História Não Espione seu Vizinho - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Tags Chanbaek, Comédia Romanica, Fábio, Seulri, Vizinhos
Visualizações 47
Palavras 1.659
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


eai galera!!

Olha quem tá postando fanfic nova? Eu mesma!
Cara eu to com muito medo de vocês não gostarem sério! Que medo.

Eu peço de todo o meu coração, para não deixarem isso floppar, comentem pelo amor de Deus eu necessito saber oque vocês acham das minhas fanfics! NECESSITO!
Estou muito ansiosa cara. Espero de coração que vocês gostem. Vou deixar nas notas finais os links das minhas outras fanfic's caso vocês queiram ler! ^^

Tia Baek aqui vai um avisinho para você! Eu não estou conseguindo falar no grupo porque meu celular deu pau (rsrs...aquela carinha). Por isso to ausente viu meu amoriznho! Mas eu vou voltar, eu juro de dedinho!

Só isso que eu tinha para falar meus babies!

beijos e baebae...

Capítulo 1 - Esse é o Fábio!


Fanfic / Fanfiction Não Espione seu Vizinho - Capítulo 1 - Esse é o Fábio!

—Acorda Chanyeol!

E era exatamente isso que eu menos queria agora. Acordar cedo em pleno domingo.

—Chanyeol vou ter que dizer novamente? —Kyungsoo já estava puxando o cobertor de cima de mim.

—Me deixa. —Digo e me reviro na cama.

—Acho que não! Já são 11 horas e você tem que molhar a grama. —Como eu disse. Cedo.

—Já vou. Já vou. —Ele finalmente sai do quarto. Me sento na cama. Abro os olhos devagarinho. Estava tudo claro, por causa da janela aberta e o sol fortíssimo do lado de fora.

Bufei e me levantei todo molengo. Me arrastei até a porta e já podia ouvir os gritos de Do dizendo para Sehun fazer alguma coisa.

Desci as escadas praticamente dormindo, já que eu estava morto de sono. Qual é? Quem nunca ficou acordado até tarde jogando videogame e dormiu até três da tarde?

Eu iria dormir até esse horário se Do não tivesse atrapalhado meu maravilhoso sono de beleza.

Yeri corria pela casa com toalhas e roupas em cima do ombro, molhando todo o chão.

—YERI! —Do gritou enquanto passava pano pelo chão da sala.

—Desculpinha! —Ela já estava no quintal de trás da casa pendurando as roupas. Sehun estava arrumando o lavabo e eu estava parado na escada só olhando a baderna. Sabe quando o computador trava e fica aquela tela de loading em azul enquanto os números da barrinha iam e voltavam? Eu estava exatamente igual.

—Vai ficar ai parado olhando tudo ou vai molhar a grama?  —Do me encarou com uma das mãos na cintura e a outra estava apoiada no rodo. Parecia àquela mulher do Minha Mãe É Uma Peça, já que ele estava com um pano na cabeça. Ri mentalmente.

Ignorei e terminei de descer as escadas e passei pela sala. Morte na certa. Levei uma rodada na canela.

—AI! —Gritei e passei a mão pela canela ainda caminhando.

—VAI LOGO! —Gritou levantando o rodo e eu corri o mais rápido que pude para fora da casa.

Cheguei do lado de fora e observei o tanto de grama que tinha para molhar. Que droga. Desde quando nós tínhamos um quintal tão grande?

Procurei pela mangueira em todos os lados, mas só fui achar ela atrás da casa. Vai entender.

Liguei a torneira, já com a mangueira conectada na mesma. Mas eu acho que virei de mais aquela merdinha, porque a mangueira estava toda torcida e voou água para todo lado. Ou seja, um Chanyeol correndo atrás de uma mangueira descontrolada em pleno domingo ás onze e dez da manhã.

Pude ouvir as risadas de Yeri, mas só ignorei e continuei a correr atrás da mangueira.

Quando finalmente consegui pegar ela eu já estava todo ensopado e para falar a verdade, a água não estava lá tão quente.

Comecei por partes. Primeiro as plantinhas que ficam na lateral da casa, depois fui para o quintal de trás da casa e por ultimo o da frente.

Enquanto molhava a grama perto da calçada vi um caminhão de mudança chegar na casa ao lado da minha. Um carro preto também parou atrás do caminhão e de lá pude ver a porta do passageiro ser aberta e um Golden Retriever enorme correr em minha direção. Logo eu. Um medroso de tudo, principalmente de cachorros.

Já imaginam né? Eu nem pude correr, pois o animal descontrolado pulou em mim, então o máximo que eu pude fazer era gritar socorro de todos os jeitos possíveis enquanto a minha cara era coberta de baba.

—Fábio! —Ouvi um grito e o cachorro saiu de cima de mim. Enquanto eu ainda estava no chão gritando. —Me desculpe por isso! Ele não sabe se controlar em ambientes novos.

Olhei para cima e pude ver um garoto observando o meu ataque. Além de ter medo de cachorros eu sou alérgico. Então eu já estava espirrando igual um louco.

—Está tudo bem? —Perguntou e me esticou a mão. Peguei e me levantei. Assenti com a cabeça e me recompus.

Meu pijama estava todo molhado e cheio de pelo, tirando o fato da minha cara estar cheia de baba canina.

—Sou Baekhyun e esse é o Fábio! —Apontou para o cachorro. —Sou seu novo vizinho! —Disse sorrindo e eu apenas encarava o cachorro com a boca aberta e aquela língua enorme para fora. —E você é...? —Encarei o garoto.

—Chanyeol. —Digo e ele me analisa.

—Novamente eu peço desculpas. Meu cachorro é acelerado. —Disse rindo e eu forcei um sorriso.

—Percebi. —Digo baixo e encaro o chão.

—Oque?

—Nada não. —Sorri forçadamente novamente.

—Ah tudo bem. Espero que não tenha feito muito estrago com você e-

Espirrei mais alto que a minha avó e ele parou de falar.

—Enfim, me desculpe. Espero que nós nos tenhamos uma boa convivência.

—Ah certo. Eu também. Espero muito! —Digo e olho para o cachorro na ultima parte.

—Bem eu vou indo. Tchau! —Disse e se retirou.

Nota mental: Ficar o mais longe possível desse garoto e desse canino grande e peludo.

Olhei para minha casa, todo mundo estava na porta me encarando. Yeri e Sehun riam igual dois loucos, enquanto Do gritava para eu desligar a torneira, porque ele que paga as contas.

Corri até a parte de trás da casa e desliguei a mangueira, antes que o chinelo de Do parasse em minha garganta.

—Oque aconteceu lá fora? —Sehun perguntou quando eu entrei em casa. Tirei os chinelos e deixei do lado da porta.

—Parece que temos um novo vizinho. —Digo e me jogo no sofá.

—CHANYEOL! —Do gritou entrando na sala e me jogou seu chinelo. —SAI DESSE SOFÁ AGORA! —Ainda jogava os chinelos em mim.

Eu apenas queria sair da sala o mais rápido possível. Me senti uma Lara Croft ultrapassando os obstáculos e pulando os buracos. Corri o mais rápido possível para meu quarto ainda recebendo chineladas nas costas.

Cheguei no quarto e fechei a porta com tudo me escorando nela. Foi difícil recuperar o folego, mas consegui com muito esforço.

Já fui tirando minhas roupas e entrei no banheiro, eu queria a todo custo tirar todo aquele pelo de mim e a baba totalmente nojenta.

Liguei o chuveiro e me joguei em baixo dele, a água estava totalmente fria, mas isso deixou que eu parasse meu banho só para mudar a estação?

Sim!

Sim, eu parei meu banho e mudei a estação do chuveiro segurando uma toalha de rosto. Por quê?

Porque eu já levei choque nessas coisas e como vocês sabem eu sou bem medroso então né.

Assim que terminei meu banho comecei a escutar sons estranhos vindo do lado de fora, mas não dei muita importância. Apenas casei alguma roupa limpa em qualquer canto do meu quarto.

Enfim encontrei uma blusa branca que estava mais amarela do que branca, mas estava limpa né (eu acho). E uma calça de moletom preta, não estava tão frio, mas nem tão calor.

—Chanyeol vem almoçar! —Yeri gritou e eu apenas gritei que já estava indo.

Sequei meus cabelos na toalha e quando fui pendurar ela na janela uma coisa me chamou a atenção. Tinha um monte de carros na rua e uma galera na casa do tal Baekhyun. Ok. Não faz nem duas horas que ele se mudou e já tem gente para todos os lados na casa dele, mas isso não é da minha conta não é? Então para de xeretar na vida dos outros e vamos almoçar.

Desci as escadas e fui para a cozinha. Todo mundo já estava na mesa comendo.

—Nossa nem me esperaram. Só porque a Yeri fez a comida.

—Parece a comida da tia da cantina. —Sehun disse e recebeu um tapa na cabeça.

—Não está tão ruim assim! —Disse e Do começou a rir. Yeri o encarou e ele tentou segurar a risada, mas só tentou mesmo.

—Vamos ver então se está ruim. —Digo e abro a panela, assim que encaro o arroz fecho a panela rapidamente.

—Nossa Chanyeol até você! —Disse decepcionada e abaixou a cabeça.

—Mas eu nem provei ainda! —Digo e abro a panela novamente, prendi a respiração e peguei a colher, coloquei um pouco e fechei a panela com pressa. Já estava ficando sem ar.

Me sentei e coloquei o prato na minha frente, Yeri e os outros me encaravam ansiosos.

Peguei o garfo lentamente e coloquei o arroz lentamente, e lentamente levei o garfo lentamente até a minha boca que abria lentamente.

—VAI LOGO CHANYEOL! —Yeri gritou e bateu na mesa. Encaramos ela. —Desculpa. Vai logo.

Coloquei o garfo na boca e puxei o arroz com a boca. Fiz o máximo para não fazer uma careta. Ela me olhava ansiosa querendo minha resposta.

—E então? Oque achou? —Ela perguntou apoiando os cotovelos na mesa, todo mundo estava me encarando.

—Achei sem sal. —Digo e como. Não ficou tão ruim assim.

—Oque você disse? —Perguntou nervosa.

—Achei sensacional! —Sorri e ela me encara vitoriosa.

—Bom mesmo! —Todos voltamos a comer sossegados.

—Gente, vocês perceberam que está tocando uma música estranha? —Sehun perguntou e eu assenti.

—É  na casa do vizinho novo.

—Eu o achei bonito. —Yeri comentou e todos encaramos. —Calma gente. Só achei ele bonito.

Todos nós somos amigos, bem amigos, quase irmãos, mas quando Yeri demonstra algum sentimento por alguém nos viramos aqueles caras do CSI. Às vezes eu tenho dó dela.

—Bom mesmo. —Do murmurou.

Toc toc.

Olhamos para a porta.

—Eu atendo. —Digo e me levanto. Caminho até a porta ainda mastigando o arroz furreca da Yeri.

Abri a porta e me deparei com a criatura me encarando sorrindo. Ele estava todo molhado. Talvez tenha saído da piscina agora. Já que na casa do lado tem piscina.

—Oi Chan! —Desde quando eu dei liberdade para ele me chamar assim?

—Oi. —Digo indiferente e ele continua sorrindo.

—Ahm... Eu estou dando uma festa e queria saber se-

—Não obrigado.

Digo e fecho a porta na cara dele.

Qual é? Eu não gostei dele e não quero chegar perto da canino novamente.


Notas Finais


Eai bolinhos? Oque acharam? Eu pretendo postar capitulos novos de semana em semana, ou seja, segunda que vem tem capitulo novo!

Beijos e não esqueçam de comentar oque acharam!

Link das minhas fanfic's:

Apaixonado Pelo Meu Primo (taekook): https://spiritfanfics.com/historia/apaixonado-pelo-meu-primo-8186562
Imagine Cute Jungkook: https://spiritfanfics.com/historia/imagine-cute-jungkook-9670429


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...