História Mysterious Friends - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Piper Mclean, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Thalia Grace
Tags Annabeth Chase, Hdo, Jasiper, Os Heróis De Olimpo, Os Olimpianos, Percabeth, Percy Jackson, Piper Mclean, Pjo, Pll, Pretty Little Liars, Reynico, Solangelo, Thalia Grace, Thaluke
Exibições 111
Palavras 1.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Postei o capítulo e saí correndo (literalmente, to ocupada hoje).
DESCULPA A DEMORA.
Reyna não vai ter look.

Capítulo 17 - Radley.


                As quatro estavam sentadas na delegacia.

                - Eu tenho direito a uma ligação e quero fazê-la agora. – anunciou Piper.

                O policial a guiou até para fora da sala onde todas tinham sido interrogadas até uma mesa, com várias pessoas trabalhando ao redor. Piper pegou o telefone e discou o único número que veio a sua cabeça, com as lágrimas rolando pelo seu rosto.

                - Eu fiz algo terrível e preciso de você. – ela falou quando atenderam ao telefone.

                                                                        ***

                                                                                                                                             Algumas horas antes...

               

                - Espero que tenha me acordado por um bom motivo. – falou Annabeth quando Thalia abriu a porta.

                - E foi. Agora para de reclamar e entra logo.

                Ela entrou e fechou a porta, subindo as escadas atrás da amiga. Quando entrou no quarto dela, Piper estava sentada em sua cama, com três caixas brancas do seu lado.

                - O que é isso? – perguntou largando a bolsa no chão.

                - D me mandou. – Thalia respondeu. – Quando acordei as caixas estavam aqui no meu quarto já.

                Annabeth abriu a caixa que tinha seu nome em cima, revelando um bilhete.   

                Dê adeus para sua BFF se não chegar a tempo –D.

                - Olhem isso. – Annabeth mostrou o bilhete para as amigas.

                - Recebi o mesmo. – falou Thalia.

                - Também. – disse Piper. – Mas como iremos saber onde Reyna está?

                Annabeth passou a mão pelo seu bilhete. Tinha alguma coisa estranha, meio em relevo.

                - Thalia, você tem lápis de colorir? – ela perguntou.

                - Sim. Na gaveta da minha escrivaninha.

                Annabeth abriu a gaveta e pegou um lápis azul escuro. Começou a passar o lápis pelo bilhete, revelando algo escrito com um lápis branco.

                Ding, dong. O sino bate todas as tardes – D.

                - A igreja. – falou Thalia. – Reyna deve estar na igreja.

                - Podemos ir no meu carro. – disse Piper.

                As três saíram da casa e entraram no carro de Piper, indo em direção à igreja. Quando chegaram lá, Annabeth e Thalia desceram.

                - Vão indo. – disse Piper, ainda no banco de motorista – Eu vou achar um lugar para estacionar.

                As duas entraram na igreja, que estava vazia e fria.

                - Como iremos descobrir onde está Reyna? – perguntou Thalia.

                Antes que Annabeth pudesse responder, elas ouviram um choro baixinho. Elas se entreolharam e foram na direção que o choro vinha.

                                                                        ***

                Piper achou um lugar para estacionar o carro, na frente da casa de Rachel Elizabeth Dare. Ela pegou o celular e releu a mensagem de D.

                Mate Rachel hoje ou esse vídeo irá vazar – D.

                Embaixo, tinha um vídeo dela e de Jason transado anexado. D havia gravado aquele vídeo enquanto os dois estavam em Hoboken. Piper desceu do carro e abriu o porta-malas.

                Dentro havia uma caixa igual a anterior que ela e suas amigas receberam, só que maior. Abriu a caixa, revelando uma arma pequena com um silenciador de armas. Piper tirou seu casaco e enrolou a arma nele, para não ficar com suas digitais. Botou a arma dentro da bolsa e foi até a varanda, tocando a campainha.

                - Oi Rachel. – ela cumprimentou quando a ruiva atendeu a porta.

                - Oi Piper, posso te ajudar? – ela perguntou.

                - Eu preciso falar com você.

                - Entre.

                Piper entrou e as duas foram para a sala.

                - Você está sozinha? – Piper perguntou.

                - Sim. Aceita água?

                - Aceito.

                Enquanto Rachel ia na cozinha, Piper pegou a arma dentro de sua bolsa, com o casaco ainda enrolado nela. Aproximando-se da cozinha em passos lentos, botou a arma na testa da outra garota.

                - O que você está fazendo?

                - Eu tenho que fazer isso. Tem uma pessoa ameaçando a mim e as minhas amigas.

                - Antes de me matar, deixe eu te contar uma coisa. – ela pediu. – Ligue para esse número: 6578-3192.

                Piper deu o tiro e Rachel caiu na sua frente. Por um momento, ela pensou no que acabara de fazer e que aquilo era apenas um brincadeira, mas era impossível, ela tinha matado alguém só porque D tinha a ameaçado.

                A garota estava prestes a sair da casa, quando percebeu que não podia deixar o corpo ali. Subiu as escadas e foi para o quarto de Rachel, onde pegou uma mala grande e foi para a cozinha novamente.

                Abriu a mala e colocou o corpo de Rachel dentro. Depois a fechou e arrastando a mala, que a propósito era de rodinhas, a colocou dentro de seu porta-malas. Sentou-se no banco de motorista e ligou o carro.

                Piper pegou o celular que estava na em sua bolsa após ele anunciar que uma nova mensagem tinha chegado.

                Você se mostrou leal a mim, pequena Pipes. As recompensas estão chegando. Com amor – D.

                                                                        ***

                Reyna estava sentada no colchão abraçada em suas pernas, chorando. Se sentia suja, fraca e impotente depois do que acabara de acontecer. Ela havia tentado abrir a porta depois que ele saiu, mas estava trancada. Ela nem ao menos sabia que horas eram. Quase encostada no telhado, tinha uma janela com grades, sendo a única claridade que entrava no quarto e o colchão a única coisa que tinha ali.

                Reyna não se lembrava de como tinha ido parar naquele lugar, muito menos quem havia tirado sua fantasia e colocado à roupa de hospital nela.

                - Reyna, você está aí? – perguntou uma voz familiar do outro lado da porta.

                - S-sim. – ela respondeu se levantado e indo em direção à porta. – Quem está aí?

                - Sou eu, Annabeth. A Thalia tá aqui do meu lado e a Piper daqui a pouco vai chegar.

                - Por favor, Annie, me tira daqui. Onde é que estamos?

                - Em uma igreja. Nós vamos tentar te tirar daí.

                Passaram quinze minutos e nada da porta ser aberta. Reyna já estava perdendo as esperanças quando viu a porta se abrir em um estrondo. Thalia segurava um pé de cabra e pingos de suor escorriam por sua testa.

                - Vamos embora daqui. – Thalia pediu.

                                                                        ***

                Thalia dirigia o carro de Piper enquanto essa estava do seu lado. Toda vez que elas e suas amigas perguntavam para Reyna o que tinha acontecido, ela não respondia e começava a chorar.

                Do seu lado, o policial pediu para pararem o carro. Ele foi até o lado da janela do motorista e disse:

                - Preciso dos documentos do carro.

                Thalia olhou para Piper, que abriu o porta-luvas e entregou os documentos para o policial.

                - Que cheiro estranho é esse? – ele perguntou. – Abra o porta-malas, acho que está vindo de lá.

                Thalia apertou o botão que o abria. Claro que ela tinha percebido o cheiro, mas resolveu não comentar nada.

                                                                        ***

 

                E agora lá estavam elas, sentadas na delegacia enquanto os policias conversavam com os pais de todas.

                O delegado Urano entrou no recinto que elas estavam junto com outros policiais.

                - Segundo o que avaliamos – ele começou -, é muito estranho o que acabou de acontecer. Annabeth e Thalia salvaram Reyna, que estava sequestrada e depois o corpo de Rachel aparece dentro de uma mala no carro de Piper. Um dos vizinhos de Rachel falou que te viu indo hoje na casa dela hoje, mas não viu você saindo. – ele encarou Piper na última parte.

                - Eu não a matei! – ela mentiu.

                - Não adianta mentir, você é culpada.

                - Eu já disse que eu não a matei! Vocês vão me mandar para a cadeia injustamente?

                - Você não irá para a cadeia. Irá para o Radley.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...