História Na escuridão da noite - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Aninha, Cascão, Cebola, Denise, Do Contra, Franjinha (Franja), Magali, Maria Cebolinha, Marina, Mônica, Personagens Originais, Titi
Tags Drama, Romance, Tagmo&ce, Tmj
Visualizações 136
Palavras 1.632
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu queria agradecer a cada um serio vocês são uns amores
Tank you ❤

Capítulo 4 - A resposta


Fanfic / Fanfiction Na escuridão da noite - Capítulo 4 - A resposta

Pov Mônica

Claro que eu não aceitei, a sala todinha estaria naquele barzinho, e eu não queria ver ninguém. Depois de muita insistência a Maga desistiu, mas é claro com uma condição eu teria que ir com ela e o Cas numa sorveteria perto da casa do Cas, e eu aceitei é claro ! Bem melhor do que aquele monte de gente me cercando.

Agora eu estou sem nada pra fazer, afinal o pessoal ( quando digo pessoal me refiro a Maga e o Cas), esta no jogo de futebol, enquanto eu estou de pijama daqueles com estampa de criança, ouvindo uma das minhas musicas de sempre "grenade" .

Só que o meu " querido " vizinho parece que também resolveu escutar musica também e começou a aumentar no último, quando percebeu que eu estava me irritando

Sim o idiota do meu vizinho tem o quarto praticamente do lado do meu, ou seja não tenho mais paz  nem pra escutar musica 

Fico pensando se aquele idiota, besta, metido, lindo dos olhos..... Perae ele não é lindo não ele é um viado de corpinho incrível e...... Merda pensei besteira de novo.

- Quer saber voce não tem coisa melhor pra fazer não - eu chamo a atenção dele que me me olha confuso

- Ué o que eu fiz - ele ainda pergunta, que sínico

- Nasceu! - grito bem alto - e eu te odeio por isso
 
Me deito na cama e coloco o volume do fone no último

Pov. Cebola

E pensar que agora eu estaria naquele jogo chato se eu não tivesse com dor de cabeça.

Só coloco a musica porque quando vi que o quarto dela era do meu lado quis irrita-la, e pode-se dizer que eu sou muito bom nisso.

Depois de uns minutos ela apareceu na janela de novo , depois da nossa " briguinha "

- Sera que você poderia abaixar essa porcaria tem gente querendo dormir- ela aparece na janela e começa a gritar, e eu riu

- Que - finjo não ouvir - a musica ta muito alta- ela bufa e fecha a janela

É engraçado ver ela brava, ela fica parecendo uma pimenta kkkk
Mas com certeza uma pimenta linda e que eu com toda certeza não vou deixar passar a vez

Pov. Mônica
 
Tudo bem eu estou cansada dele e quero que ele morra no fogo dos infernos. Ai que ódio

Eu desço as escadas e vejo minha mãe, bêbada como sempre. Sinceramente se eu soubesse teria ficado la em cima, prefiro mil vezes um garoto idiota me irritando do que uma mãe que me odeia

- Oi querida, o que faz em casa, não tem vida não?- ela pergunta desde jeito porque sabe que vai me atingir, eu só refiro os olhos e finjo não ouvir - Que é vai me dizer que esta ocupada demais se cortando é - ela pega o meu braço com força e aperta onde estão os cortes

- Isso não é da sua conta -falo o mais alto que consigo, e percebo que sai quase como um sussurro

- Logico te criei desde pequena e é isso que recebo em troca uma filha rebelde, ridícula sem vida e nem namorado tem e pra piorar parece uma baleia - ela finge tristeza

- Não pedi pra voce me criar, e se estou com todos esses problemas e sem namorado o problema é meu

- É claro fica inventando essas desculpas baratas sendo que a verdade e que ninguém te quer e é por isso que você está aqui e não com o seu papaizinho querido - ela simplesmente cospe aquelas palavras em mim

- É mentira!- falo mas eu sei a verdade que não só ela como meu pai me odeiam

- Ah é ?- ela me olha nos olhos já sabendo a resposta - pois a sua voz não saiu nada convincente.- ela faz um pausa e quando vou subindo de volta pro meu quarto ela termina - voce só esta fazendo isso pra chamar atenção larga de ser dramática sua louca - eu tento ao máximo segurar as lagrimas mas quando eu percebo elas ja estão saindo involuntariamente dos meu olhos

Pov. Autora

Ela sobe pra seu quarto quase no mesmo instante, vê o menino que ainda estava na janela e ignora, tranca sua porta e corre pra cama, chora como se não houvesse esperança, ela se levanta vai até o espelho, e como sempre o espelho a enganava ela foi ao banheiro pegou sua escova e forçou contra a boca até, o pouco de comida subir e queimar sua garganta, ela coloca pra fora e como se fosse resolver ela passa uma maquiagem pra disfarçar

Pov. Magali

- Pena que começou a chover.... - Cascão lamentava a chuva porque os meninos ia ter um grande campeonato e eles tinham que treinar

- Pena mesmo - comentou Titi comendo mais um pouco- o pior é que o campinho ficou todo alagado é sério

- Se não a gente ainda estaria lá- Xaveco continua

-Bom o importante é que a gente ta seco né?- falo e todos concordam

Pov. Cebola

Meia hora, meia hora, meia hora. Ja faz meia hora que não consigo ouvir nada desde que ela voltou perto quarto. Bom eu só ouvi um pouco uma gritaria na casa dela e alguém parecendo vomitar, mas a voz gritando não era dela
Bom acho que talvez não seria uma ma ideia eu ter ido ao campinho, pelo menos la teria o futebol, meninas gatas, churrascos, meninas gatas, brincadeiras idiotas, meninas gatas e não sei se ja falei meninas gatas mas seria bem melhor do que estar aqui nesse tedio. Afinal o que eu ia conseguir com aquela garota estranha, que não gosta de ficar com os amigos e é chorona, que agora pra falar a verdade acho que ela é lesbica , afinal quem é que resisti ao meu charme? eu mesmo respondo NINGUÉM

Quase no mesmo instante ela sai de casa na chuva sem capa ou qualquer outro tipo de proteção contra chuva. E eu desconfio um pouco do que ela pode ir estar fazendo

Pov Mônica

Eu estava cansada, não aguentava mais aquilo, eu só queria voltar no tempo e desfazer uma burrada, mas era impossível

Só percebo que estou na vida real quando bato em alguém sem querer

- Desculpa moço eu....

- Mônica é você! - ele me olha de um jeito e eu o reconheço na hora

- Fran..fran...Franja q..quer diz...dizer é....éé. Quan... Quanto ... tempo- Bom diálogo não é um dos meu pontos fortes mesmo estudado com a pessoa por mais de 7 anos

- pois é eu tava indo na cada da Marina, só que ai veio esse toró de chuva

- b.....bom....a ...a gente s....se vê então-saio correndo o mais rápido para o parque
                                       
                                       ***
Chegando ao la eu vejo um balanço de pneu o mesmo que eu vinha quando eu era menor, me sento e começo a balançar.
Gosto do parque ele me faz lembrar de coisas boas tipo a infância, mas eu não vim pra ficar lembrando isso, pelo menos não hoje

Pov. Cebola

Voce não vai seguir ela. Voce não vai seguir ela. Voce não vai seguir ela e....


- Cebolinha - é a voz irritante da minha irmã - sai da frente voce não é espelho não ta? O sem noção

- Ta é que eu estou confuso e preciso de um conselho - é eu só posso estar louco eu pedindo conselho pra minha irmã mais nova

- Dane-se Cebolinha eu quero assistir aos pôneis, não sei o que ta te incomodando mas se você sair da frente voce vai fazer um favor pra humanidade

Cebola voce não vai atrás daquela escrota voce vai ficar ai em casa quentinho, protegido da chuva eee.......

- Mae eu vou sair não sei que horas eu vou voltar - isso besta vai atrás dela

Só sei que vou seguindo na mesma direção que vi ela indo, e pelo que parece vai dar num parque. Eu e meus instintos, penso porque vejo ela encharcada e sentada debaixo da chuva num balanço de pneu

E eu não esperava ver ela se cortando talvez eu esperasse que , ela estaria se agarrando com qualquer um por ai menos isso

E não me pergunte o por que, porque nem eu vou saber responder o motivo de eu ir la nela tentar tirar aquela lamina do braço dela


Pov. Autora

... A lamina que ela pegou cortava-lhes os pulsos como se fossem apenas simples folhas de papel, o sangue fino que se misturava com a água da chuva escorria entre os dedos brancos e paravam na grama. A chuva do lado de fora inundava a cidade, deixando as crianças , antes sorrindo no parque agora adormecidos em casa. E ela apenas chorava, chorava e...... 

- O que você esta fazendo? - ele pergunta agarrando o seu braço ensanguentado e levantando ela do balanço parecendo estar com raiva - esta ficando louca é

E ela fez uma das coisas que ela sabia fazer de melhor .......

Pov. Mônica

É claro que eu sai correndo não imaginava ninguém ali principalmente agora na chuva

Pov. Cebola

Eu a puxei novamente pra perto e agora eu a tinha feito me encarar

Nossos rostos estavam tão pertos, que eu só fechei os olhos pensando que ela iria me beijar, só que não

- O...o que você quer? - ela sussurra bem baixo me fazendo sair dos meu pensamento

Abro os olhos e vejo que ainda estou apertando os braço que esta sangrando e a solto

- Eu quero saber o que você esta fazendo aqui? E exijo que você me fale a verdade, caso ao contrário....- deixo essas ultimas palavras no ar

- .......


Notas Finais


Comentem o que vocês acham que vai acontecer


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...