História Namorada por Acaso - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Amor, Casamento, Drama, Narusaku, Naruto, Romance, Sasuhina
Visualizações 476
Palavras 7.136
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Terminei o capítulo agora, demorou mais do que planejei.
AVISO: Esse capítulo não visa fazer estimulo de bebida alcoólica, apesar de fazer uso de bebida alcoólica nas minhas fancfic sou contra o uso de qualquer substancia que altera as pessoas. Gosto disso apenas na ficção, considero o álcool a primeira porta de passagem para outras drogas. Por isso se vocês estiverem lendo isso, por favor, não faça uso de álcool ou outras drogas, a ficção pode os tornar atraentes, mas na realidade só serve para destruir você.
Boa Leitura!!

Capítulo 23 - Surpresas de Halloween


Surpresas de Halloween

 

    O treino está sendo complicado hoje, pela primeira vez recebi presentes das fãs de Sasuke. Não são para mim, mas sim para o bebê que elas teimam em não aceitar que não estou esperando. Trombar com Chino virou minha vida de ponta cabeça no colégio Konoha.

 

    Naruto não veio a aula hoje, assim como Chino. As notícias que mandaram por mensagem são de que está tudo bem, que foram fazer um exame de sangue pela manhã e colocaram as duas famílias para discutir algumas coisas.

 

    —Hinata água. —Sakura gritou. Ela também está abalada com tudo que aconteceu, ninguém estava esperando que Naruto fosse se tornar pai antes mesmo de terminar o colégio.

 

    Ouvi o latido de um cão, pareceu tão familiar, como uma lembrança viva de muito tempo atrás. Virei-me em direção ao som com pressa, não podia ser o que minha mente teimava em pensar. Akamaru estava longe demais para estar latindo na quadro, mas tive uma grande surpresa.

 

Lá estava meu amigo e seu fiel companheiro, corri até Kiba o envolvendo em um abraço de saudade. Como havia sentido falta dele, parecia até um milagre o ter ali na minha frente, alguns centímetros mais altos, com os ombros mais largos e o mesmo sorriso de quando nos despedimos.

 

—Hinatinha que saudades. —Kiba diz quando ainda não fui capaz de o soltar por completo.

 

—Porque não me avisou que vinha? —digo ao limpar as lágrimas que escorreram sem que eu pudesse controlar.

 

—Assim não seria uma surpresa. —Ele me abraçou ainda mais forte e dessa vez me rodou no ar. —Akamaru também sentiu sua falta.

 

—Au, au. —Ele latiu quando ajoelhei no chão para o abraçar também.

 

—Vem aqui menino. —Quase ganhei um beijo canino com toda a pressa que ele teve de dizer da sua forma que sabia quem eu era. —Não esperava vocês dois até o fim do ano.

 

—As aulas terminam antes lá. E já estava com saudades de casa, então fiz as malas comprei uma passagem e aqui estou —fala como se tivesse passado um final de semana fora e não meses como foi na verdade.

 

Olhei para o meu amigo e ainda não acredito que seja verdade, que ele esteja na minha frente como se nunca tivesse me deixado sozinha aqui. Mesmo que eu tenha acompanhado toda a sua viagem por fotos e contato toda minha vida para ele, tem tanta coisa que quero falar com ele.

 

—Então o lance do namoro é sério? —Kiba perguntou brincalhão quando meu namorado está do meu lado e eu não havia percebido.

 

—Muito sério. —Sasuke passou o braço sobre meus ombros, aquele era um sinal de possessão que não me agradou.

 

    —Espero que cuide bem dela. —Ele pareceu zangado com Sasuke ao dizer isso.

 

    —Quero que você faça o mesmo, você é o melhor amigo dela, espero que possamos nos dar bem. —Sasuke tirou o braço de mim e estendeu a mão para Kiba que o olhou com desconfiança. —Hinata é muito importante para mim, e quero apenas que ela seja feliz.

 

    —Eu posso dizer o mesmo. —Meu amigo apertou a mão do meu namorado com um sorriso de orgulho. —Esse imbecil parece mesmo gostar de você.

 

    —Não parece, eu realmente gosto muito dela. Seja bem vindo. —Sasuke diz antes de voltar para o treino e nos deixar sozinhos.

 

    Não que dure muito tempo, todo o time vem correndo para o ver e quero o tirar logo de perto deles para podermos conversar. Akamaru acaba por receber carinho de todas as lideres de torcida, e parece gostar muito que acariciam seus pelos brancos.

 

    —Ele voltou ainda mais gostoso. —Ino diz enquanto o olhava com um sorriso e olhar malicioso. —E ainda gosta de animais, vai dizer que não é perfeito?

 

    —Ele não é tudo isso. —Uma das garotas fala.

 

    —O que acha Sakura? —Ino tentou uma terceira opção. —Sakura? Está no mundo da lua hoje.

 

    Sakura não dá ouvidos a nada, entendo o que ela está pensando. A gravidez de Chino também não sai da minha cabeça, fico me colocando no lugar dela, se eu tivesse transado com Naruto aquele dia, se eu ficasse grávida do Sasuke agora. São pensamentos que grudam na cabeça e acabam não nós abandonando por nada.

 

    —E vocês parecem muito muito íntimos? —Ela diz com um tom de voz nada agradável. —E fez Sasuke ficar com ciúmes, acho que nunca o tinha visto vermelho. Aquilo era raiva? —Dessa vez Ino usa apenas de maldade mesmo. —Vai dizer que nunca rolou nada entre vocês?

 

    Não estou com humor para suportar a acidez dela, apenas finge que não é comigo, mesmo que minha face tenha ficado vermelha. Pela conversa na arquibancada não é de se admirar que amanhã vão estar pedindo para Sasuke fazer um teste de DNA no nosso filho que não existe.

 

Kiba entrou no lugar do Naruto e estão lembrando os velhos tempos. Não consegui fazer anotação nenhuma sobre o jogo, minha cabeça está rodando e só quero ir embora. Ficar longe da vibração desse colégio.

 

—Líderes de torcida? —Kiba perguntou ao se sentar do meu lado para beber água. —São todas gostosinhas.

 

—A loira gostou de você. —Não que eu ache que Ino vai ser boa para ele, mas também não posso deixar de falar.

 

—Quem sabe, soube que voltei a tempo para a festa de halloween na casa de Chouji. —Tinha me esquecido que o tempo que passamos separados nos mudou.

 

Ele enfrentou um colégio em outro país, que fala outra língua, teve uma quase namorada e passou por muitas outras coisas. E claro que ele não é mais o garotinho para quem eu disse tchau em lágrimas. E quando olhamos um no olho do outro descobrimos que o tempo mudou a nós dois.

 

—O que foi? —Ele vira a garrafa de água de uma vez e temos entre nós um clima estranho.

 

—Você não era muito fã de festas —digo ao perceber que talvez tenhamos mudado demais para fazer tudo como fazíamos antes.

 

—Só quero matar a saudade de todo mundo. —Kiba chamou Akamaru que veio correndo para o dono. —Quando eu sai daqui você era apaixonada pelo idiota do Naruto e veja agora. Tem um namorinho todo ciumento.

 

—Ele não é ciumento. —Tentei defender Sasuke.

 

—O cara chutou minha canela forte demais para um treino, e veio marcar território assim que cheguei. —Ele sempre deixou claro não gostar de Sasuke, mas só pessoalmente percebi que é uma antipatia grande demais.

 

—Não seja bobo Kiba. —Desmanchei seus cabelos e mostrei a língua para ele.

 

—Vai jantar em casa hoje? Podemos fazer uma sessão pipoca com um filme antigo e podemos colocar a conversa em dia. —Essa foi a vez dele desmanchar meus cabelos. —E claro se seu namoradinho deixar.

 

—É você quem está parecendo o ciumento aqui em. —Arrependi de ter dito isso, pela cara dele era exatamente isso.

 

***

 

—V-vou para a casa do Kiba hoje, prometo que amanhã te ajudo com as coisas do casamento —falei para Sasuke assim que ele saiu do vestiário.

 

—Avisou minha mãe? —Ele desviou o olhar do meu.

 

Nunca tive um namorado, não sei como agir nessa situação. Kiba é meu melhor amigo e Sasuke meu namorado, não posso escolher entre um. São duas pessoas com peso diferente em minha vida.

 

—E-está com ciúmes? —perguntei baixinho olhando para o chão. Se a resposta for sim, não tenho ideia do que devo fazer.

 

Ele não respondeu, apenas olhou para todos os lados e depois segurou minha mão nós fazendo andar rápido. Acabamos no mesmo lugar onde briguei com Sakura quando nosso namoro de mentira começou. Sasuke fechou a porta, quando percebeu que eu estava assustada fez questão de me colocar contra uma prateleira.

 

—Sa-Sasuke —digo ao sentir o aroma da sua pele perto demais da minha.

 

Ele desceu a mão por minha face, brincou com seu toque por meus lábios, os contornando com malícia. A chama em seus olhos negros, a aproximação do seu corpo cada vez mais perto do meu.

 

—Estou morrendo de ciúmes, quero ir lá fora e quebrar a cara de cachorro dele. Quero te levar para minha casa e nunca mais te deixar sair do meu quarto —sussurra quente na minha orelha.

 

Como responder a essa possessão? A voz grave contra minha pele, e depois aos beijos que dá no meu pescoço. Minhas mãos que sobem por sua nuca em direção a seus cabelos, lisos, molhados e sedosos.

 

—Hyuuga, vou te marcar. —Sasuke virou meu corpo contra a prateleira em um movimento rápido.

 

Quero que ele continue o que está fazendo, beijando minha nuca com lábios firmes. Aos poucos vou esquecendo a noção de tempo, do que estamos fazendo. Sasuke sobe a mão por meu quadril, até chegar a barra da minha camiseta. Seus dedos invadem devagar, chegando a minha pele com medo.

 

—Quero que me prometa uma coisa —sussurra antes de morder minha orelha.

 

E desse as mordidas por meu pescoço, vai deixar uma marca na minha clavícula. Entre mordidas e beijos suga minha pele para dizer que sou sua. Sua mão chega até o começo do meu sutiã, recua com pressa.

 

—Hyuuga. —Sasuke solta meu corpo entre um suspiro.

 

Estou tentando controlar minha respiração, virei para o encarar, mas não consegui fazer isso, apenas olhei para o chão. Seus dedos se entrelaçaram aos meus, sua pele está quente e sua face vermelha.

 

—Eu confio em você —diz olhando dentro dos meus olhos. Ele é a contradição em pessoa.

 

—Prometo —digo ao olhar para nossas mãos juntas.

 

—Promete o que? —Sasuke diz baixinho.

 

—Que sou su-sua —digo envergonhada. —Sou sua Sasuke.

 

Apertamos ainda mais nossos dedos uns contra o outro. É um toque forte e que diz muito sobre como estamos juntos de verdade. Dessa vez fechei os olhos, fiquei na ponta dos pés e toquei seus lábios com os meus.

 

Não sei nada sobre ser sua namorada, só que quero estar com ele. Sasuke aceita minha boca com cuidado, envolve meus lábios com carinho e aos poucos vamos invadindo a boca um do outro. Nunca pensei que fosse possível beijar alguém como o beijo, com vontade que seja para sempre.

 

—Melhor você não prender o cabelo. —Ele diz ao morder meus lábios.

 

—Ci-ciumento. —Passei a mão por meu pescoço e posso sentir a pele sensível.

 

Seus braços quentes envolta da minha cintura dão frio na barriga. Sasuke tem o dom de sempre causar uma reação nova em meu corpo, de provocar minha mente até que eu não saiba mais o que pensar.

 

—Não esquece Hyuuga. —Ele colocou a testa colada a minha. —Eu também sou seu. Agora vai aproveitar a noite com o seu amigo.

 

***

Ter Kiba de volta e como ganhar uma passagem para o passado. Ter Hanabi e Rin conversando ao nosso lado, com um filme que já assistimos mil vezes servindo de som de fundo e comendo pipoca. E como se nada tivesse mudado.

 

—Você gosta do Sasuke, Hanabi? —Kiba interroga minha irmã.

 

—Hinata namora o garoto mais desejável do colégio, além do mais ele me deu várias ursinhos de pelúcia e também vive me comprando chocolate. —Hanabi mostra o quanto e corruptiva.

 

—Ele é também comprou chocolate para mim. —Rin diz animada.

 

—Quando ele fez isso? —Não sabia disso e fiquei curiosa para saber mais.

 

—A primeira vez foi a muito tempo, ele perguntou se estava tudo bem com você e depois me deu um chocolate, então disse que era o nosso segredo. —Ela leva a mão a boca.

 

Deixou escapar um segredo que eu não fazia ideia. Apesar de saber dele ter falado que repara na minha existência a muito tempo, é estranho saber que ele roubava informações de mim com Hanabi. Por um lado fofo, por outro assustador.

 

—Vejo que meu voto não é válido aqui, até minha própria irmã prefere ele. —Kiba diz se fingindo de bravo.

 

—Você vai encontrar alguém.

 

—Pode me apresentar a loira. —diz esperançoso.

 

—Ela é meio fútil —digo sem pensar, não conheço Ino suficiente para pensar assim dela.

 

—Não estou dizendo que vou me casar com ela Hina. —Meu amigo me jogou uma almofada.

 

Voltei para a casa com a sensação que posso manter meu amigo e namorado. Sasuke me mandou uma mensagem de boa noite, li e reli aquela poucas palavras. Eu ganhei a aposta e ainda não pedi nada em troca, ele disse primeiro que estava apaixonado por mim e ainda parece uma ilusão.

***

 

Encontrei meu namorado no portão do colégio, está com as mãos no bolso e sendo observado por algumas garotas. Não posso negar que mesmo não se esforçando ele é lindo, os cabelos negros estão bagunçados, a calça jeans desgastada e a camiseta preta é tão comum como se fosse de loja de departamento. E mesmo assim ele é como um modelo sexy.

 

Não quis dizer sexy, mas quando ele me olha e lembro do que fizemos ontem. Essa é exatamente a palavra que combina com o leve curvar de seus lábios, um garoto sexy. O príncipe das trevas que aos poucos está tomando minha alma.

 

—Bom dia Hyuuga —diz ao beijar minha testa. —Bom dia pequena.

 

—Bom dia cunhado. —Hanabi diz alegremente.

 

—Bom dia. —Naruto está desanimado e essa é aprimeira vez que o vejo com o astral tão baixo.

 

    —Hinata. —Chino parece outra pessoa, está corada e feliz.

 

    —Oi —digo enquanto ela me abraça.

 

    —O médico disse que estou bem. —Ela olha para mim com olhos infantis enquanto sorri. —O clima com meus pais ainda está complicado.

 

    —Logo tudo volta ao normal e quando eles verem o bebezinho vão se apaixonar. —Acho que passei tempo demais com Mikoto, porque me sinto ela dizendo isso.

 

Chino segura a mão de Hanabi contra a vontade dela e diz que vai a levar para a sala de aula. Pensei em fazer algo, mas já era tarde e as duas deixaram meu campo de visão.

 

Acho que ela vai precisar amadurecer muito para cuidar de um filho, ainda não acredito que ela vai ter um filho com quinze anos. Aprendi a fazer arroz à corretamente a pouco tempo e não tenho ideia de como trocar uma fralda, é muita responsabilidade.

 

—Bom dia. —Sakura aparece atrás de nós no corredor. —Está tudo bem Naruto?

 

—Não. —Ele divaga em seus pensamentos. —Meu pai disse que vou ter que fazer um estagio ano que vem, nada de campeonato, minha mãe me matriculou em um curso doido onde vou aprender a cuidar de bebês.

 

—Não seja um idiota Naruto. —Ela surpreende a todos ao socar o braço dele.   —Porque nós vamos estar ao seu lado, Sasuke, Hinata e eu vamos te ajudar em tudo que precisar.

 

—Obrigado, Sakura. —O azul dos olhos dele ganha cor novamente.

 

    Tudo que passamos juntos parece tão distante diante do fato de que agora ele vai  ser pai. Sakura sorri para mim, ao incluir meu nome até parece que ela aceita o meu namoro com Sasuke.

 

    —Diz pra sua mãe que todos nós vamos fazer esse curso, afinal seu filho é nosso afilhado. —Ela respira fundo, vejo que está com olheiras. —Sempre pensei que seria chamada de tia por seu filho Naruto, só não esperava que fosse antes dos trinta.

 

    —Está falando sério? —Ele a olha com admiração.

 

    —Nós somos amigos desde crianças, tivemos catapora juntos, você estava no enterro do meu gato e também ao meu lado todos esses anos. —Sakura desviou os olhos verde dos deles, olhou para Sasuke melancólica. —Hinata agora é namorada de Sasuke e isso faz dela parte do nosso time.

 

    —Sakura tem razão. —Sasuke bateu nas costas do amigo. —Vamos fazer esse curso idiota de bebês.

 

    Concordei com a cabeça, é uma cena entre eles que nunca pensei presenciar. Sakura o abraçou, acho que uma gravidez pode mudar tudo a sua volta quando não planejada.

 

***

 

—Milkshake! —Chino grita.

 

—Muitas calorias. —Ino protesta.

 

—Deixa de ser chata porquinha. —Sakura começa a marchar até o balcão da sorveteria.

 

—Sakura está muito estranha. —Tenten sussurrou para mim. Apesar do que saber o que está acontecendo, não posso falar.

 

A gravidez de Chino teve grande impacto sobre Sakura. Ela passa muito tempo pensando e olhando para o nada, assim como esse passeio depois da aula foi sua ideia. Estamos no shopping para comprar uma fantasia para a festa do Chouji, Kiba quer muito ir e então acabei convencendo Sasuke a ir também.

 

Assim que passamos em frente a uma loja que vende roupinhas de bebê trocamos olhares cuidadosos. Os pais de Chino acharam melhor ela esconder a gravidez até o fim do ano letivo, estamos tentando manter seu segredo. Apesar dela ser uma cabeça de vento que parece que a qualquer momento vai se entregar.

 

Experimentamos várias fantasias, todas tem o quesito sexy e nenhuma combina comigo. Chino não vai a festa, mas mesmo assim ela veste-se de diabinha, anjinha e pirata. Ino acaba por ser uma vampira com um enorme decote, Tenten de noiva cadáver e está sendo bem divertidos esse passeio.

 

—Hinata me ajuda com o zíper. —Sakura me chamou no provador.

 

Quando entrei vi o quanto ela parece pálida e abatida.  Fico me perguntando-se ela descobriu que gosta do Naruto justo agora, ela passou anos sabendo que o teria ao seu lado sempre e saber que agora as coisas podem mudar pode estar a enlouquecendo.

 

—Você está bem? —perguntei ao subir o zíper do vestido de princesa.

 

—Na verdade não. —Seus olhos verdes estão opacos. —Naruto é um idiota irresponsável, mas ele sempre esteve ao meu lado e agora não sei como o ajudar.

 

—Está o ajudando bastante —digo quando ela se vira para me encarar.

 

—Eu nunca pensei que esse ano chegaria ao final assim, quando Sasuke voltou a única coisa que eu queria era ser a namorada dele, não  importava quantos fora indiretamente ele me dava. Eu sempre estava ali, achei que uma hora ele iria perceber que eu o amava e que ele também me amava, mas nunca aconteceu. E depois veio você. —Ela me olha como se não soubesse o que dizer sobre mim. —Achei que era uma piada, não podia ser verdade, não podia estar o perdendo. E continuei a lutar contra vocês, parecia que algum momento eu iria vencer. Vocês estão juntos ao que dois meses? Nenhum namoro de colegial dura para sempre, dura? Mas então veio essa gravidez e vi o quanto tenho sido egoísta com os meus dois amigos, todo esse tempo olhei apenas para mim, meus sentimentos, minhas vontades e as dele? Em nenhum momento parei para pensar que Sasuke pode gostar de você de verdade, que o Naruto pode gostar de mim de verdade. Estou me sentindo um lixo Hinata. —Seus olhos estão transbordando em lágrimas. —Não estou dizendo que aceito perder para você, só quero fazer algumas coisas diferentes na minha vida.

 

—Está sendo uma boa amiga Sakura, está apoiando o Naruto é exatamente isso que ele precisa agora. —Senti meus olhos se enchendo de lágrimas.

 

Acabamos chorando e nos abraçando dentro do provador. Entendo o que ela está passando, quando o destino muda repentinamente de direção nos sentimos perdidos. Mas a vida é como o uma tempestade no mar, quando estamos chegando em algum lugar ela nos lança por águas desconhecidas.

 

—Vocês estão chorando? —Ino pergunta sem entender nada.

 

—O zíper enroscou nas minhas costas. —Sakura limpou as lágrimas. —E Hinata chora quando vê alguém chorando.

 

    Essa explicação parece ser o suficiente para ela por enquanto. Chino sorri de canto para nós, acho que ela sabe o motivo de nossas lágrimas. Depois de quase duas horas dentro da loja somos capazes de escolher o que vamos levar.

 

Acabo em um táxi com Chino e Sakura. Estou sentada no meio olhando para a frente e desconfortável com o silêncio. Pensamentos distorcidos vão invadindo minha mente, Sasuke só teve coragem de assumir que gostava de mim por culpa de Sakura, isso faz dela o nosso cupido, nunca devo mencionar isso a ela. Também  foi ela quem deu autorização para Chino ficar com Naruto.

 

    —Não se preocupe Sakura. —Chino diz quando estamos chegando perto de sua casa. —Naruto e eu não vamos nos casar ou qualquer tipo de coisa assim, nosso único vínculo vai ser essa criança.

 

Estamos olhando para ela com as mãos na barriga lisa, ainda não dá para perceber que um bebê cresce ali. Aquele vínculo vai os ligar para sempre. Pai, mãe e filho três crianças ao mesmo tempo.

 

—Eu acho que você devia dar uma chance para ele. —Chino sorriu para nós com calma e harmonia. —Ele pode não gostar de você a vida inteira. Sabe aquilo de que só reconhecemos depois que perdemos, não perca ele para depois descobrir que podiam ficar juntos.

 

Ela desceu do táxi nos deixando com pensamentos profundos demais. Talvez ela não seja tão infantil como venho a julgando, posso dizer que ela tem razão no que diz. Se eu não tivesse aceitado ficar com Sasuke não poderia sentir o que sinto por ele hoje.

 

***

 

    Quando sábado finalmente chega estou exausta, passei a tarde da tarde junto com Izumi em um ateliê de vestidos de noiva. Não aguento mais ver vestidos de noivo, branco, creme, cor de champanhe e tudo que quero é casar de preto. São tantos detalhes em um único vestido, os diferentes tecidos, as rendas, as pedras, o decote, a calda, a cintura e blá, blá, blá.

 

    —Batom preto? —Meu pai se assusta ao me ver na sala.

 

    —Ela está linda. —Mei diz. Está aqui para uma maratona de filmes de bruxa com Hanabi e meu pai.

 

    —Vamos? —Neji está te fantasiado como o Victor da noiva cadáver, Tenten deve ter o persuadido.

 

    —Também quero ir. —Hanabi faz biquinho.

 

    —Só daqui alguns anos. —Meu pai diz feliz por isso. —Nada de dormir fora, vocês dois de volta para casa.

 

    Recebi um olhar bravo de Neji, meu pai é um pouco machista em relação ao meu namoro. Mesmo depois do caso do teste de gravidez quando Sasuke deixou claro que somos virgem, ele ainda pega no meu pé.  

 

    Encontrei meu namorado ainda no caminho para casa de Chouji. Está usando uma camisa preta, calça jeans escura e tem na mão um arquinho de chifrinhos vermelhos. Príncipe das trevas, a criatividade dele não é muito boa.

 

    —Addams? —Sasuke pergunta ao me olhar curioso.

 

    Estou usando um vestido preto com gola branca, com duas tranças e com os lábios pintados de preto. Eu gosto dos filmes e pareceu legal quando estamos escolhendo as fantasias. Mas pelo olhar dele sinto que fiz uma escolha errada.

 

    —Preferia que você tivesse vindo de Mortícia —sussurrou para mim.

 

—Então teria vindo de Gomez? —perguntei rindo.

 

—De pele pálida, cabelos negros, misteriosa e que me enfeitiçou. —Acho que ele também curte bastante os filmes, porque usa o tom de sedução do personagem. —Cara mia.

 

—Mon cheri. —Tentei soar como Mortícia, mas acabei rindo ainda mais.

 

—Vão ficar por aí mesmo? —Neji perguntou bravo depois de ter caminhado sozinho por um tempo.

 

—Vamos, cara mia. —Sasuke ofereceu o braço para mim como um cavaleiro.

 

***

 

    A festa está lotada, o som alto e mesmo que tudo tenha mudado ainda lembro da última vez que estive aqui. Do beijo entre Naruto e Sakura que destruiu meu mundo, mas foi aqui que Sasuke beijou-me pela primeira vez. E foi aqui que meu namoro de mentira começou.

 

    —Hinatinha. —Kiba veio correndo assim que nós viu, está fantasiado de lobisomem com o nariz pintado e uma touca com orelhinhas cinza. —Conseguiu trazer seu namorado.

 

    —Sasuke. —Sakura segurou-se no braço dele como se eu não estivesse ali. —Vamos pegar alguma coisa para beber.

 

    —Vamos. —Ele disse ao se soltar de mim. —Cuida dela? —perguntou a Kiba.

 

    —Pode deixar. —Meu amigo respondeu sorrindo.

 

    Sinto um deja vú quando vejo meu namorado se afastando com ela. E como se agora ela fosse fazer o mesmo com ele, o beijar na minha frente e me fazer chorar. Kiba percebeu que fugi do ar por um minuto, então bateu contra minha cabeça e disse o quanto estou bonita.

 

    —Vamos beber? —Ele passou a mão por minha cintura e acabamos em uma mesa lotada com bebidas ilegais para nossa idade.

 

    Peguei um copo com refrigerante e vodka que alguém me ofereceu. Passei os olhos pela festa tentando achar meu namorado e Sakura, e quando não os encontrei virei o copo nervosa. Não sei porque meu coração está tão apertado, eu confio nele, não muito nela, mas confiar nele não devia ser necessário para ficar calma.

 

    —Vai devagar ai. —Kiba tentou tirar o copo dos meus lábios.

 

    —Estou bem —menti sentindo o gosto horrível invadir minha boca.

 

    Encontrei Tenten e Neji um pouco depois, conversamos um pouco antes dela gritar que queria dançar, que aquela era sua música. Ela me entregou seu copo e o arrastou para a pista de dança improvisada no jardim. Dessa vez virei seu copo, o gosto era ainda pior, quase vomitei quando terminei.

 

    —Vamos dançar? —falei para meu amigo que está flertando com um garota um pouco a frente.

 

    —Achei que você não dança-se. —Kiba diz rindo.

 

    Não danço, mas estou sentindo uma estranha energia percorrendo todo meu corpo, misturado a uma insegurança muito grande por ter perdido meu namorado de vista. Por sentir que nesse momento eu voaria no pescoço de Sakura se ela tentasse beijar Sasuke na minha frente.

 

    A batida da música não é capaz de fazer meu corpo dançar no mesmo ritmo, mas estar com meu melhor amigo faz que ser ridícula entre todos não seja tão ruim. Kiba é capaz de me rodopiar e tentar dizer como devo mexer meu quadril.

 

—Não vai me apresentar seu amigo Hina? —Ino diz falsamente quando se aproxima de nós na pista de dança.

 

—Kiba essa é a Ino —digo ao saber que acabo de perder meu amigo.

 

Ela joga seus cabelos loiros quase na minha cara e acabo por deixar os dois na pista de dança. Não consigo os encontrar e isso está me deixando louca, não quero pensar no que minha mente fica insistindo. Talvez nosso namoro tenha sido um plano dela, que vão surgir de algum lugar e dizer que tudo não passou de uma brincadeira.

 

—Grávidas nãos deviam beber. —Uma garota que não conheço diz para a amiga.

 

—Não estou grávida —digo sem as olhar.

 

—Trouxe tequila. —Rock Lee já está um pouco bêbado. —Vamos beber uma dose Hinata.

 

Concordo quando ele serve uma dose no copo descartável, depois outra e começa a falar sobre como o campeonato vai ser importante esse ano. Estou arrependida de ter vindo a essa festa, mas não já não sei muito bem o que estou fazendo aqui quando sinto uma onda de alegria muito grande.

 

—Vamos dançar. —Lee diz quando está me puxando para pista de dança.

 

Minha mente está zonza, o som parece tão diferente quando entra minha mente e meu estômago está enjoado. Pela primeira vez na minha vida a música parece fazer sentido para se dançar, encontrei meu amigo e a loira juntos demais para uma dança.

 

—Larga meu amigo —digo ao separar os dois e o abraçar. —Eu senti tanta saudades.

 

—Que tanto você bebeu Hinata? —Ele perguntou rindo.

 

—Não estou grávida e também aquele desgraçado sumiu. —Não consigo mais lembrar o quanto bebi, está tudo rodando.

 

—Vamos procurar aquele desgraçado e você precisa beber uma água. —Kiba me abraçou forte.

 

Não queria ter saído da pista de dança, mas fui forçada por meu amigo. Gosto da música que está tocando, é divertida e posso sentir a batida percorrendo meu corpo. Kiba me faz beber um copo com água, e agora preciso ir ao banheiro com urgência.

 

—Nunca pensei que te veria bebada. —Ino está nos seguindo e estou olhando com cara feia para ela, quem ela pensa que é para roubar meu amigo.

 

—Fique longe dele —digo ao levar o dedo na cara dela. —Você não é boa o suficiente para ele.

 

—Estou sentindo uma pontada de ciúmes ai. —Ela diz ao levar a mão a cintura.

 

—Eu te amo Kiba. —O abracei mostrando a língua para ela. —Ino só quer te usar.

 

—Ela fica melhor bebada. —Ela diz rindo.

 

—Vou procurar o desgraçado do namorado dela. —Kiba fala ao me soltar. —Fica com ela.

 

—Não vai Kiba —digo ao tentar o segurar. —Vamos dançar?

 

—Realmente prefiro você bêbada. —Ela passa o braço sobre meus ombros e voltamos para pista.

 

O céu está estrelado, a música invade minha mente e não há nada mais que eu consiga pensar. Ino dança comigo entre risadas e dois garotos que não sei quem são. Ela não é tão má pessoa assim ou realmente estou muito bêbada.

 

    Vejo os olhos negros no meio de todos que estão a minha volta, estão zangados e são tão gélidos. Por um momento eu chego a pensar o que faria se ele disse que vamos terminar, minha vida está tão entrelaçada a sua que isso faz meu coração se apertar. Como fui me envolver tanto com o príncipe das trevas ao ponto de quase chorar só cogitar a ideia que ele pode dizer adeus.

 

    —Estou apaixonada por você. —Passei os braços sobre seus ombros. —Ganhei a aposta mesmo assim.

 

    —Vem dançar essa Hinata. —Ino tenta me separar dele. —Depois vocês namoram.

 

    —Vem dançar também Sasuke. —Tentei o fazer se mexer, mas acho que ele só dança músicas lentas. —Você é chato —digo ao me soltar dele e seguir até Ino.

 

***

 

    —Onde estamos indo? —perguntei quando estamos subindo as escadas da casa de Chouji. —Quero voltar a dançar.

 

    —O quanto bebeu? —Sasuke está segurando minha cintura e me fazendo subir todos os degraus.

 

    —Não muito. —Tentei contar mentalmente quantos copos, mas não consigo.

 

    —Entra logo Hyuuga. —Ele destranca a porta do quarto e passa por mim quando fico parada do lado de fora. —Precisa dormir um pouco, não pode chegar na sua casa assim, seu pai nos mataria.

 

    Meu namorado segura minha mão e me puxou para dentro do quarto. É um quarto de hospede com uma cama de casal que parece convidativa. Estou cansada e mesmo assim não queria ter saído da pista de dança.

 

    Sentei na cama e testei a densidade do colchão, muito macio. Sasuke trancou a porta e ficou me olhando, está bravo comigo. Não fiz nada de errado para ele estar com a cara que está, tirei minhas sapatilhas com pressa e subi sobre a cama.

 

    —Desce daí. —Ele diz bravo quando estou pulando na cama.

 

—Meu namorado é um estraga prazer. —Continuei pulando, a música chega até aqui e ainda não estou pronta para dormir.

 

Dizem que um relacionamento não é fácil, mas deviam escrever um manual para o príncipe das trevas. Ele segura minha mão quando estou pulando, parece um pai autoritário e chato.

 

—Você precisa dormir um pouco —diz paciente, o tom da voz não combina com sua face emburrada, suas bochechas estão cheias de ar pelo nervosismo.

 

Fiquei de joelhos na cama e da sua altura. Posso examinar de pertinho o quanto está bravo comigo. Tirei os chifrinhos vermelhos de sua cabeça, não combinam com seu ar sério. Está tão tenso que posso sentir os músculos de seu pescoço pulando, passei a mão por sua pele quente.

 

—O que está fazendo? —Sasuke pergunta como se realmente não soubesse o que estou fazendo.

 

Apenas passei a unha por seu pescoço, sua pele se arrepiou mesmo contra sua vontade. Meu namorado tentou se afastar, ele está com medo de mim. Deitei na cama rindo disso, ele parece assustado na verdade.

 

—Vem deitar comigo? —digo ao sentar na cama e começar a desmanchar minhas tranças.

 

—Vou ficar sentado aqui. —Ele se senta em uma poltrona que fica um pouco a frente da cama.

 

—Você me acha bonita? —perguntei ao desmanchar minhas tranças e bagunçar meus cabelos para que voltem ao normal.

 

—Dormi Hyuuga. —Sasuke diz sem paciência.

 

Não estou com sono, desci da cama e caminhei até ele que mexe a cabeça em sinal de negação. Passei uma perna de cada lado do seu corpo e sentei em seu colo, o deixei ainda mais tenso, mantém as mãos nas laterais da poltrona.

 

—Vou dormir depois de um beijo. Só um beijo. —Desenhei seus lábios com a ponta dos meus dedos, estão macios e quentes.

 

E como se todo o quarto ficasse silencioso diante de seus olhos, da palidez de sua face, respirei fundo, sentindo seu perfume antes de procurar sua boca com a minha. Não correspondeu ao beijo logo, até que meus dedos se perderam por seus cabelos, o gosto de canela do chiclete que roubei de Kiba se mistura a nossa saliva.

 

—Volta para cama. —Sasuke sussurra entre nossos lábios.

 

—Vem comigo —sussurrei ao beijar seu pescoço.

 

—Você está bêbada. —Ele diz isso como se fosse um lembrete mais para si.

 

—E você excitado. —Mordi sua orelha.

 

—Nunca diria isso se não fosse o álcool. — Passou a mão por meus cabelos e segurou meu rosto. —Vai se arrepender de qualquer coisa que for feita hoje aqui. Por isso vá para a cama.

 

—E você se arrependeu aquele dia? —Não tenho muito controle sobre minha boca, o álcool não me deixou muito sensata.

 

—Aquele dia você estava sã. E.. —Sasuke diz ao contornar minha cintura com as mãos.

 

—E você se aproveitou de mim —digo beijar seu pescoço e sentir seu perfume.

 

—Não foi assim, só que eu não conseguia parar de te beijar. —Ele não sabe o que dizer. —Também não pediu para que eu parasse.

 

—Pedi sim. —Afastei-me dele para olhar dentro dos seus olhos negros.

 

—Nunca estaríamos tendo essa conversa se não tivesse bebido, eu sinto muito por aquele dia, só eu tenho dezessete anos Hyuuga, posso ter escolhido esperar, mas eu tenho hormônios gritando dentro de mim. Acha que é fácil ter você agora mesmo sentada no meu colo —desabafa como se estive cansado. —Não sei se posso confiar em mim mesmo se ir para aquela cama.

 

—Confio em você, sei que não vai fazer nada que eu não queira. —Fiquei de pé a sua frente e segurei sua mão. —Vem para a cama comigo.

 

    —O problema é que nesse momento você não vai dizer não. —Ele ficou de pé e caminhou comigo.

 

    Nunca o tive tão acuado ao meu lado, quando subo sobre seu corpo sobre a cama viro sua princesa das trevas. Aquela que tem o domínio da sua alma, tomei seus lábios devagar. Um beijo lento, e aos pouco vou o devorando. Sasuke vai se entregando ao desejo.

 

    —Vai me enlouquecer Hyuuga. —Virou o corpo sobre o meu. —Você é linda e fica muito pervertida bebada. —Seus lábios desceram por meu pescoço, enquanto sua mão subiu por minha coxa nua.

 

—Sasuke seu anel de pureza —sussurrei para ele.

 

O fiz se afastar da minha pele o suficiente para ter seus olhos sobre os meus, está com a face vermelha e meio confuso. Gosto de todas as suas caras e bocas, desde as brava até mesmo os olhos em fogo que tem agora.

 

A bebida deixou meu corpo leve, minha mente inebriada e nesse momento tenho certeza que estou louca. Toquei seus cabelos negros, nunca pensei que teria tanto medo de o perder. Sasuke chegou a uma parte do meu coração que nunca ninguém havia habitado, ele está pensativo quando entrelaça nossos dedos sobre a cama.

 

—Não é o anel de pureza que significa alguma coisa, é a promessa que fiz. —Sasuke ajeitou uma mecha do meu cabelo. —Eu quero que sexo seja especial, com a garota que eu amo e que ela me ame.

 

—Alguém já disse que você é fofo? —disse ao apertar sua bochecha corada.

 

—Nunca. —Ele ri meio sem graça, é engraçado o ver rir, ele não sabe fazer isso direito e meio que assustador. —Você precisa dormir um pouco.

 

—Não estou tão bêbada assim, eu sei que dois mais dois são quatro e que você gosta de mim. —Meu corpo agiu sozinho quando minha perna subiu acariciando seu corpo.

 

—Realmente fica muito pervertida. —Sasuke disse ao soltar minha mão e depois percorrer minha coxa com a unha. —E o que quer fazer?

 

—Não precisamos ir tão longe, po-podemos só... —digo envergonhada ao envolver sua nuca com as duas mãos.

 

—Nós divertir? —Ele busca minha boca.

 

Sua língua buscou a minha com malícia, enquanto nossos corpos buscavam cada vez mais contatos. Subi a mão por sua camiseta, seu corpo magro e gostoso de tocar, está quente e seu peito e definido pelas séries de exercícios diários dos treinos.

 

Seus olhos ficam em dúvida se deve não se livrar dela quando estou a puxando para a cima para arranhar suas costas. Sasuke acaba por se livrar da camiseta com minha ajuda, quando fico por cima do seu corpo, posso sentir o quanto tudo isso o excita.

 

—Não faz isso Hinata. —Ele disse ao fechar os olhos quando passei a ponta dos dedos por seu peito.

 

Ele é mais sensível do que pensei, sua pele fica levemente arrepiada com meu toque. Sua pele é macia e quente quando vou o beijando devagar por cada cantinho, gosto de o sentir arfar e meio que estremecer com meus cabelos passando por seu peitoral.

 

—Hy-Hyuuga —fala com dificuldade quando estou o beijando perto demais da calça jeans.

 

Subi até sua boca o fazendo buscar o ar rapidamente, Sasuke segurou meus quadris com força. Suas mãos são grandes quando estão envolvendo minhas coxas por baixo do vestido, gosto de o ver perder o controle quanto toma minha boca com pressa.

 

—Preciso de um banho frio. —Ele diz ao se virar sobre mim na cama, pressionando o corpo sobre o meu.

 

—Sasu-Sasuke… —gemi seu nome enquanto ele roçava seus jeans entre minhas pernas.

 

—Não sei até que ponto é você ou a bebida fazendo isso. —Mesmo que ele esteja tentando se afastar do meu copo não está conseguindo.

 

Puxei sua boca a minha o fazendo esquecer de seus pensamentos, deixei meus dedos se perderem por sua nuca. Depois senti sua boca percorrendo todo meu pescoço, gosto das sensações que ele é capaz de produzir no meu corpo.

 

—Eu gosto demais de você para continuar com isso. —Sasuke apertou os lábios levemente sobre os meus.

 

Deitou a cabeça sobre meu peito e abraçou meu corpo, levei a mão aos seu cabelos e comecei a brincar com a maciez deles. Sei que ele pode sentir meu coração, assim como posso sentir sua respiração. Fechei os olhos sentindo seu peso sobre mim, isso é mais íntimo do que o tocar é dividir o silêncio da vida.


 

***

—Abre a porta. —Neji gritou ao bater com força contra a porta.

 

Acordei assustada, o dia está começando a amanhecer acho, estou ouvindo o barulho de passarinhos e minha cabeça está doendo demais. Levei a mão até ela sentindo meu estômago se enjoar.

 

O que foi mesmo que eu fiz?

 

Questionei me a perceber que estou deitada no peito nu de Sasuke, ele ainda não acordou. Levantei a cabeça para o ver, tem o sono profundo e seus cílios são delicados enquanto seus olhos estão fechados. Meu irmão gritou de novo e senti o eco da sua voz em minha mente.

 

—Bom dia —digo quando ele me olha assustado.

 

Estou com um gosto horrível na boca, sentei na cama ainda confusa sobre tudo. Meu irmão está batendo na porta, mas ainda não fui capaz de fazer nada, estou zonza e enjoada.

 

—Sasuke, Hinata. —Neji grita irado, acho que já está virando rotina acordar assim.

 

Meu namorado tenta acordar ao procurar a camiseta pelo chão do quarto, fico o observando fazer isso e lembrando do que fizemos ontem. Não acredito em tudo que vem a minha mente, volto a deitar na cama e escondo meu rosto nos travesseiros.

 

—Posso abrir a porta? —Sasuke pergunta ao puxar meu pé.

 

—N-não quero falar com vo-você —digo querendo me enfiar dentro do colchão.

 

—O que foi sua pervertida? —Ele subiu na cama e deitou ao meu lado. —Se ficar assim seu irmão vai desconfiar do que fizemos ontem.

 

—N-não fizemos nada. —Meu tom de voz foi alto, meu rosto está muito quente.

 

—Mas você queria. —Ele diz todo convencido ao morder meu ombro. —Depois falamos disso, vou abrir a porta antes que Neji a derrube.

 

—De-desculpa. —Nas minhas lembranças eu o ataquei e isso parece tão errado agora. —Eu…

 

—Alguém já disse que você é fofa? —Sasuke morde meu pescoço agora, e algo nessa frase não me é estranho. —Não vou fazer um boletim de ocorrência contra você senhorita bebada tarada.

 

—Sasuke o que está fazendo com minha irmã? —Neji está impaciente do outro lado da porta.

 

—Você que é pervertida e eu que sou o culpado. —Sasuke está de bom humor, o que é raro ao se tratar dele.

 

Sentei na cama e abracei um travesseiro assim que ele abriu a porta, meu irmão entrou no quarto quase o atacando. Tenten entrou logo em seguida e deitou nos pés da cama completamente cansada.

 

—Eles só estavam se vestindo. —Ela diz com a voz de quem bebeu bastante também.

 

—Nós dormimos. —Sasuke diz para Neji. —Sua irmã bebeu um pouco demais e a fiz dormir antes de voltar para a casa. Que hora são?

 

—Tarde, estavam dormindo mesmo? —Neji diz desconfiado tentando arrancar a verdade do meu namorado.

 

—Sasuke sua camisa está do avesso. —Tenten diz ao rir.

 

Ele olha para a manga da camisa com pressa e percebe que foi pego na mentira. Ele podia dizer que tirou por calor ou para qualquer outra coisa, mas está com os olhos de fúria de Neji sobre ele.

 

—Di-dizem que dá sorte —falei ao apertar o travesseiro. —Vamos para a casa.

 

Fiz com que meu irmão olhasse para mim muito bravo. Tenten riu ainda mais e Sasuke ficou completamente imóvel. O clima está tenso, meu irmão olha para a cama bagunçada e para mim que devo estar péssima.

 

—Qual é Neji, até parece que nós não estávamos em um quarto até pouco tempo. —Tenten diz ao sentar na cama. —Sua irmãzinha tem o direito de se divertir.

 

—Briga de família. —Ino entrou no quarto junto com Kiba.

 

Ao olhar para os cabelos bagunçados dela e para a camisa amassada dele, aposto que também estavam em um quarto. Isso é muito constrangedor. Meu irmão e meu amigo deviam estar transando nos quartos ao lado do que estamos.

 

—Vou chamar um táxi, alguém quer carona? —Kiba tenta quebrar o clima.

 

—Vou levar Tenten. —Neji ainda olha bravo para mim.

 

—Pode deixar que levo sua irmã. —Sasuke diz ao cruzar os braços sobre o peito e tentar esconder que está com a camiseta do avesso.

 

—Então vamos meu lobinho. —Ino diz ao deixar o quarto. —Você fica muito divertida bebada Hinata.

 

—Te ligo depois. —Meu amigo diz ao sorrir para mim.

 

Quando Sasuke e eu ficamos sozinhos no quarto apenas voltei a esconder meu rosto nos travesseiros. Estou me sentindo uma idiota, mas acabo de criar uma regra para mim mesma, nunca mais bebo.

 


Notas Finais


Eu sei que eu como as palavras, se vocês quiserem apontar meus erros para que eu possa corrigir eu gostaria disso.
O que acharam?
Finalmente Kiba voltou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...