História My sweet runner - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Allyson Brooke, Amor, Camila Cabello, Camren, Corrida, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Sexo
Exibições 79
Palavras 2.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Derrota?


21 de agosto de 2013 - Miami, Flórida - Estados Unidos - 01:15PM

Sexta, ah querida sexta você finalmente chegou... Hoje era um dos dias em que os rachas lotavam mais.

Calça jeans escura colada, coturnos pretos, regata preta do "The 1975" e uma jaqueta de couro e um coque frouxo. Estava dentro do meu R8, seguia tranquilamente pela estrada. Dinah dias que hoje uma corredora de New York viria participar, era pra me sentir ameaçada? Por que continuo confiante...

Eu era conhecida como Ojos Verdes  para todos os outros corredores, com 50 vitórias ninguém havia conseguido me derrotar ainda...

Bom depois do dia que ganhei minha primeira corrida, passei a frequentar todos as sextas, sábados e Domingos.

Eu nutri uma paixão pela corrida, pelo suor e o nervosismo, pela adrenalina correndo forte dentro de mim. Comecei a ajudar em casa e as coisas foram melhorando cada vez mais, meus pais e meus irmãos sabiam como eu conseguia o dinheiro não me julgam nem nada, apenas diziam:

"Tome cuidado, confie em você mesma e você irá conseguir. Não se meta em confusão, e não se envolva com drogas."

Apesar de ter bastante fama, eu não era esnobe e nem exibida, só abusava de minha fama caso precisasse, pra ser mais exata quando exigia respeito ou me metia em brigas.

Tenho de admitir que estava curiosa a respeito dessa corredora de NY, já que eu sou lésbica... Só havia namorado três vezes, a primeira foi com Keana, porém não teve muito sucesso ja que eu não havia nutrido sentimentos pela outra, mas decidimos nos tornar amigas, e claro que deu certo, não havia Química para um namoro entre nós duas, mas uma boa amizade sim!. A outra havia sido Nathalie, uma garota que havia conhecido na 8 série, eu gostava da garota, mas o sentimento não era recíproco já que Nathe só queria ser popular, claramente uma vadia!

E a última e claro menos importante, Heloísa, nós tinham tudo para dar certo, éramos o típico casal perfeito que todos diziam 'vocês combinam tanto' 'deveriam casar' e baboseiras a parte, o sentimento era recíproco... digo, parecia! Eu tratava Helo muito bem, dava carinho e amor, enchia a mesma de beijos, abraços e presentes..  Ela parecia devolver todo o carinho que eu lhe dava, mas eu era mesma era trouxa, no nosso aniversário de 1 ano, resolvi fazer uma surpresa comprei flores e bombons e até um urso, cheguei em sua casa silenciosamente, não tão silenciosa por conta de alguns gemidos, cheguei em seu quarto e quase cai dura, ela estava transando com seu melhor amigo, lindo não? Chamei ela de todos nomes possíveis e manda ela tomar no meio do cú dela e sai, ela me perguntou aonde eu estava indo, apenas gritei um "Pra puta que pariu, sua vadia". Uma semana depois fiquei sabendo que ela havia se mudado para França.

Eu estava abalada e com o coração em mil pedaços, então a partir daquele dia prometi a mim mesma que estava farta de relacionamento fracassados e que não iria me envolver com ninguém, apenas curtição de uma noite ou outra, e assim eu fiz, continuo assim até hoje e sabe o que mais? Eu prefiro mil vezes assim, ficando com quem eu quero e quando eu quero, é bem melhor do que ter o coração despedaçado, então eu mantenho ele intacto. Minha fama não é das melhores a respeito de ficar, ja que eu apenas transava e jogava fora.. Mas esse é meu escudo e eu não pretendo quebra-lo.

120 km/hr, estava ansiosa e nervosa, por que? Nem eu mesma sabia.. Ah confiança que eu esbanjava havia evaporado! Droga..

Em cinco minutos cheguei ao local do racha cantando pneu pra chamar a atenção e avisar que ojos verdes havia chegado.

Desci do carro e o cheiro de cigarro se fez presente, enquanto uma música alta estourava meus tímpanos. Desci do carro com minha típica cara de: frustada sexualmente, psicologicamente e  finaceiramente. Assobios me eram jogados conforme eu caminhava de maneira confiante.

- Ora, o que temos aqui, se não é Ojos Verdes - La Rubia chegou junto de Normani.

- La Rubia - assenti com a cabeça como se fosse um cumprimento. - Kordei - assenti novamente.

- Preparada para enfrentar La Cubana? - franzi o cenho.

- La cubana? Uma Latina? - DJ acenou com a cabeça confirmando. - Achei que fosse americana, você disse que ela era corredora de NY.

- Isso não quer dizer que ela nasceu em NY, mula. - revirou os olhos.

- Tanto faz, sim estou preparada. Qual vai ser o Lance? - cruzei meus braços embaixo dos seios.

- Você terá de conversar com Karla, mas apostaremos seu bebê - sorriu maligna. - Se você ganhar o carro dela é seu, e se ela ganhar o seu carro é dela. Fechado?

Pensei um pouco, meu bebezinho, meu xodó de mainha, meu filho, não quero perder meu filhinho, amo meu bebê e não posso aposta-lo... Mas, por que meu medo mesmo? Puft! Modéstia a parte mas todos nós sabemos quem ganharia esse racha, então por que não?

- Fechado - apertei sua mão. - Onde está essa tal cubana? - tentei parecer indiferente em relação a isso, mas no fundo estava morrendo de vontade de saber como minha adversária seria, ainda por cima era uma latina, porra! Eu tenho abismo por latinas, elas mexem com o core da mamãe aqui e é impossível resistir.

- Irá conhece-la. - sorriu maliciosa.

Me perdi, vamos começar novamente?

Sai andando enquanto cumprimentava alguns conhecidos, me escorei no meu carro a espera da tal Latina que estava demorando de mais para mim.

Uma lamborghini branca, chegou em alta velocidade, fazendo as pessoas sairem rapidamente da frente, ela derrapou e cantou pneu. Uau, deve ser mais um idiota que quer se aparecer...

Ops

Retiro o que disse...

Porra!

quequeisso

valamedeus

Uma morena com cabelos caindo em cascatas por suas costas até sua cintura, usava uma blusa preta sem estampa colocada por dentro do short jeans escuro de cintura alta, e nos pés um Adidas. Seus lábios pintados em uma cor nude e os olhos com um leve delineador.

Nem preciso dizer que pirei né? Seu olhar era quente, sedutor e 'perigoso'... Assobios eram jogados a toda hora, a expressão em seu rosto mostrava o quanto ela adorava ser desejada...

- Chancho, finalmente! - a voz de Dinah e fez presente, Chancho? Isso é algum apelido íntimo? Espera.. Essa era Karla? Minha adversária? Oh céus, por que a gostosa?

- Chechee - sua voz doce e suave soou como música para meus ouvidos - aconteceram imprevistos.

A morena virou de costas para abraçar a loira... e Deus me acuda!

Parem o mundo eu quero descer, não tenho estruturas para continuar..

Jesus que nádegas são essas? Que saúde rapaz!

Dinah olhou para mim enquanto abraçava Karla, seu sorriso diabólico me fazia ter medo, essa diaba da medo!

- Venha comigo - puxou o mão da latina. - Ojos Verdes ou Lauren, essa é La Cubana ou Karla, como lhe convém...

- É um prazer, Karla - estiquei minha mão para que pudesse aperta-lá. A morena me encarava parecendo estar em um transe profundo... - Karla?

- Ui! - pulou de susto, acordando. - O prazer é meu Lauren, ou melhor Ojos Verdes. - sorriu maliciosa apertando minha mão, seu toque foi o suficiente para meu corpo arrepiar todinho.

- Apresentações feitas, faltam alguns minutos ainda para corrida, venha, vamos atrás de Normani - pegou a mão de Karla.

- Nos vemos, Lauren - piscou pra mim.

- Nos vemos...

O K

COMO POSSO ADMITIR QUE PERDI AS PREGAS DO CU, DE MANEIRA DELICADA?

Fui atrás de Vercy e Keana, afinal não ficaria ali vegetando..

Avistei as três encostadas no carro de Lucy, que estava entre as pernas de Vero que estava encostada no carro e Keana segurando uma tocha olímpica ao lado, é claro! 

- Ah rainha chegou - me escorei ao carro também.

- Puft - soltou Keana que revirou os olhos.

- Já conheceu Karla? - me virei encarando Vero que tinha uma expressão maliciosa, ela só pensa merda?

- Já sim.

- Gostosa né? - Vero disse sem reparar que Lucy começava a ficar vermelha - Aquela bunda por Deus! Eu toparia um ménage com você e ela na ho- um tapa estalado foi depositado em seu braço. - Ai, ouch mulher!

- Toparia o que Veronica?

- O-oque? N-nada a-amor.

- Paga pau. - soltei uma risada nasal.

- Olha aqui Jaur- Vero estava prestes a começar o discurso, mas foi interrompida.

- Cala boca Veronica Iglesias - falou o nome inteiro é só tiro que voa.

- Mas amor..

- Já mandei calar a porra da boca Veronica.

- Aqui vemos claramente quem é a ativa dessa relação - falei provocativa, adorava provocar Vero.

- Lauren...

- Você também cala a boca Lauren Michelle, se não eu viro um litro de gasolina no seu carro e acabo com ele em dois tempos. - Arregalei os olhos sabendo que ela era capaz de fazer isso, então apenas me mantive quieta e calada.

Meus olhos percorreram todo local, à procura de uma certa Latina. E lá estava ela, escorrada em seu carro, com os braços a baixo dos seios e uma expressão séria.

É possível nós sentirmos atraídas por uma pessoa apenas por vê-lá? Não digo amor à primeira vista, mas sim... desejo! Sim, desejo! Era isso o que eu sentia por ela, um desejo forte e descomunal que fazia todos os pelos do meu corpo eriçarem com apenas um simples toque.

Eu não queria parecer desesperada para fode-lá mas antes que tivessem controle das minhas ações já estava caminhando em sua direção, ato que ela ainda não havia percebido. Seus olhos chocolates logo encontraram meus verdes, fazendo uma corrente elétrica percorrer meu corpo...

O que? Droga!

- Já sabe qual vai ser o lance? - Ótimo Lauren você arrasa puxando assunto.

- Oh, sim.

- Está nervosa? - inclinei a cabeça para o lado arqueando as sobrancelhas.

- Eu diria um pouco, estou preste a correr com a maior corredora de Miami, que até agora não teve uma se quer derrota.

- Fiquei sabendo que você também 'comanda' New York. Devo me sentir honrada?

- Modéstia a parte, mas sim - me lançou um sorriso brincalhão fazendo meu coração palpitar mais forte.

Mais que droga, para coração!

Seu tolo, odeio essas brincadeiras.

Estava prestes a começar um novo assunto mas La Rubia chegou nos avisando que os últimos carros estavam correndo e que seríamos as próximas.

Meus batimentos cardíacos aumentaram e minha respiração desregulou.
O que aconteceu com minha confiança? Por que o pressentimento ruim? Por que estou assim?
Logo os dois carros cruzaram a linha de chegada derrapando e me tirando dos pensamentos.

Entrei no carro, estava suando! Liguei o ar condicionado e liguei o carro indo para linha de partida. Alinhei o carro e olhei de relance para Karla que tinha uma expressão focada na estrada a sua frente enquanto suas mãos pareciam apertar o couro do volante, seu olhar se desviou da pista e me encarou, um sorriso de lado preencheu seus lábios e uma leve piscadela me foi jogada.

Oh shit...

"Es ganar o morir" comecei a repetir o mantra para mim mesma, normalmente isso me dava confiança... Mas ali, naquele lugar e naquele momento, aquilo não passou de uma frase boba. Droga, droga, droga.

Joguei a cabeça pra trás escorando no banco e fechei os olhos com força e repetiu uma última vez.

"Es ganar o morir".

Narrador Pov

Karla, ou melhor Camila, estava confiante de si mesma, não era abusada e nem egocêntrica mas sabia quão boa corredora era! Dirigiu por alguns horas apenas para correr com uma deusa.

Quando Dinah lhe sugeriu a proposta a morena por sua vez ficou muito tentada, afinal era uma adversária e todos viviam comentando de sua beleza extraordinária. E isso foi totalmente comprovado quando a morena a viu, naquele madrugada.

Lauren suava vergonhosamente mesmo com o ar condicionado ligado nas últimas. Uma asiática se posicionou entre os carros, deixando claro que a corrida iria começar...

Seu peito subia e descia descontroladamente, parecia que havia corrido uma maratona de 7 km enquanto era perseguida por uma cambada de bois... Mas a corrida estava apenas começando.

O pé de Karla se posicionou em cima do acelerador pronta para o que der e vier. A blusa da asiática foi ao chão e Camila tratou logo de afundar o pé no acelerador enquanto falava para si mesma.

"Muéstrales lo que eres capaz" era meio que uma frase de auto ajuda, seu papa lhe motivava sempre falando "Vá lá mi hija, nos mostre do que é capaz" E acabou que a frase se tornou seu Porto Seguro ja que sempre que era dita, Karla se lembrava de seu pai, era como se ele estivesse ali com ela, à apoiando...

Lauren estava na frente, seu pé forçava o acelerador com força, enquanto suas mãos mudavam automaticamente a marcha...

Karla vinha logo mais atrás, sabia que não perderia... Estava confiante de si mesma! Sua mão direita saiu do volante mudando a marcha e aumentando ainda mais a velocidade. Era a última volta.

Mais a frente se encontrava uma curva fechada, e Lauren por reflexo ou até mesmo medo, diminuiu a velocidade, coisa que logo se arrependeu de fazer, vendo o carro de Karla derrapar e a mesma sair em disparada na sua frente.

"DROGA" Lauren se praguejou por ser tão burra.

E em questão de segundos o carro de Lauren se encostou ao de Karla, mostrando que a mesma conseguirá alcança-lá.

E como em um piscar de olhos, La Cubana mudou a marcha indo para a sexta, fazendo o carro dar um tranco para frente.. E foi naquele momento que Ojos Verdes viu o que havia lhe acontecido.

Karla.

Corrida.

Derrota.

Ganhou.

Karla havia ganhado, cruzou a linha dando uma grande derrapada e cantou pneu.

Lauren estava pálida e seu coração pareceu parar por meros segundos, ela havia sido derrotada. Agora a mesma se encontrava com 50 vitórias e, não menos importante, uma derrota, de Karla Estrabão...

Lauren Pov

Eu ainda não conseguia assimilar as coisas... Tudo aconteceu tão rápido, eu havia sido derrotada, era por isso que eu não estava confiante, já estava marcado para acontecer, eu teria que ser derrotada. 

Respirei fundo e fechei os olhos tentando acalmar meu coração, tirei as chaves do comando e olhei uma última vez para meu bebê, não acredito que perdi meu precioso..

Sai do carro e contemplei a verdadeira gritaria que estava o local, segui até Karla que conversava animadamente com Normani.

- Está aqui - estendi minhas chaves para a mesma, fazendo ela se desviar do assunto com Normani. - Meus parabéns!

- Pode ficar com o carro Ojos Verdes - franzi o cenho - Tenho muitos carros, lhe garanto. Fique com ele. Muito obrigada - me lançou um sorriso vitorioso.

- Não é o certo, temos um desafio aqui e..

- Fique Lauren - me interrompeu - Vou nessa, Mani. Muito obrigada pela recepção é sempre bom inovar. Espero vir mais vezes. - Deu um beijo na bochecha da morena e se encaminhou em minha direção.

- Foi um prazer Lauren. - estendeu sua mão - Espero que não me odeie.

- Eu quem o diga Karla. - Apertei sua mão. - Volte quando quiser, não lhe odeio.

- Nos vemos Lauren.

- Nos vemos Karla.

A morena se encaminhou ao seu carro e entrou dentro do mesmo, logo depois ligando fazendo sair um ronco alto. Em segundos seu carro já havia saído em alta velocidade.

"Nos vemos por aí, Karla."


Notas Finais


HEEEY, E AÍ? TUDO NA PAZ? SUAVE NA NAVE? TRANQUILO NO GRILO? DE BOA NA LAGOA? NOSSA COMO EU SOU UMA BOSTA. GENTE MI DISGURPA TOU NERVOUSAN. ATÉ O PRÓXIMO.

C.C


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...