História Nalu - Um Novo Amor - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Amor, Happy, Lisanna, Lucy, Medo, Morte, Nali, Nalu, Natsu, Romance, Sofrimento, Tragedia
Exibições 215
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi meus amores muito, obrigada pelos 105 favoritos ❤ e os comentários lindos de vocês ❤

Bem o capítulo que eu ia postar agora seria: " Gato Azul" mas eu resolvi fazer esse para falar um pouquinho da Cana❤ Então hoje terá dois capítulos🎉🎉🎉🎉🎉 ( se minha net não acabar)

Boa Leitura

Capítulo 5 - Cana sendo Cana


 Lucy e Igneel conversaram o tempo todo, Natsu só ficou com seus fones ouvindo suas músicas é vez ou outra olhava a loira, ele tinha que admitir, ela era linda assim como ela.

 Depois de muito conversar Igneel pediu ao motorista para deixar Lucy na casa da amiga Cana, quando chegaram Lucy e Igneel sairam do carro e o motorista retirou as malas de Lucy da limousine e colocou em frente ao prédio.

 Lucy — Muito obrigada senhor Igneel! — sorriu em forma de agradecimento.

 Igneel — Não foi nada e não precisa me chamar de "senhor", me sinto velho. — riu. — Bom… Foi um prazer te ver é conversar com você Lucy.

 Lucy — Eu que digo. — sorriu — Espero que possamos nôs ver mais.

 Igneel — Qualquer coisa que precisar ligue e não se esqueça de mandar meu abraço pro seu pai. — disse irônico.

 Lucy — Pode deixar.

 Ambos encararam o rosado que fitava um ponto qualquer da limousine.

 Igneel — Natsu! — repreendeu o rosado mais novo que bufou e olhou para a loira e fez um leve movimento com a mão, o rosado estava comcozinhaa "não to nem ai" e foi mecher em seu celular, Igneel pediu desculpas mais uma vez pela falta de edução do rosado e se foi.

 Cana morava de aluguel em um sobrado, a morena já tinha feito uma copia da chave para a amiga. Com muita dificuldade Lucy conseguiu carregar as malas já que não tinha ninguém para ajudá-la, Lucy usou a chave para abrir, tudo era bem simples, uma sala, conzinha americana, varanda, dois quartos e um banheiro. 

 Lucy — Cana? Cheguei. — adentrou e junto com as malas mas não obteve resposta, Lucy deixou suas malas na sala caminhou até a cozinha e não encontrou a morena, se dirigiu ao corredor onde dava acesso aos quartos e o banheiro, viu que a segunda porta estava encostada, ela se aproximou e deu um leve empurrão na porta e deixou uma fresta amostra, ela olhou e viu Cana deitada de um jeito esquisito e de lá escutou um ronco. — Ela deve estar dormindo, melhor não acorda-la. — pensou. Lucy se virou e foi para a porta do lado, ela adentrou e viu que o quarto era em um leve tom de rosa, uma janela com cortinas brancas abaixo uma cama de solteiro, ao lado estava um guarda-roupas marrom claro com três portas de correr e um espelho no meio, do lado direito uma penteadeira com um espelho e algumas gavetas na cor branca, e ao lado da porta uma mesa com uma cadeira giratória. Lucy sorriu e voltou a sala e levou todas as suas malas para dentro do quarto, ela tirou poucas coisas da mala e guardou, ela não iria arrumar tudo, logo iria ir para seu apartamento. Depois de tudo arrumado Lucy pegou uma toalha, um sabonete junto com uma bucha e seu shampoo, se despiu e se enrolou na toalha, saiu do e se dirigiu ao banheiro, iria tomar um banho.

 Lucy e Cana são melhores amigas desde crianças mas Cana se mudou para Magnólia para fazer faculdade de medicina a 4 anos, mas digamos que a morena não se deu muito bem e acabou desistindo, agora ela tem um grande sonho de se tornar modelo. Cana e morena, dona de longos cabelos castanhos escuro ondulados,olhos da mesma cor e tem um corpo escultural.

 Cana acordou assustada ouvindo um barulho de água caindo, rapidamente se levantou e agarrou um garda-chuva que estava ali perto, abriu a porta e saiu de mansinho foi até a porta do banheiro e escutou uma voz feminina cantando, Cana ficou com uma gota na cabeça e se escorou na parede ao lado esperando a pessoa sair. Lucy saiu do banheiro e nem percebeu Cana, a morena pulou e apontou o guarda chuva para a loira que estava de costas.

 Cana — Há… — Assustou a loira que se virou deu um salto pra trás, Cana apertou o botão e o guarda-chuva se abriu rapidamente fazendo a loira cair no chão e derrubar suas coisas. — Peguei você! 

 Lucy — Cana! — gritou assustada.

 Cana — Lucy?! — encarou a loira no chão. — Oque faz aqui? — perguntou confusa.

 Lucy — Você não se lembra? Eu vim passar um tempo com você até meu apartamento estiver pronto. — disse recolhendo suas coisas.

 Cana — Ah… Ai, desculpa Lu eu esqueci de te buscar no aeroporto. — se lamentou.

 Lucy — Tudo bem. — sorriu.

 Cana — Tudo bem nada, eu sei quem e o culpado disso. — disse irritada caminhado pro quarto, Lucy seguiu a mesma e viu ela indo até a cômoda e peguando o despertador. — Por causa de você eu não fui pegar a Lucy no aeroporto! E olha que você já me fez perder compromissos importantes e quando me é útil eu chego atrasada. — gritava com o despertado enquanto apontava para o mesmo. Lucy encarava tudo com uma gota na cabeça. A morena caminhou até a janela com o despertador em mãos e abriu a janela e encarou o aparelho. — Já tem um bom tempo que eu quero fazer isso com você. — disse e arremessou o mesmo pela janela, Lucy se espantou, o despertado acertou em cheio a vidraça de um carro que passava na rua, o motorista perdeu a direção e bateu em um hidrante que jorrou água para os lados, o motorista saiu do carro furioso e encarou Cana.

 Motorista — Ou sua loca, olha oque você fez! — apontou para Cana.

 Cana — Eu não fiz nada, você que foi idiota e passou o carro bem na hora que eu joguei essa droga! — gritou da janela.

 Motorista — Você vai pagar os danos do meu carro maluca! — arfimou bravo.

 Cana — Eu não vou pagar nada seu velho maldito! Aqui ò — mostrou o dedo do meio pra ele e fechou a janela, Cana ouviu o velho gritar " — Você me paga! " mas nem ligou. Ela se virou e encarou Lucy que estava chocada. — Resolvido. — disse batendo as mãos. — Lu querida que prazer te ver depois de todos esses anos. — Disse se aproximando da loira. — Senti tanta saudades. — disse abraçando apertado a loira que não entendeu nada. — Olha, eu vou tomar um banho e depois agente conversa ok? A casa e sua sinta-se a vontade. — sorriu se separando da loira e pegou sua toalha no guarda roupa e saiu do quarto.

 Lucy apenas deu um sorriso bobo e disse: — Não mudou nada… Cana sendo Cana.

 A loira saiu do quarto e foi para o seu, a loira vestiu um vestido azul florido, uma sapatilha bege e deixou seus cabelos soltos mesmo. Lucy foi para conzinha onde começou a preparar alguma coisa para as duas comerem, quando de repente Cana sai do banheiro com a toalha no corpo toda molhada e deixando um rastro de água pelo corredor. 

 Cana — Corre Lucy barata! — disse olhando o corredor.

 Lucy — Eu não tenho medo de barata Cana. — deu um sorrisinho.

 Cana — Mas essa voaaaa. — gritou apontando para a barata que apareceu na cozinha voando.

  Lucy — Kyaaaaaa! — pegou uma frigideira e Lucy e Cana correram para sala.

 A barata voava acima da cabeça de ambas enquanto corriam ao redor do sofá, elas deram mais de 5 voltas no sofá, Cana já cansada pegou a frigideira da mão de Lucy e acertou a barata no ar como se a frigideira fosse uma raquete e a bola a barata, a barata bateu na parede e Cana correu até ela e começou a pisotiar a mesma.

 Cana — Morre,morre ,morre,morre… — Dizia enquanto pisotiava a barata mais rápido.

 Lucy — Tenho certeza que ela já morreu. — disse com uma gota.

 Cana — Eu sei que ela já morreu, oque eu quero e pisotear a alma dela. — disse pondo mais força na perna para pisotear a barata. 

 Lucy suspirou. 

 Lucy — Cana sendo Cana.



Continua...





Notas Finais


Mais tarde postarei o outro, se eu ainda tiver net :P

Foi isso espero que tenham gostado❤ Beijos.

Leitores fantasmas apareçam!
Comentários?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...