História Namjoon is away - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, Kim Namjoon, Namjoon, Rap Monster, Rapmon, Sequestro, Vhope, Você
Exibições 226
Palavras 2.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


YAH PLAYA HATERS YOU SHOULD LOVE YOURSELF BRRRRRRRR

Penúltimo capítulo :c

eu realmente tô triste por isso :CCCCCCCCC

MASSSSSS
vai ter bônus.
tô mais feliz agora.

mentira, não tô.
eu formatei o celular e perdi todo o capítulo final e o penúltimo (esse).
ele estava pronto. :)
eu tô morrendo de ódio.
enfim, vou deixar vocês lerem. sz

boa leitura. <3

ps: perdão a demora.

Capítulo 17 - Capítulo XVII


Fanfic / Fanfiction Namjoon is away - Capítulo 17 - Capítulo XVII

NAMJOON

 

— Merda!

Kim chutou a cama com ódio. Amassou aquele bilhete e se ajoelhou no chão, respirando descompassado. Seokjin desceu correndo para o quarto que o mais novo estava. O olhou espantado.

— Namjoon, o que...

Monster jogou a folha amassada em Jin. Este logo a abriu e leu tudo o que estava ali, mas releu uma parte diversas vezes.

"...senão você será o próximo da lista junto ao TaeHyung."

O mais velho se aproximou, abaixando-se ao lado de Namjoon e acariciando seu ombro.

— O que você vai fazer?

— O que eu vou fazer?! Eu vou encher esse homem de porrada até que ele apague, nem que eu morra por causa disso.

Soltou a pressão que exercia nos próprios ombros e suspirou, derrotado.

— Eu sou doente ou anormal por amar alguém que eu fiz mal, hyung?

 

"No masters or kings when the ritual begins
(Nada de mestres ou reis quando o ritual começa)
There is no sweeter innocence
(Não há inocência mais doce)
Than our gentle sin
(Do que nosso suave pecado)
In the madness and soil of that sad earthly scene
(Na loucura e imundície dessa triste cena mundana)
Only then I am human, only then I am clean
(E só então sou humano, só então estou limpo)"

 

— Você ama a garota, não é?

— Muito.

— Isso não te faz doente. 

— Nem doente de amor?

— Depende.

— Depende do quê?

— Depende do que você for capaz pela pessoa.

— Eu mataria alguém por ela, até deixaria ela me matar porque eu sei que a fiz mal. Ela não deve gostar de mim... Ou deve?

— Joonie, eu...

Seokjin realmente não sabia o que dizer, nunca tinha se apaixonado de verdade. Queria muito ajudar o amigo, mas não sabia como.

— Vá atrás dela, eu te acompanho.

Namjoon levantou a cabeça e suspirou, tomando coragem para fazer aquilo de verdade.

— Obrigado.

 

JEONGGUK

 

— Tae, eu ganhei uma partida no League Of Legends pra você.

— Sério? — Taehyung perguntou.

— Que mentira, Jungkook! — Yoongi praticamente berrou. — Se não fosse por mim, teríamos perdido.

— Sei, sei... Você nem sabe jogar, hyung. Só sabe xingar.

— Okay então, perde a partida da próxima vez.

— Começaram a brigar por LoL de novo? Poupem-nos. — Hoseok deitou no sofá e deixou as pernas por cima das coxas de Jimin, que logo reclamou.

— Isso é porque não sabe jogar LoL.

— Eu não sei jogar LoL? Quem foi que deu pentakill da última vez?

— Todo mundo menos você, Hoseok.

— Menos! Eu não gosto tanto assim de LoL. — Taehyung reclamou.

— Chegou o que joga Dota.

— Olha aqui, Jeongguk, Dota é muito bom.

— Tá bom, Tae. Tá.

O celular de Yoongi tocou. Todos fizeram silêncio.

— Com licença.

Saiu do quarto e foi até fora do hospital para atender.

 

"— Olá, hyung.

— Yoongi, você está perto do Taehyung?

— Não mais. Por quê?

— Aconteceu algo com a irmã dele e a _______.

— O quê?"

 

Enquanto isso, Jeongguk discutia sobre o que havia acontecido entre Kim e Jung com os outros meninos.

— Olha só, Tae perdeu o cabaço.

— Me respeita, garoto. Eu já transei com muita menina, tá bom?

— Forçadamente, né. — Jimin riu e Jungkook acompanhou a risada, o dando um abraço.

 

"Taehyung estava sentado no balcão da boate. Sim, mesmo com gente ao redor deles, teria que transar com uma menina.

— Vai ficar parado mesmo?

— É que eu nunca fiz...

A moça riu.

— Normal. Vá com calma, eu te ajudo em tudo.

— Tudo mesmo?

— Sim.

— Okay... Só não conte pra ninguém sobre isso!

Tempo depois, Kim havia dormido e a dançarina já voltara ao meio do palco.

— Eu que não transo mais com ele, não ligo que o Hoseok tenha pedido. Não quero ouvir ele gemendo sobre One Piece de novo. Eu, hein."

 

TAEYANG

 

— Maltratei demais, foi?

Tirou o aparelho de dentro da moça, junto de seu membro, e a jogou novamente sobre a cama. Tocou apenas a cintura alheia e se inclinou, podendo penetrar novamente. Os gemidos que a outra soltava eram altos e soavam de forma magnífica nos ouvidos do rapaz. Tal que ao ouvir a morena pedir mais força, afastou o rosto dali para poder fitar os olhos cerrados da mais nova e seus lábios, apenas para se concentrar nas estocadas. 

— Shhh, fica quieta. Eu que decido aqui quem faz o quê.

— Menos, menos...

Sentiu novamente o liquido alheio molhar seu membro. Sorriu, gostava da sensação daquilo. As palavras que a outra desferiu o fizeram parar de usar tanto a força nas estocadas, ia mais calmo. O barulho da madeira da cama se chocando com a parede ia cessando.

— Eu só fui bonzinho agora porque eu vou piorar já, entendeu? Agora, fique calada. — assim que a garota fechou a boca, sorriu. — Boa menina.

Pressionou os dedos mais uma vez na cintura alheia antes de retirar o membro da entrada de tal. Inclinou o corpo e soltou os pulsos alheios. Depois disso, a viu se soltar na cama novamente, mas se apoiou nas mãos ainda. Levou o polegar e o indicador para o queixo alheio, o levantou e a deu um beijo. Não era romântico e nem pretendia ser, só queria sentir o próprio gosto na boca da garota.

— Eu gosto tanto de quando você quer ser minha submissa, Yang Mi.

Taeyang tinha de tudo para ser uma boa pessoa, mas algo fez com que sua alma gostasse do horror e a dor dos outros. Yang, consequentemente, era apaixonada pelo rapaz, tanto que o considerava o yin do seu yang.

— Venha cá, faça aquilo de novo.

Sentou-se na cama e pôs a moça em sua frente, logo empurrando a cabeça para baixo, mostrando o que queria. Mal havia começado com o que queria e ouviu um grito vindo do quarto ao lado. Taeyang, irritado, praticamente jogou a moça para o outro lado da cama e se levantou, irritado. Vestiu as roupas e abriu a porta do cômodo.

— Que porra foi essa?

Novamente, a irmã de Taehyung havia berrar — mesmo que você estivesse escondendo o rosto dela em seu pescoço.

— Pirralha, eu mandei calar a boca. Eu não quero saber se você quer a porra do seu irmão ou não. No final, os dois vão ficar juntinhos no mesmo canto.

Sentiu a boca de Eunjin abrir perto de seu corpo, então fez um barulho para que ela não falasse, mas, mesmo assim, a pequena Kim insistiu,

— P-promete?

— Prometo. Os dois de mãos dadas no inferno.

— Cara, você é nojento.

Finalmente se pronunciou, não ligando para as consequências daquilo.

— É o quê?

— Sim, nojento. Eu tenho ódio, nojo de você. Como você fode a vida daqueles meninos? Eles tinham um futuro brilhante pela frente. Quem que acaba com a infância de uma menininha por conta de trabalho? Você é doente.

Não sentiu logo no início, mas depois percebeu que havia levado um tapa no rosto. Não podia se defender, estava amarrada pelos pés e mãos.

— Calada ou eu te mato agora.

— Mata, mata logo. É bem melhor do que olhar pra essa sua cara de merda.

Taeyang se irritou.

— Repete. — já com a arma mirada na sua testa, ditou.

Unnie, não...

Abaixou o olhar e viu a pequena Kim ali, com os olhos cheios de lágrimas e implorando para que não repetisse.

— Você sabe que, se atirar, eu vou pra um lugar muito melhor, certo?

O pior é que tinha razão. Se livraria te tudo aquilo, ficaria mais tranquila.

— Só fique quieta se não quiser algo pior, vadia.

Eunjin se aproximou o máximo que podia e, ainda chorando, cerrou os olhinhos.

— Ele não vai me machucar, vai? — sussurrou a mais nova.

— Eu não sei, Eun, mas não vou deixar que ele faça isso com você. Eu prometo.

Não podia prometer, não podia fazer nada, não podia salvá-la, não podia cuidá-la, não podia protegê-la.

Mesmo que morresse, iria fazer de tudo para que Eunjin ficasse bem.

 

YOONGI

 

Entrou no quarto em silêncio, já arrancando gracinhas de Jeongguk.

— O que foi, hyung? Alguém morreu? — riu. 

Suga puxou o mais novo pelo pulso e o fez sair do quarto.

— Eu não aguentei ouvir, apenas leia essas mensagem, Kook.

Deixou o celular com Jeon e entrou no cômodo para ficar com os garotos.

 

"Jin hyung: Yoongi, ele levou a garota embora.

Jin hyung: A Eunjin também.

Jin hyung: O Nam surtou, ele está quebrando tudo aqui em casa.

Jin hyung: Eu não sei o que fazer, ele quer sair pra procurá-la. Vou junto.

Jin hyung: O Taehyung está bem? Fiquei sabendo o que aconteceu.

YoonGATO: Está melhor.

Jin hyung: Bom, não conte ao Tae e não deixe que os outros contem. Ele está frágil e isso vai abalar o emocional dele totalmente.

Jin hyung: Eu tenho mesmo que acompanhar o Namjoon nessa, ele não pode ir só. Ele acha que sabe onde o chefe está. Se algum de vocês quiser nos acompanhar, e é bom que isso aconteça, me pergunte onde estamos que eu digo.

YoonGATO: Tudo bem.

Jin hyung: Cuide do Taehyung bem.

Jin hyung: Caso a gente demore pra voltar, ou não volte, eu quero dizer que amo muito vocês.

Jin hyung: Ah, e deixe o Kook longe de doces de noite. Ele não dorme se comer besteira de noite.

YoonGATO: Eu te amo, hyung. Volte logo.

Jin hyung: Eu te amo também, Yoongi."

 

Jeongguk entrou no cômodo em choque. Só entregou o celular para Suga e sentou no sofá.

— Listen, boy...

— My first love story...

— My angel and my girls, my sunshine. Let's go!

Os meninos cantavam Gee de Girls' Generation, já que Taehyung adorava aquele grupo.

— Cante conosco, Kookie! Gee gee gee gee gee! Oh...

Esperou que o mais novo completasse, mas não obteve resposta.

— Yeah. — Hoseok completou e franziu o cenho enquanto olhava para Jeon. — O que aconteceu?

O silêncio predominou.

— Seokjin hyung proibiu que o Kook comesse doce de noite. — Yoongi disse, calmo.

— Ah! Bem feito! Ninguém mandou se entupir de comida e ficar passando mal depois.

— Eu estou realmente mal, Jimin. Não brinca, por favor.

— Triste por causa de comida? Sério?

E a cena de pouco tempo se repetiu, mas agora era Jeongguk puxando Park para fora do cômodo.

Ninguém podia acreditar que aquilo havia acontecido, nem mesmo o próprio Jimin — que era o que achava aquilo mais provável.

Durante a conversa dos dois, Taehyung e Hoseok se divertiam enquanto dançavam ao som de Gee. Yoongi gostou da cena e mandou um vídeo para Jin.

"YoonGATO: Nunca vi um 'sone' mais feliz que o Tae.

Jin hyung: Muito 'gee gee gee gee baby baby' pro Taehyung.

Jin hyung: TaeTae, fighting!"

 

NAMJOON

 

Namjoon corria pela rua. Ouvia os gritos de Seokjin vindo detrás de si, pedindo que ele fosse com calma.

— Não posso ir com calma! Viu que ele pode acabar com a vida de duas pessoas, hyung?!

Então, os Kim correram até não poderem mais. Houve uma hora que Monster não aguentava mais correr, então parou para comprar água. Bebeu em dois segundos e não deixou um gole sequer para o mais velho. Jin comprou uma garrafa e teve que tomar enquanto corria.

— Eu vou ficar com dor desviada e vai ser sua culpa. — reclamou o menor dos dois.

— Eu vou perder tempo e vai ser sua culpa.

— Nem vem me culpar por isso, nenhum de nós tem culpa do Taeyang ser um filho da puta e escroto.

— Você falando palavrão... Que estranho.

— Pois é, eu falo palavrões. — riu baixinho. — Eu estou irritado, me perdoe.

— Imagine eu. Eu só queria, sei lá, poder me desculpar.

— Por...?

— Por tudo, hyung.

 

"
Por respirar, desculpa, baby
Por estar saudável, desculpa, baby
Por estar na TV, desculpa, baby
Por tudo, tudo, tudo, desculpa, baby"

"Eu sou um monstro, o meu rabo é muito longo, baby
Você vai atirar em mim de qualquer maneira, baby
Nesse caso, acho melhor ir para um zoológico que seria mais confortável, baby
Você quer isso também, algo para me odiar, baby
Mesmo se não gosta de mim, você me conhece
Mesmo se não gosta de mim, você me conhece
Gosto de comentários de ódio mais do que sem comentários
Eu não te conheço
Mas você sabe meu nome"

 

Namjoon, então, levantou de onde havia parado para descansar e começou a andar normal.

— Não vai correr?

— Não, não agora.

— Ainda bem, a areia já estava entrando em meus olhos.

— Seokjin, eu...

Suspirou.

— Por isso que me chamo Rap Monster. Eu não sou só um monstro do rap, eu sou um monstro de verdade. Não sou?

— Namjoon...

— Eu nunca vou achá-la. Eu vou acabar matando-a. Eu sou um monstro.

— Nam, pare e...

— Eu sou inútil.

— Namjoon! — gritou. — Olhe!

Seokjin apontou para uma porta azul. Monster se espantou.

— Eu não acredito.

Então, os dois correram para atravessar aquela porta. Namjoon teve que derrubá-la com o ombro, afinal esta estava trancada.

— Retiro o que eu disse. Eu vou conseguir salvá-la.

— Eu sei que vai.

 

(...)

— Eu vou achá-la e tirá-la de lá, entendeu?

— Eu não sei onde ele está.

— Você sabe.

— Já disse que não sei, Monster. Você nunca vai achá-la.

— Eu vou, nem que eu tenha que matar você antes, JiYong.

 

 

 


Notas Finais


DEU PRA DAR SUSPENSE NO FINAL????????
ESPERO QUE SIM

qualquer coisa, @langeronimo é meu twitter *3*

ps: GEE GEE GEE GEE BABY BABY BABY
SOU MUITO SONE SIM
KIM TAEHYUNG TAMBÉM
TODOS MUITO SONES


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...