História Nada além da verdade - Camren - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Alem, Ally, Ariana, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Drama, Fifth, Fifthharmony, Harmony, Jauregui, Lauren, Lesbicas, Lgbt, Lucy, Nada, Normani, Norminah, Romance, Verdade, Verônica
Exibições 922
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Chris


Fanfic / Fanfiction Nada além da verdade - Camren - Capítulo 32 - Chris

As cortinas deixavam o quarto escuro
Mas a luz da tevê clariava ele junto ao meu olhar sobre Camila, que pelo visto brilhava quando eu via meu reflexo em seus olhos.

-Camila. Camila Cabello. Não quero mais passar um segundo longe de você.

-É muito tempo ao meu lado, vai acabar enjoando - Disse ela em minha frente

-Enjoar de você? - Sorri e ela sorriu de volta

-O quê? Por que está rindo?

-Nada - tirei o violão do seu colo. Colocando-o sobre a capa no chão - Não quero ver fime. - Me deitei no colchão

-Poooooxa, por quê? -Fez uma cara de desapontada cruzando os braços e fazendo bico.

-Se continuar com esse bico não tem ideia do que serei obrigada a fazer

-Hm, é? - disse deitando ao meu lado

-Terei que te beijar

-Terá, é?

- Para de fazer perguntas

-Você quer que eu faça o quê?

-Ihhhhh- brincadeira sem graça

-Amo esse seu bico - Disse mais próxima de mim e virada para mim.

Ficamos ali, deitadas, olhando nos olhos uma da outra, num silêncio que tudo falava.

-Lauren, eu te amo. - senti uma onda de arrepios em meu corpo quando ela quebrou o silêncio com essas palavras, de olhos fechados, não tive como não sorrir, o mais simples gesto vindo de Camila já me deixa assim.

Me aproximei do seu corpo ainda mais, nossa respiração se transformando em uma só, sentindo o calor da sua pele em mim, nossos olhos tramavam uma pequena guerra.

-Um beijo pelo seu pensamento - disse

Camila me surpreendeu selando nossos lábios, e junto a sua ação uma onda de calor percorre meu corpo, e as famosas borboletas voam em minha barriga, ficamos só em um selinho que me disse mais que trilhares de palavras, do que adianta longos beijos com trilhares de pessoas se esses longos beijos não te proporcionam essa sensação maravilhosa?

-Estava pensando em como será daqui pra frente. - Ela disse - Agora falta o beijo

Sorri

E olhei seus olhos mais uma vez, que brilhavam, antes de fechar os meus para beijá-la. Camila sorriu em meio ao beijo, me fazendo sorrir também, de felicidade, nada desse dia está acontecendo da forma que pensei.

Até meu celular tocar atrapalhando nossa troca de olhar

🎵🎵🎵🎵

Atendi.

-Alô?
-Alô, filha?
-Oi, mãe, o que houve? Aconteceu alguma coisa?
-Na verdade sim, seu irmão sofreu um acidente de carro

Meu coração disparou. Chris. Ele deve ter bebido, e eu tenho certa culpa por isso, ele sabia o quanto eu era viciada e começou a beber em uma festa que fiz em casa, dizendo que ia experimentar desde então viciou.
Uma lágrima descia em meu rosto
Evitei qualquer olhar sobre Camila

-Ele precisa de ajuda filha, precisa de sangue e parece que só o seu é compatível... Lauren? Está aí?

-Já estou a caminho mãe. Mas você sabe que demora, não deixe nada acontecer com ele. Por favor.

Desliguei o telefone sem ouvir a resposta de minha mãe, e saí do quarto, quase piso em Tomás.

-Lauren o que houve?- disse Camila atrás de mim já em meu quarto.

-Chris sofreu um acidente de carro, por conta da bebida, por minha culpa, eu sabia que ele não tem controle, e nunca parei pra conversar isso com ele, minha culpa, Camila - falei chorando me jogando na cama.

-Ei. É de partir o coração, vê-la assim, sabia? Não foi sua culpa.

-Claro que foi, mas preciso adiantar, a situação dele não pode piorar.

Levantei, peguei a mesma mala e coloquei umas três roupas dentro, minhas peças íntimas, e algumas coisas que havia comprado para os meus pais. O resto as meninas levam
para mim

-Camila, tenho que ir, não tenho dinheiro para voltar, não era para ser assim, eu quero passar ainda muito tempo ao seu lado, porque eu amo você.

CAMILA POV

Ouvir isso de Lauren é a melhor junção de palavras já dita por alguém. Mas saber o real motivo dela estar saindo me partia o coração, não tive oportunidade de passar muito tempo com Chris, mas ela vivia falando da relação dela com a família. Fiquei com dó.

-Eu também te amo. Vamos nos ver logo logo. Nem sentiremos o tempo passar

-Espero.

-Quer que eu vá contigo para o aeroporto?

-Desculpa, mas só vai aumentar a dor de despedida.

Dei um selinho em Lauren, foi meio salgado por conta das lágrimas.

-Meu primeiro beijo salgado - ela sorriu torto. - Até. Estarei sempre aqui. - Disse colocando a mão em seu coração.

E ganhei outro selinho

Ela saiu correndo e depois não a vi mais. Preferi me deitar em sua cama e apreciar o seu cheiro ainda nos travesseiros.




Lauren POV

Depois de Dinah e Mani me encurralarem com perguntas eu saí de casa sem responder até chegar ao aeroporto, e graças consegui uma passagem sem escala o que me daria umas 10 horas e meia de viagem.

Eu precisava ajudar meu irmão.
Depois de uma hora consegui entrar no avião que depois de um tempo decolou.

-Com licença senhora. - alguém estava me cutucando. - Já chegamos.

- O QUÊ? - Falei um pouco alto.

-A senhora dormiu o voo inteiro

-Nossa. Obrigada moça.

Sai do avião, fui procurar minha mala. Depois de todo o processo complicado para sair do aeroporto. Peguei o primeiro taxi, ligando para minha mãe perguntando o hospital. Já estava desesperada

Deixei o dinheiro para o taxista assim que cheguei ao hospital, e deixei minha mala na recepção após explicar rapidamente o que estava acontecendo e liberarem a minha passagem.

O elevador demorou para chegar e para subir também

-Onde está? Onde ele está?

-Filha! - Minha mãe disse vindo ao meu encontro me abraçar.

-Mãe, cadê o Chris?

-Sta. Jauregui? --Eu e minha mãe olhamos para o médico-- Você que é Lauren, irmã do paciente Chris Jauregui?

-S.sim, cadê meu irmão?

-Poderia me acompanhar por favor?

Fui até o quarto e pude ver meu irmão cheio de fios ligados ao teu corpo, mas segui para outra sala, onde me colocaram em uma cadeira.

-Há quanto tempo não come nada?
-Tem umas dez horas!
-Ótimo!

Depois dali entrou uma enfermeira que começou a tirar meu sangue e eu estava me sentindo cada vez mais fraca, cada vez mais e mais.
E desmaiei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...