História Namorada por Acaso - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Amor, Casamento, Drama, Narusaku, Naruto, Romance, Sasuhina
Visualizações 554
Palavras 8.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei, mas voltei.
Sinto muito pela demora, mas precisava de um tempo longe dessa história.
Capítulo grande para vocês meus leitores queridos. Obrigada por cada favorito e por cada comentário maravilhoso que recebi de vocês.
Só pelo título vocês já estão planejando minha morte, só que vamos manter a calma.

Boa Leitura!

Capítulo 24 - A Parte Em Que Dizemos Adeus


A PARTE EM QUE DIZEMOS ADEUS

 

    As provas acabaram, assim como esse é o último jogo do campeonato. Restam apenas quinze minutos, estão todos correndo, suados e cansados. Guy está gritando e os garotos dando o seu melhor. As lideres de torcida estão mexendo seus pompons e animando a todos, é estranho saber que o time vai se dissolver ano que vem.

 

    Tanta coisa aconteceu esse ano que ainda é difícil pensar nele como o penúltimo ano no colégio. Alguns meses atrás eu ainda era apaixonada por Naruto, solitária com o intercâmbio de Kiba, vista como inimiga por Sakura e morria de medo Sasuke.

 

    E agora sou namorada oficial do príncipe das trevas, amiga de Naruto, entendo um pouco mais de Sakura e tenho meu melhor amigo de volta. O munda dá voltas maiores do que podemos imaginar.

 

    —Estou comendo todas minhas unhas Hinata. —Chino diz ao morder a ponta do dedo. —Se eles não fizerem um gol agora vão perder.

 

    —Não fique tão nervosa assim. —Tentei parecer calma, mas também estou pilha de nervos.

 

    Eles deram duro o ano todo para ganharem e agora no último jogo estão perdendo. Shikamaru está tentando manter a formação dos treinos, mas parece que a vitória está longe. Naruto foi o jogador que mais fez gol durante a temporada e agora está meio perdido na quadra, isso talvez tenha a ver com a frase que Gaara disse um pouco antes desse jogo começar.

 

    “Você tem certeza que é o pai?”

 

Essa maldita frase deve estar dando ecos em sua cabeça, prefiro que Chino não saiba sobre isso. Porque Naruto já está muito tenso e não quero que ela grávida fique assim também.

 

Olhei para seus olhos roxos, para sua inocência, mesmo que eu tente não pensar não consigo controlar meu julgamento humano. Será que ela seria capaz de enganar Naruto? Desse filho não ser dele?

 

—Vamos lá seus molengas. —Kiba está de um lado para o outro.

 

A vontade de entrar na quadra e fazer parte do jogo está o consumindo. Meu amigo está xinga, brigando com todos os jogadores e sente a vibração de um gol como se estivesse jogando.

 

—Sasuke você precisa fazer esse gol —gritei ao olhar para o placar e para o tempo que se esgotava.

 

Ele está cansado, posso ver cada gotícula de suor escorrendo por sua pele branca e o cabelo negro grudado em sua face. Essa é única chance de ganhar esse jogo, o campeonato, de que o sonho e treino de cada um seja reconhecido.

 

Sasuke tem nos pé os gritos de cada um dos alunos de nossa classe, de seu fã clube, de seus pais sentados na arquibancada, o sonho de cada um dos garotos que deram juntos para chegar a essa final.

 

Nesse momento o importante é ganhar. Não para sermos os melhores, mas para podermos gritar que conquistamos aquilo que desejávamos. A regra da vida é que às vezes alguém tem que perder para que outros vençam.

 

Olhei para Sakura agitando seus pompons azuis, ela está sorrindo, mas sei que por dentro ela está pesando em sua vida. Desde a gravidez de Chino ela vem repensando a si mesma, tentando descobrir quem é de verdade Sakura Haruno. E quando a vejo gritar para que ele faça o gol sei que seus sentimentos por seus amigos são muito mais do que ela pensou.

 

Naruto parou para olhar os últimos segundos do jogo. Para respirar, seu mundo meio que virou de ponta cabeça e o que Gaara disse antes deve ter feito o mesmo outra vez. Eu sempre quis ser a namorada dele, mas só agora descobri o quanto é bom ser sua amiga.

 

Meu namorado passou pelo segundo jogador que o impedia de realizar seu sonho. Agora só existem ele, o goleiro e o gol. Sei o quanto as batidas de seu coração estão aceleradas, o quanto sua respiração está pesada e com toda confiança do mundo posso ver ele dando aquele chute.

 

Sasuke é mais forte do que pensa, do que tudo que já passou. De todos os erros que já cometeu e de toda a culpa que carrega. Eu conheço seu passado como algo que ele deseja esconder, assim como esconde quem é de verdade para o mundo, como um caramujo em sua casca reconfortante e sei o quanto ele se esforça para ser o que o mundo espera de si.

 

—Gol. —A um grito quase que infinito por toda a quadra.

 

Seus lábios fazem uma leve curvatura quando nossos olhos se encontram entre todos. O time corre até ele para o erguer pela vitória, Sasuke não vai jogar ano que vem, mas a vida deu essa comemoração a ele.

 

Sinto os braços de Chino contra mim e seus pulos de alegria, assim como Kiba passa por mim para ir comemorar no meio da quadra. Os canhões de papel metalizados estouram, fazendo o ar ser preenchido por um brilho tão contagiante quando a alegria em nossa volta.

 

—Por que você fez isso? —Sasuke diz contra minha orelha quando tudo à nossa volta ainda são gritos de comemoração.

 

—Fiz o que? —perguntei ao virar-me a ele confusa.

 

—Podia ter pedido qualquer coisa na nossa aposta, mas pediu algo para elas e não para você. —Ele passou as mãos por minha cintura.

 

—Porque elas são suas fãs —digo ao segurar em seu ombro e aproximar ainda mais meu corpo do dele.

 

—Eu não te entendo Hyuuga. —Sasuke me olha com toda a escuridão de seu olhar e tentou desvendar algo em meus olhos pálidos.

 

—P-posso pedir algo por mim também? —Sorria ao aproximar minha boca da sua.

 

—Qualquer coisa para a princesa das trevas.

 

Fechei meus olhos devagar enquanto sentia cada vez mais perto sua respiração cansada, seu cheiro de suor e perfume. Seus lábios são salgados ao tocarem os meus, ao se abrirem em calor para receber os meus, sua língua que encontra a minha em uma carícia de promessas.

 

Isso pode não durar para a vida inteira, pode ser apenas um amor de colegial, mas independente do tempo que dure quero aproveitar cada momento. Como roubar outro beijo da boca salgada de Sasuke, como pressionar meu corpo contra o dele e saber que não estou sozinha no mundo.

 

—Você fez o gol da vitória —falei ao ainda roçar meus lábios contra os seus.

 

Espero que todos estejam em suas próprias comemorações para que não reparem na nossa. Nesse momento que quero congelar, como o ponto alto da minha adolescência, do sabor de sal como felicidade.

 

—Isso não seria nada se não pudesse comemorar com você. —Sasuke diz antes de apertar os lábios contra os meus e logo depois desaparecer para receber o troféu.

 

Sentei no banco ainda ouvindo suas palavras. Minha face ainda está corada pelo calor de seus braços e não fui capaz de olhar para ninguém ainda. As velhas frases clichês são reais, é possível se sentir flutuando quando se gosta de alguém e sentimentos podem correr pelo corpo como ondas de energia.

 

Olhei para a tabela na minha prancheta, preenchi o resultado do último jogo. Ao mesmo tempo que olhei para os corações que desenhei no espaço em branco da folha. Neguei com a cabeça meio boba, desde quando estou tão apaixonada por Sasuke assim?


 

***

 

    O nosso time pode ter ganho o jogo, mas quem ganhou o dia hoje foram as fãs de Sasuke. Como ganhadora da promessa de quem se apaixonaria primeiro eu pedi que ele desse a elas um momento para fotografias ou sei lá o que elas tem em mente quando fazem uma fila para poderem o abraçar.

 

—Não está com ciúmes? —Mikoto perguntou quando estou olhando toda a cena das garotas se aglomerando para arrancar uma casquinha do meu namorado.

 

—Ela deve estar louca por dentro. —Naruto diz ao passar por nós.

 

—Até que não. Preciso falar com o Naruto um momento Mikoto, com licença —digo ao ir atrás dele.

 

—Quer que eu te ajude a fazer ciúmes nele? —Ele dia ao passar o braço por meus ombros.

 

—Será que podemos conversar um pouco? —Sei que talvez eu não possa fazer nada para o ajudar.

 

—É claro. —Ele sorri para mim com calma, apesar de saber que sua cabeça está uma confusão.

 

Caminhamos juntos até o parquinho de areia, fazia muito tempo que eu não entrava aqui. É estranho saber que foi aqui que eu passei a ver Naruto com admiração, aquele nado infantil e arteiro que tanto chamava minha atenção.

 

—Como você está? —perguntei ao me sentar no balanço enquanto ele fazia o mesmo. O brinquedo é pequenos para nosso atual tamanho.

 

—Essa é uma pergunta difícil Hinata. —Naruto diz ao suspirar alto, parece tão cansado. —Eu vou ser pai e de repente alguém está gritando que posso não ser e não sei se fico feliz com isso ou apenas me sentindo um otário.

 

—Sabe que Gaara não é confiável. —Não tenho a menor ideia de como o ajudar em um momento tão complicado.

 

—Eu sei, mas também não estou preparado para ser pai. —Ele deixa o balanço e começa a andar de um lado para a outra na areia. —E mesmo que Chino diga que esse filho é meu, eu posso garantir que não me lembro de um acidente com ela. Eu tenho certeza que usei a camisinha e que nada saiu errado. E isso torna tudo pior.

 

    Não consigo pensar em nada para dizer, quando o chamei para uma conversa não pensei que seria tão difícil assim. Eu não posso o ajudar, não estou passando por essa situação, e essa é uma decisão que só ele pode tomar.

 

    —Eu vou pedir um teste de paternidade quando a criança nascer Hinata, acha que isso é muita insensibilidade da minha parte? —Seus olhos azuis buscam os meus em busca de uma resposta que possa o ajudar.

 

    Para uma mulher a maternidade é mais fácil, ela sempre se sabe é a mãe. Deve ser mais difícil para um homem, posso entender o lado de Naruto, ele só quer ter certeza que não vai estar sendo pai de uma criança que não é sua.

 

    —Vai contar para Chino? —Não posso dar a resposta que ele quer.

 

    —Vou esperar a criança nascer. —Naruto volta a se sentar, nunca o vi tão abatido assim. —Eu vou ficar do lado dela e ajudar no que for preciso, eu já fiz muita coisa errada para fazer a besteira de a deixar sozinha agora. Estou tão confuso Hinata.

 

    —Tudo vai ficar bem —digo ao colocar minha mão sobre a dele na corrente do balanço.

 

    —Eu sei que vai, mas isso não significa que o meio não vai ser difícil. —Naruto sorri para mim com seus grandes olhos azuis. —É bom saber que eu tenho amigos de verdade, eu acho que ficaria louco se não fossem vocês, obrigado por ir ao curso de bebes e por me ajudar com as provas finais.   

    

    —Sakura adorou aquele curso. —O que é a verdade, eu também gostei. Nós aprendemos sobre como a maternidade e paternidade é mais difícil do que se pensa e como lidar com os problemas que vão surgindo, apesar de sermos os únicos não pais a fazer o curso.

 

    —Ela está sendo uma amiga e tanto, eu me arrependo tanto de ter feito tudo errado Hinata. Quem sabe eu possa fazer tudo certo agora.

 

    —Tenho certeza que vai fazer Naruto.

 

    E no parquinho onde eu o admirei ainda criança o abracei para também admirar o homem em que ele está se tornando. Mesmo com medo e confuso ele está tentando fazer o melhor e não é isso que todos estão fazendo com suas vida.

 

    E depois de o abraçar o vi o partir para encontrar Chino, as palavras de Gaara podem ainda ecoar em sua mente, mas a vontade de ser melhor do que elas vão o fazer ser um bom um pai.

 

    Voltei a tempo para rir de Sasuke sendo obrigado a fazer pose para as fotografias, sua mãe está o vigiando como uma agente de relações públicas. Mikoto parece orgulhosa do filho, enquanto ele deve querer minha cabeça em um espeto.

 

    —Ciúmes? —Sakura bateu o ombro contra o meu e riu. —Diz a verdade? Deve estar morrendo de ciúmes.

 

    —Não —digo rindo com ela.

 

    —Nenhum pouquinho? —Mikoto entrou na brincadeira.

 

    Olhei para ele e fiz que não, eu confio em Sasuke. Apesar de não gostar de ver as garotas se jogando sobre ele, mas eu devia isso a elas. Quando tive que entregar aqueles cestas eu acabei fazendo algo que ninguém podia imaginar, tornei me a namorada dele.

 

    —Nunca mais me obrigue a fazer isso. —Sasuke diz bravo quando estamos saindo da quadra. —Estou sentindo o cheiro de mil perfumes diferente na minha roupa e tudo isso é culpa sua Hyuuga.

 

    —A culpa é sua, foi você que perdeu a aposta.

 

—Nunca mais faço apostas com você. —Sasuke segura meus dedos entre os seus, gosto do calor de sua mão. —Agora que estamos de férias estava pensando em ter aquele encontro que fomos adiando.

 

Com os planejamentos do casamento de Itachi e Izumi, com a gravidez de Chino, o curso de bebês, as provas finais e o campeonato, a ideia de um encontro teve que ficar para depois.

 

Agradeci quando Mikoto nós interrompeu para irmos para casa. Eu sei que foi um erro não ter contado para meu namorado os meus planos de férias, mas é que tudo aconteceu tão rápido ontem e não queria dizer antes do jogo. E não sei como contar agora.

 

—Nós vemos na festa de Chouji —digo ao descer do carro. —Tchau Mikoto.

 

—Tchau querida. —Ela diz toda animada enquanto seu filho apenas me olha sem expressão.

 

Ele tentou falar sobre o que devemos fazer nas férias, mas não tive coragem de falar, sou uma má namorada. Encontrei Mei e Hanabi conversando na cozinha, meu pai ainda está discutindo com Neji sobre ano que vem.

 

***

 

    —Se eu estivesse lá nós teríamos ganhado de bem mais. —Kiba diz para mim quando estamos sentados na grama da casa de Chouji.

 

    —Aposto que  não teria feito aquele gol —digo rindo ao beber minha vodka com suco de morango.

 

    —Não fique se achando só porque seu namoradinho fez o gol da vitória. —Ele da um peteleco contra minha testa.

 

    —Doeu sabia. —Levei minha mão para o lugar ele me bateu.

 

    —Já contou para ele? —Kiba diz ao olhar para Sasuke que está com seus melhores amigos em uma conversa muito animada até para ele.

 

    —Não. —Olhei para Sasuke pensando em como ele vai reagir quando souber.

 

    —Podemos desistir dessa ideia.

 

    —Não, claro que não. Eu quero fazer isso Kiba.

 

    —Não seria melhor você fazer isso com seu namorado do que comigo?

 

    —Somos amigos há mais tempo e quero fazer isso para compensar o tempo que passamos separados.

 

    —Do que estão falando? —Ino falou alto ao se sentar no colo de Kiba.

 

    —Nada. —Tentei cortar o assunto, mas Kiba me olhou bravo, ele tem todo direito de falar isso com a garota com quem está saindo. —Vou pegar outra coisa para beber.

 

    —Quando você estiver bêbada nós dançamos. —Ino grita para mim enquanto me afasto.

 

    Ficar bêbada outra vez é tudo que não quero, por isso dessa vez apenas encho meu copo com suco de morango. Depois procurei Neji e Tenten que estão felizes sentados perto da piscina.

 

    —Nosso pai concordou? —perguntei ao me sentar ao lado do meu irmão.

 

    —Ele acha que vai ser bom, apesar da discussão sem fim que tivemos hoje. —Neji diz ao roubar meu copo. —Vejo que aprendeu a lição. —Ele diz ao provar e ver que estou tentando ficar sóbrio.

 

    —Seu irmão é um chato. —Tenten ri ao colocar no meu copo um pouco do conteúdo alcoólico do seu. —Ainda não estou acreditando que vou passar um ano na europa, um ano no velho continente.

 

    —Vou sentir falta do colégio, de ter que comandar os fundos da formatura. —Ele já parece saudoso de tudo que vai deixar para trás.

 

    —Paris, que venha Paris. —Ela grita toda animada.

    

    —Então é verdade? —Sasuke parece desolado ao falar isso atrás de nós como um fantasma.

 

    Não foi assim que planejei contar a ele, apesar de saber que foi errado adiar essa conversa. Meu irmão e ele ainda estão se estranhando desde o teste de gravidez e o soco dado por Neji. Fiquei de pé para ver meu namorado com uma das suas piores caras.

 

    —Você vai passar férias com ele na cidade mais romântica do mundo? —Sasuke não menciona o nome de Kiba.

    

    —Eu ia te contar.

 

    —Quando? No dia da viagem? —Ele está realmente bravo. —Tive que saber pela Ino que minha namorada está planejando férias sem mim.

 

    —Hoje, mas acho que Ino fez isso primeiro porque estava com ciúmes de Kiba —digo enquanto estou o seguindo para um lado mais calmo do jardim.

 

    —Vão ficar até as aulas começarem? —Sasuke questiona sem me olhar.

 

    —Voltamos uma semana antes.

 

    —Até mesmo seu aniversário vai passar com ele? —Ele para quando estamos em lugar mais escuro, mesmo aqui a música chega até nós alta.

 

    Mesmo com a pouca iluminação  posso ver o ciúmes em seus olhos.

 

    Tudo que pude fazer foi explicar o que aconteceu, Neji e Tenten decidiram que vão terminar o último ano em Paris. E Mei acabou me dando férias como presente de aniversário, é claro que pensei chamar Sasuke, mas Kiba e eu já haviamos planejado essas férias quando éramos mais novos e sei que essa é a última chance que vou ter de ter meu amigo só para mim.

 

    Depois vem a universidade, namoros e nunca mais vamos poder ser só nós. A vida vai acabar nos separando de alguma forma, e não quero olhar para minha vida e saber que não fiz essa viagem com meu amigo.

    

 

    —N-não fica assim Sasuke —digo quando ele está de braços cruzados ainda emburrado.

 

    —Vamos voltar para a festa. —Ele só quer se afastar de mim.

 

    O abracei por trás, sentindo todos os músculos das suas costas tensos. Sasuke ficou parado. Deitei minha cabeça sentindo seu perfume e cheiro de roupa limpa, o apertei com ainda mais força.

 

    Ter um namorado é complicado, talvez eu não esteja seguindo as regras de que devo o colocar acima de tudo. Mas não posso fazer isso, Kiba comeu areia no parquinho comigo, esteve presente na minha vida sempre e só quero essa viagem como forma de matar saudades pelo tempo que passamos longe.

 

    —Desculpa não te contar antes. —É apenas por isso que posso me desculpar.

 

    —Tá. —Ele diz secamente.

 

    —Eu só quero ficar com meu amigo, não precisa ficar com ciúmes.

 

    —Você o vê como amigo, mas sabemos de quem ele gosta. —Dessa vez sinto seu coração bater ainda mais rápido.

 

    —Sakura gosta de você, tem aquela garota de biologia e não fico assim quando você as encontra. —Tentei me defender de seu ataque.

 

    —Mas eu deixei bem claro para elas que não gosto delas da mesma forma. —Ponto para ele.

 

    —Kiba está saindo com Ino, ele sabe que eu gosto de você e entre nós nunca vai passar de amizade. —Dessa vez eu o soltei e andei para ficar na sua frente.

 

    —Mas vão estar junto por um longo tempo em umas das cidades mais românticas do mundo, você algum momento parou para pensar como me sinto sobre isso Hinata Hyuuga. —Sasuke me encara como o príncipe das trevas pronto a devorar minha alma.

 

    —Sinto muito, confia em mim S-Sasuke. —Olhei para a grama pensando se essa viagem pode acabar com meu namoro.

 

    E sem respostas ou dizer nada ele se afastou.

 

    Fiquei olhando ele ir em direção contrária a minha, acho que é melhor o deixar sozinho por enquanto. Definitivamente eu devo nunca mais vir a uma festa na casa do Chouji.

 

    Encontrei Kiba perto da mesa de bebida.

 

    —Ino contou para seu namorado, sinto muito. —Ele diz ao me servir um copo com vodca e suco de morango.

 

    —Ele não reagiu bem —digo ao beber enquanto vejo Sasuke sentado do outro lado da piscina.

 

—Ciúmes de você Hinatinha. —Meu amigo diz ao brindar nossos copos descartáveis. —Deixa que eu falo com ele.

 

—Não acho uma boa ideia —tentei o segurar quando ele está indo em direção ao meu namorado.

 

—Vamos lá. —Kiba segura meu braço e me faz caminhar rapidamente. —E aí namorado da minha amiga —zomba ao receber um olhar de poucos amigos de Sasuke.

 

Os olhos negros dele podem ser ainda mais assustadores com raiva.

 

—Lembra que quando cheguei aqui você me mandou cuidar bem dela? —pergunta bravo. —Pois bem eu vou cuidar bem dela lá também, pode ficar tranquilo não vou deixar nenhum europeu se meter com ela.

 

—Não é nenhum europeu que me preocupa. —Sasuke fica de pé e tem um olhar ameaçador.

 

—S-Sasuke —digo ao perceber que meu namorado é um idiota ciumento.

 

—Pode ficar tranquilo, você já deixou bem claro que ela é sua. —Meu amigo como quem está querendo uma briga. —Agora se ela quiser deixar de ser sua namorada a culpa não é minha.

 

—Você acha mesmo que vou deixar minha namorada ir com você. —Dessa vez Sasuke foi longe demais.

 

—Chega vocês dois. —Não sei da onde veio o grito que dei tendo a atenção dos dois assustados para mim. —Eu vou sair de férias com Kiba você gostando ou não, e você pare de gracinha, Sasuke é meu namorado e essa viagem não vai mudar isso.

 

—Não tenho culpa que seu namorado é inseguro. —Kiba debocha.

 

Respirei fundo.

 

—Talvez você queira ficar solteira para essa viagem. —Sasuke olha para mim como se fosse realmente o fim.

 

—Talvez eu deva fazer essa viagem sozinha —digo ao sentir meus olhos arderem.

 

Meu amigo está sendo um babaca e meu namorado um possessivo idiota.

 

—P-Porque você dois não entendem que são importante para mim de forma diferente.

 

Mordi a boca para segurar minhas lágrimas.

 

Nenhum dos dois está preocupado comigo, apenas para o que sou para eles. Kiba sempre me salvou de situações constrangedoras como essa, Sasuke sempre esteve do meu lado em momentos assim. Mas dessa vez são os dois que estão me fazendo virar para eles e sair andando.

 

Vou mostrar para Kiba que sobrevive sem ele todos aqueles meses.

 

Para Sasuke que prometi a mim mesma não virar mais estátua quando tudo que sinto é vontade de chorar.

 

E foi fungando minha lágrimas que andei em direção ao portão da casa de Chouji.

 

E só queria tirar férias com meu melhor amigo e não acabar brigando com meu namorado. E foi assim que caminhei até minha casa sozinha, era mais fácil quando eu só gostava de Naruto de longe, sem ter esse tipo de problema.

 

—O que foi? —Mei perguntou assim que entrei.

 

Sorri a ela e ao meu pai e fui para o meu quarto. Desliguei meu celular, deitei abraçada ao meu dragão de pelúcia.

 

—Posso entrar? —Mei diz ao bater na porta do meu quarto.

 

—Pode. —Sentei na cama e limpei minhas lágrimas.

 

—Sabe o que é bom para tristeza? —perguntou tirando de trás de si um pote de sorvete. —Chocolate com pedaços de chocolate. E também um carinho.

 

Mei se sentou ao meu lado e passou o braço sobre mim. Aquele gesto me fez chorar, será que é assim que minha mãe faria se estivesse viva. E isso encheu ainda mais meus olhos com lágrimas, nunca vou a ter para me aconselhar sobre o que fazer agora.

 

—Tem dois garotos brigando com você e está chorando? —Ela diz depois que contei o que aconteceu.

 

—Não é assim —digo sorrindo. Sorvete é muito bom nesse momento, mas a ter para ouvir o que está acontecendo é melhor ainda.

 

—Eles são babacas nessa idade, não se preocupe depois que eles passam dos quarenta amadurecem bastante. —Mei tenta me animar. —Você precisa falar com Sasuke, ele só está chateado por não passar férias com você. E deixar claro para Kiba que são só amigos. Apesar que acho que ele está tentando proteger sua melhor amiga.

 

Talvez minha mãe tenha mandado Mei para cuidar de nós. Porque meu pai nunca foi bom para esse tipo de conversa e mesmo quando vou a sala para assistirmos a um filme ele parece desconfortável por eu ter chegado com os olhos vermelhos de choro.

 

Hanabi sugere um filme de romance e meu pai discorda, mas ele perde por três votos contra um. Mei e minha irmã fazem mais pipoca, espero que ela possa preencher a parte materna dessa casa para minha irmãzinha que vai poder aproveitar bem mais dessa convivência.

 

***

ーAcorda Hyuuga. ーSasuke está dizendo no celular que atendi ainda sem conseguir abrir os olhos.

 

ーEstá escuro ainda. ーAbri os olhos e vi que a luz do sol nem havia saído.

 

ーNós vamos ao Parque Jardim. ーEle está me informando isso ainda bravo.

 

Havia planejado dormir até tarde, faz muito tempo que não faço isso.

 

ーDevia ter deixado o celular desligado ーmurmurei como criança fazendo birra.

 

ーDaqui a uma hora estou ai. ーEle desligou sem dizer tchau ou avisar o que vamos fazer lá.

 

Uma hora parece tempo suficiente para um cochilo, desde que estou com Sasuke todo sábado sou obrigada a acordar cedo. A lista de noiva de Izumi ocupou muito do meu tempo, as provas, Mikoto e Mei nossos passeios no shopping.

 

ーEu não mandei você estar pronta. ーSasuke está sentado na minha cama. ーAcorda Hyuuga.

 

—Ainda está bravo comigo? —digo ao espiar com apenas um olho.

 

Fechei o olho não sabendo o que esperar.

 

Então Sasuke faz o que faz de melhor, me surpreende ao beijar minha testa, gosto quando ele faz isso. Eu sei que devia estar pronta, mas ainda não consigo abrir os olhos. Apenas dei lugar na cama para ele e o fiz deitar ao meu lado, está com cheiro de banho e loção pós barba. Deitei a cabeça em seu peito querendo voltar a dormir.

 

ーEu tenho hora para chegar lá. ーEle passou os braços sobre mim. ーNós vamos buscar uma cobra para Orochimaru.

 

ーUma cobra?  ーEu ainda estava dormindo ou ele tinha falado cobra.

 

ーÉ uma cobra. ーEle pode ser o que quiser, que garoto de dezessete anos ajuda um professor no seu tempo livre, só o príncipe das trevas.

 

ーE porque tenho que ir? ーCobri minha cabeça com o edredom pela luz que começava a passar pela cortina.

 

ーDeixa eu levantar, foi seu pai quem abriu a porta. ーSasuke empurra meu corpo e se levanta com muita pressa, assim que ouvimos passos no corredor.

 

ーEu vou tomar banho. ーSentei na cama lutando contra meu sono.

 

ーRápido. ーEle é sempre chato assim, mas esse encontro foi bem melhor do que pensei.

 

***

ーBom dia.ーMeu pai está lendo gráficos no tablet e tomando café com Sasuke.

 

ーBom dia. ーSentei ainda querendo voltar a minha cama. Foi uma longa noite vendo filmes.

 

ーEssa semana ainda tem tempo para passar um dia na empresa ou já começa seu estágio? ーNão gosto da intimidade que eles tem quando meu pai diz isso.

 

ーSim, achei muito interessante conhecer a área de TI. ーQuando Sasuke disse isso quase cuspi meu leite com café, ele havia ido a empresa do meu pai e eu não sabia.

 

ーPosso marcar para você conhecer a área de venda. ーMeu pai sorri para mim antes de levar a xícara à boca. ーVocê escolheu bem seu namorado Hinata. ーAquilo foi orgulho em sua voz, não pode ser Sasuke conquistou o meu pai bem mais do que imaginei.

 

ーEu é que tenho sorte. ーEle colocou a mão sobre a mim e sorriu debochado a minha cara de surpresa.

 

ーEstamos atrasados, não estamos? ーAquela conversa estava indo para um caminho muito estranho para ser apenas sete da manhã.

 

ーTome. ーMeu pai tirou dinheiro da carteira e deu para mim. ーBom passeio.

 

ーObrigada pai. ーBeijei sua testa e saímos.

 

ーVamos pegar o ônibus, perdemos o primeiro. ーSasuke diz bravo, porque foi minha culpa ter dormido.

 

ーO que pensa que está fazendo? ーEu precisava saber, que conversa era toda aquela com o meu pai.

 

ーO que? ーEle caminha com a mãos nos bolsos como se realmente não soubesse do que se trata.

 

ーVocê foi a empresa da minha família?

 

ーA umas duas semanas atrás. ーEle diz como se fosse normal. ーO que foi Hyuuga? Eu sou seu namorado e seu pai só quer alguém para cuidar daquilo, Neji não parece muito interessado.

 

ーE você? ーNão estava me sentindo uma mocinha sendo usada para fins lucrativos, mas chegava perto.

 

ーNão sei, ainda não decidi o que fazer da minha vida. ーSasuke pareceu bem aborrecido com isso. Ficamos em silêncio até o ponto de ônibus. ーVocê sabe o que vai fazer? Além claro de ir passar férias com um certo cara de cachorro.

 

ーNão. ーApoie a cabeça no braço dele, como um pedido de desculpa. ーSinto muito por não ter te contado antes.

 

ーEu fui um namorado ciumento. ーBeijou meus cabelos, mas não havia um pedido de desculpa na frase.

 

ーFoi um idiota ーdigo baixinho.

 

ーDesculpa por isso. ーO príncipe das trevas fala ao suspirar. Usar essa palavra é muito difícil para ele.

 

Ombro dele era um lugar perfeito para um cochilo, adormeci pelos vinte minutos que demoramos para chegar lá. Sasuke estava lendo um livro sobre cobras, acho que isso combina com ele. Porque elas teriam mais medo dele do que ele delas.

 

É bom voltar ao Jardim, só espero não cair da escada hoje. Naruto e Sakura não estão aqui para nos empurrar. O lugar cheira a grama e terra molhada, mesmo tendo saído de ambulância daqui, não fiquei com lembranças ruins.

 

ーEncontraram uma cobra aqui ontem. Como eles recebem o público nós vamos levar ela para ser solta em uma reserva natural. ーSasuke está animado com isso, um príncipe das trevas e animais peçonhentos combinam. Seus olhos negros estavam brilhando.

 

Ele segurou a minha mão, entrelaçou meus dedos entre os seus. O sol da manhã, o barulho da natureza e a mão quente dele entre a minha fazia valer a pena ter acordado cedo. Nós fomos até o lago, havia um casal com uma garotinha alegre.

 

ーÉ estranho saber que vou ter uma sobrinha. ーficou olhando para criança um pouco a nossa frente.

 

Nunca vi Mikoto tão feliz ao receber essa notícia, finalmente uma Uchiha para que ela possa mimar. Espero que ela não estrague a neta.

 

ーSeus pais estão adorando a ideia. ーA garotinha a nossa frente é linda.

 

ーTalvez nós sejamos os padrinhos do filho de Naruto. ーSasuke olhou para mim com o caos de seus olhos escuros, eu não quero ficar longe dele também.

 

ーAinda é difícil de acreditar que eles vão ter um filho.

 

—O descabeçado do Naruto sendo pai —diz ao olhar para o lago.

 

Sei como a gravidez traz recordações de Ikari, a pouca idade de Chino e o Naruto como pai. E por isso que ele está do lado do amigo para que não aconteça o mesmo que seus fantasmas do passado. Sasuke está do lado do Naruto para tudo.

 

—O que acha sobre o que Gaara falou? —perguntei porque ainda não havíamos falado sobre isso.

 

—Gaara diz coisas idiotas, mas ele também teve um envolvimento com essa garota pelo que sei. —Sasuke diz algo que eu não sabia. —Não tem como saber disso agora, não é o melhor momento para tentar decidir quem é o pai ou não, Chino só tem quinze anos e uma gravidez nessa idade é sempre de risco.

 

—Ela vai ficar bem —digo ao perceber que isso traz suas más lembranças.

 

ーVamos pegar a cobra. ーEle foge do assunto.

 

O vento anuncia que logo vai chover, nuvens cinza vão tomando o céu.  

 

ーPorque não escolhe um buquê para Izumi. ーEle diz quando chegamos a uma floricultura na segunda entrada do Parque. ーTe encontro aqui daqui a pouco.

 

O vejo se afastar com a feição ainda mais indecifrável que das outras vezes. Sasuke nunca vai dividir tudo comigo, ele ainda carrega sua dor sozinho e não sei como o ajudar.

 

ーO que está fazendo aqui? ーIno fixou os olhos azuis em mim como se fosse proibido vir ao Jardim.

 

ーVou escolher um buquê. E você? ーperguntei ao ver que ela está usando um avental verde. Não sabia que ela trabalhava aqui.

 

ーKiba está com você? ーEla diz o nome dele com raiva.

 

ーNão.

 

ーPara quem vai dar o buquê? ーEla perguntou cruzando os braços na frente do corpo como se eu precisasse a responder.

 

ーSasuke vai dar para a cunhada ーdigo andando um pouco para longe dela que está me seguindo.

 

Izumi e Itachi vão se mudam hoje para a casa nova, eles estão muito feliz.

 

ーMeus pais são donos daqui, ele quer dar um buquê por alguma razão especial? ーIno passou na minha frente, ela está muito brava comigo. Ela tem razão, vou levar o cara com quem ela está saindo para outro país.

 

ーEla está grávida e vão se mudar para a casa nova hoje.ーSó me veio esse motivo na cabeça.

 

ーLírios brancos, que simbolizam representa inocência, matrimônio e maternidade. ーEla diz mais para si do que para mim e saiu andando rápido pegando as flores e folhagens.

 

ーObrigada. ーMesmo sabendo que ela só está fazendo isso por Sasuke.

 

ーEscolheu? ーEle me dá um susto quando aparece atrás de mim e sussurra.

 

ーIno escolheu. ーVirei-me a ele para ver uma gaiola coberta com um pano preto, nós iríamos mesmo levar uma cobra.

 

ーÉ uma gaiola de acrílico, não tem perigo nenhum, quer vê-la? ーPara ele é normal carregar uma cobra.

 

ーElas me dão calafrios. ーOdeio as aulas com Orochimaru e as cobras do laboratório.

 

ーSasuke ーIno veio até ele com um sorriso enorme, eu estava invisível a ela, que jogou os cabelos loiros para o lado de forma sexy. ーMontei esse buquê especialmente para você, lírios são muito perfumados sinta o aroma. ーErguer a flor até ele, eu nunca conseguiria fazer algo parecido.

 

ーVocê gostou Hyuuga? ーEle faz cara de indiferença a nós duas.

 

ーSão lindas. ーÉ um buquê muito lindo e perfumado realmente.

 

ーÉ um presente para você. ーIno diz como uma garota inocente.

 

ーObrigado. ーEstou piscando para ter certeza que ele falou isso a ela e ainda ofereceu um sorriso.

 

ーVocê tem o meu número pode me ligar quando precisar de flores ou algo a mais. —Ela está dando em cima dele descaradamente comigo do lado apenas porque vou viajar com Kiba.

 

Porque Sasuke está sorrindo de novo? Eu não entendo, ele sempre é tão frio com todas as garotas, com todas que já vi perto dele, mas está sendo gentil com ela e sorrindo. Eu achei que eles tinham se beijado só para fazer ciúmes na Sakura e não que tivessem ficado tão íntimo. Sasuke é canalha que nem Naruto, só que pior, porque ainda esconde isso.

 

ーVamos Hyuuga.ーEle diz depois que escreveu um cartão com Ino ao seu lado dando risadinhas

 

Não falei nada, apenas comecei a deixar a floricultura na frente dele. Odeio que Sasuke tenha flertado com uma garota na minha frente apenas porque vou viajar. Todo passeio no jardim acaba tendo um fim que não imagino.

 

ーVou ligar para o táxi, vamos a casa do Orochimaru ーdiz como se nada tivesse acontecido.

 

ーAcho que vou para minha casa. ーNão quero ficar com ele, comecei a andar para o ponto de ônibus sozinha.

 

ーVai chover daqui a pouco ーSasuke diz como se isso mudasse algo ou importasse.

 

ーVai mesmo. ーAté eu me assustei com o meu tom de voz, foi grosso e bufei depois disso, não pode ser verdade, eu estou sentindo ciúmes dele.

 

ーAs flores são para você.ーEle estar se divertindo comigo.

 

ーNão quero. ーContinuei andando e ouvi seus passos me seguindo.

 

ーEu acho que vou trocar de namorada se continuar tão mal humorada assim. ー

Sasuke riu debochando.

 

ーAcho uma boa ideia. ーNão queria estar sentindo essa raiva inconsciente e ainda demonstrando a ele.

 

ーVocê não é tão burra para não ter percebido. ーSasuke se colocou na minha frente impedindo que eu caminhe, mas não encarei seus olhos como quer.

 

ーÉ claro que percebi você flertando com ela. ーEssas palavras deixam minha boca sem o meu controle.

 

ーÉ mais inteligente que isso.ーEle colocou a gaiola no chão e segurou meu queixo. ーEstá com ciúmes, isso é fofo.

 

ーNão ーdisse tirando sua mão de mim.

 

ーÉ bom provar do seu próprio veneno? ーA mão dele segurou meu rosto para que o olhasse nos olhos, deu um passo deixando nossos corpos mais próximos. ーEu não quero que vá Hyuuga ーsussurrou quase tocando meus lábios.

 

ーVocê é um idiota. ーMinhas bochechas estavam vermelhas por ele estar tão perto do meu corpo.

 

ーSou seu namorado. ーSasuke acariciou o canto da minha boca e fechei os olhos quase sentindo o gosto dos seus lábios nos meus. ーNão vou te beijar. ーSe afastou com um sorriso de lado vitorioso, havia conseguido o que queria, me confundindo de novo. ーSe quiser um beijo vai ter que pedir.

 

Entregou o buquê a mim como se fosse normal, fazer uma cena de ciúmes com a floriculturista antes de dar um presente que devia ser especia. Odeio Sasuke, por ser um idiota, por despertar ciúmes em mim, e mais ainda por não conseguir fingir na frente dele que está tudo bem.

 

Quando estamos esperando o táxi o tempo de chuva vai ganhando ainda mais forma de tempestade. As nuvens vão ficando enormes e pesadas, os raios vão clareando tudo ao mesmo tempo que me sinto igual por dentro. Como acabei nessa confusão de sentimentos, olho para ele ainda brava, com vontade de o enforcar, porque tem que ser lindo e combinar com o cinza do dia, com a camiseta preta, a calça jeans apertada e o tênis extremamente limpo e branco.

 

ーNós vamos tomar chuva ーdiz quando começamos a sentir pequenas gotinhas geladas sobre nossas cabeças.

 

Não quero estar emburrada feito criança, mas estou, segurando o buquê e sentindo que quero o jogar fora, mas não conseguiria. Porque ele tem que ser o primeiro a me dar flores e estragar tudo, o príncipe das trevas vai acabar com minha alma. Quando o táxi chega já estamos úmidos da chuva.

 

Ele virá minha vida de cabeça para baixo sempre, com ele nunca sei o que vai acontecer. O modo como faz isso e está calmo sentado ao meu lado, os cabelos pretos precisando de corte, os olhos opacos olhando a chuva pela cidade e a mão branca e grande que não segura a minha como pedido de desculpa.

 

Meu namorado, meu namorado malvado e pirado. Vai morrer esperando que eu peça um beijo, não vou pedir, acabaria com ele namoro agora mesmo. Mas minha garganta está seca, não quero dizer nada. Ainda lembro dele sorrindo para ela, a cena do beijo na biblioteca me vem à mente, do mesmo modo que já me beijou fez com ela, não quero os lábios dele.

 

ーEspera aqui. ーSasuke diz antes de deixar o táxi quando chegamos a casa de Orochimaru.

 

    Minha vontade é dar meu endereço ao motorista e ir embora, o deixar aqui e nunca mais falar com ele. Olhei para meu colo quando senti o aroma do lírio branco que estava perfumando todo o carro. Lembrei das palavras dela, a voz dela ficou irritante na minha mente “inocência, matrimônio e maternidade”. Nunca irei me casar com Sasuke, Mikoto está errada em me tratar como futura nora dos Uchiha, não posso aguentar a instabilidade dele, vou acabar ficando louca.

 

ーPodemos ir. ーEle volta ao carro e tenta passar o braço sobre meus ombros.

 

Odeio não ter controle das minhas emoções, olhar para ele brava para que não me toque.  Sasuke tira a mão de mim e ri, isso me deixa ainda mais nervosa. Ele está brincando comigo. A cena da floricultura está passando na minha mente e fico pensando que devia ter feito alguma coisa. Atirado as flores na cabeça dele, é aquela loira jogando charme para cima dele como se fosse solteiro apenas porque vamos ficar longe nas férias. Sinto que vou ficar louca.

 

ーPode parar aqui. ーSasuke fala para o motorista parar em frente ao colégio.

 

ーVou para a casa. ーNão iria para o colégio com ele, não importa o que fosse fazer.

 

Ele finge que eu não disse nada, paga o táxi e puxa minha mão para descermos, sua mão está fria assim como a minha. Esse toque me causa uma sensação que não quero sentir, porque quero o fazer soltar, mas não quero que solte. Corremos na chuva até a portaria, não tenho ideia do que estamos fazendo aqui.

 

ーVamos alimentar as cobras ーdiz ao porteiro que autorizou nossa entrada.

 

Meu corpo está gelado e só quero ir para a casa, tomar um banho quente e dormir a tarde de sábado já que tive uma péssima manhã. Sasuke não parece preocupado que não conversamos, ainda sinto vontade de bater nele com o buquê.

 

ーVocê está com vontade de me matar Hyuuga. ーEle me olha com um sorriso de canto nos lábios quando chegamos ao laboratório.

 

ーSó quero ir para casa. ーSentei em uma cadeira me debruçando na mesa.

 

ーNão seja malcriada assim. ーSasuke sentou na mesa ao meu lado. ーVem aqui.

 

Não olhei para ele e não me levantei, não iria o obedecer como sempre acabo fazendo. Não quero mais ser uma boneca na mão dele, também cansei de garotos, vou ficar solteira para sempre, é tudo tão complicado.

 

ーHyuuga ーdiz cinicamente como se tivesse algum direito sobre o que faço.

 

ーVocê não tem que alimentar as cobras?

 

ーFiz isso ontem, só que esse é o único lugar que vou conseguir ficar sozinho com você hoje. ーParece que ele havia planejado tudo, o Jardim para o show com a loira e nossa vinda aqui.

 

ーNão quero ficar sozinha com você. ーLevantei irritada.

 

ーEu não sabia que gostava tanto de mim assim. ーSasuke puxou meu corpo para si, tentei o empurrar, mas ele me segurou ainda mais forte.

 

ーNão gosto de você. ーOlhei para o lado, estava perto demais dele, de seu perfume e o do calor que seu corpo.

 

ーEntão porque ainda está brava? ーEle puxou meu queixo para que o encarasse, estava da minha altura, era estranho não precisar olhar para cima para ver o negro de seus olhos. ーVocê é tão ciumenta.

 

ーVocê brincou comigo de novo. ーVirei o rosto irritada comigo e com ele, porque não sai de perto dele.

 

ーSem jogos a partir de hoje. ーDessa vez ele me abraçou e não queria sentir todo seu corpo contra o meu, até mesmo seu rosto gelado. ーEu sei como está se sentindo, esqueceu que eu já estive no seu lugar.

 

ーÉ diferente. Kiba é meu melhor amigo a anos e não dou em cima dele como você fez.

 

ーEstá com vontade de me bater e em si mesma por não sair correndo? ーNão queria que ele soubesse o que estou sentindo.

 

ーEu te odeio ainda. ーSubi meus braços até seu pescoço, sua pele está fria e quero apenas o aquecer.

 

Sasuke deitou a cabeça no meu peito e parecia inofensivo de novo, o fato é que não sei o que sinto por ele, mas é algo que me assustou hoje. Porque eu podia suportar ver Naruto beijando uma garota, me dava um mal estar, uma aperto no estômago, nada comparável a instabilidade que ainda estou sentindo dentro de mim.

 

ーSeu coração está acelerado. ーO empurrei quando disse isso, era porque ele estava tocando meu corpo e de repente senti meu rosto pegar fogo.

 

ーVamos. ーDei um passo para trás de seus braços.

 

Ele se levantou e me fez andar de costa até sentir que precisava sentar na mesa atrás de mim para me livrar dele.

 

ーVocê não vai pedir um beijo? ーA voz era sedutora e seus olhos procuraram os meus.

 

ーN-não. ーTive dificuldade em dizer isso, minha voz estava fraca e senti me acuada conforme ele avançava sobre mim.

 

Sasuke não presta, conforme coloca minha mão em sua nuca. Abre minhas pernas e se encaixa entre elas, acaricia meu pescoço com a ponta dos dedos e fica olhando meu corpo se render a seu toque, quero correr, mas sei que não conseguiria. Quando sua boca toca meu pescoço, me faz esquecer porque estou brava com ele. Meus dedos tocam seu cabelo macio, minha cabeça pende para trás para que ele tenha mais acesso a minha pele.

 

ーVocê me enlouquece Sasuke ーdigo isso pelo rastro de calor que vai deixando no meu corpo, quando desceu a alça da minha blusa para beijar meu ombro.

 

ーVocê sabe o que tem que fazer. ーSasuke passa o calor dos dedos sobre meus lábios, quer que eu peça por sua boca.

 

ーNão Uchiha. ーSinto sua mão entrando por minha blusa, subindo o tecido além do que quero que faça.

 

ーPosso? ーOlha nos meus olhos para pedir permissão para tirar minha blusa, que já está quase deixando meu sutiã aparecer.

 

Faço que não, ele volta a beijar meu pescoço e toca toda a pele das minhas costas nuas. Desço a mão de seus cabelos para invadir sua camiseta, passo a unha por sua pele até o ouvir gemer na minha orelha. Quero pedir sua boca, mas ainda estou brava para isso, subi sua camiseta e beijei sua pele sensivel ao calor da minha boca.

 

ーIsso não é justo. ーEle diz quando estamos tirando sua camiseta juntos.

 

ーAssim fica justo? ーPassei minha blusa pelos braços e cabeça, estava envergonhada por estar de sutiã na frente dele, abaixei o olhar.

 

ーQuase. ーa boca dele chegou perto demais da minha, como se ele tivesse lembrado tarde demais que não iria fazer aquilo roçou nossos lábios. ーPor favor. ーNunca pensei que veria Sasuke Uchiha implorar, e sei que ele está dizendo isso em duplo sentido, por um beijo e pela viagem.

 

ーNão. ーRocei nossos lábios quase o beijando.

 

ーHyuuga. ーSasuke estava segurando meu cabelo firme pela nuca, o que ele tem que me faz tirar a blusa na sua frente e querer que o beijar.

 

Sinto como se tivesse bebido champanhe de novo, quando o beijei sem pedir, apenas puxei seus lábios aos meus. Sua boca não tem pressa, nega-se a devorar a minha como sei que é capaz, por um capricho beija-me com delicadeza, por ter o  feito esperar. Eu aceito sua provocação, deixei meus lábios o envolver com leveza. Sasuke desceu as mãos por minha coxas, puxou meu corpo de encontro ao seu.

 

ーDesculpa. ーEle se afasta quando percebe o caminho para onde estávamos indo. ーMelhor vestir sua blusa.

 

Visto a blusa assim que ele me entrega, ele faz o mesmo. De repente não temos coragem de dizer nada, ele se senta em uma carteira ao meu lado e ficamos olhando uma cobra pelo vidro. Alguns minutos atrás queria o matar, depois o beijar e agora estamos em um clima muito tenso.

 

Não quero ser uma daquelas garotas que fazem tudo que o namorado peder. E se eu desistir dessa viagem vou estar dizendo isso a ele e a mim mesma.

 

ーVocê leu o cartão? ーSasuke pergunta depois de um longo silêncio entre nós.

 

ーNão. ーAté tinha me esquecido que o cartão era para mim e não para Izumi.

 

Fui até a mesa onde o buquê está e peguei pequeno envelope branco, fiquei com medo de abrir ou vergonha por ele estar atrás de mim. A letra dele é bonita, mas me lembro que quando escreveu isso estava com aquela loira rindo do seu lado e ainda sinto vontade de tacar as flores nele.

 

Para: Hinata

“Quero te desejar boa viagem.

Promete voltar para mim?”

De: Sasuke

 

Eu não sabia o que fazer ou falar, apenas fiquei olhando para o papel a minha frente, parecia muito fofo para ser do príncipe das trevas. Ele tem um lado fofo que cada vez que se mostra não sei como agir, como alguém pode despertar tanto sentimentos confusos em tão pouco tempo.

 

Nunca pensei que me tornaria namorada de verdade dele quando toda essa confusão começou. Peguei uma caneta do Orochimaru e escrevi atrás do cartão.

 

Entreguei para ele quando me sentei ao seu lado, é loucura aceitar isso, ao mesmo tempo que sei que não posso dizer outra coisa que não seja sim. A chuva aumentou, está batendo com força contra o vidro da janela, o céu está escuro, parece mais uma noite do que uma  manhã.

 

ーSe você fizer o que fez hoje de novo eu te mato. ーNão olhei para ele, continuei vendo a água escorrer o vidro pelo lado de fora.

 

Ele colocou a mão sobre a minha, enfiou os dedos entre os meus e depois apertei os meus fechando sua mão na minha. Sasuke está olhando a chuva quando o olho, seus olhos negros não são assustadores, queria saber em que momento se tornaram fascinantes.

 

    ーEu vou estar te esperando princesa das trevas. ーEle diz isso com vergonha, suas bochechas ficam coradas e aperta um pouco mais minha mão.

 

    ーEu vou voltar meu príncipe das trevas. ーDesviei de seu olhar assustada pelo meu tom de voz.

 

    Não faço a menor ideia do que esperar ao lado dele, quando aproxima o rosto do meu, não sei se espero seus lábios nos meus ou no alto da minha testa. Beija minha testa com carinho, segurando meu rosto entre sua mão, ele deve estar morrendo de ciúmes, mas está confiando em mim. Deitei a cabeça em seu ombro, estamos em uma tempestade, entre cobras e me sinto segura.

 

    —Eu estava planejando tudo isso para o dia do seu aniversário. —Sasuke entregou me uma caixinha azul de veludo. —Não sabia o que te dar, então perguntei a minha mãe.

 

—Desculpa ir sem você, mas eu sempre planejei isso com Kiba —digo ao pegar a caixinha.

 

Sei que estou o magoando.

 

—Não gosto de saber que vai estar com ele em outro país, mas gosto de saber que você foi corajosa o bastante para bater o pé e falar que vai fazer isso. —Dessa vez ele sorriu de lado. —Desde que estamos juntos você ficou mais forte e admiro isso em você Hyuuga.

 

O olhar dele diz a verdade. Sorri a ele com os olhos brilhosos, eu vou sentir saudades.

 

—Não ouse chorar. —Ele tomou o presente da minha mãe e abriu a caixinha. —Toma.

 

Sasuke me entregou um medalhão de prata. Peguei com cuidado entre os dedos parece tão delicado, é todo em alto relevo com ramos de flores.  Abri o pequeno medalhão esperando encontrar uma foto dele, mas nada me preparou para o que estava ali. Antes que pudesse falar ou pensar direito senti as lágrimas deixando meu rosto.

 

Não fica mais fácil, às vezes parece que fica mais difícil. Que a saudade aumenta conforme o tempo, foi olhando a foto da minha mãe de noiva que eu quis chorar mesmo que na frente dele.  Ele colocou uma foto dela com o longo véu, o vestido branco, e o sorriso mais lindo do mundo em seus lábios.

 

—Para que ela esteja sempre com você Hyuuga. —Sasuke passou os braços envolta de mim.

 

Porque ele tem que ser um canalha e depois o garoto mais perfeito do mundo.

 

—O-obrigada. —O envolvi querendo não o soltar nunca mais.

 

—Eu quero que você aproveite Paris, que se divertida, mas saiba que estarei aqui te esperando. —Ele me aperta como se não quisesse soltar.

 

—Vou voltar para você Uchiha.

 

—Espero que faça isso mesmo Hyuuga.

 

E gravado em letras de mãos no medalhão está a frase “para sempre ao seu lado”.

 


Notas Finais


O que acharam do capítulo? Bom, ruim ou péssimo? Críticas, comentários e dicas?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...