História Mystifh - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 6
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Magia, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Unicórnios são o máximo <3

Capítulo 5 - Cinco: Diários ou um livro de terror?


Fanfic / Fanfiction Mystifh - Capítulo 5 - Cinco: Diários ou um livro de terror?

“Eu estava confuso com aquelas ultimas palavras dela. Eram tão estranhas e egoístas que eu me neguei a acreditar que seriam verdadeiras, me neguei a acreditar que de fato se realizariam. Simplesmente me neguei a tudo isso, a acreditar, a voltar para ela, cheguei até mesmo a não duvidar dela; eu me sentia tão confuso e estranho. Preciso de respostas, mas aquelas palavras... Aquelas palavras me consumiam de tal forma que eu me sentia impotente, vulnerável, me senti abandonado..”

-Mais que diachos! – dou um grito – o que ela falou para ele que o deixou tão abalado?

-Eita! – Josh da um pulo da cadeira – quer me matar Mystifh? Por que se quiser prefiro que atire em mim com uma arma para alces seria mais emocionante.

-Desculpe Josh – falo passando a mão nos cabelos e parando na minha marca – é só que ele não fala! Ele não fala que raios de palavras são essas!

-Calma Mystifh – Josh segura meu rosto entre suas mãos e me faz olhar para ele – termine de ler, se ele não falar, procuramos o fantasma novamente e perguntamos a ele.

-Como se acha um fantasma? – pergunto com cara de confusa, mas querendo rir.

-Sei lá – ele pensa um pouco – a gente chama tipo: moça, moça da boneca!

-Claro – dou risada – plano infalível.

-Pare de falar mal das minhas ideias mirabolantes e termine de ler isso ai – ele fala fingindo estar nervoso – vou acabar aqui e já lemos isso aqui também.

Reviro os olhos e volto para o diário.

“Se isso realmente acontecer, não vou aguentar ver a coisa que acontecerá com a minha joia que eu nem sei se vai nascer. Não aguentaria e sei que quando isso estiver prestes a acontecer eu vou saber e vou ir embora para não ter que pega-la nos braços e a levantar perguntando por quê...”.

Fico mais um tempo olhando a folha me perguntando por que ele não escreveu as benditas palavras e esse final foi tão estranho. Mas sou tirada dos meus pensamentos e também da cadeira quando Josh dá um grito.

-Acabei! – ele se levanta e começa a fazer uma dança que mais parece um macaco coçando a bunda – consegui traduzir tudo. Agora atenção que eu vou declarar essa carta:

Ia reclamar pelo susto, mas ele não me deu tempo. Limpou a garganta e começou a falar:

-Meu caro amado; sinto que você cometeu um enorme erro, partiu o meu coração e coisas muito ruins acontecem com quem parte o meu coração. Eu poderia mata-lo, mas minha dor seria maior do que já é por isso não será você a vítima, mas sua filha. Sim você terá uma filha e ela será linda, belos cabelos negros e olhos azuis, pele tão clara quanto à neve que cai em dias de inverno – Josh começa a franzir a testa e isso não me agrada nenhum pouco, já não estava agradando – a outra que ocupou o meu lugar vai te amar e você a amará, mas quando sua filha nascer ela irá embora e você ficará só. Ninguém mandou você quebrar o meu coração. Amaldiçoado será o seu fruto. Ela morrerá.

Josh para de ler e me encara, estou tão apavorada e confusa quanto ele.

-Não diz mais nada? – pergunto quase tendo um ataque.

-Diz – ele fala meio inquieto – é uma historinha.

-Então leia! – exijo.

-Mystifh, não acredito que...

-Estou mandando você ler! – dou um grito.

Ele fica relutante por alguns minutos, mas depois volta a sua leitura, sua voz já não era mais a mesma confiante, agora estava com um tom de pesar e conforme lia, lágrimas escorriam do canto dos meus olhos.

-Era uma vez, um rei, que rejeitou o amor de uma fada. A fada muito triste lhe lançou uma maldição: “sua primeira filha terá os cabelos pretos como carvão e os olhos azuis como o céu, pele branca como a neve e uma boneca no pescoço, a boneca que você me presenteou. Quando ela achar seu amor verdadeiro ficará tão feliz quanto nós ficamos, mas quando eles se beijarem pela primeira vez, será a última. Ela morrerá pelo beijo do seu amor verdadeiro”. O rei não acreditou na fada e a mandou ir embora, mas a fada jurou que voltaria e que não o deixaria nunca mais, em todos os dias.

Josh parou de ler e jogou o livro longe, eu queria acreditar que era mentira, mas parte de mim e uma parte muito grande por sinal sabia que não era e que aquelas minhas sensações de estar dormindo quando Josh me beijava no rosto ou na cabeça era a prova que isso era real. Eu era a Bela adormecida, ou melhor, a Bela acordada que iria adormecer com um beijo.

-É por isso que ele foi embora – enxugo minhas lágrimas com as mãos – ele não me queria ver caindo morta.

-Isso não é verdade – Josh bufa do outro lado da sala enquanto anda para lá e para cá – não pode ser verdade, essas coisas não existem.

-Não existem? – dou um grito me levantando – acho que aquele fantasma era bem real, essa coisa no meu pescoço é bem real, meus olhos azuis e meu cabelo preto são bem reais, essas cartas, esse diário... Não existem? Josh, por favor! Eu me sinto como se tivesse dormindo toda vez que você me beija! Minha marca queima toda vez que você chega perto e para toda vez que você encosta em mim! Não pode ser verdade? Sempre pode ser verdade, e sabe por quê? Porque a verdade dói, a verdade é difícil de encarar! A verdade nunca é como a gente quer, porque é a verdade, a verdade é única, é apenas ela e ela, nunca vai existir um caminho fácil a qual se possa denominar verdade, porque todos os caminhos fáceis são mentiras!

Desabo na cadeira chorando de novo. Não acredito que estou aqui. Não acredito que isso está acontecendo comigo. Josh fica me olhando um tempo e depois vem perto de mim e me abraça.

-A gente dá um jeito.

-Um jeito como? – fungo e tento limpar as lágrimas.

-Deixe-me pensar – ele para um instante ainda abraçado comigo – não sei...

Sinto derrota na sua voz, acho que pela primeira vez Josh não sabia o que fazer Josh não tinha uma piada para cortar aquele clima horrível, mas não era culpa dele. De repente me lembrei de mais cedo, quando quis que ele me contasse às histórias que ele já viveu.

-Já sei como – falo dando um sorriso em meio às lágrimas.

-Como? – ele franze a testa.

-Eu sou uma pessoa que não tem histórias para contar e é isso que eu preciso – faço uma pausa para olhar nos olhos dele – quero ter histórias, quero morrer com uma linda lembrança para poder sonhar depois.

-Não – ele fala muito sério, chego até a assustar – você não vai morrer, eu não vou deixar.

Dou um sorriso tristonho, eu sabia que ele não ia me deixar morrer, mas a opção da vida não era só dele. O abracei mais forte e consegui escutar o coração dele. É pelo jeito estava na hora de acabar com uns milhões do meu pai e meu dinheiro que economizei a vida toda.

-O que acha de fazermos esse fim de semana ser o melhor da nossa vida? – falo me soltando dele e limpando meus olhos direito.

-Não – ele fala ainda serio – teremos outros muito melhores pode ter certeza, mas o que você estava pensando?

Fico meio sem jeito no começo pelo modo que ele falou aquilo, mas depois resolvo deixar quieto e contar minha ideia mirabolante.

-Poderíamos ir até o lago e descer de tirolesa – falo animada – depois ir jantar em algum restaurante. Não se preocupe, vou bancar tudo, afinal não aguento mais ver meu dinheiro apodrecendo.

Ele sorri e se levanta da cadeira.

-Sinceramente não sou muito corajoso pra esportes nas alturas, mas pelo restaurante eu topo – ele faz uma pausa – e já que você quer gastar dinheiro, o que acha de irmos até uma loja e renovar o seu guarda roupa? Não sou nenhum especialista em moda, mas ficar usando apenas camisetas e calça jeans não valoriza muito sua beleza.

-Tudo bem – falo olhando para minhas roupas – talvez você esteja certo.

-Talvez não Mystifh, eu sempre estou certo.

Resolvi não fazer nenhum comentário sobre o convencimento daquela criatura, afinal tínhamos mais coisas para fazer, tipo, planejar o melhor final de semana da MINHA vida.


Notas Finais


Fuuui...
Aguardem contato...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...