História Namorados Por Uma Semana - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Crack!fic, Jikook, Lemonadx, Verdade Ou Desafio
Visualizações 218
Palavras 948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI
NEM DEMOREI TANTO, VIU? RSRS
Eu to bem insegura quanto a esse capítulo. Parece que eu só to enrolando.
Mas tá melhor do antes jsjajsjajs
Boa leitura <3

Capítulo 2 - Quando um não quer, dois não fazem


Acordei com uma dor de cabeça terrível, eu estava um caco. Meu rosto estava pálido e com olheiras profundas. Como se não bastasse isso tudo, meu celular começou a tocar o despertador, cujo som era mais irritante que tudo nessa vida.

Apenas desliguei o celular e fui até o banheiro para jogar um pouco de água no meu rosto. Parece que chegar até o banheiro demorou uma eternidade, já que minha cabeça começava a latejar a cada passo que eu dava. Eu me pergunto por que aceitei jogar aquele jogo idiota com meus amigos.

Talvez porque eu seja um idiota fracassado. Faz todo o sentido.

Vejamos, se eu estivesse bem da vida, em um relacionamento amoroso com alguém legal e com meus pais presentes na minha vida, provavelmente eu não seria estúpido de fazer tais coisas.

Mas é aquele ditado, vamos fazer o quê?

Nada.

Mas eu quero agradecer a todos os seres desse mundinho bosta. Meus amigos sempre jogam essas coisas no sábado. Ou seja, ninguém se fode em dia de aula.

Mas eu me fodo. Porque vou estar "namorando" Park Jimin.

Chega de pensamentos inúteis, vamos ao foco agora.

Quando eu saí do banheiro e fui até a cozinha, a única coisa que não esperava ver era uma cabeleira vermelha em um dos bancos da cozinha.

Como e por que o Park estava ali? Eu jurava que tinha trancado a porta. A menos que ele tenha usado a chave reserva que eu colocava do lado de fora, em baixo do tapete.

Então, ele olhou para trás e deu um sorriso sarcástico.

— Como vai, Jungkook? Deve estar com uma puta de ressaca — riu — Taehyung me pediu barra obrigou a vir aqui. Ele falou da chave reserva também.

NÃO.

NÃO.

E NÃO.

EU NÃO ACEITO ISSO. INJUSTIÇA.

— Eu te odeio. Muito. E odeio Kim Taehyung também. Vocês dois são os piores tipos de pessoa.

Ele riu de novo.

— Qual é a porra do problema, Jungkook? Você só me odeia por causa daquele dia. — disse sorrindo

Ah sim. Eu acho que não contei pra vocês.

Eu já peguei o Jimin.

Opa.

Mas continuo odiando ele, tá gente.

E quando ele diz "aquele dia", ele se refere ao dia que a gente se conheceu.

Resumindo, conversamos numa boa, ele ficou flertando comigo (isso ainda existe?) e aconteceu que a gente acabou nos pega. Mas eu percebi que ele ia me descartar como um lixinho e bem... Fiquei puto da life e comecei a odiar ele.

É, eu sei. É ódio gratuito.

Mas quem disse que eu ligo.

Peguei uma maçã que estava na mesinha e tentei acertar a cara dele. Errei infelizmente.

— Desculpa não ter acertado sua cara, Park. — sorri cinicamente — Eu vou sair, e espero que não mate ninguém aqui.

E assim eu saí do meu apartamento e rumei para a casa no meu não mais querido amigo.

***

— Kim Taehyung, abra a porra da porta agora — eu gritava enquanto espancava a coitada da porta, literalmente.

Motivos para espancar a porta.

1° Todos que você puder imaginar.

To rindo e chorando.

Quando Taehyung decidiu abrir a porta, eu praticamente voei pra dentro de sua casa.

E voltei a gritar.

— Por quê? Por que deixou o Jimin entrar no meu apartamento? O que eu fiz pra merecer isso?

— Tudo que vai, volta. É a frase perfeita pra sua situação, meu amor. — ele disse gargalhando.

Qual é a porra da graça nisso, meu Deus? Será que eu vou ter que por um pouco de bom senso na cabeça dele?

— Eu não vejo graça. Filho da puta.

Ele riu.

DE NOVO. AAAAAAH

— Desculpa, Jungkook. Vai ter graça quando você olhar para trás. Então não olhe para trás.

Quando eu disse "voei pra dentro de sua casa", tinha apenas dado um passo para dentro. E a porta ainda estava aberta.

Enfim. Eu olhei para trás. O susto que eu levei foi enorme. Cheguei a dar um pulo e um gritinho.

Jimin estava atrás de mim com aquele seu sorriso insuportável.

E Taehyung... Bem, ele estava rindo. Muito.

— Jimin! Quando e como? — eu estava incapaz de falar.

— Ele estava atrás de você o tempo todo. — Taehyung disse — Agora entrem.

Entramos.

Com cara de cu.

Mas entramos.

Ah, eu falei que a casa do Tae é como a casa da mãe Joana? Pois é.

Isso se dá graças ao motivo dele e sua não querida irmã (Kim Taeyeon) serem tão populares e festeiros. Eles são praticamente iguais. Exceto na aparência, claro.

E pelo visto, a não querida Taeyeon tinha feito de sua casa uma boate no dia anterior, o que fez Taehyung fugir pra minha casa e jogar aquela merda.

Taeyeon, eu te odeio.

Olhei para Jimin, que olhava para Taehyung, que olhava para o nada. Literalmente.

— Se me permite perguntar, quem tua irmã trouxe aqui, ontem? — Jimin começou perguntando

— Taeyeon e companhia.

— Ah! — exclamei — Você quer dizer a Tiffany, Hyoyeon e as outras que não lembro o nome?

Parecia que só de ouvir o nome delas, Taehyung estremecia de medo. Isso não faz sentido.

— Vocês podiam ser menos idiotas.

Ótimo.

Maravilhoso.

Finalmente apareceu a última peça para que todos aqui presentes brigassem.

Palmas para Kim Taeyeon.

Da mesma forma que eu odeio Jimin, Taehyung odeia Taeyeon.

Eles só brigam. SÓ.

E não há quem consiga parar eles.

— Taeyeon! Que merda vocês fizeram no meu quarto?! — ela mal tinha aparecido e ele já estava aos gritos.

— Devo lembrar o que VOCÊS fizeram no meu quarto semana passada?

Opa.

Ela descobriu.

— Certo, é melhor os dois pararem de brigar. Agora. — comecei a segurar Taehyung pelo braço para que não pudesse matar sua irmã.

Olhei para Taeyeon e vi que estava sendo arrastada por Jimin.

Ótimo, não era hoje que os dois iam se matar. E talvez nem eu e o Park.

Estão ouvindo isso? É uma dádiva. Glória a Deus, amém.

E eu também não estava muito afim de brigar, não agora.

Então é aquele ditado.

Quando um não quer, dois não fazem.


Notas Finais


Mil palavras. Bem pouco.
Me perdoem
Mas eu tentei, juro
Kuriyama Mirai ama vcs, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...