História Meu Adorável Ômega - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Fluffy, Jikook, Jimin!bottom, Jimin!bottom Squad, Jimin!ômega, Jimin!uke, Jimin/passivo, Jungkook!alfa, Jungkook!seme, Jungkook!tops, Jungkook/ativo, Kookmin, Lemon, Litwick, Muito Fluffy, Namjin, Otp, Passivamin, Taeseok, Vhope, Yaoi, Yoongitah
Visualizações 5.399
Palavras 1.747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cara, mt mt mt obrigada mesmo pelos favoritos e comentários. A fanfic está crescendo tanto! Estou tão feliz!
São +550 e mds, esqueci como respira~

Boa leitura ♥

Capítulo 12 - Não aja dessa maneira, Jimin não é seu


Fanfic / Fanfiction Meu Adorável Ômega - Capítulo 12 - Não aja dessa maneira, Jimin não é seu

Jungkook

Acordei aos poucos, sentindo algo ou alguém com um peso desconfortável, se remexendo arduamente sobre mim, enquanto soltava algumas lamúrias demasiadamente finas e um tanto irritantes, fazendo com que eu arregalasse os olhos e erguesse o meu tronco, deparando-me com a ômega loira completamente nua, agora entre as minhas pernas, prestes a me tocar sem pudor algum. 

– Bom dia, meu amor. – Se inclinou sobre a minha estatura, logo selando os nossos lábios rapidamente, na medida mesma medida em que eu a olhava confuso e sem esboçar expressão nenhuma. – Oh, eu estou tão feliz por saber que vai ficar aqui pelo resto da semana e me ajudar no cio... – Comentou, arrastando a ponta das unhas postiças no meu abdômen, até parar novamente rente a minha virilha, próximo ao meu pênis, que se encontrava levemente ereto por conta do meu instinto molestando-os pelo aroma que a mulher liberava.– Eu já estou tão necessitad-

A interrompi com um empurrão, logo me levantando da cama num sobressaltou ligeiro, a deixando confusa e assustada com a minha atitude repentina e estranha ao seu ver. Senti o vento frio abraçar o meu corpo também desprovido de qualquer tipo de vestimenta e, juntando aquele fato ao que a ômega tinha acabado de falar, finalmente me dei conta do que provavelmente tinha ocorrido ali.

E então eu me senti arrependido.

Ah, não, não, não. Eu definitivamente não podia ter feito isso.

Passei a mão nos cabelos, os puxando de leve, um tanto o comigo mesmo, logo comecçando a andar de um lado para o outro, enquanto xingava-me mentalmente com todos os palavreados ofensivos que existiam.

– Jungkookie? – Sohyun me chamou num tom soprano e manhoso, engatinhando na cama até a beirada, próximo aonde eu estava, enquanto maltratava os seus próprios lábios com os dentes. Evidentemente, ela ainda estava no cio. – Oh, Jungkookie! – Gemeu alto e em bom som, atiçando o meu alfa alfa. – Eu preciso de voc-

– Não, Sohyun! – Gritei, vendo-o abrir a boca para falar alguma coisa, assustada, entretanto, daquela brecha não saiu absolutamente nada. – Não era para ter acontecido de novo, isso foi um erro. – Proferi baixo e decepcionado comigo próprio, em seguida, correndo até o guarda-roupas, pegando o que fosse necessário.

– Jeon? O que está fazendo? Aonde pensa que vai? – Indagou irritada e levemente magoada por não estar recebendo minha atenção. Posteriormente, lambeu os lábios e ofegou. 

Eu precisava sair rápido daqui, ou acabaria cometendo outro absurdo.

– Jeon Jungkook, eu estou falando com você! – Berrou, provavelmente agoniada por conta da forte dor que o cio causava. – Ajude a sua noiva, aigoo… – Afundou o rosto no colchão macio da minha cama.

Respirei fundo, me arrependendo logo em seguida, pois assim que aspirei aquele ar, o seu perfume adocicado impregnou nas minhas narinas, causando-me sensações diferenciadas.

E como eu não queria deixar os meus instintos de alfa assumirem o controle novamente, vesti as minhas roupas depressa e coloquei algumas dentro da mochila, já que estava disposto a passar o resto dos dias bem longe dali.

Desci as escadas logo após aquilo, ainda conseguindo ouvindo os gritos da ômega, duplicando por alívio, no entanto, suspirei fundo e finalmente saí.

***

Caminhei em passos lentos e demasiadamente sutis até a floricultura, enquanto pensava seriamente no ocorrido de algumas horas atrás:

“Cheguei em casa após deixar Jimin em sua residência, um tanto frustrado por não ter conseguido me satisfazer no momento em que eu estava consigo, subindo posteriormente as escadas de maneira ligeira, para poder me aliviar sozinho e livrar-me daquele incômodo dentro da minha calça. 

O Park tinha me deixado com uma puta de uma ereção, de fato.

Senti um cheiro forte, juntamente à alguns ruídos vindos do meu quarto, assim que pus os meus pés no primeiro andar estranhando tudo aquilo de primeira.

Franzi o cenho e aumentei os passos, logo girando a maçaneta da porta assim que parei em frente  e a esta, abrindo-a lentamente, me deparando depois, com a imagem de Sohyun nua, jogada na minha cama e gemendo baixinho.

– Jung... Jungkookie-ah, eu preciso de você. – Praticamente implorou com dificuldades por estar ofegante, enquanto sorria ladino e apertava a fronha do travesseiro.

A cena fora como um tapa em minha cara, tendo um efeito inexplicável o suficiente para fazer as minhas pupilas dilatarem e que o meu instinto me obrigasse a dar um passo à frente, observando antentamente o seu estado.

Sohyun havia entrado no cio.

E eu precisa o quanto antes me aliviar."

– Droga! – Murmurei irritado após o breve flashback, empurrando a porta dá floricultura imediatamente assim que parei em frente a mesma, logo a adentrando. 

Olhei em volta. Estava tudo silencioso, que quase cheguei a constatar que pudesse estar vazia.

Caminhei até a pequena recepção com o cenho franzido, sentindo rapidamente o meu sangue ferver, assim que repousei as minhas orbes que numa cena que não agradou – nem um pouco – o meu lobo:

Jimin estava com os lábios rosados entreabertos e com o rosto inteiramente vermelho, enquanto deixava um alfa desconhecido por mim, tocar o seu rosto com uma mão, o segurando pela cintura com a outra, de maneira suspeita.

Joguei imediatamente a mochila no chão, roubando ambas atenções ali, notando Jimin que havia me olhado assustado e talvez um tanto surpreso com a minha presença repentina.

– O que pensa que está fazendo com o meu ômega? –  Indaguei, tentando não me exaltar.

– Seu ômega? – O alfa segurou os fios alaranjados do ômega, tombando a cabeça do mesmo para o lado, deixando o seu pescoço alvo exposto para mim. – Não vejo marca, oras. – Sorriu cinicamente.

Rosnei por impulso, esquecendo-me do Jimin por um momento, este que se encolheu ligeiramente ao ouvir o meu rugido. 

Me aproximei depresssa do alfa e o ergui pelo colarinho da camisa, fazendo o mesmo largar o ômega pequenino, que até então, observava tudo assustado.

Ele era cego ou o quê?

Jimin tinha o vão do pescoço totalmente maltratado por mim, abordando tons vermelhos e roxos da noite anterior. Entretanto, é claro, não se tratava de uma marca legítima, ou seja, ainda não estávamos ligados.

– Ele não precisa de uma para ser meu. – Rosnei uma segunda vez, cerrando o meu punho livre, ameaçando socar-lhe o rosto, o vendo somente rir da situação.

Eu de fato, estava pronto para lhe desferir um soco ali mesmo, porém, Jimin puxou a barrinha da minha camisa fortemente, obrigando-me a fitá-lo.

– K-Kookie, para! – Apertou as  suas mãozinhas contra o tecido, abaixando o olhar posteriormente. – Por fav-

Soltei rapidamente o alfa e peguei Jimin pelo pulso, o puxando para os fundos da loja.

Evidentemente, eu estava agindo por um impulso consequente de um ciúmes inexplicável.

– K-Kookie? – O Park hesitou em me chamar, olhando-me com receio logo em seguida.

– Qual é a sua Jimin? – Questionei alto, transbordando raiva, quase utilizando o meu tom de alfa lúpus.

– C-Como? – Franziu o cenho, aparentemente confuso.

– Por que estava com ele? – O puxei pela camisa, trazendo-o para mais perto. – Não minta para mim, Park Jimin. Eu odeio quando me contam mentiras.

– M-Mas eu não estava fazendo nad-

– Acha que eu sou idiota? – Debochei, não me segurando e acabando por proferir aquilo com o meu terceiro timbre de voz, fazendo com que consequentemente, ele tremesse. – Preste atenção, omeg. – Larguei a sua camisa, agarrando o seu braço sem medir força, o sacudindo rapidamente. – Você é meu, apenas meu. Minha propriedade. – Esbravejei. – Eu sei muito bem o que vi e argh, eu sou muito egoísta para querer que isto aconteça de novo, então portanto, eu espero que não se repita, porque caso o contrário, saiba que as coisas ficarão feias para o seu lado.

– J-Jungkook, para, está machucando o Jimin! – Grunhiu choroso por conta da dor, tentando se soltar do meu aperto, mas obviamente, fora impossível. Então apenas abaixou a cabeça, com os olhos levemente marejados e foi aí que eu percebi o que estava fazendo.

Ah, eu podia sentir o quão entristecido o seu lobo se encontrava no momento.

O soltei e passei os dedos dentre os fios do meu cabelo, respirando fundo.

– Desculpa, desculpa, desculpa. – Pedi repetidamente, frustrado. – Eu sou um idiota.

– Sim, você é um idiota… – O Park disse baixinho, me fazendo arregalar os olhos. – Você age desse jeito, mas está noivo de uma ômega e aliás, está fedendo à ela nesse momento. – Ergueu o rosto e eu pude ver as gotas finas e sutis escorregando por suas bochechas macias. – Então não venha me dizer que eu sou seu enquanto estiver com o perfume da mulher com quem está comprometido, no seu corpo. – Senti meu coração pular algumas batidas, na medida em que eu abria a boca na tentativa de falar alguma coisa. – Porque o Jimin não é seu, Jeon. – Completou, derramando poucas lágrimas novamente, antes de me dar as costas.

– Jimin, espera, me per-

– Faz um favor? Não venha atrás de mim. – Gritou, com a voz embargada por conta do choro, logo saindo correndo.

Voltei para o balcão ligeiramente, na esperança de encontrá-lo ali, mas ao olhar em volta, não obtive nenhum sinal dele ou do alfa.

Merda.

***

Jimin

Corri o máximo que podia, parando na praça a qual Jungkook tinha me levado na noite anterior, pousando posteriormente, as mãos nos meus joelhos, respirando fundo, tentando recuperar todo o ar que havia perdido durante o percurso daquela correria.

Caminhei em seguida, até um banco de maneira pintada em branco, me sentando no mesmo por último.

Algo em mim doía, e ah, como doía. Parecia até que o meu coração estava quebrado ou talvez faltando uma de suas partes. 

Levei as costas da palma da minha mão até as minhas bochechas e as enxuguei, enquanto mordia o meu lábio levemente trêmulo, na intenção de conter o choro, o que, de fato, estava sendo difícil.

Meu lobo estava tão inquieto, provavelmente tão magoado, e Céus, como aquilo machucava!

Era horrível perceber que, em tão pouco tempo, aquela imagem de "Príncipe perfeito" que eu tinha de Jungkook, fora quebrada rapidamente e dá pior maneira possível.

– Jiminnie? – Senti uma mão tocar o meu ombro e ao ouvir a voz, me virei ligeiramente para encarar o indivíduo. – Está tudo bem?

– Yoongi, eu... – Hesito. – Eu preciso de um abraço. – Senti os meus olhos se encherem de água novamente e minha visão começar a ficar consequentemente embaçada por conta de tal fluído.

Yoongi pareceu ponderar por um curto milésimo, mas logo deu a volta e sentou ao meu lado,  me puxando para um abraço.

E eu por minha vez, apertei sua camisa e deixei tudo transbordar.

– Eu estou aqui pequeno, calma. – Sussurrou no meu ouvido e em seguida aproximou o seu rosto do meu, fazendo a ponta dos nossos narizes roçarem. – E enquanto eu estiver aqui, vai ficar tudo bem, huh? – Assenti devagar, sentindo por fim, os nossos lábios se encostarem.


Notas Finais


Até quarta amores da minha vida, razões do meu viver fjkdn ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...