História Namorado Vampiro [ Winx club ] - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Winx Club
Personagens Aisha, Bloom, Flora, Musa, Personagens Originais, Stella, Tecna
Tags Anjos, Bruxos, Drama, Fadas, Família, Flora, Helia, Lobisomens, Lobos, Masoquismo, Mortes, Namorado Vampiro, Romance Do Crepúsculo, Sadismo, Winx Club
Visualizações 37
Palavras 2.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Não podemos fazer nada...


_POV's Musa_

Entrei no meu quarto quase que não me mantendo em pé depois do dia na praia. Corri para o banheiro para tomar um banho e tirar toda a areia que ficou acumulada no meu corpo.
​Entrei no chuveiro ainda pensando nas garotas que ficaram encarando o Riven na praia, se bem que não estavam encarando apenas ele, mas isso me deixou incomodada. Não sei porquê me incomodei, eram só garotas que deviam ter em torno de doze a treze anos.

Terminei o banho e desci para a cozinha onde fiquei de ajudar a Bloom a fazer o almoço. Quando cheguei a ajudei a fazer o suco, a Bloom estava cozinhando e a Tiffany cortando alguns legumes.

- Eu quero dormir... - A Tiffany boceja e desce do balcão onde estava sentada.

- Mas, você dormiu durante toda aquele tempo que estávamos na praia. - Fala a Bloom que após desligar o forno olha a Tiffany com admiração.

- Eu vou passar a noite acordada, é normal se eu dormir o dia toda. - Ela passa por mim. - Uma vez dormi tanto que acordei em um caixão.

- Nossa, já acharam que estava morta ? - A Bloom ri.

- Foi quase isso.

- Devia fazer companhia a Tecna que passa a noite jogando. - Palpito eu.

- Vou pensar nisso. - Ela sai com cara de sono e logo a Bloom para tudo que estava fazendo pra me encarar como se quisesse saber algo.

- Eu vi o jeito que olhava para aquelas garotas na praia. Era como se quisesse arrancar os órgãos delas...

- E pendura-los na parede do meu quarto. - Completo a afirmação dela e sorrio. - Realmente queria, mas não sou capaz de fazer uma coisa dessa só porque elas estavam olhando pra ele.

- Eu estava de brincadeira, mas ficou claro que estava incomodada com aquilo. - Ela senta na cadeira.

- Às vezes que queria ter a sorte da flora com namorados. - Bufo e sento na cadeira ao lado da dela.

- Babar namorado das amigas é feio...

- Eu não estou babando o namorado dela ! Eu só...

- Queria um namorado que passasse mais tempo com você, te desse mais atenção, fosse mais dedicado a um relacionamento e te tratasse como uma princesa ?

- O Riven não é assim ? - Pergunto arregaçando os olhos como se não tivesse percebido.

- Ou, é. Claro que é. - Ela ironiza. - Só tenha paciência com ele. Ninguém é perfeito.

- Verdade.

______//______

​POV's Hélia

​- Eu nasci aqui, na Terra, ou no mundo humano como eu gosto de me referi. Minha mãe, assim como toda outra mãe de vampiro, era uma humana. Meu pai vampiro e eu herdei o sangue dele. Não tive a melhor infância, fui levado pra longe de minha mãe junto com meus irmãos e moramos com meu avô no mundo sobrenatural. Até meus dez anos pude dizer que era uma criança, apesar de não brincar, nem ter muita diversão. Eu tinha que estudar, estudar muito. Meus irmãos como eram mais novos até que tinham tempo pra brincar pelo jardim e às vezes saiam com minha tia pra ir ao parque. - Comecei a contar do inicio e ela parecia prestar bem atenção. - Quando eu tinha uns doze anos meu pai foi morar lá, ele disse que eu precisava ser treinado pra conseguir viver sozinho, já que naquela época os vampiros eram muito odiados. Pode parecer que ele tinha dito isso porque não queria ver seu filho morto, mas quando o treinamento começou eu percebi o quanto meu pai queria me machucar. Os treinos eram bem violentos, às vezes ele me torturava, queria que eu não ignorasse qualquer tipo de sofrimento. Eu tinha medo que aquilo acontecesse também com meus irmãos, eu amava eles.

- Nossa, devia ser difícil aguentar aquilo. - Ela fala fazendo uma expressão de dor.

- Dos meus doze até meus dezessete, eu tive que obedecer meu pai a qualquer custo. Matei muitas pessoas por que ele mandava, destruía reinos...até que notei que na verdade ele não estava me treinando pra viver uma vida sozinho, ele estava me treinando pra ser um assassino, um monstro.

- Que horrível. Por que ele fez isso ?

- Eu não sei. Naquela época os vampiros não eram considerados os mais fortes. Eu acho que meu pai pretendia nos colocar no topo, me usando pra isso.

- Você parou de obedecer ele ?

- Era o que eu devia ter feito...mas eu não consegui. - Abaixei minha cabeça, triste ao lembrar. - Eu não era uma boa pessoa, depois que comecei a matar não consegui mais parar e acabei mesmo me tornando o assassino que ele queria. Mas uma coisa não saiu como ele imaginava.

- O quê ? - Ela pergunta depois de um tempo que fiquei pensando.

- Eu não matava apenas quem devia, eu comecei a matar os vampiros. Por algum motivo eu odiava ser descendente de um, e odiava eles também. Eu só queria acabar com aquela espécie e fazendo isso acabei colocando meu pai e minha família contra mim.

- E seus irmãos ? De que lado eles ficaram ?

- Eles não tinham escolhas boas, ou ficavam contra mim ou eram mortos pelo meu pai.

- E depois ?

- Depois eu saí daquele lugar, fiquei morando longe dali por um tempo. Soube que minha mãe havia ido pra lá então voltei, já que tinha vontade de vê-la novamente. Sabe, um dos momentos mais difíceis da minha vida foi ver o olhar de medo da minha mãe quando me viu depois de tanto tempo. Meu pai havia enchido a cabeça dela com coisas horríveis sobre mim e a partir daí ela não quis olhas mais na minha cara.

- Eu tô com muita pena de você agora. - Ela coloca a mão no meu rosto.

- Não estou contando isso pra você sentir pena. Eu nem queria estar contando isso pra você.

- Dói contar ?

- Eu não gosto de lembrar do meu passado. Mas você quer mesmo saber não é ?

- Se não quiser contar tudo agora não precisa. Acho melhor irmos almoçar. - Ela se levanta.

- Eu não teria contado se soubesse que não iria ver mais aquele seu sorriso até o final do dia. - Me levanto.

- Vou sorrir, prometo. - Ela dá um sorriso indo até a porta. - A Stella me chamou pra dar um passeinho no Shopping, conte-me mais de noite.

- Certo.

Depois do almoço a Flora foi falar com as amigas dela e eu saí da casa. Eu não estava a fim de ficar lá.

Fui andando até chegar no centro da cidade. Pensei me visitar algumas da lanchonetes mais tarde com a Flora, seria um bom lugar pra conversar.

- Andando distraído Appleby ?

Me viro para a voz da pessoa que falou comigo e não me surpreendo em ver aquele pedaço de verme.

- Está me perseguindo ou perseguido a minha​ namorada Ytan ? - Pergunto eu.

- Não estou perseguindo ninguém Appleby. - Ele fala meu sobrenome como se tivesse nojo. - Apenas vim visitar um dos meus irmãos, mas fico feliz em saber que minha querida amiga Flora está por aqui. - Ele sorri cinicamente.

- Cuidado com as provocações, saiba que se encostar um dedo mal intencionado na minha namorada eu não exitarei em matar você. - Me viro e volto a caminhar.

- Acha que pode me assustar ? - Ele levanta a voz.

- Não assustei ? que pena. Será que ficaria assustado se eu deixasse meu irmão fazer uma atrocidade com sua querida família ? - Falo sem me virar.

- Também estou aqui pra matar ele.

- Boa sorte rapaz. - Volto a anda e não ouço mais nada vindo dele.

Decidi então ir procurar o Leo e falar com ele sobre o Ray. Ele pode ser uma ajuda contra aquele rebelde.

​______//______

​POV's Bloom

​Após ter terminado o almoço eu subi para meu quarto para terminar de arrumar a bagunça que a Stella fez no meu quarto procurando um biquíni meu que coubesse nela já que a mesma esqueceu o dela.
​Mesmo com preguiça arrumei todas as minhas roupas novamente no meu guarda-roupas e quando acabei o Sky entrou no quarto.

- Nossa, poderia ter chegado antes pra ter me ajudado a arrumar as roupas. - Me viro e estranho a expressão preocupada dele. - Aconteceu algo Sky ?

- Infelizmente as noticias de Magix não são boas. - Ele coloca a mão na nuca. - Acabamos de receber uma mensagem da diretora Faragonda falando de um desastre.

- DESASTRE ?! C-como ? - Coloco minha mão no meu peito sentindo meu coração acelerar.

- Um incêndio, um grande incêndio que destruiu quase toda a cidade. Foram muitas mortes.

- Vamos voltar. - Falo determinada.

- Não vamos. A Diretora deu ordens, temos que ficar aqui até tudo se acalmar. - Ele segura meus braços quando tento falar com ele. - Eu sei que é difícil mas já tem gente cuidando pra que isso acabe.

- Sky, eu sou forte.

- Eu quero perder você, não vou deixar você ir. - Ele olha nos meus olhos e eu me acalmo. - Aliás, já estão tendo ajuda apor lá.

- Isso é horrível. - Abaixo minha cabeça. - Eu quero muito ajudar, é meu dever.

- E meu dever é te manter segura, assim como os outros. - Ele me abraça. - Tudo vai ficar bem se você estiver bem.

Retribui o abraço ainda preocupada com a noticia. Depois que me sentir calma ele saiu e foi ver se tinha mais noticias.

Fui para o quarto da Tecna que também estava tentando saber mais sobre o que aconteceu.

- Você não acha que foi um acidente ? - A Tecna pergunta após fechar o Laptop. - Tipo, um incêndio acontece por vários motivos.

- Mas nenhum conseguiu queimar uma cidade inteira. - A Aisha fala ainda inconformada. - Eu não sei quem teria coragem de fazr uma coisa dessas.

- Talvez um novo vilão. - Falo após pensar em silencio.

- Isso já não é óbvio ? - A Tecna me olha. - Agora, por que querem prejudicar Magix ?

- Não faço ideia. - Respondo.

- Eu tenho que sair meninas. - A Aisha levanta um pouco estranha e sai do quarto sem dar mais explicações.

POV's Aisha

​Tá, agora as coisas começaram a ficar mais suspeitas. Primeiro minha desconfiança em vampiros agora fogo, só pode ter demônios envolvidos nisso e se tiver, significa que a dimensão mágica vai entrar em guerra com o mundo sobrenatural.

- Tudo bem Aisha ? - A Musa se aproxima de mim. - Está em pensando em quê ?

- Nada demais, só no incêndio. - Respiro fundo.

- Isso foi trágico. Pena que não podemos fazer nada. - Ela entristece.

- Vocês viram o Hélia ? - A Tiffany aparece do nada nos dando um susto. - É urgente.

- Não. - Respondo. - O que aconteceu ?

- Só coisa ruim. - Ela corre para a sala e eu olho a Musa ainda mais preocupada.

- Devemos perguntar ?

- Deve ser frescura dela. - Respondo tentando não dar importância pra ela

A um tempo desconfio dela. Apenas eu entre a Winx sei que ela é um demônio. Mas tento ver o lado bom dela, ela não parece querer prejudicar ninguém e se as coisas piorarem por aqui ela pode ser de uma grande ajuda.

Eu me preocupo, se uma guerra entre dimensões realmente acontecer, não restará ninguém vivo pra contar história.

_______//_______

​Será que isso é mesmo o início de uma guerra ? Bem, talvez o passado de alguém possa ser o motivo de revolta entre mundos.

​'' - No futuro as coisas melhorarão pra mim...''

​Há promessas guardadas até hoje...

​''Eu prometo que nos encontraremos, nem que seja daqui a séculos. Quando isso acontecer, eu prometo que você será só minha...''

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...