História Nae jag-eun dongne (imagine Jung Hoseok) - Capítulo 20


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Comedia, Drama, Romance
Visualizações 37
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sadomasoquismo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mano
Mano
Mano
Mano
Só leia

Saranghaeyo 🖤

Capítulo 20 - Lado negro da manhã


Fanfic / Fanfiction Nae jag-eun dongne (imagine Jung Hoseok) - Capítulo 20 - Lado negro da manhã

— Mais uma vez unnie! - Yang mi não cansava. Já havia dançado “Not today” cinco vezes e mesmo assim, ainda conseguia errar. E quando isso acontecia eu tinha que voltar a coreografia dês do início.

 

— Chega! Eu já nem consigo ficar de pé! - eu disse num tom autoritário para que a mesma soubesse que eu não estava brincando 

— Tem certeza unnie?

— Absoluta...

— Okay, que horas são? Talvez de pra passar num restaurante ainda. 

— Você tem o dinheiro pra isso?

— Eu trabalho em um restaurante, nas horas vagas, unnie... Você poderia pegar uma sobremesa, que não passe de um certo valor alto... eles descontam do meu salário sabe?

— Não precisa se desculpar. O que estou preocupada neste momento são minhas pernas. Preciso me apresentar no final deste mês, e mesmo assim, ainda erro os malditos passos...

— Unnie, você nunca esteve tão determinada a esfregar algo na cara daquela vaca, e eu não tiro sua razão. Mais não desista. Não agora. 

— Eu vou para meu dormitório. E melhor. Eu já estou Cansada e preciso descansar. Até mais ver Yang mi. 

— Até amanhã Hyeon-ju -  A mesma acenou animadamente para mim, que em troca, dei um minúsculo sorriso. 

 

Eu precisava toma um longo banho. Mais ainda não sabia o que faria no final do dia. Já estava meio tarde , mais eu poderia estudar, talvez ir na biblioteca central, já que eu sempre gostei de ler.

 

Tomei um banho relaxante e sai, com a toalha enrolada em meu corpo. E assim que coloquei a máscara preta, peguei meus fones, e coloquei qualquer música para tocar. Mais a bendita seleção aleatoria foi sempre em uma música, Do i wanna Know do Arctic Monkeys. Eu não entendi, mais deixe-me levar pelo ritmo. 

 

“ Suas bochechas estão coradas?”

 

Naquela frase, me lembrei do ocorrido, na despedida do dormitorio dos meninos. Quando chegamos aqui, na faculdade. Eu nunca tinha passado por tanta coisa, e fiquei feliz por ver algum lugar conhecido. 

 

Mais o abraço de Nan Joon não saia de minha cabeça. Foi um abraço tao apertado. Parecia que, ele não queria me soltar de maneira alguma. Aquele homem tinha o semblante tão dominador. Seria assim também com outras? 

 

Dominador era uma palavra que o definia bastante, por vista. 

 

Estava tão presa em meus pensamentos que nem vi quando cheguei na biblioteca. Quando dei uma reverência a moça que ficava na recepção do local, fui em uma seção que demarcava “Romance”. 

 

Me lembrei de minhas duas melhores amigas que deixei, infelizmente, no Brasil. Elas estariam como? Será que minha amiga Sun Hee tinha passado na faculdade que tanto queria? 

 

Não posso prosseguir, por um par de olhos de observa e agora chama minha atenção. 

 

— Hyeon-ju? - Era meu professor de Gramática. Meu ex vizinho. 

— Ah, olá professor! Como vai? - Não forcei um sorriso amistoso, mais o mesmo sorria bastante e parecia contente ao me ver. 

— Vou bem, obrigada. E minha aluna mais dedicada como vai? 

— Na mesma - Disse de ombros, em quanto, o mesmo puxava uma cadeira para se sentar. 

— Como vai a dança? 

— C-C-Como o senhor sabe?? - Eu disse em meio a gaguejos. Será que ele havia visto o que se passava na sala de dança de noite??

— Eu vi na folha de inscrição, que fica na sala dos professores. Por que? 

Dei um suspiro de alívio mais logo me contive em responder

— Não. Nada... como vai no apartamento? Ainda lá?

— Ah sim. Ainda. Mais esses dias precisei sair, o melhor amigo de meu irmão está passando por dificuldades. E você como vai na vida pessoal?

— Bem parada...

— Espero que isso mude...

— Eu também espero. Em todo caso, mande melhoras a seu amigo. 

— Coitado, estava tão mal quando fui vê-lo em seu dormitório. 

— Mande melhoras ao mesmo.

— Mandarei sim. Bom, a conversa foi ótima mais preciso ir, fique bem...

 

Ele se levantou e foi me dar um pequeno comprimento, mais ao passo que me levante, fui dar um pequeno selar em sua bochecha, mais o mesmo virou-se no instante exato, e se não fosse por meus reflexos rápidos, teria acontecido algo que não seria legal comentar ao tardar. 

 

— M-m-me Desculpe, eu não tive essa intenção - Ele disse em meio a suas bochechas que coravam a cada instante, e creio que comigo, não era diferente. 

— E-e-e-eu que peço desculpas, se me der licença eu...vou troca esse livro! - Disse e o olhei mais uma vez. Dei uma pequena reverência, e fui em direção aos livros. 

— Ei, espere! - O mesmo gritou fazendo-me, se virar para vê-lo.— Vejo você amanhã na aula? 

— Sim...

— Hum... Okay então. Passar bem... - Ele se aproximou novamente, mais desta vez sussurrou em meu ouvido - Desculpe novamente - Me deu um demorado beijo na bochecha e colocando sua máscara, saiu dali: 

 

Eu não digeria o que havia ocorrido ali, até que meu celular toca. 

 

— Oi pirralho, por que não me ligaram mais dai do Brasil? - Parei para ouvir meu irmão - É uma piada né? Diga que é?...diga que isso é mentira... - Lágrimas caíam de meus olhos - por favor - disse em meio a sussurros - Diga que isso é mentira...

 

Já era tarde, estava em prantos, quando novamente sua voz me cortou de meu choro silencioso em meios a livros, e mais livros

 

— Eu não vou conseguir voltar a tempo. Por favor, mande rosas em meu lugar...

 

— Mamãe... - Foi tarde de mais para falar algo. Já estava no fundo da biblioteca gigantesca, chorando silenciosamente. Minha mãe era jovem de mais para morrer... 

 

Deveria ser uma piada. Só poderia. 

 

Eu precisava sair dali. Precisava ir para qualquer lugar longe dali. 

 

Sai em disparada pelas ruas, eu já não sabia que expressão fazer, ou para que direção andar. Eu só... queria sair dali o mais rápido possível. 

 

Cheguei no local que me lembro brevemente de ter visto Hoseok chorar, lugar tão belo, mais com lembranças ruins. E agora, ainda mais. 

 

Cheguei-me perto de uma árvore e escorreguei pela mesma até chegar ao chão. Eu estava sem pés. Meu mundo, estava sem sustento. 

 

Eu queria chorar, queria apenas, chorar até meus olhos doerem. 

 

— Você é fraca Hyeon-ju. Uma fraca. Está chorando publicamente, com risco de ser vista. Você é uma fraca. 

 

Um carro parou diante dali. Com os faróis fortes de mais para poder enxergar algo não levantei minha cabeça. Nem queria. Mais ao passo que alguém me chamou, levantei-me o olhar 

 

Era Nan Joon. 

 


Notas Finais


Por que eu tenho que fazer essa personagem sofrer tanto,? ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...