História Na real - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, D.O
Tags 30dayslovechallenge, Baeksoo, Otpain, Texting, Viajei Na Maionese
Visualizações 445
Palavras 2.256
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, manxs, e aí? Espero que estejam bem.
Na real, eu sou muito pirada da cabeça porque nem deveria estar postando esse troço, mas eu tava dando uma passada pelo tumblr e vi uma tirinha muito engraçada (vou ver se consigo achar de novo), acabei plotando e ficou maior do que eu planejava, não me levem a sério, só deem amor ao nosso baeksoo de cada dia.
Falando em amor, de tanto me meter nesses lances de projetos, encontrei outro bem amorzinho que alguns @ daqui já estão escrevendo e resolvi participar, o nome é 30 days of love challenge (créditos nas notas finais), e é isso aí... espero escrever tudo.
O tema da vez é o 5. texting

Enfim, espero que gostem(?), boa leitura!!!!

Capítulo 1 - 'Tô sempre pensando em você


 

 

 

Baekhyun

Soo, o que você acha da gente jantar aquela pizza gostosa hoje?

Kyungsoo

Você vai pagar? Se for, só vamo

 

Baekhyun

Ouch, que interesseiro

Kyungsoo

Ué, você que convidou kkkk

Baekhyun

Justo, eu pago

Kyungsoo

Tá bom

Baekhyun

Quero ir pra casa

Kyungsoo

Onde você tá?

Baekhyun

Casa dos meus pais, domingo, almoço em família... aquela coisa de sempre

Kyungsoo

Que chato

Baekhyun

E põe chato nisso, tô escondido no meu antigo quarto faz horas.

Kyungsoo

Ainda tem aqueles posters do Girls’ Generation?

Baekhyun

Pô, bicho, é claro

Taeyeon minha bias eterna

Kyungsoo

Kkkkkk não me diga

Baekhyun

Digo, ainda digo mais: ela rende um caldão

Kyungsoo

...tá bom, Baekhyun.

Baekhyun

Apenas verdades

Quer saber mais? Hoje eu decidi fazer um negócio que nunca tinha feito por falta de coragem

Kyungsoo

E o que seria isso? Tirar os pentelhos do sovaco?

Baekhyun

Hahaha engraçadão você

Mas é outra coisa... adivinha no que eu tô pensando agora

Kyungsoo

Em coisa boa não deve ser

Baekhyun

Te garanto que não é nada ruim, você ficaria surpreso

Kyungsoo

Nada que vem de você me surpreende mais, anos de convivência

Baekhyun

Será mesmo?

Kyungsoo

...

No que você tá pensando agora?

Baekhyun

Em você.

Sempre

Às vezes pelado

Às vezes não

Depende...

Mas na real, tô sempre pensando em você e em ficar com você e beijar você e.. cê sabe (moonface)

 

Sem saber o que responder, a boca de Kyungsoo se abriu em um perfeito O, diferente do que havia tolamente afirmado sobre não se surpreender mais com nenhuma abobrinha de Baekhyun.

Aliás, Baekhyun ainda não havia aprendido que algumas brincadeiras não deveriam ser feitas? Às vezes ele ia longe demais e agora era uma dessas vezes, pois quando Kyungsoo se recuperou de seu estado de choque, após alguns minutos encarando as mensagens, acabou respondendo.

Kyungsoo

Vai se foder, Baekhyun.

 

E para a surpresa de Kyungsoo, ele não fez piadinha nenhuma.

 

Baekhyun

Tô falando sério, Soo

Eu gosto de você

Não acredita em mim?

Kyungsoo

Não.

Baekhyun

Mas eu gosto e acho que você também gosta de mim

 

Kyungsoo não respondeu, o coração batendo rápido no peito.

 

Baekhyun

Eu sei que você ainda tá aí, mesmo que tenha tirado o visto, tô te vendo online

Vai mesmo me ignorar?

Quer saber, não precisa responder, esse tipo de coisa não se diz por mensagem mesmo

Até mais tarde, Soo

 

Até mais tarde, Soo.

 

Até mais tarde, Soo.

 

Até. Mais. Tarde. Soo.

 

Caralho.

 

 

 

 

X

 

 

Dizer que Kyungsoo estava nervoso seria um eufemismo, pois ele estava pilhado, encucado e quase roendo todas as unhas enquanto via o tempo passar e pensava nas mensagens de Baekhyun, que nem se deu o trabalho de responder.

Dessa vez, Baekhyun havia extrapolado todos os limites aceitáveis, dizendo coisas que Kyungsoo duvidava muito serem verdades e que só fortaleciam mais suas ilusões e a quedinha ridícula que nutria pelo Byun, principalmente quando Baekhyun resolvia brincar com sua cara e de quebra com seus sentimentos.

O Byun estava blefando totalmente se achava que Kyungsoo iria abrir a porta porque ele não iria, de jeito nenhum, se fingiria de morto antes de cometer um suicídio desses.

Já havia se passado duas horas desde a conversa e Kyungsoo sabia que a casa dos pais do Byun não era tão longe, ou seja, sentia que o fim estava próximo e não estava nada pronto para ver a cara de pau de Baekhyun, mesmo se, por um milagre, ele não estivesse brincando.

Aliás, não sabia o que seria pior: Baekhyun brincando ou Baekhyun correspondendo seus sentimentos. De qualquer jeito, as duas opções iriam fazê-lo passar por uma montanha russa de emoções e ele só queria ter um domingo normal deitadinho debaixo de suas cobertas enquanto mexia na internet e passava o tempo tranquilo.

O Do estava encolhido em sua cama, os braços enrolados ao redor de seu joelho enquanto pensava em alguma alternativa. Ele poderia ir para a casa de Chanyeol e dormir por lá, evitando assim o encontro explosivo com Baekhyun, mas daí teria que sair e estava com medo até de colocar a cara para fora e ver o Byun em sua cola. Ele poderia também fingir que não estava em casa, apagar todas as luzes e trancar-se pelo resto da noite, mas sabia que Baekhyun daria um jeito de descobrir se estava ali e infernizaria seu sono.

Enquanto fazia planos alternativos de fuga, ouviu um barulho na janela, fazendo-o quase saltar de sua cama por ter sido pego desprevenido.

Levantou cautelosamente, esgueirando-se na parede para dar uma olhada pela cortina, afastando o suficiente para ter uma brecha do que estava acontecendo. A primeira coisa que viu foram tufos de cabelo negro, bagunçados como sempre, pertencentes ao cara de quem estava se escondendo.

Não disse nada, se tivesse sorte Baekhyun nem saberia que estava ali. Contudo, seus desejos foram ignorados quando o Byun pegou outra pedrinha e acertou na sua janela, que por acaso era de vidro.

Irado, abriu a porra da janela e disse para jogar pedrinhas na janela de sua amiguinha, fazendo Baekhyun levantar o rosto e mirar em seu olhar, fixamente encarando-o antes de sorrir e levantar uma mão, onde segurava uma pizza. Kyungsoo queria se esconder de novo, mas o Byun abriu a boca para falar e não conseguiu evitar ficar só mais um pouquinho para ouvi-lo.

— Eu trouxe a janta — ele gritou alto. — Eu disse que ia comprar.

Kyungsoo bufou.

— Não fez mais do que sua obrigação — respondeu entredentes.

Baekhyun riu.

— Você não vai me deixar entrar?

O Do se encolheu, não queria abrir a porta para Baekhyun e deixou isso bem claro ao fechar a janela de novo e cobrir com a cortina.

— Kyungsoo, eu vou continuar jogando pedras na sua janela se você não abrir a porta.

Kyungsoo o ignorou completamente, jogando-se na cama e enterrando a cara no travesseiro para não ter que ouvir o monólogo de Baekhyun.

Em poucos minutos, o Byun jogou mais uma pedra, apesar de ter dito que sua janela era de vidro.

— Soo, é sério, eu vim correndo pra cá assim que sai da casa dos meus pais, te comprei a pizza que ofereci e só quero que você abra a porta e me escute um pouquinho, eu não vou te obrigar a nada.

O Do se afundou mais no colchão, ignorando a vozinha em sua cabeça dizendo que estava sendo teimoso e imprudente, insensível também.

Mais uma pedrada.

— Eu avisei que vou continuar jogando até você abrir... — ele aumentou a voz. — Kyungsoo...

Outra bendita pedra, sua janela era mais forte do que pensava.

— Kyungsoo, Soo, SooSoo, Dyo-ah, D.O, Dodo — Baekhyun chamou seu nome das formas mais vergonhosas possíveis. — Eu tô sendo patético aqui, qual é... Kyungs-

Kyungsoo suspirou, gritando de sua cama: — Você tem seu celular por algum motivo.

Baekhyun ficou quieto de repente e Kyungsoo achou que ele tinha seguido sua dica, mas foi só pensar nessa possibilidade que ouviu um estrondo em sua janela, fazendo-o levantar num salto assustado pela possibilidade de ter quebrado.

Ergueu a cortina e viu que a janela estava inteira, abrindo-a para poder olhar para Baekhyun, que estava agachado ao lado de seu celular que infelizmente não era tão resistente quando sua janela. Tamanho foi o susto que o Do soltou um grito e o Byun se pôs a choramingar.

— VOCÊ JOGOU SEU CELULAR NA MINHA JANELA?

Não precisava de respostas, os estilhaços já respondiam por si só.

Baekhyun era muito burro.

 

 

 

X

 

 

 

— Não acredito que você fez isso, Baekhyun — Kyungsoo tentava falar sério, mas os cantos de seus lábios se erguiam em um sorriso que ameaçava se transformar em uma risada, de novo.

— Você me deve um celular novo — Baekhyun resmungou, olhando para seu falecido celular e suspirando sofrido, levando um pedaço de pizza até a boca como um consolo para o prejuízo que teria.

O Do ergueu uma sobrancelha, lambendo os lábios gordurosos de pizza.

— Eu? Não fui eu que joguei teu celular na minha janela, a culpa é sua.

— Se você tivesse abrido a porta nada disso teria acontecido.

Kyungsoo riu sarcástico.

— Você que é burro, Baekhyun, quem mandou fazer uma doidice dessas? Eu falei que celular existia pra poder mandar mensagens e não jogar em janelas alheias.

Baekhyun bufou, terminando de comer a fatia de pizza e lambendo os dedos com uma carranca infeliz.

— Me deixa — era a única resposta que tinha.

E Kyungsoo deixou mesmo, desviando seu foco para as fatias deliciosas da pizza que Baekhyun havia comprado. Ambos estavam sentados no chão da sala, após o desastre que aconteceu com o celular do Byun, Kyungsoo se compadeceu com a causa e o deixou entrar para jantar.

Não haviam tocado no assunto das mensagens, pois no momento Baekhyun parecia mais interessado em como, por um milagre, consertar seu celular, encarando-o inconsolável. Kyungsoo acabou soltando uma risadinha, que atraiu a atenção do Byun para si em questão de segundos, os olhos caidinhos focando-se nos seus.

— Tá achando engraçado né? — Baekhyun riu soprado. — Foi engraçado mesmo.

Kyungsoo concordou, rindo baixinho.

O Byun admirou seu sorriso, fascinado pelo formato de seus lábios, suas bochechas redondas e seus olhos quase fechados, com certeza um dos sorrisos mais bonitos que havia tido a oportunidade de ver.

Kyungsoo deveria saber que Baekhyun não estava brincando. Ele definitivamente não estava brincando, estava há meses tentando criar a coragem para falar e infelizmente achou a maneira mais bizarra de dizer de gostava do Do, e não era pouco. Por que ele iria brincar com uma coisa daquelas? Ele havia sacrificado seu celular em nome de seu apreço, talvez amor, por Kyungsoo, aquilo era um caso muito sério.

Por isso que, quando Kyungsoo finalmente parou de rir e olhou para Baekhyun, o Byun fez questão de encará-lo de volta, com toda a seriedade que tinha para convencê-lo de que estava falando seríssimo e não pretendia sair dali até ter certeza que seus sentimentos foram compreendidos.

— Kyungsoo — chamou receoso. — Você sabe por que eu vim até aqui, certo?

— Certo... — respondeu.

Baekhyun engoliu em seco.

— E você ainda acha que eu tô brincando?

Kyungsoo balançou a cabeça negativamente, fazendo Baekhyun sorrir aliviado.

Sem perder o foco, o Byun se aproximou mais de Kyungsoo, arrastando suas pernas pelo chão até estar de frente para o Do, quase sentindo a respiração dele em seu rosto, fazendo Kyungsoo desviar o olhar, um pouco embaraçado.

Baekhyun não se intimidou ao colocar uma mão na bochecha de Kyungsoo, acariciando levemente e fazendo-o virar em sua direção, olhando em seus olhos e sentindo o coração bater forte e rápido em seu peito, como se estivesse prestes a ter uma taquicardia.

O Do parecia mais bonito do que nunca dessa distância, tão mínima que Baekhyun poderia fechá-la com um simples movimento, mas estava tão hesitante se poderia que só podia admirar os cílios fartos de Kyungsoo, a pele branca sem nenhum defeito e os lábios carnudos só esperando para serem beijados. Kyungsoo aproximou mais o rosto, para a sua surpresa, num sinal para que avançasse de uma vez.

Assim que fechou aquela bendita distância e beijou Kyungsoo, sentiu como se pudesse flutuar. Os lábios dele se encaixando tão bem nos seus, as mãos dele se firmando em sua nuca e a língua lentamente pedindo passagem para sua boca, fez Baekhyun se sentir no céu.

Beijar Kyungsoo era ainda melhor do que tinha imaginado, tanto tempo sonhando com a boca dele na sua não fez jus ao momento real, em que ele atualmente tirava seu fôlego em um beijo mais desesperado do que o primeiro ou o terceiro, pois já tinha perdido a conta de quantas vezes se afastaram para se beijarem de novo.

Quando menos percebeu Kyungsoo estava sentado em seu colo, tão empenhado em morder seu lábio e sugar sua língua que nem notara a mudança de posição. As mãos de Baekhyun se firmaram na cintura do Do, apertando ao mesmo passo em que ele puxava os fios de cabelo da sua nuca.

Ao se afastarem pela milésima vez na noite, Baekhyun suspirou apaixonado, tão feliz por ter Kyungsoo lhe beijando que quase esquecia do desastre que aconteceu com seu celular, o falecido. O Do cantarolou, dando mais um selinho no canto de sua boca e parando de vez.

— Então... — Baekhyun começou.

— Então... — Kyungsoo repetiu.

— Isso significa que você também gosta de mim? — perguntou risonho, só para ver o Do desviar o olhar, um pouco embaraçado.

— Acho que sim né — murmurou contrariado.

— Acha? — Baekhyun provocou.

— Uhum.

— Poxa, que ruim — ironizou — porque eu tenho certeza que eu gosto de você.

Kyungsoo sorriu involuntariamente.

— Eu sei.

— Não parece, pra quem mandou eu me foder por mensagem... — Baekhyun retrucou gracioso.

Kyungsoo bateu em seu ombro, tentando sair de seu colo, sendo parado pelo Byun que enfiou o rosto no vão do pescoço dele, todo manhoso.

— Sai de mim, peste.

Quem disse que Baekhyun escutou?

 

 

 

 

 

X

 

 

 

 

Baekhyun

Kyungsoooooooooooooo

Tu nem sabe, consegui um celular novo

Kyungsoo

Sério? Que bom, já tava na hora

Baekhyun

Pois é, agora vou poder te mandar mensagens por aqui de novo

Kyungsoo

Não estava com saudades

Baekhyun

Que mentiroso, quem é que tava reclamando por não poder falar comigo direto ontem mesmo?

Kyungsoo

Eu que num era

Baekhyun

Tu me ama mesmo, Kyungsoo, só gravando as tuas mancadas

Kyungsoo

Kkkk tá bom

Baekhyun

Por que eu namoro contigo mesmo? Só levo na cara

Kyungsoo

Porque você me adora, baby

Baekhyun

Adoro não

Amo

Às vezes pelado

Às vezes não

Mas na real, eu tô sempre te amando.

Kyungsoo

Vai se foder, Baekhyun.

Baekhyun

Isso é um convite?

Kyungsoo

Só vamo.

 


Notas Finais


jornal do projetinho: https://spiritfanfics.com/jornais/30-days-of-love-challenge-8890870
se quiserem bater um papo maroto, só vamo: https://twitter.com/suhousado?s=09
bye galero


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...