História Mystifh - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Magia, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Posso dizer que as tretas definitivamente começaram agora...

Capítulo 7 - Sete: Quem era aquela?


Fanfic / Fanfiction Mystifh - Capítulo 7 - Sete: Quem era aquela?

Deitei na cama pensando naquele sonho esquisito, Danilo havia me salvado, não Josh, Danilo, tecnicamente, havia me beijado, não Josh. Isso estava dando um nó na minha cabeça, se Josh era o meu príncipe da maldição, quem era Danilo nessa historia?

Eu estava tão imersa nos meus pensamentos que dei um pulo da cama quando meu celular tocou. Pensei até em não atender, mas vi que era Josh e essa possibilidade desapareceu da minha cabeça.

-Oi Josh – falo deitando na cama de novo.

-Olá Mystifh – ele fala com a voz brincalhona de sempre e isso me dá uma onda de alivio – os caras lá da tirolesa telefonaram para mim e para compensar o susto que você levou convidaram a gente para essa noite irmos a um acampamento lá, e ai o que você me diz?

-A ideia parece muito boa – falo animada, mas me lembro do Danilo de repente – vamos precisar de barraca?

-Pode deixar que eu levo – ele fala – você fornece o transporte de Ferrari e deixe o resto comigo.

-Tudo bem senhor organização – dou risada – e que horas pensa em passar aqui?

-Lá pelas seis e meia, pode ser?

-Você que manda – falo levantando da cama.

-Que ótimo, é assim que eu gosto.

-Nem se acostume querido – falo rindo – ou te coloco lá em baixo.

-Nem me atrevo a contestar – ele ri de novo – e Mystifh...

-Sim? – falo esperando alguma coisa, tipo outra piada.

-Eu te amo tá?

Fico sem fala por um momento, mas me recupero o suficiente para dizer:

-Também te amo seu bobo.

Desligo o telefone e vou arrumar umas roupas para ir acampar, olho no relógio e vejo que ainda são três e meia, ou seja, terei tempo para arrumas às coisas e ficar passando coisa por coisa para ver se não esqueci nada.

**

Chegamos no acampamento já estava escurecendo e todos estavam perto do lago em volta de uma fogueira cantando. Havia mais ou menos umas dez pessoas ali, uma delas tinha um violão. Quando nos aproximamos e sentamos no chão junto com os outros o cara do violão para de tocar e olha diretamente para nós.

-Mystifh, que bom que aceitou o convite – era Danilo – espero que ajude a recuperar do susto.

-Estou bem melhor, obrigada – falo dando um sorriso educado. Josh não gosta muito disso e me abraça.

Danilo nos ignora e volta a tocar violão, toca varias musicas, todas muito conhecidas e isso era bom porque todo mundo cantava e ficava uma coisa muito agradável. Danilo às vezes lançava uns olhares para mim, acho que Josh não percebeu porque já estava ficando escuro e a fogueira fazia sombras no rosto de todos.

Depois de cantarmos varias musicas tivemos um jantar, com tudo o que se tinha direito, mas como Josh é Josh ele sempre tem que reclamar de alguma coisa ou fazer uma piada, bem, dessa vez não foi diferente.

-Uva passa no arroz? – ele falou assim que sentamos em uma mesa – quem em plena consciência coloca uvas passas no arroz?

-Um ser humano normal? – falo comendo um pouco de salada.

-Não, pra começar nem é ser humano, normal então? – ele faz uma pausa indignado – uva passa no arroz, onde esse idiotas viram que uva passa e arroz combina? Esse mundo está perdido.

Dou risada dele, mas paro assim que ele me olha. Quis disfarçar, mas não sei fazer isso. Afinal nunca vi alguém tão indignado com uma pobre uva passa que não tem culpa de nada, mas para ele parece que a uva passa havia dado inicio a segunda guerra mundial.

Em seguida do jantar, fomos montar as barracas, Josh disse que era um profissional na área, então deixei ele por conta. Me sentei em um banquinho de madeira em baixo de uma arvore e fiquei observando.

Na primeira tentativa a lona não entrava naqueles gravetos, na segunda tentativa a lona foi parar quase do outro lado e por causa do vento saiu voando para todo lado.

-Volte aqui sua lona desgraçada! – Josh gritava enquanto corria atrás da lona – venha cá sua coisa imprestável!

Até que na terceira tentativa ele conseguiu, eu já estava roxa de tanto rir dele, mas depois de tanto esforço ver a barraca montada era um alivio. A não ser pelo fato de que ele esqueceu de prender a barraca no chão e ela saiu rolando e ele correndo atrás.

Estava tão distraída olhando ele correr atrás da barraca que nem vi Danilo sentado ao meu lado.

-Ele gosta muito de você – Danilo fala olhando Josh correr atrás da barraca.

-Olá Danilo, não tinha te visto – falo e depois faço uma pausa – é o que parece...

-O que parece? – ele ri – é que você estava desmaiada quando tive que te salvar, precisava ver a cara que ele fez.

-Ele ficou bem chateado mesmo.

-Sei que isso não é da minha conta Mystifh, mas vocês são namorados?

-Não! – respondo em um sobressalto – somos apenas amigos.

-Entendi – ele olha para baixo e ergue as sobrancelhas – nos vemos por ai.

-Tudo bem.

-Até mais – ele sai do banco.

-Até – sussurro, mais para mim mesma do que para ele.

Josh aparece com uma cara de vitorioso para mim e quando olho atrás dele vejo que a barraca estava exatamente no lugar onde deveria e bem presa ao chão. Dou um sorriso para ele e bato palmas.

-Eu sei que sou incrível, não precisa dizer.

-Mas não disse – falo para irrita-lo – porque incrível mesmo foi à barraca te dando uma surra agora a pouco.

-Queria ver você fazer melhor – ele entorta o nariz e eu dou risada.

-Simples, se tivesse deixado que eu trouxesse minha barraca, era só desdobrar ela e pronto.

Ele faz uma cara de indignado.

-Mas qual seria a graça – Josh se recompõe – a diversão é montar.

-Tudo bem, você tem razão.

-Eu sempre tenho razão.

Ele me puxa do banco e me abraça, nesse abraço tão gostoso me pego pensando como seria o abraço do Danilo, se seria quentinho, aconchegante e faria meu estomago virar do avesso. Porque eu estava pensando no Danilo?

Depois de montar a barraca fomos ficamos em volta da fogueira contando historias, Josh estava abraçado comigo e a fogueira estava bem perto, mas eu estava sentido frio.

-Vou buscar minha blusa na barraca – sussurro para Josh que assente com a cabeça, mas prestando atenção na historia mirabolante que uma moça está contando.

Vou até a barraca e pego minha blusa, visto ela e quando estou saindo de lá, dou de cara com Danilo.

-Por que não está lá com os outros? – ele pergunta me ajudando a sair da barraca.

-Está meio frio – falo dando de ombros – vim buscar minha blusa.

-É aqui a noite faz frio – ele fica me olhando.

-O que foi? – pergunto com um meio sorriso. Porque estava sorrindo?

-Você é tão linda – ele fala chegando mais perto – é uma pena seu amigo não perceber isso.

Fiquei sem fala, como iria explicar para ele que Josh achava isso, mas não podia ficar comigo por questões de segurança? Então opto por uma resposta mais convencional.

-São seus olhos – ok, isso foi ridículo.

-Desculpe se pareço atirado, mas eu realmente nunca pensei tanto em uma vitima de afogamento como pensei em você hoje – ele se aproxima mais – se afogar não fosse uma coisa tão ruim, adoraria que isso acontecesse com você só para eu poder tocar sua boca de novo.

Fiquei sem reação por um segundo, mas uma ideia louca e mirabolante me passou pela cabeça. Eu não poderia beijar o Josh, mas e outros caras? Claro que fazer boca a boca não conta, mas agora estava curiosa. O que aconteceria se eu beijasse o Danilo?

-Que tal deixarmos que eu me afogue nos seus olhos? – faço uma pausa e dou um pequeno passo a frente, não havia mais espaço entre nós – ai você pode me salvar de novo.

Caramba da onde eu tirei isso? Que coisa mais idiota!

Ele sorriu e me agarrou pela cintura, começou a me empurrar para de baixo de uma arvore onde estava escuro o suficiente para ninguém nos ver.

-Até que sua ideia não é tão má assim – ele sorri de novo – vamos tentar te salvar então.

Ele não espera uma resposta, me beija com vontade e desejo. Minhas mãos vão para seus cabelos loiros enquanto seu corpo pressiona o meu contra o tronco da arvore. A sensação era muito diferente de estar com Josh, na verdade era a sensação contraria, com Josh me sentia calma e de certa forma protegida. Com Danilo eu me sentia furiosa e com vontade de incendiar o mundo inteiro só com aquele beijo.

Ficamos nos beijando por um bom tempo, até que ele para. Olho para ele e vejo um sorriso no rosto dele, não me contenho e sorrio também.

-É melhor você ir, seu amiguinho vai te procurar e não quero ele nervoso comigo por ter salvado a amiguinha dele.

-Vou buscar uns biscoitos para mim e para ele – faço uma pausa – ele vai entender a demora.

Dou mais um beijo nele e depois saio andando em direção à barraca, pego os biscoitos e volto para a fogueira me sentindo até meio tonta.

-Por que demorou tanto? – ele pergunta inocente – perdeu a melhor parte da historia.

-Não achava os biscoitos – falo me sentando – desculpe.

-Tudo bem – ele sorri e me abraça.

O mundo gira e o mesmo grito agudo de quando cai no lago cobriu os meus ouvidos. Fechei os olhos para tentar suportar aquela barulheira na minha cabeça, ainda bem que ele se distraiu com os biscoitos e não percebeu nada. Ele não podia nem desconfiar que eu havia ficado com o Danilo.

Mas eu me sentia diferente, não era a mesma que há minutos atrás estava beijando um cara escondido. Eu era outra, havia voltado a ser a Mystifh de sempre. Então quem era aquela que beijou o Danilo?


Notas Finais


Aguardem contato...
Fuuui
G.G.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...