História My sister's boyfriend - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Colegial, Hoseokão, Incesto, Jimin, Jin, Kookie, Nam, Suga, Tae
Exibições 82
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hii.
Tão preparado pra entrar na bad com a infância/passado da Kim?
Sorry os erros

Capítulo 15 - Nem sempre a verdade e o passado são bons


Fanfic / Fanfiction My sister's boyfriend - Capítulo 15 - Nem sempre a verdade e o passado são bons



Flashback On


Busan - 2008



- Filha promete que sempre vai me amar? - Omma dizia enquanto me abraçava. 


- Claro omma - O abracei de volta e vi ela saindo daquela enorme porta, senti que seria a última vez que ia o vê lá,mais não dei bola ja que ela só iria trabalhar e logo voltava. 


Como de costume minha omma voltava do escritório as 18hrs eu sempre esperava ela sentada ao lado da minha babá no sofá assistindo meu desenho preferido, só que dessa vez acabou meu desenho preferido e nada da minha omma chegar,logo aquela mesma angústia de cedo retornava. 


- Amy cadê a omma - Perguntava pra minha babá ja com os olhos marejados com receio da resposta. 


- E-eh ela ja chega doce - Senti que ela estava nervosa na hora de responder, como se ela estivesse escondendo algo. 


- Oi filha cheguei - Pela primeira vez no ano meu pai chegava cedo do trabalho isso era estranho. 


- Oi pai. - O respondi sem ânimo. 


- Filha é-eh sua mãe - Vi sua aflição. - Ela foi pro céu. 


Não não. Não pode ser, não maldita sensação. Ela não podia me deixar eu o amava tanto. Os choros permitia eu chorar e enxarca meu pequeno rosto.


Não queria aceitar o fato da minha mãe ter morrido. Eu so tinha 9 anos não conseguiria lidar com sua ausência. 


Depois da notícia da minha mãe eu fiquei numa longa depressão por dois anos, sem vontade nenhuma de viver por isso todos os dias na maioria do tempo eu tava num piscologo. Mais nada adiantava aquela tristeza não saía de mim eu não consegui socializar com as pessoas na escola, chorava todo tempo possível e poucas vezes eu  comeia.


Meu pai tentava da um pouco de apoio para mim mais sempre tava ocupado demais. Tres anos e meio que minha mãe tinha morrido meu pai recebeu uma proposta de emprego em Seul ele achou preferível aceitar, talvez assim eu conseguiria sair da depressão com o novo lugar. 


Chegando em Seul eu tentava o máximo fazer os Três  anos no piscologo te válido a pena,só que era muito difícil mais eu tava conseguindo. A gente tinha chegado em Seul na Quinta, Sexta meu pai foi ve a escola e tals. E eu começaria na segunda. 


Ate que o começo das aulas foi bem, eu sempre preferia ficar na minha, poucos amigos so fazendo a questão de estar ali. Porém mais ou menos duas semanas depois que eu entrei na escola eu começei a sofrer bullying por um meninas mais velhas que eu. Pelo fato de eu ser baixinha e ser tão magra do que as expectativas das coreanas, eu era ofendida, espancada e magoada emocionante e novamente eu entrei numa segunda depressão que durou sete meses, ate quando o grupo de amigas foram expulsas da escola. 


Eu novamente frequentava psicólogos mais os psicólogos não foram o suficiente então tive que começar a frequentar psiquiatras por tentativas de suicídio.  


As tentativas de me matar vinheram assim com meus 13 anos, quando novos alunos mais velhos começaram a abusar de mim, e não foi apenas uma vez, eu fui estrupada 3 vezes por aqueles 3 garotos. E pior seria de mim se abrisse minha boca para contar pra alguém. Eu ja tava farta de tudo eu já tinha entrado na minha 3 depressão mais essa era a pior de todas eu tinha que aguentar toda aquela dor calada, eu ja tinha vários ematomas pelo meu corpo tudo por causa daqueles 3 idiotas, fora que meu pai não me dava mais atenção eu não tinha nenhum ombro amigo pra pelo menos chorar e ter um carinho. 

E foi Numa bela noite de madrugada que eu decide cometer meu próprio suicídio, peguei a lâmina minha melhor amigo e pela terceira  vez no dia me cortava, cada vez fazendo cortes mais grandes, pronta para afundar aquela lâmina de uma vez e minha vida acabar por ali mesmo. 


Flashback off


E pela quarta vez eu estava numa depressão, so que essa foi pior de todas não foi nem pelo motivo de eu te sofrido abusos e sim por eu te sido abandonada pela minha própria mãe, a pessoa que eu mais amava e a única que eu pensava que me amava me abandonou e eu sofri minha adolescência toda até agora escondendo tudo todas as minhas dores pensando que ela tinha morrido. Mais não,eu fui iludida e pela forma mais dolorosa. Pela minha própria mãe. Eu pensava que já tinha sofrido bastante mais parece que só foi o começo.Fazia duas semanas que eu só chorava,novamente perdia mais peso,fingia que ia pra escola mais ficava na pracinha chorando e na de noite voltava pra casa, aguentar Krytinna me fazendo de escrava e Tomar vários remedios possível para so conseguir durmi ja que meus pensamentos so conseguia pensar "Eu sou tão ruim assim" "Eu fui abandonada pela minha própria mãe" " Eu nem deveria ter nascido" "Por que nos meus 13 anos eu não me matei logo?" " Sou um lixo" "Por que eu nasci?". 


Terça-feira

Acordei fiz a minha rotina de sempre vesti qualquer roupa e fui para a velha pracinha chorando, chegando la apenas so continuei a chorar. Ver aquelas mãe e filhos juntos me fazia eu me sentir pior. Dessa vez decidir ir mais cedo pra casa me afogar nos remédio e durmi so pra acordar amanhã ou quem sabe nem acordar. 


Chegando em casa ainda chorando abaixei a cabeça ao perceber que Krystinna estava ali no sofá. 


- Como foi na "escola" Kim? - Consegui sentir um tom de sarcasmo na voz, não respondi e apenas continuei a direção para meu quarto, quase preste na porta Krystinna puxa meu braço que estava quase cabendo na sua mão de tão magro e aperta bom força cravando suas unhas grandes nele, segurava mais o choro. 


- Por que você ta gasetando aula? - Novamente fiquei calada e cada vez  Mais ela cravava sua unha no meu braço, sem nenhuma resposta ela apertou mais meu braço indo reto em direção ao porão, chegando nele ela apenas me jogou fazendo eu sair rolando pela escada e batendo a minha cabeça no chão. Ao chegar no chão toquei em minha cabeça e em meu nariz e senti que estava sangrando. Vi Krystinna descer as escadas com o alhar fixo atraz de mim. Chegando

em minha direção a mesma pegou com força meu outro braço fazendo me levantar no chão e a segui logo vi tipo um poste  redondo  de metal e duas cordas no chão. Logo Pegou as duas cordas e amarrou totalmente com força meu meus pusos e meus pés naquele negócio e simplesmente saiu. 


E assim eu fiquei esse porão mofento e úmido fraca de mais para gritar e muito menos  conseguir sair daqui. 



Notas Finais


Oque vcs acham de eu po ordem nessa bagaça?. Oh vcs querem que eu Att todo domingo, terça e talvez quarta?.

Ou so quando eu poder?. ~Nao me deixem no vácuo profundo

Byeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...