História Nada Coreana- Imagine BTS - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine
Exibições 76
Palavras 1.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora TnT esse capítulo tem muita informação, não queria que ele ficasse chato então acabei escrevendo ele vaaaaaaaarias vezes.
Espero que gostem ^^

Capítulo 4 - Rever, repensar, respirar


Fanfic / Fanfiction Nada Coreana- Imagine BTS - Capítulo 4 - Rever, repensar, respirar

    Entrei na sala indicada pelo Produtor, um homem estranho. Após abrir a porta para mim, indicou uma cadeira ao lado da cabeceira da mesa triangular de acrílico preto brilhante, onde ele já se encontrava.
-S/N! Como foi a viagem? - Bem humorado, como previsto.
-Foi bem, obrigada.- sorri.
-Vejo que seu coreano é bom. Eu tinha ouvido boatos mas fui realmente surpreendido agora- elogiou.
-Obrigada novamente.- sorri abaixando levemente a cabeça em forma de agradecimento. -Digamos que eu era bastante ligada à cultura coreana.- acrescentei.
-Era?
-Sim.
- Por que não mais?
-Acho que um dia a gente cresce e para de sonhar coisas idiotas. Finca os pés no chão e engole a realidade. -ofereci essa última parte com um sorriso forçado. Uma pequena pausa na conversa. -Bem! -bati palma para quebrar o clima.- Estou convencida de que não estamos aqui para falar de fotografias velhas- o homem gargalhou alto.
-Certamente.
-Então, pelas informações que recebi, deseja um conjunto de obras, -imagem pequena pausa- e não queria dar qualquer informação por telefone. Estamos no zero. - sorri esperando a resposta.
-Creio que a obra fica mais bem feita depois de uma descrição ao vivo. E quanto antes melhor.- continuou- Na verdade são quatro obras. Faremos uma nova sede, em um local mais movimentado, e com mais espaço para audições e salas de treinamento. Nessa sede, no subsolo, deverá ter uma sala, não muito grande, mas com um bom acústico, o som deve ser perfeito. -ele exigiu - novos talentos vão ser iniciados lá.
- Entendo- anotei isso e os diversos outros detalhes.
-O segundo é uma reforma na antiga sede para abrigar os trainnes. Vai ter dormitórios, cozinha e um refeitório. Como uma grande fraternidade.
-certo...- ainda anotando.
-a terceira construção deverá ser um conjunto de estúdios. Vão ficar mais afastados da cidade, em uma zona rural, para ampliar a criatividade. Este deverá ter um formato interessante: dois instrumentos musicais.- acrescentou sorrindo
-Wow, isso vai ficar legal.- gargalhei de leve- vai ser difícil mas vai ficar divino.
-essa é a intenção. -comentou estalando o dedo médio no polegar.
-mas e o último?
-ah sim! Esse não sou eu que decido - sorriu e apertou um botão no aparelho de telefone fixo na mesa.- Soo, peça alguém pra chamar os meninos pra mim?... Obrigado.- desligou o telefone- tenho que admitir que você superou minhas expectativas.- gargalhei alto.
-por que?
-Jovem demais e conversa tão bem, tem tanta responsabilidade- um sorriso- é bom conhecer uma das Worderful Sisters. -ri de novo.
- esse apelido é um tanto bobo, uma repórter que não gostava de mim o colocou; e tenho que ceder e dizer que fizeram um bom trabalho, ele pegou. -ele riu.
- Sim.- ouvimos duas batidas na porta, deu a confirmação de entrada.- Chegaram!- ele se levantou.- estes são BTS.- estendeu as mãos, indicando os garotos que me virei pra ver. Eles entraram e curvaram seus corpos, em uma forma de respeito comum na Asia. Caminhei com o produtor até mais perto, ainda analisando os clientes por ordem de chegada, até perceber três rostos conhecidos no meio.
    Sério? Os garotos da festa? Concentre-se S/N, trabalho primeiro. Mas foi depois de ver Jungkook que consegui me acalmar, ele parecia pior que eu e isso ajudava. Mas aí vi Yoongi, com um sorriso indecifravel no rosto. E todas as minhas palavras no escuro e calor voltaram a tona, como um tapa. Concentrei todo o calor do rosto nas orelhas. Jimin acenou de leve e retribui, logo outros 3 garotos vieram me cumprimentar.
-Essa é S/N, - me indicou- ela representa a empresa que vai fazer um conjunto de obras para a BigHit, inclusive a casa de vocês.-só sorria e acene S/N- vou deixar vocês aqui para conversar- e saiu apressado. O ar era espesso na sala.
-então... -comecei a tentar quebrar o clima- como vo-
-VOCÊ É A GAROTA DO CLUBE!- Taehyung gritou apontando em minha direção, aparentemente notando minha presença só agora. Me sentei e bati a cabeça na mesa.
-isso não deveria estar acontecendo. - bati de novo- porra universo.- alguém se sentou ao meu lado, cruzou os braços e deitou ao lado de onde minha cabeça se encontrava. Não me dei ao trabalho de distingui-lo.
-Talvez seja o destino.- era Yoongi. Ele gostava de me provocar.
-vai a merda.- disse baixo.
- o que disse? - o garoto chegou mais perto. Se recomponha S/N.
- disse que temos que começar a decidir como querem a casa- melhorei a postura.- vamos pelo início. Sou S/N responsável pela construção do conjunto imaginado pela BigHit.- eles se sentaram nas cadeiras- inclusive a casa de vocês.
-Certo... Eu sou Kim Namjoon,o líder desse grupo- comentou um garoto de cabelos prata, estendendo a mão- prazer- apertei sua mão.
-igualmente- sorri e passei os olhos para o próximo
-Kim Seokjin- um garoto loiro, bonito. Apertei sua mão ainda sorrindo. Próximo.
-Jung Hoseok- esse tinha cabelos pretos e para o alto, e um sorriso realmente contagiante.
-Park Jimin, legal te ver de novo, haha- o loiro do elevador. Dei uma risadinha curta e passei para o início do trio.
-Kim Taehyung- apertei sua mão- quantos anos você tem?- perguntou, sem soltar minha mão.
- Falta de educação perguntar- sorri e tentei me soltar. Sem sucesso. -tenho 22- ele sorriu e largou. Pude ver a surpresa de todos na mesa.
-Jeon Jungkook, mas você já sabe. - ele parecia aborrecido e envergonhado. Apertou minha mão sem me olhar nos olhos e ofereci-lhe um olhar compreensivo. Sabia o que ele estava passando e ele continuava fofo quando em dificuldade.
- Min Yoongi.- apertei sua mão. O garoto de açúcar e limão.- Faz faculdade?
-sim- olhei o relógio.- Oh, já são 12:40, preciso falar com o chefe. Bom, esse são meus números- entreguei um cartão- se tiverem alguma idéia sobre a casa me liguem ou escrevam em algum lugar e nos falamos na reunião. Ainda vamos marca-la.
-Você vai acompanhar toda a obra com a gente?
-Não, senhor Jung Hoseok- sorri para ele- inicialmente vou ficar aqui, uns três dias, depois virá um representante, com um tradutor, ocupar meu lugar.- olhei o rosto de cada um tradutor.- bom senhores, foi bom conhece-los-  ofereci-lhes um sorriso.- Agora preciso ir. - fiz uma reverência e saí da sala, do prédio, da situação.

Seokjin pov on

    Foi a conta de S/N sair e pude ouvir celulares sendo pescados em bolsos e levantados da mesa. Olhei ao redor e, com os olhos focados nas telas, os demais membros digitavam rapidamente qualquer coisas.
-o que estão fazendo...?- perguntei.
-Ela é sub-CEO da Earth Corporation! - Nam comentou, bastante surpreso e animado.
-Que empresa é essa?- Hoseok questiona.
- A maior parte das pessoas conhece por Heaven e Ground. Yoongi respondeu- Ela coordena a segunda e a irmã a primeira.
- Heaven...- Jimin mordia a ponta do polegar.- É A MARCA DOS COSMÉTICOS!- ele apontou o dedo para Jungkook como se tivesse encontrado a cura do câncer.
-E da rede se salões, editoras, SPAs...- o maknae continuou.- mas e a Ground?
- A Ground é responsável por construção, engenharia, montagem de máquinas e robôs, é responsável famosa na indústria de jogos também. Além disso cuida do marketing e da administração da corporação.- Namjoon esclareceu- É bem jovem pra tudo isso.
-Wow...- todos comentaram e alguns segundos de silêncio se passaram.
- Brasileira- Tae soltou. Todos olhar surpresos para o único que não havia falado nada até agora- olha - virou a tela em nossa direção e todos se apoiaram na mesa para ver mais de perto.

Jin pov off

Autora pov on

-Por favor, pare aqui- pediu S/N ao motorista do táxi.
    Era uma plataforma de madeira que beirava o Rio Han. A tarde estava ensolarada e o calor não incomodava a garota acostumada ao sol de casa. Sacou o telefone e ligou para o CEO.
-Pai? -disse depois da pergunta tradicionalmente dita por quem atende- É a S/N.- apoiou nas barras de segurança da plataforma.
-Oi filha, tudo bem?
-aham, a reunião foi boa. Mas quero voltar. Como é a pessoa que vai me substituir aqui? - sorri esperando a descrição bem humorada de algum engomadinho que ele detesta, mas só o que veio foi uma pausa muito grande.- Pai? Tá aí?
-Então filha...- suspirou- não conseguimos ninguém competente- outro suspiro- você vai ter que passar mais algum tempo aí. A obra é grande, não posso colocar nas mãos de qualquer um.
    A ligação terminou sem despedida, somente um ploft causado pelo choque do aparelho na água do rio, que brilha pelo mesmo sol que uma fez refletiu no celular e agora guarda sob os raios uma garota estressada e com ódio, e que está pegando o celular reserva na bolsa, tocando, desesperado, a chamada do pai de S/N

Autora pov off


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e mais uma vez desculpem a demora '3'
Suas opiniões são sempre bem vindas ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...