História Mysticis - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags 2won, Changkyun, Jooheon, Jookyun, Monsta X, Showhyuk
Visualizações 228
Palavras 905
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Lemon, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, passou da meia noite já é o dia seguinte né?
Obrigada a todos que acompanharam Mysticis e embarcaram nessa comigo. <3
Meu próximo projeto de Monsta X já tem nome e eu posso dar spoiler: mitologia grega.
Sério, obrigada mesmo pelo apoio, principalmente por ser um tema não muito comum.
Espero que gostem do desfecho de Mysticis!
[a capa do capítulo é especial mesmo hihi]

Capítulo 7 - Capítulo VII.


Fanfic / Fanfiction Mysticis - Capítulo 7 - Capítulo VII.

Coréia do Sul – 2037

– Então o Minhyuk resolveu parar de escrever? – Hoseok perguntou. Jooheon, Gun e ele tomavam café na lanchonete perto da delegacia. – Nunca imaginei que o platinado fosse se tornar um escritor de ficção famoso.

– Quem não gosta dessa fama toda é o Hyunwoo. – Jooheon riu.

– Melhor casamento que eu já fui! – Hoseok se lembrou da cerimônia divertida. Minhyuk e Hyunwoo tinham se casado cinco anos depois do incidente na casa dos Yoo.

– Falando em casamento... – Gun começou. – E vocês? Quando vão largar essa vida de solteiros? Honey, você já tem 38 anos, e você Seok? 44! Vocês precisam sossegar.

– Não tenho interesse em casamento. – Hoseok respondeu.

– Eu muito menos. – Jooheon concordou.

– Vocês ainda vão deixar os fantasminhas pra trás e seguir em frente, nem que seja em outra vida.

– Que seja em outra vida. – Hoseok sorriu.

O sino da lanchonete tocou e por reflexo Hoseok olhou para a porta.

Por ela passou um menino alto, moreno, com os cabelos negros e um sorriso bobo.

Ao seu lado vinha um garoto mais baixo, cabelo castanho, quase ruivo, olhos felinos e sorriso infantil.

Atrás um menino de cabelo rosa acompanhado de uma garota.

Hoseok cutucou Jooheon que o ignorou e continuou a conversar com Gun. Tentou novamente e o agora moreno, bufou, revirou os olhos e o olhou.

– O que é, Hoseok-hyung? – Perguntou. Hoseok não respondeu, apenas apontou para os garotos que tinham acabado de adentrar o local. Jooheon seguiu seu dedo com os olhos e parou no destino. Seus olhos, pequenos, se arregalaram e a boca formou um “o”.

Ainda que com traços diferentes, marcados por uma nova vida e novos pais, eles ainda pareciam demais com os irmãos, aqueles que tanto mexeram com os dois amigos.

– SoYou. – O garoto de cabelo rosa falou. – Guarda um lugar pra gente. Kkukkungie, Wonie e eu vamos pegar os lanches. – A garota sorriu e confirmou com a cabeça. Os três caminharam até o balcão.

Kkukkungie? – Jooheon apertou o braço de  Hoseok. – Wonie?

– Não pode ser, Honey. – Hoseok balançou a cabeça. – São pessoas diferentes.

Jooheon continou a encarar os três no balcão e percebeu que tinha atraído a atenção do moreno mais alto.

– Chang. – O maior o chamou. – Aquele cara tá te secando com os olhos.

– Qual? – Perguntou olhando por cima dos ombros. – O de bochechas fofas?

– É. – Confirmou.

– E o de cabelo meio azul tá olhando pra você, Wonie. – O menor riu.

– Eu não posso entrar numa lanchonete com Changkyun e Hyungwon, as divindades, que me torno invisível. – Praguejou o rosado.

– Ai fica queito. Você já tem a SoYou! – Hyungwon o empurrou.

– Com licença. – Se assustaram quando ouviram uma voz grave atrás. O homem de bochechas fofas e olhos pequenos os olhava curioso. – Muito prazer, Lee Jooheon.

– Ah, você é o cara que tá secando a bunda do Changkyun! – Hyungwon riu e se curvou. – Prazer, Chae Hyungwon.

– Minha nossa, cala a boca! – Changkyun o empurrou. – Im Changkyun. – Repetiu o gesto do outro.

– Ninguém quer saber meu nome né? – Suspirou. – Park Kihyun.

– Vocês são irmãos? – Jooheon perguntou.

– Irmão? Desse maldito? – Changkyun apontou para Hyungwon. – Deus me livre!

– Nós estudamos juntos, nos conhecemos na faculdade de música. – Kihyun respondeu enquanto Hyungwon dava socos no braço do menor.

– Ah sim! – Ele chamou Hoseok que foi até eles. – Esse é meu amigo, Shin Hoseok e aquele – Apontou para Gun. – Song Gunhee.

– É um prazer. – Hoseok cumprimentou os três, mesmo mantendo os olhos somente sobre Hyungwon.

– A gente conhece vocês de algum lugar? – Kihyun perguntou. – Me parecem familiar.

– É verdade. – Hyungwon e Changkyun responderam. Hoseok e Jooheon se entreolharam. Poderiam dizer que sim? Nem sabiam se aquilo fazia algum sentido.

– Acho que não. – Hoseok respondeu.

– Quantos anos vocês tem? – Kihyun e sua curiosidade.

– 44 anos. – Hoseok olhou para os pés. O moreno devia ter metade da idade que agora ele tinha. Suspirou. – O Honey tem 38.

– Sem problemas a gente gosta de caras mais velhos. – Changkyun sorriu e encarou Jooheon. – Honey? Gostei. Vou aderir. – Sorriu largo e Jooheon quase desmaiou se lembrando da primeira vez que tinha visto o irmão caçula Yoo. Eles se fitaram por alguns segundos e Changkyun poderia jurar que conhecia aqueles olhos e aquele sorriso. O nome “Honey” também não o parecia desconhecido. Hyungwon também olhava Hoseok. Kihyun aproveitou o silêncio e foi para a mesa fazer companhia a SoYou enquanto assistia os amigos flertarem com os dois caras mais velhos.

– Querem tomar café conosco? – Hoseok perguntou.

– Seria um prazer. – Hyungwon respondeu. Changkyun e Jooheon ainda se olhavam, perdidos em lembranças que o menor não sabia de onde vinham.

Jooheon ofereceu a mão para Changkyun, o convidando a caminhar ao seu lado até a mesa onde eles lanchavam e o menor a segurou. Um arrepio percorreu o corpo de ambos e Changkyun apertou a mão do outro com força.

O toque.

Honey?

Kyun.

– Ai meu Deus. – Ele se jogou nos braços do maior. – Honey!

– Senti sua falta baixinho, te esperei tanto tempo.

O sorriso no rosto de ambos foi inevitável​ e sincero. Changkyun beijou Jooheon ali mesmo, no meio da lanchonete. Hyungwon, apesar de não saber ainda o que estava acontecendo, sorriu feliz ao ver os dois juntos. Mesmo que tão rápido. Kihyun compartilhava da mesma felicidade.

– A espera acabou.

 

"E eu desistiria da eternidade para tocá-lo, pois sei que você me sente de alguma forma. Você é o mais próximo do paraíso que chegarei e eu não quero ir para casa agora."

Goo Goo Dolls – Iris


Notas Finais


Então é isso.
Mais uma vez obrigada a todos!
Amo vocês e até o próximo projeto [e eu espero ver todos lá s2]!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...