História Nada como você. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), CL (Chaelin Lee), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Chaelin "CL", Rap Monster, Suga, V
Tags Bambam, Bangtan Boys, Bts, Chaelin Lee, Hoseok, Jackson, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kookie, Min Yoongi, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Suga, Taehyung, Vhope
Exibições 5
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu sei, eu sei... Demorei demais para postar, mas eu tenho explicação: 1) Eu estou em semana de provas 2) Está sendo difícil escrever pela falta de tempo 3) Os motivos 1 e 2 já são o suficiente.
• Obrigada pelos 15 favoritos ❤️ ( Sim, quinze favoritos 😂❤️ )
• Eu não me esqueci da minha promessa de postar em 3/4 dias, irei fazer isso nas férias. Que por sinal começam na quarta-feira 👏🏻✨
💕 Boa leitura e espero que gostem! 💕

Ps. Quando terminarem de ler o conteúdo da fanfic, se puderem leiam as notas finais. ✨

Capítulo 4 - Seja bem vinda ao Baek S. Jo! Part.1


Fanfic / Fanfiction Nada como você. - Capítulo 4 - Seja bem vinda ao Baek S. Jo! Part.1

 

   E lá fomos nós explorando a melhor cidade que já pôde existir, decidimos ir para um parque, precisávamos ser um pouco mais "criança", se é que me entendem.  Tudo ali era exuberante, era incrível como tudo era diferente do Brasil. Não que eu não amasse o Brasil, porque eu amo e muito, mas as pessoas, os costumes, tudo me encantava. 
  

 Paramos no início do parque e logo avistamos dois balanços, nos entreolhamos dando o recado só pelo olhar e começamos a correr em direção aos balanços. Eu me sentia liberta, como se a felicidade estivesse transbordando em mim, não me senti assim desde quando era criança, quando meus pais levaram para um piquenique em um sítio e eu brinquei como se não houvesse amanhã. Não me importava se eu ficaria cansada, ou se caísse e me falasse, eu estava feliz e me divertindo, nada mais bastava.
  

 Cheguei no balanço e sentei rapidamente, acompanhada da Chae que estava rindo da cara emburrada do Seung Ma, me sentia meu dificultada de me balançar já que os balanços eram altos demais e minhas pernas não alcançavam o chão, eu tentava me balançar com as pontas dos pés até que senti alguém vim por trás de mim e empurrar o balanço, olhei para trás e o Seung estava lá sorrindo abobalhado. 
    

Eu era empurrada tão forte que ao mesmo tempo que achava que ia cair, me sentia como se eu estivesse voando. 
  

 Uma palavra? Inexplicável.
  

 Sempre amei a natureza, de todas as formas possíveis. Despertei dos meus pensamentos quando senti que o balanço estava parando de se movimentar, fiquei um pouco ali parada, extasiada...

— Annyeong, Terra chamando (s/n)... — Seung Ma diz estalando os dedos na minha cara.

— Ah, desculpa... — digo envergonhada — estava só, pensando. — digo dando um sorriso fraco.

    Ele não responde nada, apenas me puxa para sentar na grama junto com a Chae que tem dois cachorros-quentes na mão, pego um da mão dela sem pedir e a mesma me olha com uma cara de quem comeu e não gostou.
    

Comi silenciosamente, saboreando o quanto aquele Cachorro-quente era bom, sem dúvidas o melhor que eu havia comido em toda a minha vida. E olha que eu já comi muito fast-food de rua. Comi e em seguida guardei o saquinho na bolsa que eu estava, o deixaria ali até encontrar uma lixeira na qual eu poderia jogar, seria muito feio e mal educado da minha parte jogar ali, nunca gostei de fazer isso no Brasil, não seria aqui que eu iria fazer. Eu simplesmente odeio pessoas que jogam lixo na rua. Eu odeio tudo que maltrate a natureza.

A Chae deu a ideia de irmos ao shopping comprar algumas coisas, aceitei ir e o Seung Ma disse que iria para casa, quando perguntei o motivo, ele me disse que sabia que iríamos passar horas e horas passeando e conversando, decidindo o que ia levar e ele não estava preparado para aguentar todo esse mimimi.
Ri e segui a Chae que entrava em um táxi. 

[...]

Era a décima loja que a Chae entrava, meus pés já não estavam aguentando mais, meu corpo também não. Olhei para o relógio em meu pulso, que marcava 11:30, fui em direção a Chae tentando apressar ela a ir para casa pela milésima vez. Sentei em um banquinho e senti meus músculos relaxarem. Esperei, esperei, esperei. A Chae continuava lá animada com roupas, sapatos, joias, e tudo o que tinha direito. 

Eu não sei como ela não cansava, olhei para os meus pés que tinham 4 sacolas médias e uma pequena, não precisava dizer que foi a Chae que me perturbou para comprar. Olhei novamente para o relógio, marcando 14:20. Suspirei alto e segui em direção à Chae.

— Chae, eu já vou embora.

Ela assentiu e eu aposto que ela não ouviu, estava tão concentrada vendo mais roupas que nem me ouviu. Mandei uma mensagem para o Seung Ma pedindo que ele me buscasse, alguns segundos ele respondeu dizendo que já estava a caminho é que era para eu esperar ele na porta do shopping. Fui para a entrada e fiquei lá parada até ele chegar.

Ele chegou e eu fui direto para o carro, colocando as sacolas no banco de trás e sentando no mesmo. O percurso foi rápido, quando chegou na casa da Chae, ou como poderia chamar por um ano, a sua casa, tomou um banho para tirar as impurezas, comeu e foi fazer o que ela mais gostava, dormir.

[...]

~ Uma semana depois ~ 

Uma semana foi o suficiente para que eu me acostumasse com o fuso horário, surpreendentemente rápido demais para um estrangeira. Já havia me acostumado com os olhares, apesar de odiar ser o centro das atenções. 
Passei o final de semana conhecendo os pontos turísticos de Seul, conversei com os meus pais e minha irmã, eu definitivamente não sabia que iria sentir tanta saudade. Os meus amigos estavam loucos, dizendo que eu fazia uma enorme falta, exagerando sempre que podiam.

Acordei feliz por hoje ser o meu primeiro dia de aula, eu estava ansiosamente ansiosa para saber como seria a minha nova escola, meus novos amigos, novas experiências. Enfim. Tudo novo.

Liguei a torneira e enchi a banheira um pouco acima do meio, o suficiente para tomar um banho que não seja um banho de gato. Entrei, relaxando o meu corpo que se arrepiou todo ao entrar em contato com a superfície fria. Me molhei e me ensaboei calmamente, depois me molhei novamente com a finalidade de tirar a camada de sabão que estava pelo meu corpo onde a água não alcançava. 

Logo depois disso, peguei a minha toalha e me sequei. Fui até a gaveta onde ficava as minhas roupas íntimas para escolher uma digna de ser vestida. Acabei por escolher uma azulzinha pastel com detalhes brancos de renda. Vesti e peguei meu uniforme: Uma blusa branca formal, uma saia vermelha quadriculada que ia até no meio das minhas pernas, uma gravata da mesma estampa da saia e uma meia três quartos. O uniforme se destacava no meu corpo, eu não tinha lá aquele corpão, meios seios sempre foram com os tamanhos médios e minhas pernas redondinhas. Por mais que eu não fosse considerada, e nem queria, parecer uma Kardashian. Eu gostava do meu corpo. E aquilo bastava. 

Voltei para o quarto, olhei para o relógio que eu não tirava do meu pulso, já eram 7:10. Tinha apenas 40 minutos para terminar de me arrumar. Acordei a Chae e quando eu disse a hora ela quase deu um treco, reclamando que era para eu ter acordado ela mais cedo e blá-blá-blá. 

Sentei na frente da penteadeira pensando em que penteado eu iria fazer no meu cabelo. Um rabo de cavalo seria muito simples para meu primeiro dia. Sempre gostei de me arrumar mais nos primeiros dias. Depois de tanto pensar no que eu iria fazer, resolvi apenas deixar ele solto mesmo. Meu cabelo não era pequeno, estava na altura da minha bunda. Gostava de cabelos compridos e também tinha vontades de cortar e consequentemente  me arrepender por não gostar do resultado.
Não iria de cara limpa, então fiz algo bem simples só para não me deixar com a cara " Acordei e vim ". Passei um rímel, delineador e batom. Era o suficiente, além do mais eu não queria roubar o emprego do Patati e Patatá.

Desci as escadas indo em direção à cozinha e a mesa já estava posta. O senhor Seung e a Senhora Kyung já deveriam ter ido para o trabalho. Peguei uma xícara, coloquei café e leite e peguei alguns biscoitos que estavam no pote. 

— Bom dia! 

Me virei para ver quem era. 

— Bom dia Seung Ma. — digo, sorrindo.

— Ansiosa? — Ele pergunta olhando para o meu uniforme.

— Só um pouquinho. Quer? — digo  corando e o ofereço o café.

— Não, obrigada. — ele diz dando uma risadinha.

Ficamos conversando e tomando o nosso café. Se a Kyung estivesse ali já teríamos tomado uma bronca daquelas por estar conversando na mesa. É regra: Nada de conversar enquanto estiver comendo. Mas, ficar com o Seung Ma e não conversar é impossível. Eu adorava a companhia dele. 

Quando estávamos terminando o café, a Chae chegou  com a cara emburrada, por eu não ter acordado ela. Ela disse que não iria tomar café, então só pegou uma maçã e comeu. Subi as escadas para pegar a minha bolsa, que eu já havia arrumado desde sábado por causa da minha ansiedade extrema. Peguei minha bolsa, meu celular, meus fones — Indispensável — e o dinheiro para o lanche. Desci novamente e finalmente fomos para a escola.
 
[...]

Em pouco minutos chegamos a escola, e eu fui rápido em direção à diretoria para pegar os meus horários prontos e para não ficar vermelha como um pimentão por tanta gente estar olhando para mim com a curiosidade no olhar. Cheguei lá e ela me deu além dos meu horários, o número do meu armário com a senha e as salas que ocorreriam as aulas.

Olhei o papel que estava escrito as aulas e hoje eu teria cinco aulas — normalmente  variavam de cinco a seis —. Duas de matemáticas, duas de estudos sociais — Uma antes e outra após o intervalo — e a ultima de música. Suspirei desejando mentalmente que os professores não fossem aqueles velhos chatos. 

— Seja bem vinda ao Colégio Baek S. Jo! — A diretora me diz — Sou a Yoon He Ra.

— Obrigada! É um imenso prazer. — digo saindo da sala e indo encontrar a Chae — que mesmo emburrada, fez questão de me esperar — e o Seung Ma que me esperavam na porta da diretoria.

 

...


Notas Finais


Primeiramente, se gostam da fic, comentem por favorzinho ❤️ Vocês não sabem o quanto me incentivam a continuar com a fanfic. ❤️
Um obrigada especial a minha melhor amiga e leitora, Livinha 💕 ( KimLivia)
Segundamente, provavelmente, se eu terminar de fazer o capítulo, ainda hoje eu posto a segunda parte. ❤️
Terceiramente, se vocês gostam de fanfics originais, deem uma lida na minha fanfic "O lado avessado da vida" que eu tinha parado e decidi continuar.
Bom, é isso!
Kissus da tia Isa 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...