História Não consegui te esquecer. - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~NinaAAaaAaA

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Fanon
Exibições 30
Palavras 1.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Harem, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey panquecas! Sei que demorei, não me batam pfv. Eu tava na semana de provas finais, entendam. Espero que curtam o cap. Até as notas finais ♡

Capítulo 8 - Rosas para minha adorável vizinha


Fanfic / Fanfiction Não consegui te esquecer. - Capítulo 8 - Rosas para minha adorável vizinha

Depois que o Cast disse aquilo meu coração se apertou um pouco, eu não gosto dele. Tenho certeza disso. Eu saí da casa dele já era tarde, nós assistimos uns dois filmes, sentados no sofá, comendo pipoca e tomando refrigerante. Eu posso ter dormido pensando mas isso não significa nada. Acordei cedo demais, eram 5:30, decidi me arrumar e sair cedo, para chegar cedo e não ter de encontrar o Castiel. Eu já estava terminando de me vestir mas tenho um deja vu quando vejo um par de olhos cinzas me encarando pela janela. 


Castiel: Olá linda vizinha.

Chris: Tarado!

Castiel: Eu tenho a leve impressão que já tivemos essa conversa antes. Você tem belos peitos.

Chris: Vai se foder, imbecil. 


Eu fechei as janelas e as cortinas e continuei a me vestir, desci as escadas e comecei a preparar meu café da manhã, Alice ainda não tinha voltado e já tinha passado duas semanas, ele teve de viajar para alguns outros países, ela estava estudando os Tubarões Mako e os Tubarões-Baleia. Depois de ter feito meu café e ter botado um pouco na garrafa pra eu levar, eu fui para a garagem peguei minha moto e saí em direção ao colégio. Puta merda, eu ainda cheguei atrasada mesmo saindo cedo de casa, ao que parece teve um acidente de carro ali por perto e ainda não tinha sido resolvido. Assim que cheguei na escola o Alexy e a Rosa já estavam me esperando, junto deles estavam, o Ken, o  Armin e... o Castiel, ele estava com um buquê de rosas negras e brancas na mão, a Ambre estava todo tempo rondando ele, possivelmente se perguntando se as flores eram pra ela.


Castiel: Olá adorável vizinha, trouxe esse buquê para você!


Enquanto todos dele para mim surpresos, ele me estendeu o buquê e eu peguei. Tenho certeza que se olhar matasse, eu já estaria morta, porque a Ambre me olhava com tanto ódio que senti minha testa queimar um pouco.


Chris: Querida, tá me secando por que? Tira uma foto que dura mais.


Ela saiu bufando enquanto a Rosa e o Lexy morriam de rir.


Chris: Quanto a você. Eu não tenho dinheiro pra emprestar.

Castiel: Me ofende que você pense isso de mim. Eu sou um gentleman.

Alexy: E eu sou hetero.

Chris: Olha, Castiel. Hoje a minha paciência tá igual a heterossexualidade do Alexy, zero.


Eu entreguei a flores pra ele de novo e saí em direção a árvore que tinha lá no pátio, senti que alguém me seguia mas não me virei para ver quem era. Assim que cheguei na árvore me sentei no chão embaixo dela, vi que quem estava me seguindo era o Armin.


Armin: Hey baixinha!

Chris: Não me chame assim, não tenho culpa se você é um poste de dois metros de altura. 


Ele começou a rir, e de repente me abraçou. 


Armin: Hoje eu vou na sua casa e nós vamos jogar vídeo game juntos, OK?


Eu desconfiei um pouco, mas até que gosto do Armin, nós curtimos as mesmas séries, os mesmos jogos, mesmos filmes.


Chris: OK, mas você leva pipoca, porque depois vamos assistir um filme.


Ele concordou com a cabeça e nós ficamos sentados embaixo da árvore até o sinal tocar, assim que tocou ele ficou de pé e estendeu a mão na minha direção, segurei a mão dele e me levantei. 


Armin: Até mais tarde, pequena. 


Ele deu um beijo na minha testa e saiu. Antes de ir para a sala eu fui ao banheiro, assim que cheguei lá, encontrei a Ambre e suas seguidoras.


Ambre: Li e Charlotte, saiam e tranquem a porta.


As escravas fizeram o que ela mandou e assim que trancaram a porta ela veio para cima de mim.


Ambre: QUEM VOCÊ PENSA QUE É PARA RECEBER FLORES DO MEU CASTIZINHO? HEM VAGABUNDA?


Revirei os olhos. Que apelido mais ridículo. E ela me chamou de vagabunda? 


Chris: Primeiramente: Tira essas suas patas de galinha de cima de mim. Segundamente: Não sei se essa palavra existe mas é ela mesmo. Eu recebi flores porque sou melhor que você querida. Terceiramente: Tenta usar a sua cabecinha de merda pra bolar um apelido melhor. Quartamente: Você está redondamente fodida por me chamar de vagabunda.


Assim que eu terminei de falar aquilo, empurrei ela com força, ela se desequilibrou e caiu no chão. Eu virei ela de costas e botei meu joelho direito em cima das suas costas, ela já ia começar a gritar mas eu peguei alguns pedaços de papel higiênico e enfiei na boca dela. Peguei meu canivete e olhei pra ela que estava com o rosto assustado. 


Chris: Só a primeira letra ou o nome todo? Ah, sou boa pessoa e vou fazer só a primeira letra. 


Eu levantei a blusa dela e comecei a fazer um C nas suas costas, ela tentava sair debaixo de mim mas não conseguiu. Assim que terminei, saí de cima dela.


Ambre: SUA LOUCA! A DIRETORA VAI SABER DISSO.


Ah, a diretora não vai saber disso não. Não posso ser suspensa ainda.


Chris: Se você disser algo para a diretora eu vou fazer o resto do nome.


Ela me olhou assustada e correu para a porta do banheiro, bateu três vezes e a empregada coreana abriu a porta.


Ambre: Isso não vai ficar assim. Eu vou me vingar.

Chris: Vou esperar sentada enquanto dou uma lixada de leves nas minhas unhas. 


Ela saiu do banheiro deixando a porta aberta, eu fui lá e fechei. Tem um pouco de sangue no chão, acho que foi por causa das costas dela, não acho não. Tenho certeza. As aulas passaram vagarosamente e nem a diretora nem o representante de turma, vulgo Nathaniel, vieram me procurar. Quando cheguei em casa avistei uma cabeleira negra encostado num carro.


Armin: E aí. 

Chris: Oi. Vem entra.


O Armin realmente trouxe a pipoca e nós fizemos a nossa programação um pouco diferente, começamos primeiro pelo filme. Assistimos uma comédia romântica, dois de terror e quatro de comédia. Quando terminamos de assistir o último filme já eram 21:37.


Armin: Acho que já vou.

Chris: Mas nós nem jogamos!

Armin: Está tarde.


Eu pensei um pouco e tirei a conclusão de que ele poderia dormir no quarto da Alice, já que ela ainda não tinha voltado. 


Chris: Você pode dormir no quarto da minha irmã. Fica aqui, meu poste. Por favor.


Eu tenho certeza que fiz aquela cara de cachorro carente, porque ele me olhou estranho. 


Armin: OK, pequena. Vamos jogar.


Eu e ele começamos a jogar Call of Duty, e de vez em quando em batia a mão no controle dele para ele se desconcentrar. Nós já estamos jogando a umas duas horas e eu me deitei no colo dele, bati a mão de leve no rosto dele para ele perder de vez.


Armin: Assim não vale, pequena!

Chris: Hm... Eu digo que vale.


E continuamos jogando.


Notas Finais


Yo minna-san! Gostaram? Não gostaram? Dêem opiniões meus liendos. Cs já foram ler minha outra fanfic? Eu postei o primeiro cap. No sábado (acho). Enton lindos, por hj é só. Até quarta (acho). Kissus de purpurina e fuiz. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...