História My Vampire - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Miley Cyrus
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Miley Cyrus, Personagens Originais
Tags Justin Bieber, Miley Cyrus, Vampiros, Violet Reynolds
Exibições 179
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoje é niver da minha baby e também protagonista da fic: MILEY CYRUS ❤ Boa leitura.

Capítulo 8 - The Love?


Fanfic / Fanfiction My Vampire - Capítulo 8 - The Love?

" Menos de mim, mais de você. Menos ódio, mais amor. " ~MV

      Violet Reynolds POV

O final de semana passou voando. Nem notícias de Audrey, nem notícias de Justin.

Eu estava muito emotiva, chorei o final de semana todo, sem motivo.

Acho que as coisas poderiam melhorar, caso tudo voltasse ao normal.

Austin poderia estar vivo ainda, Audrey poderia ser menos ignorante e Justin poderia nunca ter falado comigo.

Queria que tudo voltasse ao normal. Queria que Justin ficasse na dele, Austin nunca tivesse vindo falar comigo e Audrey não fizesse o que fez.

Realmente? Eu odeio tudo isso.

Estou literalmente na merda. Droga. Pensei em um palavrão. Droga. Sou uma inútil. Não tenho um bom vocabulário.

- Vem almoçar? - Abriu a porta mamãe.

- Certo. - Disse levantando da cama e a acompanhando.

...

- Quer dar uma volta? Está infurnada nesse quarto desde sempre. - Perguntou mamãe.

- Só vou ficar aqui, estou bem. - Respondi colocando o prato na pia.

- Isso é por conta de seu amigo? Austin, não é? - Balancei a cabeça negativamente.

- Isso é por mim. - falei baixo.

- Tudo bem. Não vou insistir, sei que não vai me contar. - Sorri fraco dizendo:

- Não vou, mesmo. - 

Voltei para o meu quarto e deitei novamente na cama, logo depois pegando no sono.

Havia um vazio dentro de mim e de tudo que eu tocava. Faltava algo.

- Você nunca foi minha amiga! - Gritei para a floresta ou coisa assim, não era nada claro. Nada estava claro.

- Você só soube, machucar á mim e a minha família! - Gritei novamente.

Com quem eu falava? Com quem eu discutia tão freneticamente? O que estava acontecendo de verdade?

- Eu estou voltando. - Disse uma voz que eu quase conseguia reconhecer.

- Quem mais está aí? - Perguntei e apenas o vazio do silêncio me rodeava.

- Só não esqueça de mim. - Assenti a voz masculina.

Eu já havia ouvido. Eu só precisava me concentrar e...

Hora de levantar. Hora de levantar. Hora de...

Desliguei o despertador. De novo segunda-feira, de novo escola e dessa vez, estaria completamente sozinha.

Ouviria coisas chatas, teria que arcar com o que todos sabem. As pessoas são cruéis.

Levantei da cama, arrastando os pés, vontade de viver: zero.

...

Saí do quarto já vestida de uniforme e desci a escada entrando na cozinha.

- Bom dia. - Falei baixo, apenas para não começar mal.

- Bom dia! - Exclamou mamãe - Tenho uma base ótima para esconder olheiras, está dentro da gaveta do banheiro... - Sorri fraco e respondi:

- Não, eu estou bem, assim. - Ela riu

- Bem é a única coisa que você não está... Parece que não dorme a dias. - Fui obrigada a rir também.

- Bom dia. - Disse vovô entrando na cozinha - Sente-se Violet, que falta de respeito encostar-se na mesa. - Bufei - E agora você acaba de me provar que está ficando parecida com Audrey. - Senti um arrepio.

Vovô me comparou á Audrey.

- Desculpe... Eu não quis dizer isso... - Balancei a cabeça negativamente.

- O que está acontecendo? - Perguntou mamãe.

- Nada. - Respondemos eu e vovô juntos.

Mamãe ia dizer alguma coisa quando ouvimos a campainha.

- Podem deixar, eu atendo. - Exclamei.

Me afastei da mesa e desci a escada, abri a porta dos fundos do restaurante e quando cheguei ao portão observando quem era, parei totalmente.

- Violet. - Disse baixo - Eu voltei. -


        Justin Bieber POV

Frio. Frio. Frio. Frio.

Queria que os vampiros fossem como nos filmes e livros, não sentissem frio, mas porra, sentimos.

O pior de tudo é que nosso corpo demora para ficar quente ou frio, nisso somos parecidos com humanos cegamente.

Mas, quando ficamos quentes, parecemos que estamos fervendo. E quando estamos frios, parecemos ser gelo.

Isso é estranho, porque nem sempre é possível controlarmos nossa temperatura.

- Alteza. - Curvou-se Arielsen, uma sudita de meus pais.

- O que há de bom por aqui? - Perguntei.

- Além de mim? - Ela sorriu maliciosa - Nada demais, está como sempre. - Assenti.

- Onde está White? - Arquei o cenho.

- Pois é... Ela não trabalha mais para seus pais. - Disse baixo.

- Como assim? - Quase gritei.

- White pediu demissão, disse que não aguentaria ver você se tornar rei, casar com outra e ela ainda ter que serví-los. - Bufei.

White era a melhor em tudo o que fazia. Tudo mesmo. Minha única motivação aqui no Alaska era ela.

Ok. Talvez eu tenha me envolvido demais com ela e a iludido um pouco, mas caramba, eu sempre deixei claro que não queria nada além de uma foda. Fora que não posso me envolver com uma vampira mais velha e experiente.

O rosto é de dezenove anos, mas, sua idade real é trezentos e seis anos.

Isso é o que me intriga, como alguém mais velha, mais experiente, mais preparada pôde se apaixonar de primeira? Bom, fazer o quê, eu sou Justin Drew Bieber.

- O senhor deseja que eu traga um doador espontâneo? - Perguntou Arielsen após eu me sentar na espreguiçadeira.

- Não. Eu vou caçar o que comer depois. - Respondi.

A verdade é que eu já estava aqui não fazia nem um dia e já estava odiando.

Faria o quê esse tempo todo? Perderia aula apenas, bom, isso não é importante, passei mais tempo estudando do que sendo vampiro de fato.

O que estava me intrigando era isso de reputação, tipo, somos vampiros, somos do mal, essa é nossa deixa.

Não tem tanta graça estar sozinho, eu passei muito tempo assim e sei. Isso te torna ainda pior, e eu não quero ser o pior eu quero apenas fazer coisas ruins, mas sem esquecer do que vale.

Eu tenho alguns pricípios, apesar de tudo.

- Diga-me... - Chaz apareceu - Por que demora tanto para visitar seu melhor amigo? - Levantei e o abracei.

- Como está? - Perguntei me afastando.

- A mesma coisa de sempre, você sabe... - Ri - Eu arranjei uma namorada. - Sussurrou.

- O QUÊ?! - Gritei.

- Se chama Hailey, ela é vampira apenas á dois anos. - Disse como se contasse um segredo.

- Ela é louca? Tem algum problema? Já sei, é cega! - Ri alto.

- Vai rindo, quando vê-la cairá duro! - Sorriu.

- Cairei duro de tão feia? - Zombei.

- Feia? - Uma voz feminina disse.

Me virei e avistei uma loira linda entrando na varanda e já me aproximei da garota.

- Eu sou... - Disse tentando parecer sexy, mas ela interrompeu minha fala, passando direto por mim.

- Chaz, amor! - Dei um gritinho agudo, me fazendo arcar o cenho.

Os dois se beijaram e logo ele afastou os lábios dos delas e disse:

- Hailey esse é meu amigo Justin e nosso futuro rei. - Ela se curvou diante de mim e disse.

- Prazer. - Apenas assenti.

Chaz não estava mentindo, caramba, ela era linda, mesmo!

- Você se transformou como? - Perguntei.

Eu tinha um pouco de preconceito com pessoas que foram transformadas ao invés de nascidas como vampiros.

- Eu iria morrer, havia me jogado de um prédio, eu tinha depressão. - Disse e sorriu - Mas, Chaz me encontrou e me transformou logo depois, quando acordei eu estava curada de minha doença e tinha um amor. - Revirei os olhos.

Essa coisa de amor não existe, é apenas gostar e pronto, nada demais.

- Justin não acredita em amor. - Explicou Chaz para Hailey.

- Como não? - Perguntou. Bufei e os deixei falando sozinhos.

É tão estranho assim não acreditar? É só não acreditar.

Isso de amor é uma merda até porque quando se sente algo comparado a tal, na realidade, a pessoa que o sente só se ferra.

Ridículo. O amor é ridículo. Sem nexo, emotivo e perdido.

Amar é como atirar em seu próprio pé. Realmente uma merda.

O que eu mais odeio, é a felicidade que alguns casais transbordam e demonstram, parece que precisam ficar ali, jogando o amor deles nas outras pessoas.

Chaz e Hailey são esse tipo de casal, caramba. Perdi meu amigo.

Sinceramente? Não é inveja, é não entender mesmo. Eu juro que tento, mas já vivi muito tempo para saber que o amor não é para mim.

Se eu precisar passar todos os meus dias sozinhos, tudo bem, melhor sozinho do que mal acompanhado.

Que droga.

Desde quando virei filósofo? Desde quando penso muito tempo em algo? Merda.

Passei pela porta e parei no jardim, estava tudo muito vivo, e eu me sentia terrívelmente morto.

- Que tal procurarmos um doador espontâneo? - Perguntou Chaz vindo até mim.

- Eu prefiro o jeito mais difícil. - Disse baixo.

- Isso é totalmente sem humanidade. - Retrucou-me.

- Isso tem haver com " eles ", Humanidade é com " eles ". Eu não sou um humano. - Falei firme.

- Pare e pense... - Começou ele, mas o interrompi bradando:

- Pare e pense, você! Eu sou o princípe, futuro rei, aqui. Eu dito as ordens! -

Chaz arregalou os olhos e se virou, me deixando sozinho em meio a imensa vida que havia no jardim.

Eu nem queria estar aqui, por que então, agiria de forma diferente? 

" Isso é totalmente sem humanidade. " Todos estão se tornando humanos demais pela forma como vivem e isso me intriga, afinal, não é o que somos.

Eu não entendo como podemos ter sentimos como os humanos, isso é tão estúpido.

Eu não quero nunca sentir isso, então vou viver sozinho para sempre. Para sempre.

              ...Continua...


Notas Finais


E foi isso, desculpe se ficou chato e pequeno, o próximo melhora, PROMETO e feliz fim de dia, o meu já está sendo maravilhoso só pela nova idade da Miley ❤❤ Até mais e comentem 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...