História Nanny - Yugbam - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Tags 2jae, Babá, Criança, Família, Gay, Got7, Jackson Wang, K-pop, Markjin, Yaoi, Yugbam
Visualizações 138
Palavras 3.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei galera, tô orgulhosa de mim, atualizando no dia certo e ainda escrevendo mais de 3.000 palavras, emocionada.
Aviso rapidinho: Os erros na "fala" do Tae são propositais, okay?? Nenhuma criança de 4 anos fala certinho.
Espero que gostem, aproveitem a leitura.
AH, HOJE É ANIVERSÁRIO DO YOUNGJAE, JA CHOREI TANTO, MEU UTT LINDO FAZENDO 21 ANINHOS, PARA MIM ELE VAI SER SEMPRE UM BB.

Capítulo 3 - Set


 

 

    O café da manhã na casa de Kim Yugyeom foi animado, Bambam ajudava Tae a comer e conversava com o menino, os dois não pararam de falar nem por um minuto, Yugyeom se perguntava se Bambam realmente não tinha experiência com crianças, ele parecia ter feito isso por toda sua vida.

Yugyeom estava quase saindo de casa quando lembrou de algo importante.

    ―Ei Bambam, você sabe dirigir, certo? ― O tailandês apenas assentiu, como bom filhinho de papai que Bambam sempre foi, aprendera a dirigir somente para poder exibir o carro de seu pai, mas isso foi quando ainda morava na Tailândia com os mesmos. ― Ainda bem, não queria contratar um motorista só para poder levar o Tae na escola. Escuta, a chave está encima da estante lá na sala, o carro que tem lá para você levar o Tae, é um carro popular, não tem muitos deles no estacionamento, logo você achará, estou saindo. ― Yugyeom deu um último beijinho no seu filho antes de sair de casa, ele estava um pouco angustiado por deixar seu filho com alguém que não conhecia direito, mas algo em seu interior o dizia para relaxar e confiar no tailandês, tudo daria certo.

    ―Agora somos só nós dois, pequeno gafanhoto. Ainda são oito e meia, o que você quer fazer? ― Bambam estava adorando passar o tempo com o garotinho, mas queria ver como o garoto iria agir sem a presença do pai.

    ―Eu quero brincar de Guerra nas estrelas. ― O garotinho saiu correndo pelo apartamento e Bambam foi atrás, ele abriu uma porta ao lado da do quarto de seu pai, o que antes deveria ser o quarto de hospedes agora era uma sala só com os brinquedos de Tae, ele procurou um pouco, mas logo voltou com dois sabres de luz feitos de plástico que tinham um botãozinho que os faziam brilhar. ― Eu vou ser o Darth Vader. ― O menino entregou o sabre azul para Bambam e pegou o vermelho para si, pegou também sua máscara e se preparava para atacar o inimigo, Bambam apenas riu um pouco do jeito que o menino pronunciava o nome do temido vilão.

    ― Você não quer ser o Luke? Ele não é o mocinho da história? ― O tailandês não gostava muito de filmes como Star Wars, mas Youngjae o obrigara a assistir todos os sete mais de uma vez.

    ―Os vilão são mais legal. ― O menino falou e começou uma guerra de sabres com seu novo babá. ― Morra, seu temido jedi, eu o temido lorde sith vou acabar com você. ― Bambam tentava se defender, mas o brinquedo as vezes acabava acertando suas pernas finas.

    ―O bem sempre vencerá, eu, Luke Skywalker versão tailandesa, não deixarei você vencer. ― O barulho dos brinquedos se batendo era escutado por toda a casa, quando Bambam pensou ter encurralado Tae, o menino apenas passou correndo por entre suas pernas e foi correndo em direção a sala.

    ―Você não vencerá Luke Skywalker, desista, junte-se ao lado negro. ― O Menino gritava enquanto se escondia atrás do sofá e deixava apenas o sabre e a pequena mãozinha a mostra. ― Eu te obrigo.

    ― Você não manda em mim, eu sou o grande Luke da aliança rebelde. ― Bambam pegou uma almofada e deu a volta no sofá, quando conseguiu ver o menino, jogou quase sem força a almofada em sua direção, a almofada bateu apenas no pé do garoto.

    ―Oh não, fui atingido, não me machuque. ― O menino se jogou no chão e deixou o sabre cair.

    ―Por que eu não te machucaria? ― Bambam se aproxima do garotinho fazendo uma cara de mal.

    ―Por que Luke, eu sou seu pai. ― Ao escutar a famosa frase, Bambam fez uma cara de surpreso e se jogou de joelhos no chão, levantou sua mão e olhando para o nada começou a gritar. ― Nãaaaaaaaaaao. ― Tae ao ver aquela cena caiu na gargalhada, Bambam não aguentou e se juntou a ele, logo os dois estavam no chão com a barriga doendo de tanto rir.

    ―Agora eu quero assistir Guerra nas estrelas, vamos assistir. ― O menino levantou e se jogou no sofá, pegou o controle e foi direto para a Netflix, Bambam ficou impressionado com a inteligência do garotinho, com quatro anos ele ainda estava comendo terra. ― Eu quero pipoca. Faz pipoca Bambam, o papai diz que filme sem pipoca não é filme. Eu te espero para começar a ver o filme.

    ―Tenho uma ideia melhor, enquanto eu vou fazer a pipoca você vai guardar os sabres lá nos seus brinquedos. ― Bambam foi para a cozinha e o menino apenas pegou os sabres e os jogou dentro do quarto, alguns minutos depois Bambam volta com dois potes de pipoca e dois copos de suco que tinha na geladeira, o de Tae era um copo fechado que tinha os power rangers nele, para o suco sair era só usar o canudinho, Bambam quis roubar aquele copo para si, ele ama os power rangers.

 

(...)

 

    Kim Yugyeom estava almoçando no restaurante de sempre com seus amigos, eles trabalhavam no mesmo prédio, porém, em setores distintos. Mark trabalhava na área de Tecnologia, Jinyoung na área financeira, Yugyeom e Jaebum trabalhavam na parte criativa. Todos os dias iam almoçar em um restaurante que fica a uma quadra do prédio em que passam o dia.

    ―Ei Yugyeom, o carinha foi cuidar do Tae? ― Quem perguntou foi Mark, os outros não sabiam da ideia maluca do amigo, eles não deixariam Yugyeom colocar um cara estranho para cuidar de seu amado sobrinho.

    ―Que carinha? Arrumou um babá para o Tae? ― Jinyoung que antes divagava olhando para Mark, perguntou interessado, tudo que envolvesse seu bebê o interessava.

    ―Ele arrumou, acredita que o Yugyeom conheceu o cara no Parquinho? ― Yugyeom só queria que Mark calasse a boca, ele diria aos amigos que Bambam foi mandado por uma empresa.

    ―No parquinho? Você começou a puxar papo com um estranho no Park e agora ele é o babá do seu filho? Por que não nos contou antes? Quando isso aconteceu? ― Jinyoung o bombardeava de perguntas.

    ―Na verdade, isso aconteceu ontem e...

    ―Você deixou o Taehyung com um cara que você conheceu ontem em um parquinho? Você tem algum problema? ― Jaebum interrompe as palavras de Yugyeom. ― Vamos na sua casa agora. ― Ele já ia levantando da mesa sendo seguido por um Jinyoung que parecia nervoso.

    ―Sentem agora, ninguém vai na minha casa, Bambam é um ótimo cara, acho que o Taehyung tá se sentindo melhor com ele do que com a Jisoo. ― Os dois que tinham levantado, voltaram aos seus lugares e esperavam uma boa explicação, como diabos Yugyeom poderia saber que esse tal de Bambam é um ótimo cara?

    ―Primeiro, é melhor você falar direito com a gente, você ainda é o mais novo aqui. E segundo, que diabos de nome é Bambam? ― Jinyoung agora estava ficando irritado, Yugyeom sempre o conseguia deixar assim.

    ―Desculpe, Hyung. Mas eu posso explicar ou não? ― A resposta foi apenas um aceno de cabeça e um olhar raivoso. Então Yugyeom contou tudo, de como o conheceu no parquinho, de ter pedido para Mark fazer uma breve pesquisa sobre ele, falou do café da manhã que tiveram algumas horas atrás e da compatibilidade do garotinho com o tailandês. Os dois homens que ainda não sabiam da história ficaram um pouco perplexos, eles levaram meses para conquistar o garotinho, meses, como assim um estranho chegara lá e fizera isso em segundos?

    ―Eu só vou te dizer uma coisa, Yugyeom, se algo acontecer com o meu bebê, eu te mato, quando você chegar em casa hoje, trate de tirar uma foto do meu filhotinho e me enviar, só não vou até lá com você porque eu e o Mark vamos sair, e porque eu sei que você não deixaria o seu filho com alguém que poderia fazer algum mal para ele, apesar de ser um merda, você é um pai. ― Yugyeom sorriu, mesmo tendo acabado de ter sido ameaçado e chamado de merda, ele ficava feliz ao ver que seus amigos amavam seu filho como se fossem deles, Jinyoung era o mais apegado à criança e por sua sorte e persistência, o garoto também era apegado a ele, aquela ali era a família de Taehyung.

 

(...)

    Já era quase meio dia e Bambam se perguntava o que o garotinho iria almoçar, quando lembrou das palavras de Yugyeom, ele deixa a comida pronta. O homem abriu a geladeira e viu várias marmitas prontas, só precisaria esquentar, ele pegou uma e colocou no micro-ondas, ao sentir o cheiro de comida, Taehyung chegou na cozinha com a mãozinha sobre a barriga, estava faminto, já fazia um tempinho desde que ele e Bambam terminaram de ver o filme, agora era hora de almoçar e depois se arrumar para ir à escola.

    ―Tô com fome, Bam.

    ―Eu também tô, vem, vamos lavar as mãos para almoçar. ― O homem ajudou o garotinho a lavar as mãos, lavando as suas logo depois, sentaram à mesa e Bambam colocou a comida no prato do garotinho e depois para si, o que tinha ali era mais do que suficiente para os dois. Comeram enquanto conversavam, em meio a uma conversa super séria sobre qual o melhor personagem de Scooby Doo, Bambam se lembrou de Jackson.

    ―Você ia gostar do Jackson, ele é muito engraçado, aposto que vocês iam ser ótimos amigos.

    ―Quantos aninhos tem o Jackson. ― Tae pensava que Jack também era uma criança, ele queria mais um amiguinho.

    ―O Jackson já tem 23 anos, você pensou que ele também era uma criancinha? ― Tae apenas confirma com a cabeça. ― Pode relaxar, o Jackson tem 23 anos, mas tem a mente de criança, você tem que ver ele imitando o Scooby doo, tem aqui no meu celular, olha. ― Bambam pegou o celular e mostrou o vídeo ao garotinho, sua gargalhada infantil fizera o coração de Bambam se aquecer, ele realmente amava crianças.

 

(...)

    ―Então é hora do banho. ― Bambam falou depois de alguns minutos, eles já tinham terminado de comer a um tempinho atrás, a camisa da criança estava suja de macarrão, assim como sua boca. Em um piscar de olhos Tae se levantou e começou a correr pela casa, antes de começar a perseguir o garoto, Bambam foi até o quarto dele e pegou a toalha e o uniforme, entrou no banheiro e deixou tudo pronto para dar banho no menino. Ele saiu andando pela casa na ponta dos pés, tinha certeza que o menino tinha se escondido, procurou em quase todos os cômodos e nada de Tae, o único cômodo que faltava era o quarto de Yugyeom, ele não queria entrar, mas bom, não tinha escolha. Ainda andando na ponta dos pés foi até o armário de Yugyeom.

    ―Te achei. ― Gritou assim que abriu a porta e viu o garotinho lá. ― Hora de sair do armário, Tae, mesmo você sendo muito novo para isso. ― Bambam riu da própria piada e pegou o garoto nos braços. Durante o banho, Taehyung decidiu que era uma boa ideia fazer uma guerrinha de água, resultado? Um Bambam com a blusa totalmente molhada e um banheiro encharcado. Depois de vestir o menino, Bambam caminhou até o quarto de Yugyeom, ele teria que pegar uma camisa de seu chefe, não daria tempo de ir em casa, todas as camisas de Yugyeom eram enormes, mas Bambam estudava moda, ele daria um jeito de ficar no mínimo, com estilo.

    Fazia vinte minutos que Bambam estava perdido no estacionamento procurando o maldito carro, Yugyeom disse que seria fácil encontra-lo, era a porra de um carro popular em um estacionamento enorme, ele estava com uma puta vontade de xingar, mas não faria isso na frente do garotinho.

    ―Bam, eu achei, é aquele ali. ― O pequeno viu o carro no qual Jisoo sempre o levava para a escola. Bambam foi se andando até o carro e quase chorou quando apertou o botão do alarme e teve a certeza de que o carro era realmente aquele. Bambam pegou o garotinho no colo e o encheu de beijinhos no rosto.   

―Você é meu herói, ―  E logo uma risada gostosa de criança ecoou pelo estacionamento. ― Agora vamos, você está quase atrasado. ― Os dois entraram no carro e Bambam começou a dirigir, ele sabia onde a escola ficava, além disso, Yugyeom lhe dera um ótimo ponto de referência, o parquinho onde se conheceram.

    ―Bammie, coloca o cd das musiquinhas do desenho. ― Bambam que estava parado no sinal, achou o cd no chão do carro, era um cd com várias musiquinhas de abertura de desenhos animados, daria tempo do menino escutar algumas, ainda faltavam 15 minutos para chegarem ao seu destino.

    ―E por que meu nome agora é Bammie? ― Falou enquanto colocava o cd para tocar.

    ―Uma vez eu vi o tio Jinyoung chamando o tio Mark de um nome bonitinho, aí eu perguntei o que era, ele disse que quando a gente gosta de alguém, a gente pode dar nome bonitinho a elas, agora seu nome é Bammie. ― Bambam riu da explicação do garotinho, aquilo era tão adorável, queria parar o carro e pular para o banco de trás só para encher o garotinho de beijinhos e abraços. ―Agora vai começar a música. ― A primeira música do cd era a abertura de Bob esponja, Bambam adorava, ele e Jackson sempre passavam horas assistindo, logo o tailandês começou a cantar junto do garotinho.

    ―Vive num abacaxi e mora no mar? BOB ESPONJA CALÇA QUADRADA. Ele é todo amarelo e espirra água? BOB ESPONJA CALÇA QUADRADA. ― E assim foi o caminho até a escolinha, o vidro da porta da frente não estava totalmente fechado, alguns carros e motos que passavam do lado do carro onde os dois cantavam alegremente, apenas olhavam achando aquilo estranho, algumas pessoas até riram ao escutar. Eles não estavam dando a mínima para o que os outros achavam, estavam se divertindo demais para isso.

    ―Infelizmente chegamos. ― Bambam avisa assim que terminaram de cantar a abertura de hora de aventura. Bambam estacionou e levou Tae até sua sala, ele não queria se separar do garotinho, mesmo que fosse por algumas horas, queria ficar mais um pouco com ele.  ― Tchau Tae, mais tarde eu venho te buscar, aí a gente se diverte um monte antes do seu pai chegar, okay?

    ―Okay, tchau Bammie. ― O menino dá um beijinho do rosto de Bambam e sai correndo até sua professora. O tailandês se sentia trocado, queria o garotinho só para si, ele era tão amável, se um dia tivesse um filho, queria um igualzinho a Taehyung. Enquanto pensava no garotinho, o jovem universitário caminhou até a secretaria avisando que ele agora que iria trazer e buscar o menino, no entanto, Yugyeom já tinha ligado para avisar, era um pai eficiente.

    Bambam teria 4 horas de descanso, nesse tempo aproveitou para passar em casa e tomar um banho, adiantou umas besteiras da faculdade, e acreditem se quiser, ele conseguiu assistir dois episódios de The 100, era o emprego perfeito. Já estava quase atrasado quando saiu de sua casa para ir buscar o menininho na escola, na entrada do prédio viu Youngjae entrando, por que eles só se encontravam assim? Até parecia que não eram amigos.

    ―Nossos horários não estão mais se encontrando? ― Youngjae parou o amigo, para o Choi, não importava o motivo de Bambam estar apressado, estava com saudades dos amigos. ―Estou com saudades, Bambam.

    ―Eu também estou, mas bem que agora eu tenho outra pessoa para me obrigar a assistir Star Wars.

    ―Você acabou de dizer que está me trocando? É assim que você conhece verdadeiramente as pessoas. ― Drama era o sobrenome de Youngjae.

    ―Claro que não Jae, quem iria me proporcionar umas bebidas de graça além de você? ― Jae o olhava como se não acreditasse no que o amigo dizia, bom, ele realmente não acreditava. ― Estou brincando, eu agora tô trabalhando de babá, ele tem quatro anos, o Tae adora Star Wars e me fez assistir com ele hoje, você tem que conhecer ele, vocês dois são fofinhos, iriam se dar bem juntos. ― E subitamente Bambam lembrou do que iria fazer antes de encontrar o amigo. ― Na verdade, eu tenho que ir buscar ele agora mesmo na escola, quando a gente se esbarrar novamente conversamos mais.

    ―Se você não passar na minha casa até quarta-feira, eu arranco suas bolas. ― E após essas palavras, Bambam saiu gargalhando de seu prédio, conectou seu celular no som do carro e começou a escutar algumas músicas do Twice, ele era viciado em girlgroups.

    O transito ainda não estava caótico, por esse motivo Bambam chegou bem na hora, desceu do carro e ficou esperando por Taehyung na frente da escolinha.

    ―Bammie. ― Antes mesmo de Bambam ver o menino ele escutou seu novo apelido ser chamado, olhou para a porta do local e encontrou um Taehyung correndo em sua direção.  

    ―Oi meu amor, senti saudades. ― Bambam abraçou o garotinho e o encheu de beijinhos, aquilo estava se tornando um habito.

    ―Como você é pegasojo Bammie.

    ―É pegajoso, e eu não sou pegajoso, só estava com saudades do homenzinho mais bonito e fofo da Coréia. Se você me chamar de pegajoso vai machucar meu coração.

    ―Eu não quero machucar, desculpa.

    ―Agora sim, tem que deixar eu dar beijinhos sim, ninguém rejeita esses lábios. ― Essa última frase era uma mentira, Bambam já fora rejeitado mais vezes do que possa se lembrar. ― Vamos para casa. ― Eles foram o caminho alternando em cantar música de girlgroup e conversar sobre como fora o dia de Tae na escolinha, ao entrar no apartamento os dois tiveram uma surpresa, Yugyeom estava jogado no sofá, mesmo não sendo a hora dele chegar em casa.

    ―Papai. ― O menino corre e se joga em cima do homem que estava deitado.

    ―Oi bebê, ainda bem que você está bem, se você não estivesse, o Jinyoung iria me matar.

    ―Saudades do tio Jinyoung, do Tio Mark também.

    ―E do Jaebum Hyung, não está com saudades dele?

    ―Ainda não. ― Yugyeom gargalhou, se Jaebum soubesse disso com certeza ficaria emburrado e depois mimaria ainda mais o garotinho para que o mesmo ficasse com saudades dele depois. Bambam só observava tudo, não sabia o que fazer. ― O tio Jaebum gosta mais dos gatos dele do que de mim, então agora eu gosto mais do Bammie do que do Tio Jaebum. ― Agora o menino saia de cima do pai e voltava a dar atenção a seu novo babá.

    ―Se ele escutar isso ele tem um ataque do coração. Como foi o dia de vocês? ― Logo Tae começou a narrativa de seu maravilhoso primeiro dia ao lado de Bambam, ele contou da luta de sabres, contou do filme, contou das musiquinhas no carro, contou até que fugiu do banho, Bambam ajudava ele em algumas partes e Yugyeom apenas ria e ficava encantado pelo sorriso de seu filho, o garoto estava extremamente feliz, isso deixava Yugyeom extremamente feliz.

    Ficaram os três conversando e brincando até dá o horário em que Bambam deveria ir para casa, Yugyeom o parabenizou e agradeceu por ter deixado o garotinho tão feliz.

    ―Eu que agradeço, o Tae é uma criança incrível, eu quase chorei quando tive que deixar ele na escola, quero roubar ele para mim. ― Bambam falou enquanto ainda estavam sentados no sofá, Yugyeom riu um pouco, ele sabia como o mais novo estava se sentindo, fora assim que se sentiu quando deixou Tae pela primeira vez na escolinha.

    ―Te entendo, antes de você ir embora eu quero que você e o Tae tirem uma foto juntos, Jinyoung me obrigou a fazer isso. ― Bambam apenas confirmou, pegou o celular que seu chefe estendia para si e logo tirou maravilhosas selfies junto a Tae, na hora de se despedir ele quase chora, o garotinho agora era sua criança preferida no mundo, queria guarda-lo em um potinho. O menino diferente de Bambam, não consegui segurar as lagrimas, ele queria ficar mais com o Bammie.

    ―Amanhã o Bammie volta. Não chora, se você parar de chorar, amanhã nós brincamos de Power Rangers. ― O menino logo parar de chorar, ele queria brincar de Power Ranger com Bambam.

    ―Só se eu for eu vermelho.

    ―Okay, você pode ser o vermelho.

    ―Jura de dedinho? ― Estendeu seu dedinho para que Bambam entrelaçasse com o seu, coisa que ele logo fez, Yugyeom gravara todo o momento e agora enviava para Jinyoung, esfregaria na cara do amigo o fato de ter escolhido a pessoa certa para cuidar de seu filho.

 

   

   


    


Notas Finais


Gostaram? Espero que sim. Ta tudo meio paradinho, mas em breve isso muda. Até semana que vem sweeties.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...