História My true sun - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 2
Palavras 694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


mais um bebês

Capítulo 2 - Two.


Hinata não aguentava mais ficar naquele lugar, ainda mais sentada em uma cadeira dura, sua bunda já estava ficando dolorida. Mas felizmente/ infelizmente a psicóloga finalmente as chamou para entrarem. As duas moças caminharam em um corredor extenso, até entrarem em uma sala de porta branca mais com alguns detalhes. Para hinata, aquela porta parecia mais porta de creche, do que de um consultório de uma psicóloga. Era "muito" colorida, e ela odiava coisas muitos chamativas, e aquela porta se destacava demais, seus olhos ardiam só de ver a pintura bem pintada por sinal, mas muito colorida, parecendo um arco-íris. Mas ela não deu muita importância para porta, ela queria ver o que tinha dentro daquela sala que ela rezava pra não ser muito chamativa ou muito "morta".
Depois de um tempo observando a porta a sua frente, ela finalmente entrou na sala. Se surpreendeu, por ser uma sala do jeito que ela imaginou, paredes de cores pastel, uma lâmpada com enfeites em volta, um sofá a sua esquerda, uma mesa de vidro a sua frente, e duas cadeiras de aparência confortável.  Sentou-se na cadeira da direta, e sua mãe na outra. Ela não sabia o que dizer, mas sábia que a primeira que iria dizer algo era sua mãe. Enquanto sua mãe conversava com a psicóloga, ela resolveu sentar no sofá e  escrever.
Hinata "sempre" foi uma menina que gosta de escrever, não é um dom, ela as vezes não tinha  inspirações ou cabeça para isso, mas ela escrevia, mas não pense que é qualquer coisa. Ela escrevia para seu suporte, mas infelizmente ela tinha parado. Não que ela queira ou por preguiça, ela odiava quando ficava sem escrever, mas esses tempos ela não tinha mas inspirações. Desligou seu celular depois de escrever um parágrafo, e então infelizmente foi conversa com a psicóloga. Pra Hinata, ela não tinha nada o que falar, mas para psicóloga Hinata tinha que contar até os mínimos detalhes mesmo sem importância alguma.
Hinata se sentou na frente da psicóloga depois da sua mãe sair da sala, e ficou encarando suas unhas recém pintadas.

- Bom Hinata, vamos começar? - a psicóloga disse depois de um tempo em silêncio.

A mesma começou a pegar uns papéis e lápis, e depois colocou tudo em cima da mesa. Hinata já sabia o que iriam fazer, mas a mesma não negou, por que a vergonha falou mais alto naquele momento.

A psicóloga entregou os lápis e o papel para ela. Mas como que ela iria fazer isso? Ela não sabe nem escrever, piorou desenhar.

- Vamos, desenhe o que quiser - a psicóloga se pronunciou depois de perceber que sua paciente nem tocou nos lápis.

- Mas eu não sei desenhar- Hinata disse confiante


- Sabe fazer outra coisa? - a psicóloga disse, ela já sabia que sua paciente não desenhava, mas era boa em escrever.

- Eu sou boa em escrever, mas ultimamente eu não estou escrevendo muito - disse pegando um lápis de escrever e uma borracha para tentar escrever algo. Claro ela já sabia pra quem iria escrever, mas não sabia o que.

Enquanto Hinata escrevia, a psicóloga a observava, praticamente em todos os movimento que a mesma fazia. A outra já estava se irritando com o olhar fixo da mais velha, ela sentia a outra a observando desde que tocou no lápis e até agora.

- An, não querendo ser chata, mas já sendo, tem como parar de me olhar por favor, eu não consigo me concentrar com você me olhando -  ela deu graças a deus pela psicóloga não ter levado aquilo em grosseria, mesmo pra mesma o jeito que ela falou soou um pouco frio.

- Oh, tudo bem Hinata.

                                    [......]
Depois que a seção acabou, finalmente a menina poderia ir para casa. Não aguentava mais ficar naquela sala, mas gostou de ter escrito para seu suporte.

                                    [………]

Na hora que chegou em casa, foi logo tomar uma banho, colocou uma roupa confortável e foi conversa com sua namorada.
Sim Hinata tem uma namorada, mas nesses tempos para cá o relacionamento das duas não veio dando meio certo, mas Hinata esperava que melhorasse. Só esperava mesmo. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...