História My teacher. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Exibições 11
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi.

Capítulo 14 - Se tivesse acontecido algo com você, eu nunca me perdoaria.


(...)

Abri os olhos devagar por causa da claridade, estava em um quarto branco, parecia de hospital, mas o que aconteceu? Minha mãe me encarou com lágrimas nos olhos.

- Ela acordou. - Orx.

- O que houve? - Perguntei tentando me lembrar, não lembro de nada depois do Heitor me pedir em namoro.

- Você sofreu um acidente. - Meu pai disse sério. Olhei para o meu corpo e tentei mexer, consegui! Ótimo!

- E o Heitor? - Comecei a sentir calafrios.

- Filha... bom... - Minha mãe parecia procurar as palavras certas.

- Ele está em uma sala de cirurgia. - Meu irmão disse. - Digamos que um pedaço de vidro perfurou sua cabeça. Mas o médico disse que não é nada grave, é só pra tirar o vidro. - Outro calafrio percorreu toda a minha espinha. Será que ele está bem mesmo?

- É melhor a paciente descansar. - O médico brotou do chão e eu levei o maior susto. Todo mundo foi embora e depois fui sedada.

(...)

- Filha? O Heitor já está no quarto e quer falar com você. - Assenti me levantando devagar com a ajuda da infermaria, fui até o quarto indicado e vi o Heitor deitado na cama olhando para o teto, ele estava com um "gesso" ao redor da cabeça.

- Heitor? - Falei bem baixinho.

- Oi amor. - Ele deu um meio sorriso. - Você está bem? - Assenti me sentando no sofá. - Pode nos deixar à sós? - A infermeira assentiu e saiu.

- E o cara do carro? - Perguntei.

- Quase morreu, estava em alta velocidade e sem cinto, ele voou do carro. - Meu Deus, coloquei a mão na boca assustada. - Quando eu acordei, você estava sem respirar, eu achei... eu achei... - Seus olhos já estavam cheios de lágrimas.

- Eu estou aqui, não aconteceu nada comigo. - Tentei acalma-lo.

- Eu chamei o Samu, os bombeiros, seus pais, tirei você do carro e a coloquei na ambulância. - Fiz carinho em suas bochechas. - Se tivesse acontecido algo com você, eu nunca me perdoaria. - O médico entrou no quarto.

- Ele precisa descansar agora... - Assenti.

- Tchau amor, fique bem. - Dei um beijo em sua bochecha.

- Tchau amor. - Acabei e sai do quarto encontrando a enfermeira no corredor.

(...)

Depois de uma semana voltei para a escola.

- Você tá bem? - Priscila perguntou séria.

- Estou. - Sorri.

- Vamos para a minha casa hoje? - Assenti concordando.

- Alunos arrumem a sala e peguem seus cadernos. - Ela se virou para o quadro e começou a copiar. - Ah, Beatriz, o diretor está chamando você. - Ela sorriu e eu fui para sua sala.

- Oi Beatriz, seus pais me contaram que você sofreu um acidente e não pode vir as aulas, então perdeu algumas provas suponho? - Assenti. - Quero saber quais e quantas. - Ele ordenou e eu me sentei quando ele apontou para a cadeira.

- Matemática e biologia. - Ele assentiu e anotou.

- Você entrega isso aos professores e faz a prova. - Peguei os papéis.

- Obrigada. - Sai de sua sala e voltei para a minha. - Com licença. - Entrei na sala novamente me deparando com o Heitor falando com a professora, ela ainda estava com aquilo na cabeça. Quando ele me viu sorrio, dei um tchauzinho com a mão discretamente e me sentei na cadeira. Uma menina me encarou séria cerrando os cílios, coitada, mal sabe ela mas ele é meu, SÓ MEU! Copiei o que a professora copiou e fechei o caderno. Agora seria aula de sociologia! A menina que cerrou os cílios pra mim, praticamente se jogou no Heitor quando ele entrou na sala, fiquei só observando a palhaça. Heitor olhou sério pra ela e disse alguma coisa que eu não consegui identificar o que era, mas a menina o olhou envergonhada e voltou para o seu lugar. Isso mesmo amor! Ande na linha!

- Prova surpresa! - Ele disse e eu neguei com a cabeça. - Vou mudar os lugares... Lucas na frente da Ana, Bruna atrás do Diogo, Beatriz aqui. - Ele arrastou uma banca para o seu lado. Olhei pra ele e cerrei os cílios. Peguei minhas coisas e me sentei no lugar.

- Eu não sei de nada. - Falei bem baixo.

- É só interpretação. - Ah, então beleza. Respondi a prova rapidinho e voltei para a minha cadeira. Peguei meu celular.

<Gostou?> Era o Heitor.
<Sim, corrige minha prova, por favor.>
<Ok.> Ele pegou minha prova e corrigiu.
<8,5 :(> Ele respondeu.
<Esperava mais de mim? > Curiosa? Sim.
<Sim, mas você foi ótima, na outra turma teve cinco zeros.> Meu Jesus, nem no chute eles acertaram?

- Professor a Beatriz está mexendo no celular. - Aquela menina de novo (Tédio)

- Eu sei, fui eu que deixei. - Ele falou firme.

- Ela só pode dar pra ele, meu Deus. - Ela resmungou mas até alto demais.

- PARA A COORDENAÇÃO AGORA! - Ele gritou assustando todo mundo, nossa como ele tá tenso. Ela bateu a porta forte irritando mais ainda o Heitor.

- Relaxa. - Falei baixo só pra ele escutar. Ele olhou para o teto e respirou fundo duas vezes. Quando todos saíram da sala eu me levantei da cadeira e fui até o Heitor. - O que houve? - Perguntei colocando minha mão sobre a sua.

- Nada, só estou um pouco tenso. - Ele passou a mão sobre seu rosto frustrado.

- Relaxa. - Sussurrei em seu ouvido vendo ele se arrepiar em seguida. - Você anda tão irritado depois do acidente... - Fiz uma pausa sentando em sua mesa.

- Seu pai disse que quer conversar comigo e não me procura. - Fiquei séria.

- Não deve ser nada de importante. - Falei olhando para seus olhos.

- Assim espero. - Ele disse. Ouvi a porta se abrir e vi o diretor passar por ela, pulei da mesa do Heitor e me sentei em minha cadeira, ainda bem que o diretor não viu.

- Heitor, eu preciso falar com você em particular. - Já tô saindo... Passei pela porta e a tranquei, será que é algo importante?


Notas Finais


Tchauzinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...