História My Sweet Obsession - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~BabiLennox

Postado
Categorias Ashley Benson, Justin Bieber
Personagens Ashley Benson, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 58
Palavras 1.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Chegamos ^-^

Capítulo 8 - In the next day...


Fanfic / Fanfiction My Sweet Obsession - Capítulo 8 - In the next day...

Acordei duas horas antes do horário em que costumava levantar-me para me arrumar, ou seja, o dia ainda nem havia clareado. E de alguma forma eu estava me sentindo mal, mas não sabia por qual motivo.

Além de tudo, não estava afim de encarar Justin, não depois da noite passada. Na verdade, eu não sabia com que cara olharia pra ele quando o visse, o que seria inevitável já que moramos sob o mesmo teto. Mas eu podia adiar nosso encontro pela casa, por isso liguei para Jo, e pedi ela me buscar mais cedo.

Depois de fazer minha higiene matinal na maior velocidade que consegui, vesti uma saia florida rodadinha e uma blusa de manga. Ouvi meu celular apitar em cima da cama, era uma mensagem de Jo avisando que já estava a caminho. Sorri aliviada olhando para o celular.

Então peguei minha mochila e desci para tomar um café da manhã rápido. Quando adentrei a cozinha vi Helga, uma antiga agregada que eu só havia conhecido há dois dias, e mesmo assim não a vi muitas vezes, já que Pattie parecia ter o costume de levá-la para todo canto.

Helga é uma mulher de meia idade, uma mulher adorável. A expressão “foi um prazer te conhecer” só fez sentido para mim quando fomos apresentadas.

— Bom dia, Helga! – falei bem humorada, beijei sua bochecha e me sentei em uma das cadeiras.

Ela sorriu abertamente e alisou meus cabelos brevemente. Era tão engraçado o fato de que nos conhecíamos tão pouco e já nos gostávamos.

— Bom dia, Lindy. É bom te ver tão animada – dito isso ela me serviu um pouco de suco de goiaba — E você está 30 minutos adiantada – comentou em seguida.

— Sei disso, é que eu tenho umas coisas pra resolver na escola, então Jo vem me buscar para irmos mais cedo – ela assentiu e uma buzina soou do lado de fora da casa. — Falando nela... – sorri ao falar.

Antes mesmo de tomar um café decente, me despedi de Helga e sai para o jardim pela porta dos fundos da cozinha, indo até o carro que acabara de parar na rua.

— Bom dia, Jo – falei abrindo a porta e entrando no carro.

— Bom dia, Lindy – sorriu maliciosa e deu partida. — Antes de tudo me diz uma coisa, essa pressa toda é só pra não dar de cara com um certo loiro atraente? Vulgo aquele que chupou a sua língua noite passada? – perguntou com um sorriso sapeca nos lábios, me fazendo ficar sem graça.

— Achei que já tínhamos encerrado esse assunto ontem – resmunguei observando a estrada pelo vidro da janela.

— Calma, não está mais aqui quem perguntou – levantou os braços em forma de rendição e eu lhe lancei um olhar matador por ela ter largado o volante. — Também te amo, Lindy Bieber.

Neguei com a cabeça em sinal de reprova. Jo não era a peça mais certa do quebra cabeça.

(...)

Quando chegamos na escola, alguns alunos já estavam por ali. Nós ficamos ouvindo músicas e comendo as barras de cereal diet que haviam no porta luvas do carro de Jo, até aquele sinal ensurdecedor bater. O bom é que nós teríamos aula de álgebra juntas.

Sendo assim fomos para a classe conversando, e eu senti minha respiração pesar totalmente ao entrar na sala e ver Justin sentado na mesa do professor, conversando com Ryan. Passei direto por eles, arrastando Jo pela mão, podia sentir seus olhares sobre mim mas simplesmente ignorei.

Nos sentamos nas cadeiras do fundo e eu fiquei concentrada em rabiscar meu caderno enquanto escutava Jo cantar a música que estava tocando em seus fones até o professor chegar. Olhei somente para a frente, foco na aula. Mentira, eu queria mesmo era evitar cruzar com aquele par de olhos cor de mel... Aquele belo par de olhos cor de mel. Droga.

Pouco tempo após chegar, o professor havia passado alguns exercícios (dificílimos, devo ressaltar) para fazermos. E até que estava tudo muito tranquilo, até Laine entrar na sala.

— Com licença professor, só vim avisar Lindy que abriram vaga para bibliotecária da escola e eu a indiquei. Soube que ela gosta muito de ler e bem... assim elaa não vai ter tempo para ficar dando em cima do namorado dos outros.

Nesse momento, todo silêncio da classe foi tomado por uma avalanche de cochichos. Olhei para Jo sentindo meu sangue ferver junto com minhas bochechas, e ela apenas sussurrou um “relaxa”.

— Obrigado por vir avisar. Agora já pode se retirar – disse o professor.

Olhei em direção a Justin e ele me encarava com uma sorriso cafageste nos lábios, então escorreguei as costas na cadeira, desejando mais do que nunca voltar para casa e me trancar em meu quarto.

O restante da aula e das outras seguintes foi mais calmo, pelo menos ninguém falou nada comigo, mas a saída foi, com certeza, o pior momento do dia. Enquanto Jo me forçava a andar com ela pela escola para procurarmos a moça que trabalhava temporariamente na biblioteca, Laine não perdia a oportunidade de fazer uma piadinha sobre mim, o que por um momento me fez achar que Justin havia contado sobre o beijo para ela. Mas depois vi que não passava de pura implicância dela, o que já estava se tornando normal.

Pelo menos é o que eu acreditava.

— Fala comigo, Laine, o que você quis dizer com “ela não vai ter tempo pra ficar dando em cima do namorado dos outros”? – perguntou Jo, quando passamos por Laine no jardim e ela me forçou a parar do seu lado.

A loira intercalou o olhar entre mim e Jo com um sorriso sarcástico nos lábios, e um olhar superior que só ela sabia fazer.

— Não se faça de sonsa, você sabe muito bem que a Lindy passou a noite toda com Justin ontem.

Belisquei o braço de Jo tentando sair dali, mas ela somente me deu um tapa na mão.

— I-isso não significa que tenha acontecido algo entre nós – falei gaguejando, na tentativa de sair dessa, a última coisa que eu queria era Laine no meu pé por causa de Justin.

Ela já implicava comigo pelo simples fato de morarmos sobre o mesmo teto, veja lá se souber do beijo.

– É, eles terem passado a noite juntos não quer dizer que tenham se pegado, embora eu tenha quase certeza de que Justin pensou no assunto, afinal... até eu pegaria a Lindy – provocou Jo, fazendo Laine se irritar.

— Cala a boca, meu namorado nunca sequer olhou pra essa coisa. E pode até não ter acontecido nada, mas eu sei muito bem que essa garota está doida pra pegar ele – revirei os olhos e puxei Jo pelo braço, deixando Laine falar sozinha.

— Não vamos ficar ouvindo asneiras dessa songa monga – falei puxando Jo até o carro e entrando no mesmo.

— Você tem razão – riu. — Então, que tal uma pizza antes de eu te deixar em casa?

— Eu apoio essa ideia.

(...)

— Argh, preciso urgentemente de um banho – comentei, quando estacionou em frente à casa de Pattie. – Nossa guerrinha na pizzaria me deixou toda suja de molho de tomate e outras coisas mais.

— Somos duas – riu olhando para o lado de fora do carro. — Ih, parece que a Barbie está à sua espera – apontou para o carro de Justin parado no jardim.

— Não me lembre dele ou eu vou acabar te odiando – beijei sua bochecha e saí do carro. — Até amanhã, Joanne.

Acenei para ela e corri para dentro, evitando pegar o chuvisco que havia começado a cair. A casa escura denunciava a ausência de Pattie, então subi as escadad na ponta dos pés, indo para meu quarto em seguida. Joguei a mochila na cama e já fui me despindo no caminho para o banheiro. Entrei no box e liguei o registro, a água morna me fazia querer ficar ali pra sempre, mas em poucos minutos meus dedos já estavam errugando.

Desliguei o registro e me enrolei numa toalha, escovei os dentes e saí do banheiro. Então congelei por completo ao ver Justin deitado em minha cama sem camisa, deixando à mostra seu corpo definido.

— Precisamos conversar – disse ele, se movendo um pouco ao me ver, após encarar minhas pernas por alguns instantes.

Pisquei incrédula ao ver aquela figura deitada em minha cama de um jeito pra lá de sexy.

— Você deve ter pirado. Eu poderia estar pelada – resmunguei afastando meus pensamentos impuros e correndo para o closet.

— Ah, mas isso não seria algo ruim. Muito pelo contrário – disse ele, rindo em seguida de forma maliciosa.

Vesti minhas peças ínitmas e um pijama compridinho em tempo record, então saí do closet, sentindo meus batimentos cardíacos acelerarem só de olhar para Justin de novo

— O que... O que você quer falar? – me sentei na beira da cama mantendo uma boa distância dele.

— Sobre ontem – minhas bochechas queimaram na hora, e eu virei um pouco o rosto.

— Justin, olha, eu queria me desculpar, não tive intenção...– ele me interrompeu, chegando mais perto.

— Não precisa se desculpar – dito isso ele acariciou levemente minha bochecha, fixando seus olhos nos meus.

— Não...?


Notas Finais


Queremos hot?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...