim SeokJin e seu melhor amigo Min YoonGi. - Sera que eu devo ir la? - Perguntei para Tae que estava me olhando serio. 

 - Não sei não __________, ele esta com aqueles amigos esnobes dele.  

 - Para, eles nem devem ser assim. 

 - Claro que são, acho que o pior dali é o SeokJin, fica se achando e humilhando os outros alunos so porque com 18 anos já é um modelo famoso. E o NamJoon? Nem se fala, so porque lançou um livro se acha o gostosão, fica se comparando com outras pessoas. Nem vamos falar do YoonGi, lembra que quando eu esbarre com ele no intervalo ele quase me estapeou na frente da escola toda? Aish, ainda lembro das suas palavras dizendo que eu era um viadinho de merda. Aigoo, não gosto de lembrar disso.  

 - Eu vou la. - Falei enquanto pegava minha mochila e colocando nas minhas costas. Ele estava tão lindo, seus cabelos estavam um tom de laranja mais forte, creio que retocou. Sorri e me aproximei dele. 

 

 

 

 Park Jimin P.O.V  

 

 

Eu estava de costume junto aos meus amigos na escola, quanto esperava o sinal bater, ate que avisto ________, vindo em minha direção, ela esta tão linda! Ela fica tão fofa com esse uniforme , e esse cabelo solto, e os fios caindo sobre seu ombro, e gosto... 

Fui interrompido por Yoongi que cutucou meu braço e sorriu. 

 

 -  Sua namoradinha esta vindo. - Engoli o seco. - Hora de invocar aquele Park Jimin totalmente foda-se para os sentimentos de uma garota. - Suspirei, eu não poderia deixar que os meninos soubessem que eu tenho algo com _________, seria humilhante, ela é tão diferente de nós... Então quando ela estava se aproximando e eu olhei para o Yoongi, ele movimentou os labios em uma frase.  

"Não me decepcione" 

 

Então olhei para frente de novo e ______ estava mais próxima, e quando ela foi me abraçar eu a empurrei, não forte, só o suficiente para ela se afastar. Ela me olhou confusa e logo os garotos deram um risinho.  

 

 -  Porque esta aqui ______? - Perguntei enquanto encarava profundamente.  

 - Eu achei que... 

 - Que so porque dormi com você estou apaixonado? Tão tola.  - Então o Yoongi tirou seis notas de cem e me deu. - Olhe ______, o único motivo de eu ter ficado com você. - Ela me olhou triste e eu senti meu estomago embrulhar.  -  Fala serio __________, quem iria se apaixonar por você? Uma garota tão idiota e infantil, so porque é brasileira fica se achando a gostosona do pedaço, se toca, ninguém gosta de você, aquele seu amigo TaeHyung só esta do seu lado porque quer um esquema com seu irmão. 

 - I-Isso não é v-verdade. - Ela estava começando a tremer.  

 - Você e eu sabemos que é sim. Serio, quando eu estava tocando seu corpo só faltava eu vomitar, nunca senti tanto nojo de alguém como aquele dia. Tive que me esforçar ate cansar para poder te iludir, o que não foi tão difícil, já que é uma babaca carente. - Lagrimas desciam livremente do seu rosto. Merda.  

 - Por f-favor J-Jimin, diz que isso é apenas u-uma p-pegadinha. - Ela soluçava muito. 

 - Não deu para entender _________. - Agora foi Jin que começou a falar. - Ele sente nojo de você, afinal, quem não sente? Apenas uma nerd sensível. Eu olho para você e sinto dó das pessoas que convivem ao seu lado. Serio, se eu fosse o Jimin já teria enlouquecido. - Ele falava com confiança, achando as melhores palavras para machuca-la.  

 - E-Eu... - Ela não terminou de falar, pois Yoongi a empurrou e por estar despreparada ela caiu no chão, bem no gramando, fazendo sua roupa sujar de terra. Ela se levantou e olhou fixamente para mim. - Eu te odeio.  

 Então ela começou a correr para fora da escola, seu amigo percebeu e pegou sua mochila e foi atras dela. Os meninos começaram a gargalhar.   

 

-  Viram a cara dela? "Ah Jimin eu te amo". - Namjoon tentou imita-la de um jeito estranho. Então eu fiquei olhando para o chão ate perceber o que eu tinha feito.  

 

Merda, eu sou um monstro. 

 

 - Capitulo Dois - Você me humilhou, Park Jimin - 

 


Notas Finais


POR FAVOR NÃO ME MATEM
o próximo é o ultimo capitulo, preparados?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...