História My Vampire - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, Himchan, Jongup, Youngjae, Zelo
Tags Bang Yongguk, Bap, Choi Junhong, Hentai, Imagine, Interativa, Jung Daehyun, Kim Himchan, Moon Jongup, Vampire, Vampiros, Você, Yoo Youngjae, Zelo
Visualizações 98
Palavras 1.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria pedir desculpas pelo sumiço. Eu fiquei doente e sem condições de entrar aqui, como não tenho ninguém que poste pra mim, ficou complicado. Sem falar que nessa ultima semana eu tive uma crise bem merda e as coisas andam meio estranhas, mas enfim.

PS: A cena do primeiro beijo foi alterada, não ficou da forma que eu queria, mas ficou melhor que antes. Também troquei mais algumas coisas, mas nada muito perceptível.

Quarta tem outro capitulo.

Boa leitura!

Capítulo 10 - Capítulo Nove


DaeHyun

 

Abri a porta assim que recebi permissão e a cena que eu vi, me fez parar no mesmo lugar.

 

Ela estava sentada na ponta da cama com uma camisola preta de seda com pequenos detalhes de renda num tom de azul escuro, a pele sedosa, os cabelos soltos caindo ao redor do rosto, emoldurando o mesmo de uma forma incrivelmente bela. Me encarava calmamente, com um leve questionamento no olhar.

 

 

A primeira vez que a vi foi como se uma ligação muito forte fosse estabelecida entre nós. Os olhos encantadores pareciam entender o que os meus transmitiam, estar perto dela era como ter encontrado a metade que eu passei mais de um século procurando. Era ela; a razão de eu ter suportado tantos anos, um pequeno sorriso, uma simples conversa, atos não valorizados por muitos que, perto dela eram tão únicos e especiais. Ela não me encanta só na beleza única, mas na personalidade forte e delicada, a vontade de aprender a se controlar, de domar as habilidades adquiridas, sua curiosidade sobre quem somos, sobre a raça, o fato de não se deixar abater pela realidade esmagadora que a atingiu, a forma que se preocupa com todos nós, mesmo que discretamente.  Uma fêmea tão especial que, qualquer macho da primeira linhagem gostaria de ter ao lado, mas destinada a mim. A única justificativa que me fez esperar tantos anos pela fêmea certa.

 

Quando finalmente voltei a mim, resolvi sair do transe que estava e falar com ela.

 

— Desculpe incomodar! - disse, logo encostando a porta.

 

—Tudo bem! - disse um tanto acanhada.

 

— Gostou da casa? - ela fez que sim com a cabeça. — Que bom, porque vamos passar um bom tempo aqui!

 

— Entendo, acho que isso tem relação com o conselho, certo?

 

— Sim, o que eu acho um tanto estranho, mas não deve se preocupar com isso. Yongguk cuidara de tudo e nos manterá informados. Nada vai acontecer com você! - disse sorrindo para tranquilizar a mesma.

 

— Vou tentar! - disse olhando para o chão, voltando o olhar para mim logo em seguida. — Dae, aproveitando que você está aqui, será que podemos ter uma conversa um pouco mais sério? - terminou a fala com uma expressão decidida, eu diria.

 

— Hum... Claro! - falei incerto, peguei uma cadeira no canto do quarto sentando em frente a mais nova, mas não tão próximo.

 

— Hoje Yongguk veio com uma conversa um pouco estranha, falando sobre vampiros serem um territoriais e coisas do tipo, se não me engano, depois fez uma pergunta um tanto... bom... não vem ao caso. - disse um tanto sem graça. — Isso me fez pensar... O que você sente em relação a mim, DaeHyun? Porque suas ações e seu olhar me dizem algo, mas eu preciso saber de você.


 ~X~

 

 "— O que você sente em relação a mim?"

 

Esse era o eco que estava na minha cabeça. O que eu sinto em relação a ela? Tudo. Tudo era a palavra mais próxima que eu poderia usar, mas eu fiquei ali parado olhando o rosto em expectativa.

 

— Eu... eu... - eu não conseguia dizer nada coerente, o que era vergonhoso, esperar por tanto tempo e quando a mulher dos meus sonhos está na sua frente, você trava e não sabe o que dizer. — ____, eu não sei o que dizer! - vi o rosto bonito fazer uma expressão cabisbaixa — Não... Não, por favor, não me entenda errado, é só que... Eu esperei por tempo e... - disse dando um suspiro cansado. — É você, desde quando te vi soube que é você, mesmo não percebendo e aceitando de pronte. Quando nos olhamos pela primeira vez foi como se tudo tivesse mudado. Seu cheiro, seu sorriso, seus cabelos, sua força, tudo em você, tudo que eu procurei e esperei, eu encontrei em você, _____. Mesmo em pouco tempo de convivência, o ciúmes, a saudade, a necessidade constante da sua presença, a lembrança de você tomando meu sangue! - disse sussurrando as últimas palavras, sentindo todos os pelos do meu corpo se arrepiar apenas com a lembrança da boca e das pressas afiadas em meu pescoço. — Desde que te vi no corredor daquela estalagem meus dias tem sido melhores, depois que você apareceu, tudo ganhou sentido.

 

Depois dessa enxurrada de palavras ficamos ali, um olhando o outro, eu esperava que ela notasse a sinceridade em cada uma das minhas palavras, porém eu iria esperar alguma reação dela que, graças aos deuses não tardou a vir.

 

Ela se levantou da cama vindo em minha direção e parando na minha frente, levou a mão delicada até meu rosto fazendo um leve carinho, dando um sorriso lindo por fim.

 

— Obrigada!

 

O simples agradecimento dela, fez com que uma calmaria tomasse conta de mim, um sentimento tranquilo e pacifico. Porém, mal sabia eu que me sentiria ainda melhor. Ela se curvou em minha direção, deixando que os lábios macios roçassem delicadamente nos meus, logo pressionando-os em um contanto calmo, sem pressa. Ela se afastou com as bochechas coradas e foi minha vez de tomar uma atitude.

 

Levantei da cadeira e puxei a mesma pela cintura deixando seu corpo junto ao meu, minha destra foi até a nuca da menor, segurando-a sem fazer força. O segundo contato foi apenas um selar como o primeiro, mas logo minha língua pedia passagem entre os lábios bonitos que, não demorou a ser dada. Era um beijo inexperiente, um tanto hesitante, porém melhor do que qualquer outro que já recebi. As mãos dela seguravam meu rosto nos deixando ainda mais próximos. Nossas bocas conversavam deliciosamente bem, era um beijo calmo, suave e doce, mas infelizmente tivemos que nos separar.

 

Eu olhava os lábios fartos vermelhos pela fricção anterior, o cabelo que caia cobrindo uma parte do belo rosto e o peito que subia e descia pela respiração descompassada.

 

— Linda! - disse pensando alto, vendo a menor corar levemente sem desviar o olhar do meu. — Você aceitaria?

 

— O que? - ____ perguntou confusa.

 

 

— Aceitaria ser minha dama? Minha companheira? A única que eu quero que se entregue a mim, da mesma forma que eu só me entregarei a ela, a quem eu vou recorrer nos meus momentos de tristeza e alegria, aquela que vai me manter vivo  e a qual eu vou lutar com todas as minhas forças para proteger e manter ao meu lado em segurança e feliz, durante todos os dias e todas as noites, para quem eu quero entregar meu corpo e meu coração. A pessoa que eu quero que viva-la pela eternidade que nos for dada.


 

— Você aceita?


Notas Finais


Acho que por hoje é só.

Até a próxima. XOXO, Kim!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...