História My troublemaker girl - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Visualizações 7
Palavras 2.630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei pra postar pois houve problemas com o cap, espero que me perdoem.

Capítulo 3 - Uma rebelde com causa


Quando Sophia acordou, se sentou preguiçosamente em sua cama gigantesca, olhou para o lado para ver se Oinkinho ainda dormia, felizmente o porquinho dormia tranquilamente em sua caminha confortável.

- Ah, Oinkinho. Parece que você já se acostumou com eles.- Ela disse baixinho. Oinkinho não gostava muito de pessoas novas, ele ficava com medo.

Se espreguiçou e abraçou os joelhos curtindo aquela preguiça boa que estava sentindo, por fim se levantou rumo ao banheiro  afim de se arrumar.

No andar de baixo Chanyeol e Kai faziam o café, Baekhyun só aceitava o fato de não conseguir cozinhar e se encarregava da limpeza. Sophia desceu as escadas e parou no batente da cozinha, ela não parecia bem.

- Você está bem?- Baekhyun disse se levantando e pondo a mão na testa dela.- Você não está com febre.

-Eu tô mal mas é de saudade.- Ela disse suspirando e indo até a geladeira pegando os legumes para dar para  Oinkinho.

- Saudade?- Baekhyun perguntou.

- Sim.- Ela respondeu simplória.- No Brasil meus cafés da manhã eram compostos por 6 pessoas. Meus 4 irmãos e meus pais.

- Achei que você só morava com seu pai há um ano.- Chanyeol disse.

- Com o biológico, sim, mas eu tive outro pai, meu padrasto me criou, me amou, cuidou de mim, me protegeu e ainda me deu 4 irmãos. Eu era feliz.- Ela disse terminando de cortar os legumes.- Oinkinho!- Ela suspirou.- Eu...- Ela disse vacilando.- Vou pro meu quarto.

-Sophia!-Baekhyun fez menção de ir atrás dela mas Kai o segurou.

-Ela precisa de um tempo.

Sophia subiu as escadas correndo e pôs a mão na testa, ela não podia chorar, chorar não ia adiantar em nada, precisava se concentrar, se distrair,ela começou a arrumar sua fiel mochila, precisava sair de casa. Uma muda de roupa, carteira e um pacote de biscoito e mais algumas coisas foram postas na mochila, trocou de roupa e ligou para Heojun, o seu fiel amigo coreano, marcaram de se encontrar em um dos bancos perto do Rio Han. Sophia se olhou no espelho mais uma vez, colocou a mochila nas costas.Estava achando a casa silenciosa mas nada disse, desceu as escadas quando começou a gritaria, deu de cara com Krystal e Kai abraçados na cozinha, Krystal berrava por causa de Oinikinho que correu para a sua dona assim que a viu, ver Krystal e Kai tão próximos fez com que algo se remexesse dentro dela.

-Sophia ya.- Kai disse se soltando de Krystal.- Essa é a Krystal, minha namorada. Krys, essa é a Sophia a dona do porquinho.

-Prazer,- Krystal disse ainda de longe, Sophia permanecia estática com Oinkinho em seu colo.-você não deveria deixar ele solto, o dono pode não gostar e as visitas podem se assustar.

-Eu sou dona do Oinkinho e da casa, ele pode ficar solto o quanto ele quiser, desde que isso não ameace o bem estar dele.

-Mesmo sabendo que ele pode assustar as visitas?- Krystal disse.

-Kai, quando for receber visitas me avisa e avisa as visitas que eu tenho um mini porco.- Sophia disse ignorando totalmente a menina e pondo Oinkinho no chão.

-Ele não sabia, fiz surpresa.- Krystal disse sorrindo.

-Você veio na minha casa, sem me avisar ou avisar seu próprio namorado?- Sophia riu.- Inoportuno, no mínimo.- Sophia andou até a entrada e pegou a chave.

-Vai sair?- Kai perguntou.

-Vou.

-Sem tomar café?

-Não se preocupa comigo.

-Você vai comer alguma coisa, sim.- Ele disse firme.

-Ou?- Ela disse arqueando a sobrancelha.

-Ou eu não vou deixar.-Sophia bufou e pegou uma maçã na fruteira.- Obrigado.

-De nada.- Ela foi para o hall de entrada por os sapatos mas antes de sair ela se virou para Kai, o chamando.- Oppa!

-Sim, Sophia?

-Eu to saindo e não tenho hora pra voltar, por tanto, não me espera e por favor, deixa as portas de acesso ao quintal fechadas ok? Não queremos repetir a cena de ontem...-Sophia disse dando um leve sorriso de canto.- Uma parte dela.-Seu sorriso era sacana.

Sophia saiu de casa indo em direção ao ponto de ônibus, durante todo o percurso ela tentou se acalmar, ficar bem, se controlar mas não conseguia, continuava se lembrando da cena entre Kai e Krystal, a cena fazia com que seu estomago se revirasse, com que uma raiva inexplicável subisse a sua cabeça.

 O jovem casal brigava mais uma vez, sem saber ao certo o motivo daquela discussão, no fim Kai apenas deixou Krystal ir embora, ele avisou a Chanyeol que Sophia tinha saído e sem deixar que o maior o questionasse Kai saiu da casa indo em direção a empresa.

Naquela mesma sala de treino onde treinou quando trainee, onde descarregou toda sua raiva e frustração, hoje ele repetia a cena  por  seu namoro estar por indo água abaixo. Na verdade não sabia o motivo de se sentir assim, não sabia se era porque ele não gostava de fracassar ou se por ainda amar Krystal, então enquanto ele treinava uma coreografia seu olhar se fixou no espelho e então Sophia veio na cabeça, o sorriso simples dela, seus cachinhos tocando os ombros, ele bufou pegando o casaco e saindo da sala, iria atrás de Sophia e iria revirar a cidade se fosse preciso.Kai estava descendo as escadas da empresa quando deu de cara com Krystal.

-Oppa...-Ela viu o estado dele, suado, segurando o casaco...-Vai para algum lugar?

Kai não podia dizer que estava indo atrás de Sophia, então ele mudou de assunto.

-Aconteceu alguma  coisa, Krys?

-Não...Faz tempo que a gente não sai ou tem tempo um para o outro.- A expressão cabisbaixa e Krystal doeu demais em Kai, ele levantou o rosto dela.

-Vamos sair hoje, esteja pronta as 21, ok?

Ela apenas assentiu com um sorriso, Kai sorriu de volta e voltou a descer as escadas, ele teria que achar Sophia antes de 19 e ele só tinha mais 3 horas para isso.

 

Sophia chegou no banco perto da pista de skate e viu Heojun de longe, não era difícil achar ele. Heojun era um coreano de 1,90, roupas pretas e de couro, um de seus braços era totalmente fechado por varias tatuagens, uma orelha era adornada por piercings. Naquele dia frio de Seul ele usava sua jaqueta de couro pesada, ele saiu da pista e foi em direção a ela. Eles tinham uma amizade forte, que começou de um jeito engraçado, com uma identidade falsa e uma leve briga.

Flashback on

“Heojun entrou em sua boate, assim que chegou ele a viu, a menina com rosto jovem mas que aparentava mais idade, as mãos delicadas seguravam de um jeito inocente o copo de um drink que ele mesmo não sabia qual era. Chegou perto dela e tentou puxar conversa mas a menina se esquivava a todo custo, suspiro fez ele virar a cadeira do bar na outra direção.

-Algum problema?- Disse erguendo a sobrancelha, olhou para a menina a sua frente, o rosto jovem mas claramente marcado pelas dores causadas pela vida, que bebia como uma mulher experiente.

-Em todo lugar do mundo um macho escroto diferente.

-Me chamou de que garota?- Chegou mais perto e Sophia olhou para ele fazendo os cachos se mexerem.

-Ela não quer nada contigo, não importa se você é dono desse lugar ou não. Você se garante? Então vai atrás da próxima.

-Você pensa que ta falando com quem?- Ele se levantou e ela também, mas ela era bem mais baixa que ele, e isso o fez rir.-Uma polegarzinha dessas tentando discutir comigo.

-Tentando, não. Conseguindo.- Sophia o fez sentar.-Eu sei com quem eu to falando mas você não sabe quem eu sou e quer um conselho? Pra eu abaixar minha cabeça você vai precisar fazer melhor.-Ela disse contra os lábios dele, segurando o colarinho da blusa dele.- Pra mim já deu.- Ela colocou o dinheiro em cima do balcão.

-Senhorita!-O barman gritou.- Seu troco!-Ela se virou de costas dando leves passos.

-Fica de gorjeta!

Heojun foi atrás dela a achando fora da boate, indo em direção aos taxis, ele a pegou pelo pulso.

-Me solta.-Ela disse tirando seu pulso do aperto dele.

-Então quer dizer que você é filhinha de papai?

-Fazer o que né? Não escolhi minha família.

-Ninguém, nunca, jamais em toda minha vida bateu de frente comigo...-Ela sorriu de lado, aquele sorriso sarcástico.

-Que foi? Ficou apaixonadinho?-Ambos riram.

-Sou Heojun.-Ele estendeu a mão.

-Sophia.- Ela disse apertando a mão dele.”

Flashback off

Sophia abraçou Heojun com força, o apertando contra si, ele apenas passou a mão devagar pelos cabelos dela, a afastou de si e colocou o braço ao redor dos ombros dela, a cobrindo, dando a ela a sensação de que tudo estava bem, saíram daquele local andando até o pequeno apartamento de Heojun, numa vila ali perto. Chegando no pequeno apartamento Sophia jogou a mochila no sofá, se jogando logo depois, Heojun andou até a geladeira e trouxe para ela uma garrafa de Soju, que sorriu agradecendo, ele sabia que ela era de menor mas dentro da casa dele Sophia podia fazer o que bem entendesse, ela era como sua irmã mais nova, dentro daquele apartamento ela estava protegida, escondida ou quer que  precisasse estar.

-O que houve?-Ele disse se sentando ao lado dela.

-Eu...Não sei. 3 dos meninos do exo estão morando la em casa.

-E? Qual o problema Soph? Se eles quiserem e você também, são sempre apenas beijos. Até nós dois já fizemos isso.

-O problema não é esse... O problema é que eu brigo com eles de dia e me reconcilio a noite ou ao contrário. Hoje eu obedeci um deles! Ele me fez comer uma maçã antes de sair.

-Ok... Isso é estranho, você não obedece ninguém mas não to entendendo o fato de você sair da sua preciosa mansão pra vir aqui.

-Ah para, não fala como se eu fosse uma princesa porque você sabe que eu não sou. Eu sempre venho aqui, durmo aqui, como aqui...

-Vive aqui.- Ele interrompeu rindo.- Quer falar logo?

-Eu tive ciúmes hoje! Ciúmes de um cara que namora.

-Pera...O único que namora no exo é o Kai...

-Sim...Jun, ontem ele salvou o Oinkinho, ele saiu todo molhado da piscina com o meu porquinho no colo!

-Por que caralhos o seu porco gosta de tomar sol?

-Sei la! Jun, ele tava sorrindo que nem um príncipe mas tava la parecendo uma escultura linda, me tirando dos eixos. Você entenderia se visse.

-Você sabe que eu sou hetero, né? Assim, só pra esclarecer,- Ele riu.- mas confesso, o cara é gato.

-Heojun! Eu to enlouquecendo!-Ela disse empurrando o melhor amigo.

-Então vamos usar essa loucura hoje a noite, lá na boate. Preciso de uma DJ nova.

Ela sorriu e concordou, pararam de beber depois daquela garrafa, Sophia precisava se preparar então foram para a boate.

Kai e Chanyeol foram a todos os lugares possíveis, lojas de cozinha, shopping, andaram pelo bairro mas a verdade era: Eles não sabiam quase nada sobre Sophia. Voltaram para casa sem notícias, eles  nem tinham o número dela, Kai foi se arrumar para o seu encontro, enquanto Chanyeol ligava para Baekhyun para saber se Sophia tinha ligado para ele ou se ele tinha o número dela, tudo que Baekhyun disse era que não era esperar por ela. Kai desceu as escadas arrumado e olhou para Chanyeol.

-Pode ir, cara. Eu resolvo isso.- Chanyeol disse.- Ela é minha responsabilidade mesmo.

-Okay... Me manda mensagem assim que ela chegar.

Chanyeol assentiu e Kai saiu de casa, foi direto pegar Krystal para poderem ir para o restaurante. Após buscar a menina o carro continuou num silêncio inquietante, as pequenas conversas que tinham eram vazias, tristes e vagas. Kai não sabe ao certo como o relacionamento chegou a aquele ponto, não sabia o que tinha feito de errado ou se tinha deixado de fazer algo, ele só queria saber onde errou para poder reparar o erro. No restaurante mais conversas vazias, risos fracos e pouco sinceros, no fim da noite ele deixou ela em casa, com um beijo casto nos lábios dela, algo carinhoso, ela saiu do carro dando um ultimo sorriso pra ele.Kai voltou pra casa as 23 exatamente e nada de Sophia. Eram quase 2 da manhã quando ela chegou em casa, havia deixado tudo pronto na boate e saiu deixando Heojun tomando conta do som, ela ensinou a ele tudo o que podia. Quando abriu a porta de casa Chanyeol já estava de pé, assim que ela colocou as chaves no potinho do hall de entrada quis voltar pra casa de Heojun.

-Sophia! Você sabia que nesse país você é de menor? Sabia que eu sinto daqui o cheiro da bebida? Onde você tava?- Ele berrava.

-Primeiro, você vai falar baixo comigo e segundo eu to na minha casa e chego aqui a hora que eu bem entender!Terceiro e ultimo porem não menos importante, onde eu estava não é da tua conta.

-Não! Você não pode e é da minha conta, sim! Você é minha responsabilidade! Você tem que me dizer pra onde vai! Você tem uma família que se preocupa com você!

-A única família que se preocupa comigo ta do outro lado do mundo! E eles não tem notícias minhas faz um ano! Sabe por que você ta aqui?

-Pra ensinar você a ser como eu e minha irmã, a se comportar.

-Chanyeol... Eles não te contaram, né? Eles não te contaram que eu me tornei rica ano passado?-Chanyeol ficou em silêncio, Sophia chorava.-Quando a minha mãe tava grávida, meu pai conheceu a Rubi, uma espanhola rica que se apaixonou por ele, quis se casar com ele mas filho nunca esteve nos planos dela...Então meu pai largou minha mãe e a mim ainda na barriga, meu padrasto é dono da padaria onde minha mãe trabalhava e sempre foi apaixonado por ela, então ele cuidou de mim, da minha mãe, me criou, me deu amor, carinho, casa, comida, escola, meus irmãos...Tudo-Ela soluçava.

-Sophia... Eu sinto muito.- Foi a única coisa que ele conseguiu falar.

-Se você quer sentir muito, sinta pelos meus irmãos, conta pra eles o porque da irmã deles estar morando do outro lado do mundo! Sabe qual é a ultima lembrança deles de mim?-Ela limpou as lágrimas.- Eu sendo jogada por cima do ombro por um dos seguranças do meu pai, eu berrando, me debatendo. Ele voltou depois de 17 anos longe, me vendo pela primeira vez na vida! Sabe por que?

-Sophia...Ele deve ter tido seus motivos pra não fazer contato antes.

-A Rubi não quis! E com ela, ele tinha viagens, um emprego, uma mansão, uma fortuna mas ele se fodeu tanto, que o pai dela descobriu minha existência e me quis como neta. O que ele tanto quis esconder e esquecer ele teve que ir buscar, mas ninguém me perguntou o que eu queria! Eu fui segurada a força e jogada dentro de um carro, porque ele ganhou na justiça a minha guarda! Eu to aqui faz 1 mês porque meu avô me deu férias do meu pai, meu avô sentiu pena e me pediu desculpas, ele me arranjou uma faculdade aqui pra eu estudar coreano e meu pai já se meteu!- Ela foi até Chanyeol e cutucou o peito dele.- Se você quiser pedir desculpas pede praquelas 4 crianças que me viram berrar, bater num cara para eu não poder ir embora, eu sou uma rebelde mas eu tenho uma causa!

Ela pegou Oinkinho e subiu as escadas, o estrondo que sua porta fez ao bater fez com que todos estremecessem, ela colocou o porquinho no chão e trancou a porta, escorregou pela mesma, chorando. Baekhyun suspirou e se levantou mais uma vez do sofá, ele disse que ia falar com ela e subiu as escadas antes que alguém tentasse para-lo.


Notas Finais


Então gente, esse foi mais um capitulo, espero que tenham gostado, um beijo, fiquem com Deus e até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...