História My vampire - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vampire Knight
Tags Inspirado Em Kaname, Vampire Nights
Visualizações 17
Palavras 1.572
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Personagem nova na area, espero que gostem bjs e boa fic..

Capítulo 4 - Megan, a tagarela


Fanfic / Fanfiction My vampire - Capítulo 4 - Megan, a tagarela

Acordei no dia seguinte com muita dor de cabeça, pra variar estava frio e a neve caia sutilmente la fora. Desci tropeçando nas coisa rumo a cozinha em busca de um analgésico e não encontrei ninguém, por certo Alex já tinha saído pro trabalho.

Abri a geladeira e foi deprimente, apenas congelados e nada de muito interessante, geladeira típica de um homem solteiro. Decidi então sair para fazer compras, apenas o essencial, abri uma das gavetas e peguei uma quantia em dinheiro que ele tinha deixado pra mim caso precisasse.

Comi uma tigela enorme de cereal, tomei meu remédio e subi para me arrumar, de certa forma estava me sentindo mais feminina hoje, coisa rara de acontecer, escovei meus dentes e arrumei o cabelo todo pra trás com uma faixa preta de bolinhas brancas, abri o guarda roupa e peguei um vestido de linho grosso preto com duas carreiras de botões, meia calça fina preta e botas de cano médio. Pronto!  Mas olhei no espelho e faltava algo, ah sim, uma maquiagem pra disfarçar a cara lavada, usei o básico do dia a dia, um batom cor de boca  e torci para que não borrasse o rímel, isso era minha marca registrada.

Tranquei a casa e ao fechar a porta um vendo frio que quase me levou

- uhhh que frio que é esse, ainda bem que o mercado não é longe.

Por sorte tinha marcado bem e me familiarizado com o bairro graças as minhas corridas matinais, coloquei as mãos nos bolsos e segui para o mercado. Logo cheguei supermercado Keep Gerald´s, não era tão grande, mas havia uma variedade de tudo por ali, uma coisa que amei foi tipo uma galeria que tinha nos fundos com vidraças e uma vista muito linda das montanhas, máquina de café e um balcão com diversas rosquinhas e pães e mais ao lado uma larga estante de livros com confortáveis poltronas de veludo e um sofá marrom.

- Isso! Achei o meu refúgio.

Plenamente feliz, mas não podia esquecer que estava ali para comprar algumas coisas, entrei no corredor dos cosméticos e peguei shampoo e um condicionador, na feira algumas frutas, chocolates e algumas coisas para Alex cozinhar. Compras feitas e estava livre para explorar aquele paraíso, quando uma garota de uniforme esbarrou em mim me derrubando no chão.

- Ah cara e lá se vai meus bolinhos

E uma chuva de bolinhos de chocolate caia sobre mim

- E aí tudo bem?  A garota estendeu a mão me ajudando a levantar

- tudo bem sim tirando alguns ossos quebrados

- Sério me desculpa mesmo, sou Megan e você?

- Clare

Enquanto a garota tagarelava observei seu uniforme com o logotipo do mercado, deveria ser funcionária dali. Megan tinha um corpo de modelo seu cabelo era loiro escuro ondulado até os ombros e tinhas olhos azuis.

- Pra te compensar me espere as onze na galeria que pagarei um almoço pra você.

- Não precisa já estou indo embora

- Não aceito não como resposta estarei de esperando lá e nem pense em me dar um bolo em! Marquei seu rosto garota – saiu sorrindo com uma naturalidade que dava medo.

- Ta bom, como se eu fosse esperar uma estranha.

Algumas horas depois lá estava eu sentada no sofá esperando Megan.

- Sou passiva demais – soltei um suspiro – mas quem sabe? Fazer amizades seria bom.

- Oiii Clareee!!!

E lá vinda ela gritando meu nome a quilômetros de distancia me fazendo passar vergonha.

- Achei que você tinha ido embora, quem confiaria em uma estranha né? – ria tão naturalmente

- Pois é era o certo a se fazer, mas essa sou eu, confio demais.

- Fica tranquila, vamos comer aqui mesmo hambúrguer congelado tá bom pra você? Têm de bacon, quatro queijos, vegetariano. Não é vegetariana né? Porque se for o daqui é péssimo – pois os hambúrgueres no micro-ondas que logo apitou.

Cara a menina nem tomava folego e eu de boca aberta levantando discretamente para sair de fininho, quando ela sentou do meu lado e mais um monte de perguntas foram surgindo.

- É nova por aqui né? Nunca te vi – disse pegando os lanches e entregando um pra mim

- Sim, minha mãe faleceu a pouco tempo e me mudei pra cá pra morar com meu pai

- Ah... Sinto muito, já eu moro só com minha mãe e meu pai já se foi. Que Deus o tenha. Mas assim é a vida né muitos vai e outros vêm.

Não pude deixar de rir do modo em que ela falava das coisas

- você é bem - estava procurando a palavra certa

- louca? – sorriu

- excêntrica – completei e rimos juntas

As horas se passaram e contei a ela sobre a universidade e muitas outras coisas da minha vida que não imaginaria dividir com essa garota cheguei até mencionar sobre Yukino, mas quem diria ela me fazia conversar e tudo era tão divertido com ela, acho que daríamos boas amigas, ela me fazia sentir a vontade, sem receio das coisas.

- Bom, a conversa rendeu, mas preciso voltar para meu expediente, gostei de você.  Quer saber me espera mais meia hora e podemos ir para casa juntas.

- Tudo bem – a animação dela era tão grande que não podia dizer não.

Para passar o tempo peguei um livro parecia ser um romance, mas quando estava ficando interessante Megan chegou.

- E ai vamos?

- Sim – guardei o livro de volta.

Fomos caminhando para casa e ela tagarelando como nunca e me fazendo rir como uma louca, logo chegamos na frente de casa

- Bom, é aqui que eu fico.

- Pera ai você mora aqui? Não brinca garota – me deu um tapa forte nas costas que engasguei.

- Sim, mas você nunca me deixa terminar uma frase, se pudesse já teria te falado.

- Sorry, tenho esse problema, mas estou tentando melhor. Então minha casa é aquela ali, quatro depois da sua – ela apontava para uma casa semelhante a minha, porém, a arvore em frente tinha flores amarelas.

- Vamos manter contato – passamos nossos números - agora preciso ir tenho muita lição da faculdade. Beijos amiga -  saiu cantarolando

Faculdade essa que por coincidência era a mesma que iria cursar. Megan parecia ser a pessoa mais feliz da Terra sem nenhum problema, mas gostava dela nunca tinha me dado tão bem com uma pessoa, a maioria me olhava esquisito na escola.

Entrei e ainda nem sinal de Alex, poxa que pai ausente esse, mas não me incomodava amava ficar sozinha. Ajeitei as compras e subi, tomei um banho rápido e vesti meu moletom, liguei o note e fui pesquisar mais sobre a universidade e acabei pegando no sono, sem sonho algum. Despertei com um barulho na janela, já estava escuro olhei no celular que marcava sete horas.

-Nossa como pude dormir tanto.

Os barulhos insistiram mais uma vez e senti um arrepio, podiam ser apenas galhos batendo no vidro, chegue mais perto pra verificar e em um estrondo as janelas se abriram com o vento me fazendo gritar de susto. Levantei-me e senti uma presença atrás de mim, olhei para frente e no reflexo do espelho olhos vermelhos brilhavam.

Eu estava apavorada nunca tinha sentido tanto medo, sai gritando e correndo e bati em alguma coisa que me fez gritar mais ainda.

- O que foi Clare? Porquê está tão agitada assim? Alex acendeu a luz da sala.

 Lágrimas desciam livres pelo meu rosto e minha fisionomia horrendamente assustada.

- Pai, eu vi tinha alguma coisa lá, era vermelho e estava olhando pra mim eu juro! Não estou louca!

- Calma me conta direito o que você viu – disse me abraçando.

Pai saiu tão instantaneamente da minha boca que senti meu rosto corar. Contei a ele as outras vezes que tinha presenciado isso e que tinha pegado no sono e acordando com barulhos ela estava aquilo.

- Acho que teve um pesadelo que ficou em seu subconsciente e logo quando acordou te fez vivenciar o fato.

- Por favor, me poupe dessas palavras de investigador, devo estar louca mesmo, mas posso pedir um favor – estava muito sem graça do que ia pedir – fique comigo até eu dormir?

Já na cama coberta quase até a cabeça esperava o sono vim e sentia Alex me observando, pensei tanto naquilo que acabei dormindo de novo.

Acordei no outro dia e passarinhos cantavam, já não estava mais frio. Olhei para o lado e lá estava Alex dormindo na poltrona todo torto, ajeitei a coberta dele e desci para fazer um café que era o mínimo que tinha que faze.

Coloquei a cafeteira pra funcionar e me debrucei na bancada, aquilo estava tirando a paz que parecia estar recuperando.

-  Dormiu bem?

- Como uma pedra – entreguei seu café.

- E ai o que decidiu sobre a universidade?

- Pode confirmar com o senhor Henry que quero entrar.

-Ótimo vou ligar pra ele e marcar a admissão.

Alex saiu para dar o telefonema e estava presa em um transe relembrando a cena assustadora que vivenciei noite passada.

- O exame será depois de amanhã na quinta, espero que use bem seu tempo livre porque vai precisar – deu aquele sorriso torto.

- Como assim? Não prazo curto demais não vai dar

- Pois faça dar minha querida, a agenda dele é lotada e só tinha esse dia livre, pois então se prepare.

Ótimo era o começo do fim.


Notas Finais


É isso ai gente próximo capitulo Yukino ta de volta em fortes emoções s2s2.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...