História Namorado de Aluguel - Capítulo 11


Escrita por: ~

Exibições 550
Palavras 4.312
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÃ! Demorei mas cá estou eu com o capítulo frexquinho haushauaha demorou um tanto por causa do bloqueio e tals, mas eu fiz meu melhor para esse especial e espero não decepcionar vcs com ele, e se isso acontecer, perdão.

O nome já diz tudo né? (͡° ͜ʖ ͡°) então recomendo que leiam ouvindo Call Me Daddy ou qualquer outra música assim a partir da parte da balada (͡° ͜ʖ ͡°)

Desculpem qualquer erro ortográfico, desculpa os bug e não desiste de mim.

Boa Leitura :3

Ps: Agradecimentos aos favoritos será no capítulo seguinte.

Ps2: Muuuuuito obrigada a ParxkJimin que fez a nova capa para mim, TE AMO POR ISSO ❤

Ps3: o capítulo é narrado pelos dois, Kookie será normal e Jimin em itálico. As partes em negrito é a música :3

Capítulo 11 - Call Me Daddy.


  (Especial JiKook de 100 Favoritos) -Call Me Daddy.

     Eu acordei com o barulho irritante do despertador, tive a vontade gritante de pegar aquele celular e tacar na parede mais próxima, e eu quase fiz, mas quando o peguei notei que o celular era o de Jimin. Desisti no segundo seguinte e me sentei na cama me espreguiçando, meus ossos estalam levemente e me levanto para tomar banho. Quase entro na ducha de roupa mesmo, meu sono estava me consumindo, tirei minhas roupas e me deixei levar pela água morna que relaxava todo meu corpo, não sei quanto tempo fiquei ali, mas deve ter sido muito, pois ouvi batidas fortes na porta e um Jimin irritado me mandando sair, mas só o fiz após escovar os dentes, não me dei o trabalho de me secar, apenas enrolei a toalha na cintura e sai pingando do cômodo, ao menos tive tempo para ver a cara do Park, já que o mesmo entrou às pressas no banheiro e se trancou ali. Me vesti olhando para a cama macia desejando poder dormir mais, mas infelizmente eu tinha uma sessão de fotos com o anão. Pedi o café no quarto e assim que o pedido chegou Jimin saiu já pronto do banheiro, o café foi o mais silencioso possível, em termos, porque ouviamos os gemidos do quarto ao lado, eu não estava me importando muito, até o Park comentar “O Jin é terrivelmente escandaloso estou ficando traumatizado”, depois disso até a comida perdeu o gosto, olhei no relógio do meu celular e notei que estávamos atrasados para a bendita sessão, sai puxando aquele Oompa Loompa esquecendo até mesmo de trancar o quarto do hotel. Chegamos quase 8:00 horas no local marcado, e olhares feios nos eram direcionados.

-Finalmente! Achei que o casalzinho não apareceria mais!

   Olhei para Jimin que estava com uma cara de bunda notável, me obrigando a morder os lábios segurando o riso.

-Talvez se vocês estivessem marcado a sessão mais tarde não nos atrasaríamos.

   Eu poderia jurar que via raios saindo dos olhos do Park para o fotógrafo e vice e versa. Senti ser levemente puxado até uma área para me prepararem para as fotos, maquiagem e mais maquiagem era colocado na minha cara, meu nariz chegava a arder e coçar de tanto pó, ouvia claramente a reclamação de Park ao meu lado sobre o horário marcado, tive que trocar a roupa e seguir até um jardim nos fundos do estúdio, era incrível e lindo, eu não fazia ideia de como seriam aquelas fotos, mas tinha certeza que ficariam maravilhosas, apenas pelo cenário usado. Senti uma mão em meu pulso e virei o rosto dando de cara com o Park, que estava extremamente bonito com aquela maquiagem, aquilo feriu meu ego, pois tive que assumir para mim mesmo que ele estava lindo.

-Podemos começar.

   Respirei fundo e esperei até segunda ordem do fotógrafo. Ele ficou nos olhando e quase bufou, não estava entendendo nada antes de chegar, naquela situação então, piorou.

-Podem começar as poses.

-E por que você não avisou antes?

   Eu sentia no meu íntimo que se não intervisse teria uma briga longa dos dois.

-Já vamos, poderia por favor nos dizer o que quer?

   Eu tentei ser o maia educado possível, e aparentemente surgiu efeito, já que o fotógrafo sorriu para mim dizendo em seguida o que esperava. Não estava sendo tão difícil, eram apenas fotos nossaa como um perfeito casal feliz, estava tudo bem, estava tudo lindo. Estava.

-Ótimo, agora é o momento da foto no quarto.

   Engasguei com a minha própria saliva.

-Oi?

-Vocês são um casal, nada melhor do que fotos um pouco mais… Hm… Como posso dizer… Interessante de vocês dois.

   Eu podia jurar que meus olhos saíriam de seu lugar por natureza e cairiam de tanto que os arregalei.

-Interessante como?

-Semi nus, Park.

   Senti meu rosto esquentar com a notícia, pude ver um sorriso ladino surgindo nos lábios do gnomo de jardim, não me contive e descontei com alguns tapas ardidos, vi Jimin se encolher e gritar reclamando, mas não durou muito já que logo nos levaram para o tal quarto, o local estava escuro mesmo sendo menos de meio dia ainda, os lençóis eram de seda e completamente negros, a cama parecia macia, macia até demais.

-Podem se despir.

   Um arrepio passou pela minha espinha, por mais que tivesse toda uma equipe técnica ali, meu medo de ser estuprado ainda era real. E também havia a vergonha, haviam muitas pessoas para me ver só de cueca! Ouvi a movimentação ao meu lado e logo vi Park já sem camisa quase retirando a calça, novidade, ele gosta muito de ficar semi nu de qualquer maneira.

-Jeon?

-Ah…

   Respirei fundo e tirei minhas peças, logo senti as mãos de Jimin em minha cintura apertando um pouco, quando o olhei seus olhos estavam fixos no meu, era como se quisesse me passar segurança, e bem, de certa forma isso ajudou. Fomos para cama enquanto me sentia tremer, eu quero cancelar esse contrato o mais rápido possível!

   Eu sentia a pele de JungKook fria, ele tremia de leve, as bochechas estavam coradas demais, eu entendo que mostrar o corpo dessa forma não deve ser nada fácil, entendo bem… Okey, não tão bem assim, mas eu entendo. Aquele miserável do fotógrafo estava trocando a lente ainda, então aproveitei disso para sentar na cabeceira da cama e puxar o menino estátua de corpo maravilhoso, DEUS ME AJUDA SE NÃO EU ESTUPRO ELE COM TODO MUNDO DESSE LUGAR VENDO, AI MEU SANTO PAU AMADO. Ajeitei JungKook contra mim, suas costas estavam coladas em meu peito, ele deixou a cabeça tombar em meu ombro, puxei o lençol nos cobrindo parcialmente e o abracei pela cintura, porra como eu queria fazer isso em outro momento, outro lugar, tipo o quarto de hotel, ai já molestava ele… Com o consentimento dele é claro, ou não… Mentira… Talvez… Enfim. O abracei pela cintura e o vi respirar fundo.

-Calma, JungKook.

   Senti as mãos dele apertando as minhas, elas suavam frio.

-Isso é estranho.

   Ele me respondeu em um sussurro quase desesperado, me permiti rir baixo e dar um beijo no ombro esquerdo dele, o vi se arrepiar e algo dentro de mim se refestelou com isso. Passei meus lábios pelo ombro desnudo dele e o senti amolecer levemente em meus braços, minhas mãos se entrelaçaram na dele, ouvi um suspiro dele e sorri ladino.

-Se sente mais relaxado.

   Perguntei em sussurro e recebi um aceno em resposta, ouvi um clique e olhei para o fotógrafo, maldito acabou com o clima! Já que ele havia acabado com tudo eu fazia as poses mandadas e até mesmo algumas não programadas para as fotos.

-Se beijem, de preferência deitados.

   Aaaah começo a amar esse fotógrafo agora. Vi Jeon engolir em seco e deitar na cama de forma confortável, me deitei por cima dele ficando entre as pernas gostosas que ele tem,o fiz dobrar a perna esquerda e nos cobri do quadril para baixo com o lençol, minhas mãos foram para as laterais da cabeça de JungKook, senti as mãos trêmulas e receosas em minha cintura, sorri de lado e uni nossos lábios levemente, respirei fundo apreciando maciez dos lábios alheios, senti a língua dele pedindo passagem e logo concedi, nossas línguas se enroscavam eroticamente de forma calma e passiva, as mãos dele foram para as minhas costas forçando suas unhas na pele, suspirei enquanto enroscava meus dedos nos cabelos violetas macios do rapaz abaixo de mim, era gostoso e viciante o gosto da boca alheia, talvez, pelo pirulito que o vi chupando antes das fotos, mas ainda sim era terrivelmente bom! As pernas de Jeon apertaram meu corpo me fazendo colar ao máximo meu corpo no dele, senti um arrepio bom quando nossos membros se tocaram, gememos baixos e desfiz o beijo sugando o lábio inferior avermelhado e inchadinho de JungKook, o olhei e vi um brilho diferentes nos olhos escuros, ele me puxou para outro selar, mais sedento, mais gostoso e erótico, me sentei na cama sem apartar o puxando para mim trombando e colando nossos corpos, ele veio até meu colo, uma mão agarrava meu cabelo com força enquanto a outra apertava minha pele das costas, minhas mãos apertavam as coxas grossas e brancas, eu me sentia quente, e ao meio do beijo me esqueci totalmente de onde estávamos e o que estávamos fazendo. Apartamos o beijo após ouvir um pigarro alto, respirávamos descompassado e a vergonha tomou conta de JungKook, que se afastou de mim e se cobriu com o lençol, era fofo até.

-Acho melhor encerrarmos por hoje, podem ir.

   Eu não entendo porque todo mundo que viu ficou constrangido, eles deveriam é se sentir honrados de ver a obra de arte semi pornô que foi esse amasso! Me levantei e me vesti vendo Jeon fazer o mesmo, ele estava calado e de cabeça baixa, evitava todo e qualquer contato comigo, o caminho até o hotel foi silencioso, o que me fez repassar mentalmente cada segundo daquele pequeno, modesto e delicioso amasso.

(...)

   Já se fazia horas desde o amasso na sessão de fotos, estava anoitecendo e o Jeon não calava a porra linda da boca maravilhosa que tem!

-VOCÊ SE APROVEITOU DA SITUAÇÃO, PARK!

-Você não estava reclamando quando minha boca estava na sua, na verdade você estava gostando bastante na hora.

   Senti uma almofada ser jogada na minha cara seguida de um chinelo que acertou minha testa.

-AI AI JEON! PRA QUE AGREDIR?

-VOCÊ É UM BABACA FILHO DE UMA PUTA!

-OOOOOOW RESPEITA A SUA SOGRA!

   Senti o outro chinelo me acertando e joguei de volta contra ele, não sei para que reclamar tanto de algo que ele havia gostado, e bastante por sinal.

-Seu estuprador!

-Você deixou então não é estupro! Você gostou bastante na hora!

-Você se aproveitou daquela sessão de fotos para fazer aquilo!

-Talvez, não garanto nada!

-Imbecil!

   O vi sair raivoso até o quarto e ri baixo suspirando, Jeon precisa relaxar e eu sei exatamente como fazer isso, talvez ele não aceite muito meus métodos cotidianos, então, tentarei um mais de final de semana da seca anti masturbação. Me levantei do sofá e fui até o quarto, chegando lá vejo ele deitado de barriga para cima com os braços cobrindo o rosto, me jogo ao lado dele na cama e suspiro alto.

-Quer sair para se distrair?

-Me deixa quieto, Park.

-Qualé amorzinho, vamos sair, você está tenso por dias, precisa de algo que relaxe.

-Não me chama de amorzinho.

-Vem com cudocismo pro meu pau não. Qualé, Jeon! Vamos sair, beber um pouco, prometo não te agarrar sem sua permissão.

   Ele ficou quieto, parecia pesar a proposta e em alguns minutos longos ele deu apenas um “tudo bem, vamos logo nessa merda” meio rude e se levantou para tomar banho e se trocar, e eu? Eu tava quase soltando rojões pelo cu de felicidade. Hoje eu relaxaria JungKook de TODAS as formas possíveis e imagináveis, ele que me aguarde.

(...)

   Estávamos em uma balada em um canto perdido daquela cidade, a música alta invadia meus ouvidos, mas eu só pensava em beber e esquecer totalmente da vontade de me agarrar com o Park Gnomo Jimin de novo, mas tava quase impossível, já que ele bebia ao meu lado displicentemente com aquela maldita calça jeans colada, maldito seja Park Jimin e a forma como ele me descontrola do nada com simples beijos. Bebi o resto da minha bebida em um único gole e avisei brevemente que ia dançar, o vi concordar com a cabeça e me infiltrei no meio de todas aquelas pessoas, eu estava já meio alto pela bebida e não nego que meus atos já não eram tão pensados assim. Meu corpo se movia no ritmo da música e o sentia esquentar rapidamente, não sei por quanto tempo dancei sozinho, até que senti mãos possessivas em minha cintura, senti minhas costas baterem contra o peito da pessoa, um beijo na nuca e um suspiro em meu ouvido, logo minhas narinas foram invadidas pelo perfume levemente cítrico e amadeirado que eu conhecia a pouco tempo mas reconhecia em qualquer canto, era Jimin ali.

-”Você já sabe o meu nome, mas hoje, eu quero que você me chame de papai.”

   Arrepiei com o tom rouco e sexual no qual ele disse aquilo em meu ouvido, eu sabia que ele apenas estava repetindo as palavras da música, mas não é como se call me daddy fosse algo apropriado para a minha mente alcoolizada ouvir de Park Jimin enquanto ele roçava levemente seu membro em minha bunda no meio de uma balada lotada.  Um suspiro saiu dos meus lábios quando senti Park movimentar meu quadril contra o dele, fechei os olhos e mordi os lábios tentando me conter, mas estava ficando difícil de me manter são.

“What would you do if I came up behind you
While you're standing there with your friend
Give you a smack on your ass
Started licking my lips and telling you that

You got a real nice body, let me take it home
Can I hit it from the back?
Let me show you how it feels for a girl
Hey, let me, let me be the man"

  Senti um chupão sendo dado em meu pescoço, as mãos alheias acariciavam minha pele do abdômen por baixo da camisa, eu poderia o afastar, poderia discutir com ele no meio de todas aquelas pessoas, mas eu não queria, essa era a verdade, eu queria mais dos toques nada castos de Jimin desde que saímos da sessão de fotos, eu precisava dos toques dele como precisava de ar para respirar.

-Jimin.

  Falei arrastado em um gemido quando senti os dedos gordinhos massageando meus mamilos, joguei minha cabeça para trás a apoiando no ombro dele, minha bunda parecia se mover sozinha contra a crescente ereção dele, estava bom, e como estava, mas eu queria mais.

“Tell me what you drinking and I'mma buy you more
I want you kinda tipsy before I take you home
When I get you there baby I'll be in control
When I get what I want you can leave, yeah
Pack up all your things and go”

   Senti Jimin se afastar de mim, senti um desconforto e desagrado por isso, quando fui reclamar senti os dedos dele apertando meu pulso e me puxando para algum lugar escuro e afastado daquela balada. Senti minhas costas doerem quando encontraram a parede fria, gemi descontente e senti os lábios macios e pecaminosos se unindo aos meus, nos beijávamos com uma luxúria até então desconhecida, sentia as mãos alheias apalpando e apertando minha bunda me fazendo suspirar entre o beijo. Quando o ar se fez necessário e o beijo foi apartado, não tive muito tempo para respirar já que era arrastado para fora, senti a brisa gélida me tocar a pele me fazendo arrepiar terrivelmente, minha cintura era apertada com força enquanto caminhávamos até o carro, o caminho até o quarto de hotel fora confuso e acelerado em minha mente, já que sentia Park ora apertando minha coxa ora friccionando meu membro com a mão, eu sabia apenas gemer e jogar minha cabeça para trás.

-Aaaaah Jeon… Você não sabe o que lhe aguarda.

   Gemi em resposta enquanto era prensado gostosamente dentro do elevador, meu pescoço era atacado pela boca de Jimin, e eu tinha certeza que marcas ficariam ali por dias. Aos tropeços entramos no quarto de hotel, meus lábios eram atacados enquanto ele trancava a porta com certa raiva, senti meu corpo ser prensado na mesma enquanto minhas pernas enlaçavam a cintura dele, minha camisa fora quase rasgada quando abandonou meu corpo, os dentes de Jimin molestavam toda e qualquer parte do meu corpo a mostra, minhas mãos estavam confusas no corpo alheio, apertava e arranhava a pele de Park ainda por cima do pano que começava a me incomodar.

-Jimin… Tira.

   Falei exasperado puxando a camiseta dele, o senti sorrir contra meu pescoço antes de se afastar e retirar a peça a jogando longe, colou ao máximo nossos corpos e sugou meu lábio inferior, gemi arrastado quando o senti simular estocadas fazendo meu corpo se mover contra a porta, meu membro deu uma fisgada longa me fazendo murmurar de dor.

-Eu vou estragar tanto esse seu corpo hoje, JungKookie.

   Senti as mãos de Jimin apertando minhas coxas com força, engoli em seco. Ele caminhou comigo até o quarto e me jogou na cama com certa violência, o vi sorrir ladino e sair do local me deixando confuso e necessitado, mas antes que eu pudesse raciocinar e fosse atrás dele, ele voltou com uma garrafa de bebida e se pôs entre minhas pernas lambendo meu tórax, senti o líquido alcoólico ser derramado em minha pele e a boca alheia a sugando logo em seguida, minha destra foi até o cabelo macio e enrosquei meus dedos ali puxando os fios para descontar o prazer sentido. Jimin repetiu algumas vezes o processo me deixando cheirando a álcool e a saliva dele, me sentia quente e o quarto já estava abafado.

   O vi dar um gole longo na bebida antes de me beijar, o roçar de nossas línguas misturada com o gosto ardido me fazia arrepiar. As mãos dele abriram minha calça e uma delas adentrou o pano me masturbando por cima da boxer, gemi alto separando nossos lábios jogando a cabeça levemente para trás. Senti mordidas do meu queixo até meu umbigo, longo o músculo molhado estava em meu mamilo esquerdo o lambendo e sugando, eu sabia apenas gemer o nome alheio e apertar os lençóis abaixo de nossos corpos.

“I'm gon' be the man, you gon' be the girl
Follow my demands, obey my every word
Shake that ass for me, let me see you work
Baby boy tonight, the roles are reversed

You got, me want it
Now, call me daddy
You got, me want it
'Cause I'm your daddy”

   Já estavamos completamente nús quando raciocinei um pouco melhor. Sentia o afago um tanto bruto em meu cabelo enquanto ouvia os gemidos de Jimin, minha cabeça descia e subia pelo membro dele o deixando molhado e o mais teso possível, meus olhos estavam fechados e minha garganta relaxada para o abrigar o melhor possível enquanto minhs língua acariciava as veias saltadas, minhas mãos arranhavam a coxa dele e eu podia sentir o suor dele em minhas mãos, larguei o membro dele quando ele puxou meu cabelo com mais força, um barulhinho de sucção fora feito assim que a glande me escapou pelos lábios. Park me puxou pela nuca e atacou meus lábios mais uma vez naquela noite, me sentei no quadril dele sentindo o roçar de minha bunda no sexo úmido, arrepiei e ondulei o quadril, gememos juntos. Fui jogado na cama e virado bruscamente de barriga para baixo, meu quadril fora erguido me deixando empinado, senti os dentes de Jimin nas minhas costas enquanto as mãos apertavam minha bunda com possessividade, era bom.

-J-Jimin…

   Senti a língua dele contornando minha coluna até chegar ao lóbulo da minha orelha a sugando.

-Você fica tão lindo gemendo meu nome, tão entregue e necessitado.

   Ele sussurrava rouco em meu ouvido me trazendo arrepios fortes, um tapa estralado fora deixado em minha nádega direita me fazendo gemer falho, a leve dor sentida era boa.

-Gosta disso, Jeon?

   Outro tapa, dessa vez um pouco mais forte que o anterior, engoli em seco antes de gemer novamente, inconscientemente rebolei contra a palma que ainda estava na minha carne recém molestada. Um riso baixo entrou em meus ouvidos me fazendo morder o lábio inferior.

-Você gosta… Não é, vadia?

   Outro tapa seguido de um aperto, engasguei com a sensação.

-Da-daddy…

   Eu iria me arrepender de tudo que faria, eu sabia que na manhã seguinte eu me odiaria, xingaria Jimin e arranjaria uma terceira guerra mundial com ele. Mas no momento nada mais importava, meu líbido falava mais alto do que minha racionalidade.

-Aaaaah Jeon…

   Um chupão em minha nuca e o membro teso roçando perigosamente minha entrada, meus dedos apertaram os lençóis ja bagunçados. Senti Jimin se afastando, deitei na cama e virei a cabeça para o fitar, ele foi até sua mala e tirou algumas coisas da mesma, senti o colchão afundar ao meu lado e minhas mãos serem amarradas com uma gravata, em seguida fui vendado e senti ele me obrigando a ajoelhar na cama, meu corpo arrepiava em expectativa.

“What would you say if my hands got away
And started feeling all over your chest
You keep telling me no, no
But I keep on like you're telling me yes

Then I look you in the eye
Tell you don't be shy, baby I'm the best
Let me show you how it feels for it girl
Hey, are you ready for this dance?”

   Senti o corpo dele atrás do meu, as mãos quentes passavam sorrateiramente e lentamente por cada mínimo pedaço de pele que me pertencia, apoiei minha cabeça no ombro de Jimin e pude sentir a respiração pesada dele.

-Daddy v-vai logo.

   Senti as unhas curtas arranhando meu abdômen e um grunhido baixinho em meu ouvido.

-Você quer me enlouquecer totalmente, não é?

-Quero que perca o controle e me foda logo.

   Me senti ser abandonado outra vez, pude ouvir o barulho do vidro de lubrificante ser aberto e logo em seguida um pacote, que julguei ser camisinha. Em segundos me senti ser penetrado rapidamente, gritei de dor. Aquilo ardia, queimava e doía como o inferno, me senti rasgado, senti meu corpo ser levado junto ao dele me deixando sentado de costas a si. Beijos calmos eram distribuídos por meu pescoço e ombros, enquanto as mãos dele acariciava pontos específicos do meu corpo para me acalmar e relaxar, ainda doía e muito. Choraminguei e apertei minhas mãos em punhos enquanto sentia uma lágrima solitária escorrer de meu olho.

-Isso foi por me descontrolar, baby. Sua punição por ser tão fodidamente gostoso e atrevido.

-Dói.

   Senti os lábios de Jimin passando em minha bochecha.

-Eu sei, por isso vou te deixar ae mover no começo, quando estiver pronto.

   O ouvi suspirar quando me mexi pelo incômodo, as mãos pequenas apertaram minha cintura.

-Não faça isso se não quiser ficar sem andar.

   Muito provavelmente eu já ficaria sem andar, a dor estava amena, mas ainda presente quando resolvi me mover, levantei e desci lentamente, gemi baixo dolorido. Meus movimentos foram assim por pouco tempo, pois logo Jimin os comandou, me fazendo descer e subir com força e agilidade, a dor sumiu tão rápido quanto apareceu, eu já gemia alto e sentia minha próstata ser surrada pelo corpo suado atrás do meu, minha cabeça pendia e tudo parecia estar mais intenso por causa da venda e de meus pulsos amarrados. Os dentes de Park me marcavam sem pena enquanto eu só podia rebolar feito uma puta no colo alheio, ele me marcava de todas as maneiras possíveis enquanto se arremetia com uma força incomparável. Meu interior fora abandonado de súbito, meu corpo jogado na cama e minhas pernas flexionadas e abertas, senti ser penetrado outra vez sem cuidado algum, não que eu reclame, de certa forma eu pedi por isso abusando da pouca sanidade que há dentro de Park Jimin. Senti meus braços serem colocados no pescoço dele o abraçando.

-Quero olhar sua cara de prazer enquanto te fodo.

   Uma estocada vagarosa e profunda, um gemido alto, minhas unhas arranhando a pele das costas dele, duas estocadas, três, quatro, e me perdi na conta na sétima, meu corpo arqueava toda vez que Jimin acertava meu ponto de prazer, meus dedos se apertavam e minha garganta arranhava pelo gemido gritado com seu nome, minhas coxas eram apertadas com vontade, minha cabeça se enterrava no travesseiro assim como o membro dele se enterrava em meu interior. Era bom, quente, sufocante, delirante e viciante. Ninguém nunca havia feito comigo metade do que estava sentindo naquele momento.

-Da-daddy e-eu… AAAAAAAAH! E-eu vo-vou… HMMM!!!

   Senti os dedos dele abrigando meu sexo necessitado e o masturbando no ritmo das estocadas, não podia mais me controlar, gemi alto, chamando Jimin e sujando nossos corpos e sua mão, minha mente se esvaziou por completo, meus dedos se reteram, meu corpo se tensionou e relaxou em seguida, minha respiração não acompanhava minha necessidade de ar, minhas unhas fincaram nas costas molhadas da pele levemente amorenada e pude sentir o sangue em meus dedos. Ouvi um gemido alto e arrastado poucas estocadas depois, senti o corpo de Jimin tremer sobre o meu e relaxar, ele muito provavelmente se sentia esgotado e satisfeito como eu me sentia.

   Ele saiu de mim com uma delicadeza quase palpável, senti a cama aliviar e ouvi os passos se distanciando, mas logo estava ele ao meu lado na cama me beijando com calma e intensidade enquanto desamarrava minhas mãos e tirava minha venda, meus olhos se prenderam aos dele assim que o beijo fora apartado, me sentia mole demais para fazer qualquer outra coisa, apenas me ajeitei contra ele e o senti me abraçar e enroscar a perna na minha, dormi antes mesmo de dizer qualquer coisa para ele, eu estava relaxado e extremamente satisfeito.

   Vi JungKook dormindo em meus braços e me deixei sorrir enquanto mexia levemente nos fios molhados da franja dele,eu finalmente havia conseguido algo que queria desde o dia que o vi, e sinceramente fora muito melhor do que pude imaginar.

-Desculpa te cansar, você mereceu.

   Sussurei e ri baixo passando meu nariz no pescoço dele o sentindo apertar o abraço que estávamos.

-Eu ainda vou te cansar bem mais, Jeon. E no fim desses 18 meses você vai implorar por mais e vai ficar aqui comigo.

   Sorri ladino e me permiti dormir sentindo o nosso cheiro colado na pele dele, torcendo para que de manhã ele não me mate antes de me acordar. Seria um longo e ótimo dia.


Notas Finais


E foi isso, não to muito confiante com o lemon por causa do bloqueio, então quero saber de vcs (:

Prometo tentar trazer o próximo mais rápido.

Kisses :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...