História Na Mira do Feiticeiro - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Bruxa, Bruxo, Feitiço, Lobisomens, Lobo, Perseguição, Possessivo, Romance, Sobrenatural
Visualizações 317
Palavras 1.530
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - 11 (Não Revisado)


Bianca Narrando:

Escuto alguém batendo na porta. Não dou ouvidos e volto a escutar música. Agora é quase hora do almoço. Drian saiu hoje sedo, depois do café da manhã.

Ele disse que voltaria para almoçar comigo. Só estou a dois aqui e estou com muita raiva dele. Esse cara não se toca que eu não quero ficar com ele.

Ta, ele é o Feiticeiro Original, mas isso não quer dizer que sou submissa a ele. Ele não é lobo, para ter companheira de alma, e nem eu. Agora ele quer que eu acredite que ele se apaixonou por mim, depois de me observa? O que me garante que ele realmente me observava.

_ Bianca você está ai? - Ouço a Marina. Retiro o fone e me preparo para responde.

_ Estou. - Respondo.

_ O almoço já esta pronto e o senhor Drian a espera. - Fala ela em tom alto.

_ Não quero. - Falo alto para ela.

_ Se a senhora não descer, ele vira busca-la. - Fala ela alto.

_ Senhorita! - Falo alto a corrigindo. Não tenho idade para ser senhora e nem sou casada - E manda ele tomar naquele lugar.

Coloco o fone e aumento no último volume. Escuto algumas vozes dela, mas não respondo. Logo depois tudo se silencia.

Depois de alguns minutinhos, eu olho no relógio e vejo que já se passaram cinco minutos.

_ Ainda bem que desistiu... - Sussurro a mim mesma.

Me recuso a comer até ir em bora desse lugar!

Começo a ficar interditada. Só ouvido música. Sempre as mesmas músicas e toda hora, enjoa. Começo a tirar o fone, quando escuto batidas na porta.

_ Bianca? - Ouço a voz do Drian. Como adoro provocar, a Bianquinha aqui, não responde. - Bianca abre a porta.

Não respondo e fico deitada de lado na cama. Ele é a última pessoa no mundo, que eu quero ver agora.

_ Abre a porta! - Fala ele mais sério. Não digo nada e logo ouço a fechadura da porta sendo destrancada. Claro que ele usaria magia... - Bianca... - O corto

_ Vai em bora! - Falo com raiva.

_ Por que está assim? - Pergunta sério.

_ Não te interessa. - Falo ríspida.

_ Bianca para de drama. - Fala sério.

_ Vai se fude e me deixa em paz. - Falo seria.

_ Olha como fala comigo! - Ele me repreende. Não faço nada, além de mostrar o dedo do meio para ele, sem olha-lo. - Bianca olha para mim - Ele ordena, mas não faço nada. - Bianca!

Não falo nada e não faço nada. Não vou me submeter tão facilmente a ele. Vou fugir e continuar a busca por minha irmã. Meu pequeno Jarry.

_ Não sou Jarry - Fala cruzando os braços de raiva - Eu nem pareço o Jarry.

_ Pequena, manhenta e adora apronta. - Falo descrevendo o Jarry e ela. - Esperta e vive se mantendo em confusão e sempre se safa.

_ Verdade - Fala fingindo pensar. - E sempre tenho um gato chato atrás de mim. - Fala me olhando com a sombrancelha erguida.

_ Por que ta me olhando assim? - Pergunto desconfiada.

_ Sabia que se parece muito com o Tom. - Fala ela andando em volta de mim, me analisando com a com os olhos.

_ E você tem cara de Jarry - Devido a provocando.

_ Tom. - Ela revida.

_ Jarry - Provoco.

_ Tom - Fala confiante.

_ Jarry - Novamente provoco.

_ Gato pulguento. - Fala me provocando.

_ Vem cá sua ratinha. - Falo correndo atrás dela.

Ao lembrar desse dia, não consigo contem uma lágrima solitária. Nesse dia realmente parecemos o Tom & Jarry. Ela se metia em cada buraco, e eu pagava o pato.

_ Por que está chorando? - Ouço a voz do Drian e percebo que ele ta na minha frente.

_ HAAA Seu assombração!!! - Falo pulando para o outro lado da cama, por causa do susto. - Assombração...

_ Haa assombração!! - Falo ao levar um susto com minha irmã atrás de mim.

...

Estou agora estudando para a prova de Matemática na escola. É cada fração, uma mais difícil que a outra...

_ Mana, vamo brincar - Ouço minha irmã alegre, aparecendo do além.

_ Haa sua assombração!! - Falo pulando da cadeira com o susto que levo.

...

Estou tomando sol na piscina de Casa. Minha amiga Bruna, também está aqui, ela está se preparando para nadar.

_ Posso nada também?

_ HAA assombração!! - Falo quase caindo do banco. - Para de aparecer do nada!

_ Bianca? - Sou tirada de minha lembranças com o Drian chamando.

_ Vai em uma festa de Halloween e me deixa em paz. - Falo ficando de costa para ele.

_ Por que está agindo assim? - Pergunta ele pegando em minha cintura. - Pensei que tivéssemos nos entendido ontem.

_ Pense de novo - Falo e tento tirar seu braço de minha cintura.

_ Chega! - Fala ele me virando e ficando por cima de mim - Tentei ser bonzinho, mas você não colabora. - Fala se ajeitando em cima de mim. - Por que está assim?!

_ Não! - Falo o encarando. - Me solta. - Falo tentando tirar ele de mim.

_ Quieta! - Ele ordena, me fazendo parar. - Por que está assim?!

_ Quer mesmo saber? - Pergunto o encarando e ele levanta a sombrancelha como se fosse óbvio.

_ Eu não quero ficar nessa casa! Não quero ficar com você! Quero minha vida de volta! E quero minha irmã! - Falo de uma vez o encarando.

_ Já disse que você não vai sai daqui! - Fala ele com raiva.

_ Por que me quer tanto aqui?! - Pergunto não entendendo.

_ Eu já lhe disse que... - Eu o corto.

_ Que está apaixonado?! Que me quer ao seu lado? - Pergunto. - Se toca! Precisa mais do que um dia para convencer alguém dessa loucura!

_ Acreditara com o tempo. - Fala ele sério e calmo.

_ Duvido muito. - Falo no mesmo tom, mas colocando um pouco de deboche. - Eu. Quero. Ir. Em. Bora! - Falo pausadamente.

_ Nunca. - Fala sério - Nunca sairá do meu lado, aceite isso!

_ Vai se fude - Falo encarando seus olhos.

_ Bianca... - Ele respira fundo e olha para baixo - Qualquer um que ameaçasse me dizer o que você fala. - Fala e olha para mim - Já estaria sem o coração. - Ele leva sua mão até meu rosto. - Estou sendo muito paciente com você - Ele passa a mão em minha boca. - Se continuar assim, você vai descobrir o porque sou temido.

Ele fala com uma frieza de arrepiar a espinha. Seus olhos estão sérios e frios.

_ Você acha que tenho coração? - Pergunto o enfrentando - Você está enganado. Eu só vou ter um coração no dia em que eu estiver ao lado da minha irmã e dar um tapa na tua cara! - Falo com raiva na voz - Porque​ se alguém tivesse coração entre nós dois eu já teria te dado um tapa na sua cara e estaria em outro lugar. - Falo vendo sua raiva aumentar. - Não é mesmo? - Pergunto em um tom de deboche

_ Bianca... - Ele fala em um suspiro, mas eu o corto.

_ Por isso você sempre vai ser um escroto! - Falo jogando na cara dele.

_ É bom não me irrita. - Ele avisa totalmente sério, terminando o que estava dizendo, ignorando o que eu disse - Vou esquecer isso... - Fala ele e sai de cima de mim - Vamos almoçar

_ Que pena... - Falo fingindo estar calma - Porque eu não vou esquecer que você é um escroto - Atrevo a enfrenta-lo.

Ele não diz nada. Ele apenas olha para o chão, e depois olha para o teto pegando fôlego.

_ Bianca... você está pedido para ser punida. - Fala com voz de tédio. Porém se nota claramente o seu tom de raiva. Ele olha para mim sério - Vamos! - Ordena ele.

Eu mostro o des do meio a ele e o sinal de "no ponto" 👌

_ Não vou. - Falo me virando e me cobrindo com o coberto.

Sei que ele está se irritando e é isso que quero. Quero saber qual será minha "punição". E dependendo dela, terei argumento para ir em bora.

Porém, sinto minha coberta sendo arrancada.

_ Vai tomar no meio do seu cu! - Falo com raiva me virando para encarará-lo.

Drian me olha nos olhos, e sinto um forte corrente de vento entrar pela janela, carregando a cortina.

Ele pega um leve suspiro e em seguida eu começo a levitar.

Com o susto, e pela situação, estou com medo dele... Ele nem levanta a mão para me fazer flutuar.

Eu começo a me aproximar dele, ficando cara a cara com ele.

_ Você que pediu por isso... - Fala segurando meu queixo, me obrigado a olha-lo.

Não digo nada e cuspo em seu rosto. Ele me olha com raiva e fúria. Vejo seus olhos mudarem de cor para azul, por um leve momento. Ele limpa meu cuspe de seu rosto e pega firme em meu queixo, me permitindo sentir sua magia em agitação. Uma agitação de fúria. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...