História My World - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Nash Grier, Nate Maloley, Sam "Wilk" Wilkinson, Selena Gomez
Tags Magcon, Nash Grier, Selena Gomez
Exibições 198
Palavras 855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, babes!

Aí está nosso capítulo! Eu sinceramente espero que vocês estejam gostando.

- Aqui não é motivado a comentários, porém não quer dizer que não gostaria que vocês dessem suas opiniões, ela é muito importante.
- A estória é de MINHA autoria.
- Os personagens não me pertencem, mas suas personalidades sim.

Se tiver problema com o meu modo de escrever me avise, podemos melhorar sempre com os nossos erros.

O capitulo está divido em dois, dependendo de como vão aceitar esse, amanhã estarei postando a segunda parte, que já está editada, uhuu.

Amores, estamos crescendo cada vez mais, eu quero surtar a cada comentário ou favorito, continuem que eu amo HAHAHA. <3

Boa leitura!

Capítulo 9 - Trauma part. 1


Fanfic / Fanfiction My World - Capítulo 9 - Trauma part. 1

Anteriormente...

De noite eu sonhei gostoso, apesar do fim de minha noite. Eu sonhei com o que poderia ter acontecido.

~}{~

My friends and I we’ve cracked the code
We count our dollars on the train to the party
And everyone who knows us knows
That we’re fine with this
We didn’t come from money

— Royals, Lorde

Point of View — Nash Grier

Eu não consigo entender, o que eu fiz de errado? Porque ela me rejeitou daquele jeito?  Estava tudo bem em um minuto e no outro estava tudo de cabeça para baixo. Chegando à classe, ela estava de cabeça baixa sem olhar para porta. Isso arrancou suspiros frustrados de minha pessoa.

— Bom dia classe. — falei meio cabisbaixo, tentando disfarçar a minha frustração.

— Bom dia professor. — disseram em um entusiasmo tão baixo quanto o meu.

— Bem, como vocês já sabem hoje irei aplicar uma prova, podem sentar em ordem numérica, por favor. Começando pela minha mesa. — todos começaram a sentar em ordem, e Alyssa sentou na primeira carteira já que Alana faltou.

Apliquei a prova e me sentei, era inevitável, não conseguia deixar de olhá-la e procurar um motivo para ela estar desse jeito, fui rápido demais? Muito invasivo? Qual foi o problema? Estou me sentindo um monstro sem nem ter feito nada, ou fiz?

Enquanto eu a cobria de olhares confusos, ela não olhava para mim, quando terminou a prova, simplesmente  virou e colocou a cabeça sobre a mesma.

— Quem terminou, por favor, me entregue, em ordem numérica hein. — Alyssa levantou, olhou para a prova e me entregou, sem nem sequer olhar nos meus olhos.

Logo todos me entregaram e foram saindo da sala.

— Senhorita Linden, podemos conversar? — perguntei.

— Claro professor. — sussurrou baixinho, sem me olhar. Quando todos saíram fechei a porta.

— O que está acontecendo Alyssa? — perguntei desesperado. — O que eu fiz de tão errado? Por que você foi embora daquele jeito, sem me explicar nada? — não sei quando foi que suas lágrimas começaram a cair copiosamente. Meu coração se apertou, eu só queria realmente ajudar.

— Eu não queria Nash, juro que não queria! Mas não deu… — ela falava em meio às lágrimas, ainda de cabeça baixa.

— Shhh, olhe para mim. — ela me olhou, com os olhos marejados. — Tudo bem você não querer, eu só preciso entender por que você saiu daquele jeito. Eu te machuquei?

— Não dá Nash, não dá, eu não consigo falar ou lembrar daquilo. — levantei da cadeira e a abracei.

— Me perdoe, não queria te causar isso. Não queria te fazer chorar. Te ver chorando assim me deixa louco, desesperado. — falei meio baixo a última parte.

— Mas não foi você que causou isso, Nash. — disse saindo dos meus braços deixando um vazio. — Isso vai muito além, ninguém sabe dessa dor que carrego, a não ser Jake e meus pais. — ela disse olhando para o nada, agora já estava calma, porém tremia muito.

— Você sabe que pode confiar em mim para contar o que for não é? — ela me olhou e deu um sorriso triste.

— Não sei se consigo te contar. — ela sussurrou.

— Ao menos tente, seja lá o que for. — ela olhou dentro dos meus olhos, e eu olhei nos dela.

— Tudo bem, durante o intervalo, na sala do zelador. — falou pegando a bolsa.

— Fico feliz que confie em mim. — falei a observando. — Agora vá, não perca a outra aula inteira. — ela veio até mim, e dei um beijo em sua testa para então sumir de meu campo de visão.

Eu nunca a vi assim e me dói ver ela desse jeito, ela merece tudo de mais lindo nessa vida, e seja lá qual for esse trauma que ela carrega, a ajudarei a superar. Alyssa tem uma importância na minha vida, como nenhuma antes conseguiu ter, isso me intriga e me assusta.

É errado, mas no momento me parece ser tão certo.

Point of View — Alyssa Linden

Tudo o que passei foi terrível, me dói lembrar. Mas sinto que posso confiar em Nash, que ele vai cuidar de mim. Saí da aula, após uma aula entediante de geografia, e entrei na sala do zelador, ele já estava lá me esperando.

— Nash! — o abracei forte. — Obrigada. — sussurrei.

— Shh, estou aqui. — sorri e me sentei em um banquinho. Respirei fundo e libertei de mim algo que era esquecido até uma noite quente com meu professor. — Se não quiser contar eu…

— Não, eu quero contar, eu preciso contar. — eu disse deixando uma lágrima escorrer.

— Eu estava no oitavo ano, naquela época tinha vários amigos, eu ainda não conhecia Jake. Também não tinha a atenção dos meus pais, mas apesar disso, me considerava uma pessoa boa, eu era inocente. Eu estava em outra escola, e tinha um garoto… — tremeu ao dizer, posso dizer que meu maxilar travou. — Ele era do terceiro ano do ensino médio, eu o achava lindo e depois de um tempo ele começou a me dar sorrisos, havia algo neles, eu só não sabia identificar. Eu sempre fui evoluída para minha idade, já havia desenvolvido corpo e ele percebeu. Nós começamos a conversar e depois de uma semana já trocávamos mensagens. Eu me encontrava radiante, meu primeiro amor. Quanta idiotice.


Notas Finais


Obrigada por ler anjo!
Vocês estão gostando?
Deem-me suas opiniões e sugestões!
E se quiserem leem minhas outras fanfics é só entrar no meu perfil, eu tenho um monte delas e são super cutes.
Bjos com sabor de morango com chocolate.

Betagem por "York Designs"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...