História My tumblr boy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho
Tags Chanbaek, Exo, Hunhan, Pwp, Tumblr
Visualizações 1.029
Palavras 3.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


De volta com esse plot lindo que estou amando escrever ♡

Fiz mais uma mudança pequenininha, em vez de o Baek dizer que ama por telefone achei melhor esperar um pouco... depois digam como preferem!

Obrigada todo mundo que está acompanhando!!!

Capítulo 2 - Você?


Tinha se passado duas noites que por acaso encontrei o tal vídeo na internet. E mesmo assim o moleque não saia da minha cabeça. Às vezes enquanto eu conversava com alguma pessoa ou fazia algo cotidiano, a voz provocante do garoto vinha até minha mente me deixando desconcertado e frustrado no meio de todo mundo. Ele ia me deixar louco, no dia anterior eu tinha mandado uma mensagem e o garoto ignorou, sem mais nem menos, nem ao menos deu uma explicação.

"Você está me ignorando?"

Mandei a mensagem decidido a obter uma resposta. Nem que pra isso eu tivesse que revelar minha identidade em um momento de loucura.

Observava Lay e Kyungsoo brigando enquanto jogavam um jogo qualquer no videogame, mas eu estava longe. Eu estava com a cabeça totalmente no garoto, nos dedos cumpridos e bonitos, nas coxas grossas e principalmente na boca bonita e bem desenhada. Baek tinha uma boca muito gostosa e só de lembrar da foto ousada com o vibrador coberto pelos lábios meu corpo se arrepiava.

Senti o celular vibrar com a resposta e corri para o quarto batendo a porta e logo em seguida a trancando.

1 áudio não ouvido

"Você está com saudades?"

O garoto falava com ironia na voz me fazendo sorrir por dentro. Então ele queria jogar? Eu podia jogar. Permaneço sorrindo enquanto digito a resposta.

"O meu pau estava com saudades."

E com isso eu já estava excitado. Isso mesmo senhoras e senhores, eu Park Chanyeol, vocalista, guitarrista e compositor de uma das bandas mais populares da Coreia do Sul estava de pau duríssimo com apenas um áudio irônico de um garoto pervertido.

A notificação de mensagem nova mal chegou e eu a abri desesperado.

Era uma foto. Simplesmente uma foto da entrada do garoto melecada de lubrificante. Tanto lubrificante que parecia escorrer pelas coxas.

"Precisa de ajuda?"

Assim que mando a mensagem levo minhas mãos ao short do pijama baixando-o e liberando meu membro que já implorava por atenção.

"Quer me ajudar?"

"Porque você não pára de falar e mete logo um dedinho nesse seu cu tão gostosinho baek? Se eu estivesse com você agora eu faria você gozar só com meus dedos sem nem precisar tocar no seu pau."

Baekhyun pov's on

"Quer me ajudar?"

"Porque você não pára de falar e mete logo um dedinho nesse seu cu tão gostosinho baek? Se eu estivesse com você agora eu faria você gozar só com meus dedos sem nem precisar tocar no seu pau."

Coloquei um dedo dentro de mim da forma que o homem que eu nem o nome sabia tinha ordenado. Eu estava louco de tesão e ter ele falando daquela forma explícita me excitava ainda mais, mesmo sabendo que pessoalmente meu rosto queimava de vergonha.

Eu tinha tido um dia de merda. Byun Baekhyun formado em jornalismo, mas continuava tendo que trabalhar em uma redação de revista de fofoca. Byun Baekhyun que sonhava ter um romance lançado passava o dia escrevendo colunas vazias sobre famosos mais vazios ainda. 

Aquele tumblr era o meu scape. Park Chanyeol e a Exact faziam parte do pacote que me permitiam ser quem eu realmente queria ser. Agora esse cara aparecia sem mais nem menos e dava ordens de como eu deveria me masturbar? E o pior era que eu gostava. Gostava muito mais do que deveria.

Tentei me recompor para enviar uma resposta, mas não conseguia, a resposta estava entalada. Entalada junto com a vontade de ser fodido por um cara que eu nem conhecia. Quando eu me transformei nisso?

"E se eu não colocar o dedo?"

Provoco já prevendo que a resposta seria ainda mais excitante.

"Coloca vai baek, hum? Coloca por mim. Manda uma foto pra mim da sua mão tão linda enfiada dentro desse cu tão gostoso."

Ele era bom. Ele era ótimo naquilo.

Passo mais lubrificante nos dedos e coloco dois de uma vez em minha entrada, suspirando de alívio ao sentir o lubrificante frio entrar junto. Posiciono a câmera do celular de forma que meus dedos fossem filmados entrando e saindo de forma lenta.

A resposta chega quase instantaneamente.

"Você colocou dois dedos? Eu disse apenas um Baek. Desse jeito eu vou ter que te dar uns tapas bem dados."

Não posso deixar de sorrir com a resposta. Ele era tão mandão! Só de provocação insiro um terceiro dedo, sentindo o ardor na entrada sendo forçada enquanto gravo o vídeo curto mais uma vez.

"Você é muito safado garoto, eu quero ver se você vai aguentar quanto eu te foder com força."

Ele manda um vídeo em seguida do próprio membro sendo massageando rapidamente e com força enquanto se ouvia o gemido rouco e arrastado vindo do outro lado da câmera.

Círculo os dedos em meu membro e o estímulo com a mesma intensidade do outro, fecho os olhos e ao ouvir o gemido do outro pela segunda vez e me desfaço sentindo meu corpo se encolher e ficar tenso, para logo em seguida se sentir cansado e satisfeito. Eu tinha gozado mais uma vez sem nem saber como era o rosto dele.

"Eu quero conhecer você."- o homem que até então era um mistério enviou depois de um curto tempo.

Aquela conversa novamente. Aquilo assustava, a forma como nos conhecemos não parecia certa e revelar minha identidade para alguém do mundo é real parecia tão errada quanto.

"Acho melhor não. Eu não sei o seu nome e nem ao menos ouvi a sua voz. Isso parece errado."

"Olha, você vai entender quando me ver, eu prometo que não é nada estranho ou algo do tipo. Mascaralho, você não sai da minha cabeça."

Estou prestes a recusar mais uma vez quando ele manda outra mensagem em seguida.

"Eu vou fazer uma viagem de trabalho, vai durar quase um mês e meio, quando eu voltar nós podemos nos ver. Pensa bem Baek, eu vou fazer valer a pena."

"Eu vou pensar. Nós vamos nos falar enquanto você viaja?"

Logo que envio me arrependo. Eu não podia me apegar a ele ou esperar que ele me mandasse mensagens. Eu não podia ser tão ridículo ou carente assim.

"Claro que vamos. Talvez não com tanta frequência, mas eu com certeza não vou deixar você me esquecer durante esse mês."

"Você é muito confiante, né?"

Envio a resposta sorrindo e achando ridículo que ele conseguisse me fazer sorrir depois de um dia como aquele. Eu não podia me apegar a ele, mas ele não estava ajudando.

"Eu tenho meus motivos para ser."


                                                ◇

1 mês depois

— Baekhyun? Você terminou de escrever a matéria? — ouço Jongdae, meu melhor amigo e revisor perguntar de sua mesa.

— Simvou enviar em um minuto.- a matéria era sobre a cantora Suzy e seu namorado maravilhoso Lee Minho. Ou melhor, a matéria era sobre o possível presente de 700 mil dólares que ele possivelmente tinha dado pra ela.

— Você está bem? — o loiro arrasta sua cadeira de rodinhas até a minha. — Você está meio aéreo.

— Ele volta hoje… quer me encontrar amanhã... — olho para o celular e lembro da conversa que tive com Chan na noite anterior.

Eu passei a chama-lo de Chan porque ele insistia em não me falar seu nome, dessa forma decidi não falar o meu também. Durante a viagem dele trocamos muitas mensagens. Muitas mesmo. Nas primeiras semanas eram apenas absolutamente com conteúdo sexual, e Chan era ótimo em falar sacanagem. Se ele fosse tão bom pessoalmente quanto era em mensagens eu certamente me arrependeria de ter recusado-o tantas vezes.

Depois de algumas semanas ele passou a ser mais brincalhão e, apesar de continuar pervertido como sempre, descobrir aquele outro lado só fez eu pensar mais nele ainda.

— O bonitão misterioso? — Jongdae fala alto e o repreendo dando-lhe um tapa nas costas.

— Fala baixo, poxa! Eu não quero que todo mundo saiba! — sussurro e o loiro revira os olhos. Além do mais nós não sabemos se ele é bonitão...

— Qual é Baek? Não é como se vocês fossem famosos e precisassem esconder. — observo ele falar como se fosse a pessoa mais inteligente do mundo e tento me lembrar o porque considerava aquele insuportável meu melhor amigo. — E como assim não é bonitão? Você não disse que ele tem o corpo ótimo?

Aquilo eu tinha que admitir, Chan parecia ter o corpo incrível. Esguio com músculos, barriga bem feita, mãos grandes, braços aparentemente fortes e principalmente... o membro que ele exibia com orgulho nos vídeos que gravava era incrível. 

— Exatamente. CORPO. Ele não mostra o rosto, isso é esquisito. Não sei se quero ver alguém assim cheio de segredos…

— Às vezes ele só não tem confiança no rosto dele, qualquer coisa você se diverte com o corpinho dele e depois cai fora. Você não pode ser fiel ao Chanyeol oppa pra sempre Baek— ele desliza a cadeira de rodinhas de volta a sua mesa antes que eu possa dar um segundo tapa em suas costas.

— Não fala assim! Eles não podem ser comparados!

— Você sabe que eu estou certo! — o loiro sorria abafado já voltando ao trabalho.

Volto a encarar o celular divido entre a curiosidade de conhecer aquele homem misterioso e, ao mesmo tempo medo de conhecer um tarado psicopata. Tá, eu sabia que ele provavelmente não era um tarado psicopata, mas pra que manter tanto segredo?

"Vamos nos encontrar amanhã, então." — digito finalmente, após um tempo encarando a tela do celular.

Travo a tela do celular e logo o desligo, só queria ler a mensagem de resposta quando chegasse em casa.

                                   ◇

8 mensagem não lidas

"Sério? Amanhã mesmo?"

"Baek? Você está falando sério? Eu posso planejar as coisas?"

"Você desistiu? Porque não responde?"

"Você não pode desistir!"

"Eu não acredito que desistiu."

"Você por acaso me bloqueou?"

"Apenas um plano para me fazer de idiota."

"Baekkie?"

Passei o olho pelo menos três vezes em cada mensagem sorrindo. Ele era muito ansioso, eu já tinha percebido aquilo a um tempo atrás, mas aquela era a situação que mais descrevia o pouco que conhecia o misterioso Chan. Mandão, manhosos e ansioso.

Ainda de cabelo molhado e com a toalha em volta do corpo sento na cama digitando uma resposta.

"Eu estava trabalhando... você não tem nada pra fazer?"

Antes que eu pudesse travar a tela do celular a resposta chega.

"Estou nos meus dias de folga."

Ele estava irritado. Aquilo era divertido e eu sabia exatamente como fazer a raiva dele passar mesmo sem conhece-lo pessoalmente.

Tirei uma foto das minhas pernas parcialmente cobertas pela toalha e enviei junto com o texto "desculpe dia difícil, precisava de um banho."

"Isso não é justo Baekkie."

Eu adorava quando ele me chamava assim. Ele deu um apelido carinhoso ao meu user sem ao menos saber que servia como apelido para o meu nome verdadeiro também.

"O que não é justo Channie?"

"Mandar foto das suas coxas gostosas cobertas, eu quero ver você inteiro."

Ele fazia eu me sentir mais bonito do que eu realmente era, mas aquilo era tão gostoso. Ter alguém que fizesse meu ego ser suprido era tão excitante.

"Você pode ver elas pessoalmente amanhã, se ainda estiver de pé, claro."

"Claro que está de pé. Não seja idiota. Eu te mando todos os detalhes por mensagem amanhã, ok? Quer que eu mande alguém te buscar?"

Chanchannie parecia ser alguém com dinheiro, pela forma que falava deixava transparecer que não se preocupava com o preço das coisas e aquilo me deixava um pouco incomodado."

"Não precisa Chan, meu amigo me leva e assim ele sabe onde eu vou estar. Vou me sentir mais seguro e confortável assim."

"Como você preferir. Leva aquele vibrador roxo, e o branco também… agora que tal você tirar mais uma foto mais sem essa toalha?"

O vibrador branco que ele se referia era o estilo "varinha mágica" tinha uma base onde pegar e a parte de cima era uma bola que vibrava. Cinco mil vibrações por minuto. Aquilo fazia milagres. Ele ficou louco quando assistiu um vídeo meu usando ele para gozar com mais intensidade.

Sorri comigo mesmo já tirando a toalha e me deitando na cama, preparado para mais um orgasmo ridiculamente bom que seria proporcionado por um desconhecido.

                                 ◇

Chanyeol pov's on

Baek tinha, finalmente, aceitado me encontrar. Depois de um mês e pouco dando o meu melhor e usando toda a criatividade disponível em meu cérebro para fazê-lo gozar o garoto finalmente tinha aceitado.

Eu teria que ser cuidadoso. Ele não fazia ideia de que eu era o "seu Chanyeol" como ele costumava a dizer. Por ser uma pessoa a pública o risco que eu correria apenas para conhecer um fã era absurdo. Ok, ele não era apenas um fã já tinha algumas semanas. Na verdade, era quase como se eu fosse o fã dele agora. Eu venerava o corpo dele de forma inimaginável, todo aquele mistério tanto da parte dele quanto da minha só deixava tudo mais interessante.

Eu já tinha tudo planejado e pra isso eu precisava da ajuda de alguém que pudesse me ajudar a colocar em prática. Disco o número da única pessoa que me vem em mente. Oh SehunManager da Exact e meu "pau pra toda obra".

— O que você quer agora? — o castanho fala com a voz sonolenta.

— Sehun-ah isso é jeito de falar com o vocalista topstar da Coreia?

— Fala logo antes que eu desligue na sua cara, Chanyeol.

— Eu tenho uma missão pra você!

— Começou... — o menor soltou um suspiro cansado. — manda aí.

— Preciso que reserve um quarto em um hotel bem legal pra duas pessoas, amanhã de noite e o outro dia inteiro.

— Que? Você ficou louco Chanyeol? Você vai se encontrar com alguém? E se a imprensa descobrir? Isso vai dar merda cara, vai por mim…

— Pára de ser pessimista e me ajuda... vai? Eu fico te devendo essa...

— Porque você não chama pra sua casa? Você está passando uns dias no seu apartamento não é? — ele tenta me convencer.

— Estou... mas a pessoa não sabe que eu sou...

— Chanyeol... em que cagada você se enfiou?

Desisto de esconder partes da história e conto tudo ao Manager, sentindo o desespero crescer em cada resposta que ele me dava. Explico a situação com toda calma do mundo, deixando claro que aquela situação estava toda sob controle.

Bom, eu esperava que estivesse.

— Você tem certeza disso? Sabe que pode ser um plano da imprensa né? — Sehun tenta pela última vez, mas já sei que o convenci.

— Não é um plano Sehun-ah, eu que fui atrás dele. Só me ajude, ok? Você sabe que se eu tentar sozinho é certeza que vai dar bosta.

— Vou mandar uma mensagem com os detalhes mais tarde.

— Você é o melhor Manager do mundo!

— É, eu sei.- ele desliga sorrindo e percebo que ele está literalmente rindo de nervoso.

                                     ◇

Baekhyun pov's on

"Palace Seul H., quarto 589. Sabe onde fica certo? A reserva está feita para a partir das seis da tarde, pode ir assim que sair do trabalho se quiser… espero que venha.

Eles vão pedir uma "frase de acesso" como eu não sabia que nome dar... então diga que é o Baek e a senha é "garoto do blog" eu sei é ridículo. Enfim, qualquer dúvida me pergunte…"

Encaro a mensagem que recebi de madrugada pela milésima vez. Já passavam das quatro da tarde e tudo que consegui responder quando li a mensagem tinhs sido um pequeno "Ok...". Agora eu já não tinha mais volta. Ia acontecer.

Meu estômago revirava só de pensar em conhece-lo, era ridículo me sentir apaixonado por alguém que eu não conhecia, mas a verdade é que era exatamente assim que eu me sentia. Apaixonado. Como nunca antes. Sentia vontade de vomitar só de pensar em dizer aquelas palavras em voz alta.

Depois que comecei a conversar com Chan até mesmo minhas postagens no tumblr tinham diminuído, tudo o que eu fazia agora acabava enviando exclusivamente para ele. Por mais que não admitisse eu estava me apegando muito a ele, a ponto de me chatear se as respostas demorassem a chegar ou ele não me procurasse a noite para se aliviar. Jongdae não demorou a perceber aquilo e me chamar de idiota.

A verdade era que eu era idiota mesmo.

Apesar da mensagem falar para eu ir direito do trabalho, resolvi passar em casa e tomar um banho. Coloquei a roupa que escolhi cuidadosamente e passei perfume em lugares estratégicos, me sentindo um garotinho apaixonado que se arruma pro primeiro encontro.

Eu estava pronto quando Jongdae mandou uma mensagem.

"Vamos Cinderela, sua carruagem particular chegou..."

Revirei os olhos com a comparação e digito uma mensagem à Chan rapidamente.


"Estou saindo de casa... até daqui a pouco então..."

Como se já estivesse com o celular na mão esperando, ele respondeu rapidamente.

"Não esqueça de trazer o que eu pedi... estou aqui te esperando... não me faça esperar muito, por favor."

"Eu estou levando. Até logo."

Aperto o celular no peito e dou uma ultima olhada no espelho. Eu estava bonito o suficiente? A calça de couro preta valorizava minhas coxas, ele parecia gostar muito delas então escolhi de propósito. Encaro meu reflexo no espelho satisfeito e repito a frase "nada vai dar errado." como se fosse um mantra, enquanto rumo a porta.

                                       ◇

— Meu número está na chamada automática? — Jongdae pergunta estacionando na entrada luxuosa do hotel.

— Sim… ai meu deus, acho que quero ir embora! — literalmente minhas pernas tremiam e parecia que todas as borboletas do mundo tinham decido dar uma festa de arromba no meu estômago.

— Ficou maluco? — o loiro diz impaciente, praticamente me expulsando do carro.— Eu estou roxinho de inveja só de olhar pra esse hotel, Baek. Se você não entrar eu entro, na boa.

— Okok. Fica de olho no celular... qualquer coisa eu... bom eu vou indo.

— Isso, vai logo! Boa sorte Baek! Vê se desencalha, pelo amor.

Saio do carro e Jongdae sai dando uma buzinada. Era isso. Eu estava oficialmente sozinho e prestes a ir para um quarto de hotel com um estranho. Passo pela porta que se abre sozinha e admiro a decoração clássica e cara enquanto caminho até a recepção.

— Posso ajudar, senhor? — a recepcionista baixinha pergunta agradável.

— Hã... pode meu nome é Baek?— ela me olha sorrindo e eu sinto meu rosto ferver de vergonha.— Isso baek, o garoto do...

— Blog— ela completa sorrindo largo.— Vou avisar que o senhor chegou, aqui está sua chave, é no último andar e apenas o último elevador do lado esquerdo vai até lá, tenha uma boa estadia.

— Obrigado... — pego a chave rapidamente e praticamente corro ao elevador que já está no térreo, como se estivesse me esperando.

— Boa noite, senhor. — um senhor elegante de terno aperta o botão do elevador pra mim e sinto minhas pernas virarem gelatinas.

Quando o elevador para ele pede minha chave cartão e o coloca em um buraco no painel, fazendo a porta do elevador se abrir direto na sala do apartamento gigantesco. Não era um quarto, era uma cobertura inteira. Aquilo era loucura, quanto dinheiro esse cara tinha?

— Aqui sua chave, senhor. Tenha uma boa estadia. — o senhor repete educadamente a frase da recepcionista.

Saio do elevador confuso e antes que pudesse agradecer a porta já tinha se fechado. Fico encantado com o tamanho e luxo do quarto que nem ao menos me lembro de primeira o que me esperava.

Passo os olhos da pelo cômodo e não vejo ninguém. Entro mais e mais e nada. Seguro o celular com as mãos  trêmulas e mando uma mensagem para o homem que deixaria de ser misterioso em poucos minutos.

"Chan?"

"Estou aqui na varanda da sala. Pode vir aqui?"

"Você vai me jogar daí?" 

Ouço a risada longe e me arrepio por completo. Ele estava lá. Ele estava a poucos passos de mim. Eu queria correr em duas direções ao mesmo tempo, tanto pra longe dele quanto pra perto.

"Antes de beijar sua boca e aproveitarmos esse quarto? Claro que não."

Sinto o arrepio percorrer meu corpo e caminho em passos lentos vendo a cortina voar com a brisa que vem da varanda, tudo que me separava dele era essa cortina. Entro na varanda grande cheia de flores e vejo sua silhueta virada de costas, observando a paisagem.

Meu coração para no meio de uma batida. Eu conhecia aquela silhueta de algum lugar. Os cabelos escuros desengrenhados voavam com a brisa, as pernas cumpridas, tudo aquilo não me era estranho.

— Chan? — minha voz falha pateticamente e quando o maior se vira sinto que meu sistema respiratório se esqueceu como funcionar, pois, nenhum fio de ar passava para os meus pulmões.

— Baek?

O que?

Park Chanyeol. O meu Park Chanyeol. O Park Chanyeol da Exact. Estava ali. Por algum motivo me chamando de Baek.

O que estava acontecendo?

— Quem é... não espera, isso é um engano eu estou no... O que você...

Quem é você? Eu sabia quem era ele.

Isso não era um engano. Eu sabia que não.

O que ele estava fazendo aqui que era a grande questão. 

— O que eu estou fazendo aqui? Baek, nos temos um encontro, lembra?

— Mas você…

— Sou o Chan… yeol. Não precisa ficar nervoso Baek, vamos apenas conversar… e depois podemos fazer algo mais… se você quiser.

Com as pernas tremendo e as mãos suando deixo meu corpo cair sentado em uma das poltronas grandes que estavam ali. Eu não podia acreditar que aquilo estava acontecendo. Não podia.


Notas Finais


Mil desculpas pelos erros, eu sempre leio umas três vezes mas deixo algo passar, mas ainda sim sempre volto a dar uma revisada depois. Qualquer coisa podem me avisar!

Se não estiver dando pra entender quem manda o que nas mensagens me avisem que eu comeco a especificar, tipo "Chanyeol diz:" e tals. Eu coloco em itálico mas nao sei se acaba ficando confuso pra quem está lendo.

Obrigada a todos quem leu até aqui. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...