História Não é Ilusão - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe
Tags Comedia, Fairy Tail, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Romance
Visualizações 39
Palavras 3.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey pessoal, bom primeiramente devo agradecer vocês mais uma vez pelos 32 favoritos na fanfic, eu estou super feliz pela fanfic ter alcançado essa marca de favoritos, bom não vou enrolar muito então deixo vocês com o capítulo 12. BOA LEITURA

Capítulo 12 - Nossos Sentimentos


 

Um mês tinha se passado desde que comecei a viver definitivamente sozinha, Loke as vezes dormia aqui, desde que os pais dele ficaram fora por duas semanas é ele ficou aqui ele nunca mais perdeu a oportunidade de dormir no canto da minha cama, o que era engraçado ele parecia uma criança quando chegava indo diretamente para o cantinho. Aquele mês também seria o meu aniversário, falta menos de duas semanas para o grande dia, confesso que eu estava um pouco nervosa.

 

Com aquela lembrança do meu aniversario não pude deixar de pensar em Natsu, desde que eu me declarei para ele não tenho falado muito com o mesmo, não digo que ele não tenha tentado se aproximar, porém eu sempre o cortava ou o ignorava, achei melhor assim eu não me machuco é nem ele se machuca, mesmo distante dele meus sentimentos não diminuíram, acho até que aumentaram é isso era ruim, muito ruim.

 

O final de semana havia começado é eu ficaria em casa, Loke precisou ir com o pai dele em outra cidade é só voltaria na segunda-feira, as meninas bem, elas tinham namorados é cada uma delas faria algo com eles, eu sentia um pouco de inveja disso, além de não ter ninguém para passar o final de semana eu não tinha um namorado, isso era deprimente.

 

Já era hora do almoço é mesmo contra a vontade resolvi cozinhar alguma coisa, faria algo simples é claro um brigadeiro de panela para curtir a tarde vendo um filme já que era a única coisa que eu poderia fazer, enquanto eu cozinhava lembranças da semana vieram em minha cabeça, durante toda a semana meu patrão pareceu me vigiar a todos os momentos, isso não seria estranho se ele não estivesse olhando minhas pernas, ou meu bumbum  ou até mesmo meus seios, aquilo já estava me incomodando é claro me dando certo medo, eu me dedicava a fazer meu serviço direito mas não queria meu patrão me assediando, claro que o mesmo nunca encostou em mim é acho que ele não teria coragem, eu pelo menos espero que ele não tenha coragem. Fui tirada dos meus pensamentos quando ouvi a companhia tocar, sequei as mãos é segui até a porta a abrindo, eu fiquei surpresa com quem era, meu coração disparou é por impulso dei alguns passos para trás, certamente aquela tarde seria agitada.

 

- Oi Luce.

 

- Mamãe mandou que me buscasse novamente?

 

- Não, dessa vez eu vim porque quis – antes mesmo que eu respondesse ele entrou sem pedir permissão alguma é olhou em volta como se procurasse por algo. – Seu namorado não está?

 

- Loke foi viajar com o pai dele, foram resolver assuntos da empresa ou algo assim, o que você quer? – Percebi que ele se incomodou por eu não ter brigado por ele ter dito que Loke era meu namorado.

 

- Eu só queria te ver, é conversar com você, estou tentando fazer isso a um mês, mas você sempre foge de mim, tive que vim na sua casa então, pelo menos acho que você não vai fugir aqui.

 

- Fale logo é vá embora, combinamos de não nos vermos, não nos falarmos é manter distância um do outro, você não está fazendo isso Natsu.

 

 

Ele foi até a cozinha é se sentou em um dos bancos do balcão, o segui até lá é me sentei ao seu lado, pela expressão em seu rosto eu sabia que era algo sério então resolvi ouvi-lo sem retrucar, eu sabia que ele não me procuraria se não fosse realmente sério, afinal ele me queria longe dele até que meus sentimentos acabassem, isso seria impossível.

 

 

- Lisanna me procurou aquele dia que saímos para procurar seu vestido.

 

- É?

 

- Disse que me amava, que tudo o que ela disse foi da boca para fora porque você a deixou com raiva, é porque você sempre quis que nosso namoro acabasse.

 

- Acreditou nela?

 

- Obvio que não, eu não sou idiota, não mais, estou te contando isso porque ela disse que faria você pagar pelo que fez, eu nunca tinha visto tanto ódio nos olhos dela, ela realmente te odeia Lucy então tome cuidado, se vê-la me ligue, não saia sozinha, peça a Loke para buscar é trazer você de volta para casa em segurança, aquela garota é maluca, ela realmente é perigosa, não sei do que ela seria capaz.

 

- Eu não tenho medo da Lisanna, eu sempre soube do que ela era capaz.

 

- Você pode não ter medo dela, mas eu tenho medo que ela faça algo com você, eu também disse para ela umas coisas, só piorou tudo.

 

- O que você disse? – O olhei curiosa, notei que seu rosto ficou um pouco vermelho.

 

- Ela me perguntou se eu não a amava mais.

 

- É você?

 

- Eu disse a verdade, eu a amei de mais sabe Lucy – ele me olhou sorrindo, aquilo me deixa triste, mas saber que ele não a amava mais me deixava aliviada. – Porém não amo mais, eu estou gostando de alguém.

 

- Isso é bom, eu acho – saber daquilo me machucava de uma maneira terrível, ele provavelmente sabia disso, mas não parecia se importar isso me fazia odiá-lo. – Espero que dessa vez você não esteja afim de uma vadia feito a Lisanna.

 

- Ela não é uma vadia relaxa, você provavelmente vai gostar.

 

- Quem é ela? – mesmo contra a vontade eu perguntei, não me sentiria melhor sabendo mas mesmo assim precisava saber.

 

- Eu te conto no dia do seu aniversário.

 

- Porque isso?

 

- Porque provavelmente você vai me perdoar pelo que fiz.

 

- Eu não vou perdoa-lo Natsu – ele me olhou surpreso é eu sorri. – Você sabe dos meus sentimentos é mesmo assim me contou que está apaixonado por alguém é pretende me apresenta-la no dia do meu aniversário, acha mesmo que vou perdoa-lo?

 

- Eu não sei, eu fiz muita merda né? – Ele sorriu é olhou para mim, não consegui desviar o olhar dele. – Eu sinto muito por aquele dia na danceteria, eu não podia aceitar aquilo de jeito nenhum Lucy é errado, você sabe disso.

 

- Eu sei.

 

- Mas age como se não soubesse.

 

- Não quero ser alertada por você Natsu Dragneel – ele sorriu, aquele maravilhoso sorriso que eu tanto amava, ele parecia diferente, era como se nada entre nos tivesse mudado. Adoraria saber o que tinha acontecido. – Acho que você devia ir embora.

 

- Não me expulse como se eu estivesse atrapalhando.

 

- Não é isso Natsu, não quer ficar perto de você, você sabe como me sinto, isso é ruim.

 

- Vai mudar alguma coisa se eu for embora? – Confesso que aquela pergunta me surpreendeu, eu definitivamente não sabia o que responder. – Você vai continuar apaixonada por mim se eu abrir a porta é for embora, não nos víamos a mais de um mês é você continua me amando, talvez até mais do que antes, então Luce faz diferença se eu sair agora ou mais tarde?

 

- Não sei bem – corei, eu definitivamente queria entender o que estava acontecendo com ele.

 

- É tenho que aproveitar, seu namorado chato não está aqui, posso ficar o dia todo se quiser, talvez até dormir aqui, fico com o canto da cama pode ser?

 

- Não, o canto da cama é do Loke é ele não vai gostar de saber que você dormiu no lugar dele – me virei é fui em direção a geladeira para pegar os ingredientes para o brigadeiro. – Então mesmo que fique você irá embora.

 

- Ne Luce.

 

Ele falava de um jeito sexy, aquilo me fez sentir estranha, porque ele estava usando aquele tom de voz comigo? Ele nunca tinha feito antes, com todos os ingredientes na mão eu fechei a geladeira ainda pensando, quando me virei me veio novamente uma surpresa. Natsu estava ali a poucos metros de distância de mim, se eu quisesse fugir o que não era o caso, não teria escapatória já que minha cozinha era bem pequena, dei apenas um passo para trás é bate as costas de leve contra a geladeira é ele aproveitou a oportunidade para se aproximar mais de mim, aquilo estava estranho, porém um estranho muito bom, tudo o que eu queria era que ele se aproximasse de mim exatamente daquela forma, sem se lembra que eu era sua irmãzinha querida, queria apenas que ele visse em mim uma mulher, uma bela mulher que ele deseja desesperadamente.

 

Ele me fechou entre seus braços é me olhou bem no fundo dos olhos, eu sabia que viria uma pergunta, ele estava apenas tentando me seduzir é conseguiu, naquele momento eu responderia qualquer coisa que ele quisesse saber, eu estava tão vidrada naquele olhar é naquele perfume que eu não me importava com mais nada, eu só queria que ele se aproximasse mais, queria sentir o calor do corpo dele junto ao meu, queria sentir sua respiração quente ainda mais próxima do meu rosto, porém eu duvidava que aquilo aconteceria em algum momento.

 

 

- Você está mesmo namorando o Loke? – Ele perguntou ainda de uma forma muito provocante, aquilo estava me deixando louca. – É a segunda vez que insinuo ele como seu namorado é você não desmente isso, então estão mesmo juntos?

 

- Só estamos ficando Natsu, não é nada sério – ali estava à resposta, saiu rápida é clara, ele realmente sabia como deixar uma garota completamente a mercê dele. – Só uns beijos, nada mais que isso.

 

- Ô nada mais? Então não transaram?

 

- Ainda não, não é algo que eu queira fazer agora é bem, Loke se diverte por aí, não é como se eu estivesse o deixando na seca.

 

- Um homem na seca é realmente um problema – ele se aproximou um pouco mais, eu conseguia sentir o roçar de sua testa na minha, ele sorria enquanto me dava um calmo beijinho de esquimó, afinal o que diabos Natsu queria? – Diga Luce, você já transou com alguém? Sei que quase transou com aquele desgraçado do Rogue, talvez teria rolado se eu não tivesse chegado.

 

- Aquilo foi o mais perto que eu cheguei de transar com alguém, não se preocupe ninguém violou sua irmãzinha ainda.

 

- Isso é ótimo – ele me soltou bruscamente é se afastou me deixando sem ar ou qualquer reação, ele só queria saber daquilo? Porque me provocou daquela forma, ele realmente queria morrer. Ele me olhou, eu estava ofegante, vermelha é ainda sem qualquer reação ele não teve outra reação a não ser cair na gargalhada como se seu dia tivesse sido ganho com minha cara de idiota. – O canto da cama é meu.

 

- Porque fez isso idiota?

 

- Por nada, o almoço está pronto? To com fome.

 

- Você é ridículo.

 

QUEBRA DE TEMPO

 

Aquela estranha tarde de sábado estava passado lentamente, Natsu não havia ido embora, ele parecia estar determinado a ficar ali é realmente dormir no canto da minha cama como o mesmo havia dito a algumas horas atrás, eu estava apavorada definitivamente não sabia o que fazer naquela situação. Nós dois estávamos ali, sentados de frente para a televisão assistindo uma serie qualquer da Netflix.

 

Bom não era tão ruim assim, eu não podia reclamar da companhia que era realmente agradável, mas eu também não poderia esquecer o fato de que não conseguia mais me controlar perto dele é aquilo definitivamente era um grande problema, suspirei fundo é me levantei indo até a cozinha, Natsu me seguiu com os olhos como se estivesse vigiando todos os meus passos, aquilo estava ficando estranho, muito estranho, queria pergunta-lo do porque quase me beijou a tempos atrás mas minha timidez não deixava, para ser sincera eu não acreditava se queria mesmo saber a resposta, bom, eu sabia que ele queria tirar respostas de mim, porém sou irmã dele apesar de tudo, alguns gritos comigo talvez me deixariam assustada o suficiente para responder qualquer coisa que ele quisesse então porque aquela proximidade? Bom, eram perguntas que não teriam respostas, pois tais perguntas nem sairiam da minha boca.

 

Tratei de pegar a panela com brigadeiro é duas colheres é voltei para o sofá, estende umas das colheres em direção de Natsu, o mesmo me encarou desconfiado, como se quisesse perguntar algo, mas não sabia como fazer isso, bem, eu o entendia melhor do que ninguém naquele momento. Me sentei ao seu lado é voltei minha atenção para a tv, mesmo atenta ao programa ainda sentia os olhares dele sobre mim, aquilo me deixava constrangida de certa forma.

 

- Como aprendeu a cozinhar? – Naquele momento eu com certeza esperava uma pergunta bem constrangedora, me surpreendeu que não tenha sido.

 

- Porque quer saber disso?

 

- Acredito que nem a mãe nem o pai se preocuparam em pagar aulas de culinária para você.

 

- E você tem razão. – Sorri com aquilo, ele realmente tinha razão, nossos pais jamais pagariam para que a sua pequena princesa ficasse dentro de uma cozinha. – Foi Virgo, bom nenhum dos dois fica em casa, tive tempo de sobra para pedir Virgo que me ensinasse, claro que nossos pais nunca ficaram sabendo disso.

 

-Então lá de casa eu sou o único que sabe que você sabe cozinhar?

 

- Acho que sim, agradeceria se não disse nada para ninguém lá de casa.

 

- Não é como se quisessem saber Luce – ele sorriu enquanto dava uma colherada no brigadeiro. – Como vai no seu trabalho?

 

- Ah, acho que está tudo bem – aquela pergunta me deixou um tanto desconfortável, era um assunto que eu realmente não queria tocar.

 

- Aconteceu alguma coisa? – Novamente ele sorriu, dessa vez ele ria da cara que eu fiz. – Não é como se eu não a conhecesse, sei que algo está de incomodando, porque não me conta?

 

- Bom, acho que meu patrão está flertando comigo.

 

- Como?

 

- Ele me observa de mais, eu já peguei ele olhando meu corpo diversas vezes, outro dia tive a sensação de estar sendo observada dentro do banheiro feminino, isso está me deixando um pouco assustada, claro, pode ser apenas coisa da minha cabeça, mas ao menos ele não pôs as mãos em mim, já fico mais aliviada.

 

- Se ele tivesse feito isso, eu já teria saído daqui é teria ido até lá quebrar os dentes dele.

 

- Você não vai quebrar os dentes de ninguém Natsu.

 

- Se ele encostar no que é meu, eu vou sim – ambos ficamos em silêncio, por alguma razão eu sentia meu rosto arder, na verdade eu sabia a razão, eu não conseguia acreditar que aquilo tinha saído da boca dele, acho que nem ele mesmo acreditava no que acabará de dizer.

 

- Vou... Colocar o resto de brigadeiro na geladeira.

 

- Okay.

 

As horas haviam se passado é eu já estava morrendo de sono, já tinha tomado um banho, demorado por sinal, eu ainda não conseguia acreditar que Natsu se referiu a mim como sendo dele, bom, não é como se eu não estivesse feliz, eu estava muito feliz em saber disso, porem eu estava surpresa, ele poderia ter dito somente no impulso, ou talvez até em um outro sentido, seja como for me surpreendeu de verdade.

 

Agora eu estava indo me deitar, passei na cozinha antes de ir para o quarto somente para pegar um copo com agua, quando cheguei no quarto claro, Natsu já estava no canto da cama como ele mesmo havia dito que ficaria, eu sorri com aquilo é mesmo envergonhada segui até a cama é me deitei junto dele, como estava calor resolvi deixar a janela aberta é também liguei o ventilador, ficamos ali deitados em silêncio, aquele era sem dúvidas o momento mais constrangedor da minha vida.

 

 

- Como você se imagina daqui uns 10 anos?

 

- Porque isso agora Natsu? – Às vezes ele me deixava intrigada com certas perguntas, claro eu sabia que era somente para quebrar aquele silêncio, mas ainda sim me deixavam intrigada.

 

- Eu sei lá, só queria saber.

 

- Bom, eu não sei bem, papai e mamãe dizem tanto que eu devia seguir a carreira de modelo que estou mesmo pensando em seguir, claro talvez seja somente coisa de pai é mãe, todos os pais acham os filhos maravilhosos é com capacidade para modelo.

 

- Porque não? Você é linda Luce, consegue ser modelo em qualquer lugar do mundo, eu apoio você nisso acho que seria bom – nos deitamos um de frente para o outro, aquilo era constrangedor é meu coração não se aquietava. – A algo mais que queira?

 

- Acho que quero alguém do meu lado.

 

- Alguém do seu lado?

 

- Sim – eu me ajeitei é suspirei fundo, aquela conversa séria profunda sem dúvidas. – Eu já sou independente, trabalho é pago minhas contas, vou terminar meus estudos, fazer uma faculdade é também seguir a carreira de modelo, mas com quem vou comemorar tudo isso quando eu conseguir? Eu quero um amor entende? Amar é ser retribuída da mesma forma.

 

- Então é isso que você quer?

 

- Eu não quero continuar apaixonada por você a vida toda Natsu – eu sorri, mas percebi que aquilo o deixou incomodado. – O que tem de errado com você Natsu Dragneel?

 

- Como assim?

 

- Tudo que eu digo esta te afetando de uma maneira assustadora.

 

- Sabe eu, estou cada vez mais surpreso com você, isso é estranho, mas é bom, eu não sei te explicar Luce mas, algo está me afetando é tudo o que você diz ou faz está me afetando de verdade.

 

- Estaria preocupado comigo? Sabe, você é meu irmão qualquer coisa que eu faça vai te afetar também, certo?

 

- Eu não acho que seja dessa forma.

 

- Então é de que forma?

 

- Eu ainda não posso te dizer Luce – ele sorriu, aquele sorriso que sempre me fazia ter vontade de beija-lo. Me virei para o outro lado, encara-lo naquele momento me faria beija-lo é ele certamente me mataria, me surpreende quando sente seus braços me puxando para mais perto, ele me abraçava de uma forma tão calma, eu não sabia o que estava acontecendo com ele, mas não me importava, eu estava gostando daquele Natsu. – Posso fazer isso?

 

- Você já fez Natsu.

 

- Quer que eu te solte?

 

- Não, assim está perfeito – eu o sentia sorrir atrás de mim. – Boa-noite noite Dragneel.

 

- Boa noite princesa.

 

Natsu POV(ON)

 

Eu só precisava esperar mais alguns dias, eu não morreria certo? Lucy estava mesmo disposta a deixar aquela paixão que surgiu do nada ir embora é no seu lugar eu também faria isso, mas aquilo estava me afetando de mais, eu não concordava com aquilo assim como ninguém que tenha o juízo no lugar concordaria, mas eu não me importava, não mais. Se nossos pais descobrissem seria uma decepção, se qualquer um descobrisse seria um escândalo, eu não devia seguir com aquilo, mas eu não conseguia me controlar, aquele amor que ela sentia me afetou de todas as formas possíveis, as formas certas assim como todas as formas erradas é por Deus, eu estava amando as formas erradas.

 

Depois de um tempo sente o corpo de Lucy relaxar nos meus braços, isso indicava que ela estava dormindo é como aquilo me deixava aliviado pois se ela demorasse muito mais a dormir eu poderia cometer uma loucura, seu corpo estava tão próximo ao meu que aquilo me deixava muito excitado, sorri com aquele pensamento depravado, eu estava querendo de todas as formas transar é tirar a virgindade da minha própria irmã é eu não sentia remorso algum com aquilo. Ajeitei seu cabelo que caia no rosto, ela sempre manteve os cabelos bem curtos, mas depois de Lisanna ela resolveu deixá-los crescer é não poderiam tê-la deixado mais sexy, tudo nela me causava um choque incontrolável que me levava a querer vê-la nua de qualquer maneira é eu precisava me controlar, ou tudo daria errado.

 

 

- Eu sei que é errado, mas eu não vou deixar você desistir dessa paixão maluca princesa – eu sorri enquanto a via se mexer sobre os lençóis. – Acho que eu te amo muito mais do que eu deveria amar.

 


Notas Finais


Então minna, espero que tenham gostado, eu vejo vocês no próximo capítulo, pretendo posta-lo no domingo, pois é um dia muito especial pra mim MEU NIVER YEEEEEEH então vou fazer o possível para trazer o capítulo 13 nesse dia. Até la
kiss kiss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...