História MyLittleCat - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Cartas, Chara, Escolar, Família, Frisk, Gatos, Papyrus, Passado, Sans, Undertale, Wdgaster
Visualizações 11
Palavras 2.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Quase desmaiando aqui. (^_^;)

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction MyLittleCat - Capítulo 13 - Capítulo 13

P.O.V Yui On

Eu juro que arrebento aquele rato.
A Ruby acabou desmaiada e o Salazar não sei como, escreveu no celular dela o que ela tinha falado e trouxe ele na boca até nós.
 Aparentemente ele só tem uma "ideia" do que pode ser. IDÉIA? ou sabe ou não sabe, mas de qualquer forma, mandou eu e o Vinícius para a casa do Asriel. Resolveu ficar com o Sans na casa caso precise levar ela até a gente rápido.

Batemos na porta e estamos esperando já faz quinze minutos e tudo o que eu escuto são cochichos.

-Yui tenta se acalmar. Quando eles abrirem a gente per-

-QUANDO ABRIREM?! ISSO SE ABRIREM!! - Comecei a bater na porta seguidamente como se fosse arrombar a qualquer momento.

-Quer ser presa?? Perturbar a paz sabado a noite e invasão de domicílio porque eu sei que você vai arrombar isso daqui a pouco. (Vinícius)

-Não é como se eu ligasse para uma delegacia, eles que venham, vou com tudo o que tiver e ainda esfrego na cara que envenenaram minha irmã. - Olhei para o lado fitando o ruivo que mesmo tentando me acalArrumeiia o pé no chão impaciente.

Depois de quase mais dez minutos a porta se abriu.

-Ahn.. Sim? - Olhei para quem estava na minha frente, um monstro alto que parecia um bode humano, acho que já vi ele na televisão alguma vez.

-Asriel.. Cadê o Asriel?.. - Perguntei ríspida porem calma antes que eu esfaqueie ele aqui no meio.

-O Asriel está estudando agora. Mais qualquer coisa eu posso avisar ele que vocês viera-

-Não vai ser necessário - O menino me empurrou tomando meu lugar parando na frente da porta da casa dos Dreemurrs. - Poderia chamar ele aqui um instante? É um assunto pessoal. - Quando ele falou isso o monstro bufou tentando disfarçar a raiva e nervosismo.

-Posso saber o assunto por acaso? Sabe como é, ele é meu filho e gostaria de ficar a par da situação. - Enquanto eles "dialogavam" olhei pelo espaço ao lado do monstro para dentro da casa, tinham muitos outros incluindo Gáster. 

-Ele é suspeito de ter envenenado uma amiga nossa.. - Vinicius parecia já estar começando a perder a paciência com isso tudo, e agora pensando bem, se esse monstro é o pai do Asriel, isso quer dizer que ele é o rei? Nossa.. É incrível como eu não dou a mínima.

-Envenenamento?? Isso é uma questão delicada contando o fato da sua amiga ser imune a vene.. MERDA!!! - Olhei para ele arregalando os olhos, AGORA JÁ CHEGA.

-SAI DA MINHA FRENTE!!! - Falamos eu e o Vinicius ao mesmo tempo passando pelo espaço entre o batente da porta e o monstro rápido chamando a atenção de todos os outros monstros dentro da casa.

-VOCÊS NÃO PODEM ENTR-

-VAI TOMAR NO MEIO DO SEU CU!!! - Falei correndo na direção das escadas junto com o ruivo, já ouvimos o Asriel falar que ouvia os barulhos do andar de baixo enquanto dormia, então ele deve ser do andar de cima.

-EU VOU CHAMAR A POLÍCIA!!! - Um dinossauro amarelo gritou para nos enquanto o rei nos seguia subindo as escadas.

-CHAMA SEU RABO, EU SOU UMA ADVOGADA, ME VIRO QUANDO DER A HORA E MANDO VOCÊS DE VOLTA PARA A TERRA SE CONTINUAREM COM A IDIOTICE!!! - Gritei ainda correndo, agora entre um de vários corredores escutando os monstros gritando do andar de baixo.

-DEVE SER A PORTA LISTRADA!! - Vinicius gritou correndo atrás de min.
 Fui até a direção da porta parando bruscamente na frente dela com o pé arrastando no chão com força literalmente deslizando. 

Parei em una porta listrada de verde e amarelo que era do lado contrário de uma roxa e azul.
 Abri ela procurando o Asriel mais apenas vendo uma garota de cabelos chocolate sentada na cama mexendo em uma maleta cheia de facas com uma barra de chocolate na boca que nos olhou assustada e com raiva ao mesmo tempo quando abri a porta.

-SAIAM DA-

Nem esperei ela terminar e fechei a porta voltando a correr já que o rei iria nos alcançar.
 Já que a garota estava gritando, uma outra garota extremamente parecida saiu da porta do lado contrário perguntando o que estava acontecendo confusa com os olhos fechados.

-ACHEII!! - Gritei para o ruivo vendo uma porta a alguns metros de min com a foto de uma flor dourada na frente e a pintura igual a anterior que era verde com uma listra amarela. Usei a maçaneta como freio e quase quebrei a porta mais o que importa é que eu abri.
 Asriel estava sentando na cama com o rosto coberto pelos braços em cima do joelho.

No tempo que deu para min tirar as facas da roupa o Vinícius passou por min em uma velocidade incrível e saiu correndo na direção do garoto que pulou no último segundo da cama antes do soco do Vinícius acertar e entrar no colchão.

-E-ESPERA EU POSSO EXPLI-

-EXPLICAR È O CARALHO!!! - O ruivo pulou na cabra e acertou um chute fazendo ele bater na parede de costas o dando tempo para se aproximar dele e o pendurar na parede pela gola do agasalho. - O QUE VOCÊ FEZ COM A RUBY???!!!! - O ruivo gritou para a cabra como se fosse matar ele.

Andei na direção dos dois e me virei para a porta vendo que metade da sala e as duas garotas já estavam na mesma.

-SOLTA O MEU FILHO!! - Uma cabra pouco mais baixa que o rei apareceu na porta e lançou uma bola de fogo tentando acertar em min e no Vinícius.
 Me abaixei e o Vinícius jogou a cabra no chão desviando para o lado vendo o fogo se dissipar antes de chegar a parede.

-SAIAM DA MINHA CASA AGORA!!! (Asgore Dreemurr)

O rei tirou um tridente de dentro da roupa começando a se aproximar de min e do Vinícius.
 Arrumei as facas nos dedos entrando em posição me preparando para lançar escutando o ruivo estralar os dedos um por um.

-JÁ CHEGA!!! PAREM COM ISSO AGORA!!! - A garota dos olhos fechados passou pelo rei ficando entre nós e ele nos mandando parar. - QUEM SÃO VOCÊS!!! - Ela nos encarou no canto da parede esperando uma resposta.

-Amigos de uma pessoa que ELES ENVENENARAM!!! - Gritei apontando para os da porta.

-Vocês fizeram isso? - A garota perguntou olhando para o rei.

-Frisk me deixe resolver iss-

-Vou perguntar novamente, você fez isso?! - Vi a seriedade nela pelo modo como falava.

-O-oque o A-asriel deu para ela era uma coisa que só imobilizava.. Nunca matariamos alguém. - O dinossauro apareceu na porta seguida pelo esqueleto.

-E o que era? - A menina perguntou com um rosto sério.

-Extrato de SnowFlower iss-

-VOCÊ DEU O QUE PARA ELA??!!! - O esqueleto começou a gritar entrando pela porta colocando a mão na testa como se fosse ter um ataque cardíaco. - ISSO É TÓXICO PARA A RAÇA DOS LANNARY!!! ELA PODE ACABAR MORTA!! - Na hora que ele falou isso todo mundo arregalou os olhos e começou a entrar em panico principalmente o Asriel que já estava chorando.

-MORRER??!! EU VOU MATAR ESSA MALDITA POR MEXER COM A MINHA FAMILIA!! - Quando vi o Vinícius começar a correr na direção do dinossauro passando reto pela garota empurrando-a no chão comecei a ir junto.
 A última coisa que eu vi antes de começar literalmente um tornado dentro do quarto (sim, apenas no quarto, ficava exatamente dentro como se estivessem controlando.) foi uma alma azul escura aparecer no meio do quarto e do nada o vento começar e todos voarem junto dentro do quarto como se estivessem no espaço.

-NÃO BRIGUEM!!!! - O vento parou e todos caíram no chão assim como os móveis, deixando apenas a Ruby no meio do quarto com os cabelos e a cauda completamente azuis parando de rodar como uma bailarina lentamente segurando no Sans quase desmaiando de novo com o Salazar ao lado dela. - Isso lá é motivo pra briga? Vinícius, que papel de merda, esperava isso da Yui, agora de você? - Todos a encaravam como se tivessem visto um fantasma, Gáster não sabia se ficava feliz ou se chorava e o rei estava jogado no chão corado com um rosto de culpa. 

-Mais Ru, eles iam te trai-

-Não me importa, são monstros, não é como se eu fosse confiar em um depois de dois dias, mesmo sendo o Gáster ou o Rei. Apenas não repita o erro deles, isso já basta. - Quando ela falou isso vi todos da sala abaixarem a cabeça menos a garota no meio da sala que a encarava continuamente.

-Você.. Eu já te vi no subsolo. - A garota se aproximou da Ruby que se afastou um passo puxando junto o esqueleto, no qual ela estava se apoiando.

-Não acho que sei do que você está falando. - A expressão da Ruby mudou completamente. Quando ela olhou para a outra menina na porta se soltou do Sans quase derrubando ele que resmungou enquanto ela se afastava e vinha na nossa direção. - Vamos sair daqui. - O olhar dela expressava ameaça.
 Quando me dei conta, a outra garota encarava ela como se já a conhecesse e todos do quarto estavam tentando fazer a Ruby ficar parada.

-Você não pode ficar se mexendo, me deixa te aju-

-NÃO!! - A garota do meu lado gritou assustando todos inclusive Sans que tentava apenas mante-la parada. - Não precisa.. Salazar, vamos! - Ela falou estalando os dedos fazendo o gato  vir correndo em quanto ela o olhava parada do meu lado encostada na parede.

-Espera.. Você.. FOI VOCÊ QUE SALVOU O PAPYRUS NO SUBSOLO!!! - A menina dos cabelos chocolate gritou se aproximando.

Olhei para a Ruby, a respiração dela era forçada e podia ser ouvida de longe.

-Eu não sei do que vocês estão tentando falar.. Ou tentando me lembrar, agora se me dão licença.. - Ruby se vieou de costas para a menina andando até a janela na parede ao lado abrindo a mesma fitando o chão que não parecia tão longe comparado ao da casa dela.

P.O.V Yui Off.

P.O.V Ruby On

NÃÃÃÃOOOOOO!!!!! De todos no mundo, logo essa garota. LOGO ELA ME APARECE. Em 3 dias, tudo o que eu lutei tanto para conquistar esta desmoronando sem sequer tentar se manter.
 Abri a janela e olhei para baixo.

-(Meu corpo deve aguentar uma queda dessas sem adormecer.) Yui, Vinícius, vamos sair daqui agora. - Me virei para trás me abaixando segurando Salazar por baixo dos braços o levantando e colocando na cabeça.

-VOCÊ NÃO VAI SA-

Quando a maldita da garota das facas começou a correr na nossa direção, levei rapidamente a mão para a gola da calça na qual tinha as cartas que eu deveria ter usado no show colocando uma entre dois de meus dedos apontando para a frente rápido e soltando no chão.

-YUI AGORA!! - Gritei, sem pensar duas vezes a morena lançou uma das facas que tinha na mão na carta acionando a bomba de fumaça enganando os que estavam dentro dando tempo para min e os dois fugirmos pulando pela janela e fazendo parkour no muro ao lado da casa.

FlashbackOn

Estava andando pela floresta de Snowdin entre as arvores. O leve sopro de vento que batia em meu rosto era o suficiente para me fazer sentir frio mesmo tendo meus pelos para me aquecer.
 Já faziam quase 8 anos que minha mãe havia morrido e o cientista real havia sumido. Os sussurros diminuíam mais a cada dia, os gritos e a animação de todos diminuíam de acordo com a esperança que também já começava a se esvair conforme o tempo passava. Nessas ultimas horas, tudo estava relativamente calmo, não havia escutado nada o dia inteiro, isso com excessão de meus passos afundam sobre a neve.

Continuava vagando pela floresta sem rumo, apenas procurando algo divertido ou encorajador, talvez esse fosse o meu dia de sorte e alguma coisa interessante aparecesse diante de meus olhos como magica.
 

Ao longe, vejo finalmente uma coisa que me interessou, pela primeira vez, a porta das ruínas estava não completamente aberta, porém encostada. Pela primeira vez na minha vida, aquela porta não estava trancada e aparentemente  não havia ninguém no posto de vigia mais próximo.

Me encostei em uma porta apertando mais em minha mão uma cesta cheia de frutas vermelhas e algumas plantas que usaria observando a porta levemente aberta. O lugar dentro aparentava ser escuro, privado de qualquer iluminação ou qualquer pessoa que poderia resistir a tanto tempo trancado em um lugar tão fechado.

Coloquei a cesta no chão abrindo um sorriso, ouvi dizer que crescem algumas flores raras nas paredes de dentro das ruínas e finalmente poderia ter a chance para realmente comprovar o boato.
 Me aproximei da grande porta colocando parte do rosto para dentro fazendo silencio, estava tentando ouvir se não havia ninguém atrás ou ao redor.
Passei pelo espaço entre a porta entrando tentando não fazer nenhum barulho. Provavelmente deveriam ter alguns monstros por perto.

Andei um pouco prestando mais atenção ao redor que a minha frente até que pisei em um pedaço de pano.
 Olhei para o chão curiosa me abaixando.

-(O que é isso??) - Me perguntei tocando o pano e sentindo um cheiro forte de pó de monstro subir do chão.
 Arregalei os olhos tossindo caindo para trás tentando sair de perto do pó.

-Quem fez isso?! - Falei engatinhando para trás tossindo ainda tentando não inalar pó - Melhor sair daahh - Tropecei em uma raiz e cai no chão mesmo já estando praticam nele.

Olhei para o lado escutando as coisas dentro da minha bolsa revirarem e muitas caírem no chão.

-Droga! - Comecei a recolher as coisas vendo por ultimo, três cartas caidas no chão uma do lado da outra. As três cartas eram especificas, aquilo não era um acidente.
 A primeira, era a carta da adaptação, nela havia a imagem de uma alma cortada no meio, a segunda era a da libertação, duas asas uma de cada lado, uma das duas pingava sangue e significava o medo e ao mesmo tempo ódio enquanto a outra era branca e pura, significava a habilidade de julgar todos de forma sentimental porem justa, ao mesmo tempo significando justiça e liberdade.
 A terceira carta e a pior delas, a carta da estrela, uma estrela amarela pairava no meio da carta. Ou como minha mãe chamava, a estrela do recomeço.
 Recolhi as cartas me retirando das ruínas correndo em direção aos pinheiros.
 Foi uma péssima ideia entrar naquele lugar.

FlashbackOff

P.O.V Ruby Off


Notas Finais


Daqui a pouco eu já desmaio, isso é quase garantido já que não durmo a dois dias, isso que da ficar internada no hospital.
Espero que tenham gostado do cap, eu sei que não ficou muito bom mais espero que tenham gostado ಥ⌣ಥ , obrigado por quem está lendo e me desculpem se tiver algum erro de gramática, não tive tempo de revisar na verdade, fiquei quase a semana inteira indo em hospitais e os últimos dois dias eu tive que ficar com o braço parado já que estava com uma agulha dentro, então nã consegui escrever direito. Me desculpe mesmo pelos erros...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...