História Não fui eu!!! - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 37
Palavras 5.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Insanidade é o substantivo feminino que significa loucura, demência, doidice, insânia. Também pode servir para indicar a condição de uma pessoa insensata ou insana.

Uma famosa citação sobre a insanidade é da autoria de Albert Einstein, que afirmou: Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

Essa é uma das características que Jeon pensa não ter. É óbvio que ele sempre faz uma coisa esperando que o resultado seja diferente. Vejamos o que ele tanto faz querendo que dê certo (ou seja, o resultado diferente) ; D

Boa leitura e desculpem os erros.

Capítulo 19 - Insanidade.


Fanfic / Fanfiction Não fui eu!!! - Capítulo 19 - Insanidade.

Isso não podia estar acontecendo. Era mesmo o Jimin? Se era mesmo ele, o Tae só podia estar no banho. Eu nem sei se estou alucinando..... Vai que é mais um daqueles sonhos loucos.

O corpo logo atrás de mim me aperta, tanto com os braços, quanto com as pernas, afundando o rosto nas minhas costas, me causando um calafrio. 

Só pode ser o Jimin! Tae não me abraça desse jeito. Se bem que.... é estranho saber o jeito que o meu amigo me abraça, mas eu sei que não é ele!

 

-Jimin? -chamo mais uma vez e um grunido baixinho é liberado.

 

Só tem um jeito de saber se é ou não é o Taehyung. 

 

-Jimin? -volto a chamá-lo, mas dessa vez coloco a mão para trás, sobre sua cabeça, mexendo nos fios de cabelo com curiosidade.

 

São macios e compridos. É lisinho, mas ainda assim um pouco grosso, dá pra sentir entre os dedos. Ele solta um murmurio e sinto o coração disparar, isso só de imaginar que pode sim ser o Jimin.

 

Eu preciso ter certeza. ~penso em desespero, descendo minha mão pelo seu rosto com certa dificuldade.

 

-Ponto 1: ... -Pele macia.

-Ponto 2: ... -Bochechas grandes.

-Ponto 3: ...  -Lábios carnudos.

 

 

CARALHO É O JIMIN!!

 

 

-Dongsae.... Cala a boca. -a voz grougre pelo sono arrepia meu corpo e por um momento cogitei a ideia de me jogar no chão.

 

O Jimin veio mesmo dormir abraçado comigo? Eu devo ficar feliz ou irritado? Aaahhh .... Por que sinto que fiquei feliz?

 

-Aishii... Ainda estão dormindo? -a voz do Tae ecooa pelo quarto e passos se aproximam da cama. Fecho os olhos rapidamente, evitando que o mesmo pense que estou acordado. -Que bonitinho.... O Jimin abraçou o Kookie. 

 

Mas que droga..... Isso é hora de achar as coisas bonitinhas? Com toda certeza que não!

E quando eu achei que fosse ficar na paz, sozinho com o Jimin, para pelo menos tentar acordá-lo o oposto acontece como sempre. Porque se você tem um Taehyung como amigo, as coisas sempre vão acontecer no oposto do que você queria.

Ele começou a me sacudir que nem um doido enquanto me chamava. Qual era o problema dele? Não era mais fácil chamar o Jimin primeiro? Mas com essa brutalidade dele, tanto eu quanto o Jimin "acordamos" irritados. 

 

-Eu já estava acordado. -Jimin murmura enquanto coça os olhos e boceja

-Só nos seus sonhos, hyung. -Tae sori levemente, mas sei que tem algo errado

 

Dou um longo bocejo e esfrego os olhos para tentar acordar. Olho para Taehyung que me olha com os olhos semi-cerrados, parecendo bravo, mas com o quê? Quando eu lhe lanço um olhar confuso, ele bufa irritado e se levanta falando que vai preparar o café -mesmo que aquele idiota não saíba cozinhar- me deixando sozinho com o Jimin.

 

O que eu fiz pra deixar ele assim?

 

-Kookie... -Jimin me chama com uma voz extremamente infantil e fofa.

-Huh?

-Conseguiu dormir bem? 

-Eerr... Sim. -sorrio sem graça, lembrando dele me abraçando. Ele pelo menos percebeu isso?

-Que bom. -diz num fio de voz, sorrindo alegre assim que volta a se deitar na cama

 

Fico observando ele respirar fundo algumas vezes e se encolher antes de suavizar a expressão e voltar a dormir. Sorrio com sua expressão e me levanto para ir tomar um banho. 

.

.

.

.

.

Depois de uma manhã comendo cereal com leite em frente a televisão, e tudo pela falta de habilidade que o Taehyung tem na cozinha, Jimin nos levou até o seu emprego na minha soverteria favorita. Fomos como clientes e eu ainda me sentia incomodado com o Tae e sua falta de atenção em mim. Toda vez que eu lhe dirigia a palavra, ele me ignorava. Jimin percebeu e estava tentando ao máximo reverter a situação, mesmo que sem sucesso. Depois que nossos pedidos chegaram, finalmente minha mente se iluminou, me fazendo compreender o que realmente estava acontecendo.

 

-Já volto. Tenho que buscar algo para vocês. -Jimin diz se levantando, saindo em seguida.

-Tae... -chamo após segundos de silencio, mas ele continua a me ignorar, enquanto toma um Milk Shake e mexe no celular. -Por acaso você está com ciúmes do Jimin?

-Eu só saí por dez minutos e.... -diz batendo o copo da sobremessa sobre a mesa, me dando um leve susto ao falar ríspido. -...e você faz isso comigo!

-Tae? -falo surpreso ao ver seus olhos se encherem de lágrimas, mas ele logo vira o rosto, secando as lágrimas com o dorso da mão

 

"Não foi nada."- Foi o que ele disse depois de respirar fundo. Não consegui dizer mais nada, principalmente por não ter entendido nada. Ele ainda tem a mania de fazer pior que o Jimin, então... Por quê? Preciso que o Jin volte logo para Seul.

 

-Tae... Não fica assim não. -digo mordendo o lábio inferior, sentindo culpa por ele estar assim. Como odeio não entender o que está acontecendo!

-Foi bobagem minha, deixa quieto. -diz em um suspiro, se ajeitando na cadeira. -Mas tenho que falar algo.

-O quê?

-Você promete não ficar bravo?

-Depende.

-Você sempre diz depende. -torce o nariz em degosto e volta a me olhar sério. -Não vem com essa pro meu lado não.

-Ok. Mas me conta logo! -peço ancioso. O que será?...

-Quando você ver um ponto roxo, saíba que fui eu. -diz por fim me deixando com um sorriso indignado no rosto.

-E.... -falo esperançoso

-E o quê? -pergunta sorrindo despreocupado e eu fico sério

-Vai me dizer que é só isso?

-Você vai ver que não é só isso. -sorri vingativo e eu arregalo os olhos em surpresa

 

Que papo é esse?

Uma hora ele chora e outra me fala coisas desconexas? Me expliquem, porque eu não consigo entender o que se passa na cabeça do Tae.

 

-Aqui estão eles! -a voz do Jimin tira meu raciocício e tanto eu quanto Tae olhamos para ele e para uma garota ao seu lado. -Jeon. Tae. Esta é a Min Sook. Sook. Estes são Kim Taehyung e Jeon Jungkook.

-São aqueles dois que passaram correndo aquele dia? -a tal Sook pergunta apontando o dedo para nós, enquanto olha para Jimin.

-São eles mesmos. -Jimin sorri sem graça, coçando a nuca

-Você disse que não conhecia el.... -a garota é interrompida

-Vocês vão mesmo ficar nos encarando com essa cara assutada? -Jimin pergunta para nós e eu olho para Tae rapidamente, vendo sua testa franzida e a boca aberta em idignação

 

Se eu sei o que passa pela sua cabeça? Claro que sei, principalmente por ser a mesma coisa que estou pensando. 

"Quem é essa garota?"

.

.

.

.

.

.

-Eu não gostei dela. -Tae fala firme, me encarando irritado

-Eu também não, então não desconta em mim! -falo revirando os olhos

-Aqui está! -Sook diz, entregando com um enorme sorriso os Mc's que eu e Tae pedimos para almoçar.

-Obrigado. -eu e Tae falamos em únissono, sorrindo gentilmente, escondendo o desgosto.

-Vocês só querem comer isso? -Jimin questiona, colocando uma garfada com arroz na boca

-É que essa... coisa branca me deu enjoo. -Tae diz enojado e eu engasgo com um pedaço de hambúrguer. 

-Eu entendo o Taehyung oppa. Até eu cansei de comer arroz. -Sook diz inocentemente, não percebendo que Tae referiasse à ela

-Então por que você.... -começo a falar olhando para seu prato e depois para seu rosto. Que droga ela usa para estar comendo arroz?

-Porque o Jimin disse que era gostoso. -fala envergonhada, olhando de lado para Jimin.

 

Ela não está falando uma bosta dessas!

 

-Porque o Jimin disse que era gostoso. -Tae sussurra enojado e revira os olhos, voltando a comer

-Desde quando se conhecem? -questiono tentando não parecer medonho

-Desde que ele foi procurar emprego e apareceu lá na soverteria. -Sook explica 

-Graças que ainda tinha uma vaga. -Jimin sorri para Sook que sorri de volta e eu sinto meu estômago revirar. -E... Uma pessoa tão gentil quanto você.

-Aishii.... Deixa de ser bobo!! -Sook diz num fio de voz e sinto um dejá vú

 

Eu conheço essa desgraça!!

 

 

Flash Black - Jeon

[ um ano atrás - Domingo à tarde... ]

 

Como era possível? 

Eu e a Lee já estavamos de bem novamente. Não que tudo iria ser como antes, mas ficar guardando rancor não valia a pena. Marcamos de nos encontrar com Tae na minha soverteria favorita para passarmos a tarde conversando. Já era o inicio do nono ano no colégio, havia se passado um ano desde que paramos de nos falar. 

Depois de nos reconcilarmos por telefone, era a hora de nós três voltarmos a nos ver. Havia muita coisa para contarmos uns aos outros, mesmo que estudassemos no mesmo colégio, nossas salas eram diferentes.

 

-TAETAE!! -Lee grita ao ver Taehyung do outro lado da rua e assim que o sinal fecha, ela corre para abraça-lo

 

Sorrio animado, fazia um tempo que nós três não nos viámos, principalmente depois que Lee confessou estar saindo com os dois.

 

-Jeon. -Taehyung fala assim que paro em frente ao dois.

 

Lee olha para mim e para o Tae preocupada e se afasta um pouco. Tae sorri minimamente, abaixando a cabeça desnorteado. Solto uma risada e pulo nas suas costas, fazendo com que ele quase caía no chão.

 

-Seu pirralho idiota! -ele diz entre gargalhadas e logo eu saio de suas costas, parando em sua frente com um enorme sorriso. -Senti sua falta.

-Eu também, hyung. -umedeço os lábios envergonhado ao ver seu rosto ruborizar e vejo Lee assistir aquela cena aliviada.

-Vão ficar aí de melação, ou vão vir tomar soverte comigo? -a garota questiona, estendedo as duas mãos para que pegassemos

 

Olhamos um para o outro sorridentes antes de cada um segurar uma mão da jovem à nossa frente. Eu e Taehyung fomos atrás de lugares vagos na soverteria que estava cheia, enquanto Lee fazia nossos pedidos com a balconista. Ao fundo, perto das janelas do local, havia uma mesa para quatro vazia, justamente o que precisávamos.

Sentei na cadeira perto da janela e Tae sentou-se à minha frente. Ficamos calados, nos encarando por um bom tempo sob o barulho de risadas e murmurios de conversas nas mesas próximas, apenas esperando um bom momento para iniciar a conversa.

Observo atento o rosto dele, vendo todas as mudanças que um ano longe dele puderam fazer. Seu rosto mudou, está mais marcado, mais cheinho, porém os olhos continuam intensos. Seus braços estavam mais definidos, era visível pela malha fina da blusa com mangas compridas. A cor do cabelo estava diferente, os fios antes castanhos agora estavam loiros, o que deixava-o com ar um tanto infantil.

 

-Resolveu mudar a cor do cabelo? -pergunto o supreendendo um pouco

-Ooh... Sim. Resolvi. -confirma sorrindo de canto. -E você? Cresceu muito em um ano.

-Não sou mais o baixinho da turma. -comento soltando uma risada

 

Eu havia crescido muito. Quem me visse no ano passado, diria que eu tinha uns dez anos. Pelo menos agora eu posso dizer que tenho quinze.

 

-Sabe Jeon.... -Tae começa a falar e eu volto minha atenção à ele, que desvia o olhar envergonhado

-Não precisa me chamar assim.... -digo receoso. -Somos amigos. Me chame como sempre.

-Sério? -diz incrédulo e fingi uma tosse. -Então... Kookie...

-Sim?

-Eu...Depois desse tempo todo....Eu queria dizer...

-Dizer.... -incentivo vendo seu rosto ficar cada vez mais avermelhado. O que está acontecendo? Por que me sinto... ancioso?

-...Que eu senti sua falta. -sorri me olhando intensamente e eu sinto meu rosto esquentar. -Eu também... queria dizer que.....

 

-ME SOLTA SUA VADIA!!

 

Todos na soverteria olham para a origem do grito. Lee e uma das garçonetes estão se estapiando, enquanto seguram uma no cabelo da outra. "Você é uma safada que saí com dois!! " -foi o que a garçonete gritou com uma voz estremamente fina. Eu e Tae corremos dessesperados na direção das duas, tentando separa-las a todo custo. Adeus tarde de domingo.

 

Flash Back - off

 

Eu já estava desistindo de ficar naquela lanchonete. A tal Sook não me descia a garganta. Ela brigou com a Lee, discutiu com o Tae e ainda veio dar em cima de mim duas semanas depois. Já se passou um ano desde aquela confusão, eu não mudei muito, mas ela parece ter me esquecido. 

 

Ou simplesmente está fingindo ser boa.

 

Ela até que foi gentil enquanto conversávamos, mas um dos seus defeitos era falar demais. Se fosse possível contava desde o seu nascimento até a última vez que foi ao banheiro. Não sei como o Jimin ria com aquela bruaca! E eu acho que o Tae pensava o mesmo, já que tinha uma cara de poucos amigos.

 

-Vamos só nós dois Kookie. -Tae suplica ao segurar meu braço. -Vamos voltar logo, não aguento mais essa garota.

-Temos que ir com o Jimin. Viemos com ele, voltamos com ele. -falo em um suspiro

-Ah! -pragueja irritado e finalmente Jimin aparece mais a garota, dizendo que podemos ir.

 

....

 

-Vocês estão tão quietos hoje. -Jimin comenta do nada, quando já estávamos na rua de seu apartamento.

-É que não dormimos bem. -me explico, fingindo um bocejo

-Jimin. -Sook chama, segurando o braço do mais velho

-O que foi? -pergunta curioso e ela o olha de modo estranho, como se quisesse ver algo.

-Tem uma coisa aqui. -diz se aproximando dele, puxando um pouco a gola da camisa. 

 

Eu e Taehyung observando ela atentos, esperando que a tal coisa apareça. Sook arregala os olhos ao ver um chupão no pescoço dele. Estava num tom de roxo escuro, parecia mais um machucado do que um chupão. Viro o rosto lentamente para Taehyung, encarando-o incrédulo, vendo ele tentar segurar o riso pressionando os lábios com força. 

Então foi isso que ele quis dizer com ponto roxo? Não posso acreditar que ele teria coragem de fazer isso em outro... garoto.

 

-O que tem aí? -Jimin pergunta mordendo os lábios quando a garota toca no lugar

-Ah... Um bichinho te picou. -que bichinho em! -Não foi nada. Está doendo?

-Um pouco. -Jimin diz tocando o lugar, torcendo o nariz levemente. -Acho que já está tarde. Devia ir pra casa.

-Oh, tudo bem. -diz sorrindo sem jeito.- A gente se vê segunda.

-Então até. -Jimin se despede e ia dando as costas para ela, mas ela o puxa, beijando rapidamente sua bochecha.

 

Arregalo os olhos ao ver a cena dela sorrindo animada e ele ficar envergonhado. O que essa vaca está fazendo?

 

-Até! -ela diz acenando para mim e Taehyung, antes de sair correndo por onde viémos.

-Então.... -Jimin diz umedecendo os lábios e um sorriso constragido escapa. Ele está gostando dela? -O que acharam da Sook?

-Ela é um amooor de pessoa. -Taehyung força um sorriso e eu lhe dou uma cutuvelada

-Ela é legal Jimin. -comento sorridente, mas por dentro sinto meu sangue ferver. -E você? O que pensa dela?

-Hm.... Muitas coisas. -sorri sem jeito e indica com a cabeça que contínuemos o caminho

 

Seguimos calados o restante do caminho. Tae emburrado, Jimin envergonhado e eu irritado. Eram muirtas emoções ao mesmo tempo e eu sei que poderiam explodir de uma hora pra outra, então é bem melhor que eu me cale no momento e vá relaxar em um banho quente. 

Já havíamos chegado no apartamento dele, então Tae e Jimin foram procurar algo para fazer, enquanto eu ia esfriar a cabeça com um banho. A noite já tinha chegado e e o dia tinha sido ralativamente chato, ou seja, estava cansado demais para fazer qualquer coisa diferente de deitar na cama e dormir.

 

-Quem está aí? -pergunto ao ouvir a porta do banheiro se abrir

-Sou eu. -Tae fala em um suspiro e logo vejo seu corpo para de costas para a bancada de marmore da pia. -Está melhor?

-Sim. Deu pra relaxar. -falo sorrindo ao erguer o rosto, deixando a água quente cair livremente pelo meu rosto.

 

O silêncio predomina e o único barulho é o da água caindo no chão. Olho de lado em direção da pia, vendo que Tae ainda me observa. Tusso um pouco e ele fica tenso, respirando fundo algumas vezes.

 

-O que o Jimin está fazendo? -pergunto quebrando o clima incomodo 

-Está fazendo alguma receita da internet. -diz dando de ombros

-Sério?

-Sei lá.... Ele disse que queria inovar. 

-Aah... -falo olhando em volta, procurando onde deixei a toalha. -Tae... Tem alguma toalha aí?

-Tem. -diz depois de olha para todos os lados. -Olha só.... Pegou de algum primo seu?

-Cala a boca e me dá! -mando irritado erguendo a mão acima do box

-Eu não falei nada. -diz rindo contido e eu lhe mostro o dedo antes de pegar a toalha

 

E daí que minha toalha é do homem de ferro?? Podia ser da Barbie que eu não estava nem aí pra opinião dele!!

 

-Você devia parar de ficar olhando os outros tomarem banho. -reclamo saindo de dentro do box, com a toalha em volta da cintura. -É constrangedor.

-Pra quem? -questiona irônico e eu o olho com uma sobrancelha erguida

-Espero não ter escutado isso. -falo indo em sua direção, pedindo espaço para escovar os dentes. -E o que foi aquilo que você fez?

-Um chupão. -diz o óbvio e eu reviro os olhos, começando a escovar os dentes. -Queria um igual?

-Claaaroo. -volto a reviro os olhos ao ver seu sorriso perveso pelo espelho, enxaguando a boca cheia de creme dental.

 

Assim que volto a me ergue, seu corpo gruda no meu me supreendendo. Não evito olhar seu rosto que está apoiado no meu ombro direito, o mesmo que ainda tem a marca dos dentes do Jimin.

 

-Já pode parar a brincadeira. -falo rindo nauseado e ele sorri minimamente, mordendo o lábio com força

-Me pergunto se você é cego ou sempre fingi não entender. -murmura apertando mais minha cintura, afundando o rosto na curvatura do meu pescoço

-Não estou entendendo. -falo desesperado, tentando me livrar de seus braços, mas ele mexe seu quadril, deixando evidente sua ereção, enquanto me prende contra a bancada de mármore.

 

Eu realmente não estou entendendo? Sempre me perguntei isso. Eu não entendia ou passava o tempo todo dizendo não entender? Talvez eu não quissesse acreditar que era possível meu amigo gostar de mim. Talvez fosse medo da nossa amizade acabar... Tae me ajudou muito; desde sempre! Como eu lidaria com um sentimento que eu não correspondesse?

Tudo poderia acabar como o Kim Hyong. Uma perseguisão cheia de amargura. Eu não queria isso. Havia muitas coisas que me impediam de pensar em qualquer possibilidade de ficarmos juntos. 

 

-Tae! -falo desesperado quando sua mão desce pela minha perna, enquanto ele marca meu pescoço com gosto. -Tae! Para agora!

-Por que eu deveria? -murmura me olhando pelo reflexo do espelho. 

 

Porra Jeon... Agora ferrou! Ninguém resiste à esse olhar.

 

-Não faça isso! -digo vendo seus olhos agora negros e ele sorri perverso.

 

Não posso retribuir!! Não perca a sanidade! Não perca a sanidade!!

 

-Me obriga. -morde o lábio antes de voltar a atacar meu pescoço.

 

Não foi dessa vez.

 

Arfo em resposta, sentindo fisgadas no baixo ventre. Resumindo.... Meu pau está acordando e isso não é bom sinal. Tae começa a passar a mão sobre minha coxa por debaixo da toalha e eu não evito gemer com isso. Eu não devia estar cedendo.... Tae é praticamente um irmão pra mim, mas..... Não está dando.

 

-Jeon você... -ouço a voz de Jimin surgir junto com a porta se abrindo e eu me livro do Tae o mais rápido possível, só que dá pior maneira: Inverti as possições, ficando frente a frente com aquele idiota. -...Você... está ocupado.

 

Vejo o mais velho em pânico, sair com o rosto vermelho. Fico de boca aberta, vendo a porta se fechar e logo olho para o garoto um tanto surpreso na minha frente.

 

-Não é minha culpa ele ter aparecido! -se defende rapidamente, mas nem falar eu consigo no momento. -E por falar nisso.... Está grande.

 

Não demorou um segundo para eu perceber do que ele falava. Me afastei dele para voltar ao box e jogar uma água gelada lá embaixo, mas antes, me certifiquei de expulsá-lo do banheiro, conferindo se tranquei a porta direito.

 

.

.

.

.

.

.

.

 

-Jimin! Seu celular! -falo alto de dentro do quarto, vendo o celular dele vibrar várias vezes em cima do criado-mudo.

 

Não seguro a curiosidade, mas por medo de ser pego bisbilhotando, jogo uma camisa minha em cima do seu celular. Ando até o criado-mudo despreocupado e pego minha camisa, olhando rapidamente a tela do seu celular que recebia mensagens uma atrás da outra, aparentemente da mesma pessoa.

 

"Você ficou excitado?" -dizia uma das mensagens me deixando constrangido.

 

Assim que me afasto do celular e vou guardar minha camisa, o alaranjado entra no quarto sem falar nada, pega seu celular e saí novamente. É impressão minha, ou ele simplesmente ignorou minha existência?

Vou pra sala, encontrando Jimin jogado no sofá enquanto mexe no celular -provavelmente respondendo as mensagens- e Taehyung na outra ponta livre do sofá, assistindo Tv enquanto come alguma coisa de cor bege.

Vou até Taehyung, sentindo algo estranho, como se estivesse sendo... observado. Sento ao lado do meu amigo e olho atento o pequeno pote em sua mão com a substancia de cor bege que ele devorava com a ajuda de uma colher.

 

-O que é isso? -pergunto curioso, seguindo a colher com os olhos

-Pudim. -diz simplista e eu sinto água na boca. Por que? Porque eu amo pudim!

-Me dá um pedaço! -imploro tentando pegar o pote que Tae fez questão de afastar de mim. -Só um pouquinho Tae!!

-Têm um pra você na cozinha! -pragueja me olhando irritado. Até parece um morto de fome.

-Seu fominha. -falo com cara de nojo e me levanto, seguindo para a cozinha.

 

Olho todo o cômodo moderno, de cores neutras, a procura da geladeira com o meu pote com pudim. Acho o eletrodoméstico cinza, perto de uma bancada e ando calammente até ela. Abro a porta e olho tudo meio perdido com tanta coisa que ela têm dentro.

A mesma sensação de estar sendo observado toma conta de mim e eu não me contenho, olhando para trás. Vejo Jimin parado perto da mesa que fica no centro, me olhando sem emoção. Sinto um choque percorer minha espinha assim que ele resolve se aproximar. Me afasto um pouco da geladeira e observo ele se curva, pegando um pote de cor branca, me entregando em seguida com um sorriso de canto.

Sorrio balançando a cabeça e pego o pote de suas mãos. Ele continua me encarando e eu viro o rosto para outro lado, incomodado com seu olhar intenso.

 

-Está roxo. -diz fazendo meu coração palpitar

-O quê? -pergunto sem graça e ele dá um passo à frente, me fazendo recuar

-Está roxo. -repete sério, voltando a se aproximar.

 

Começo a andar para trás, sem tirar os olhos dele e acabo esbarrando na bancada da cozinha. Antes que eu fuja ele me prende, colocando um braço de cada lado do meu corpo. Quando finalmente tive coragem de olhar nos seus olhos, vi que estavam negros, assim como os do Tae no banheiro. Isso só pode ser o efeito colateral da minha insistencia em querer sua atenção.

 

-Não está doendo? -pergunta arqueando uma sobrancelha e eu nego

 

Tá doendo sim. Quando eu vi no espelho a cor desse negocio quase caí pra trás. Outra hora eu resolvo isso com o Tae... Agora a prioridade é saber que merda o tampinha tem a ver com isso.

 

-Seja sincero Jeon. -pede sério, mas dá pra notar a frieza das palavras. -Qual de vocês dois fez isso? -pergunta demonstrando raiva, virando um pouco o rosto, para que eu veja a marca em seu pescoço

-E-Eu não sei. -murmuro assustado

-Para de mentir! -fala entre os dentes, provavelmente para que Tae não escute. -Qual de vocês fez isso?

-Eu já disse que não sei! -murmuro sentindo o coração sair pela boca. 

-Então foi o Tae? -questiona sarcástico e eu sinto vontade de socá-lo

 

Tá bom.... Tae me disse que foi ele. Mas se o Jimin sabe que foi ele, porque insiste que fui eu? Odeio que me pressionem! Ainda mais sem motivo.

 

-Tá insinuando o que? Que fui eu? -questiono com raiva

-E você acha que seria o Tae? -sorri cínico e eu sinto o sangue ferver.

-Não fui eu seu idiota!! -elevo a voz e empurro ele, saindo rapidamente

-Volta aqui! -manda segurando meu pulso e eu o olho com fúria. Ele não sabe que está mexendo com fogo? -Você quem estava agarrando o Tae no banheiro! Quer que eu pense que foi quem?

-Aah.... -ele estava mesmo insinuando que Tae é o passivo? Só pode tá de brincadeira! Eu não pegaria meu amigo! -Você tá falando que eu peguei o Tae?

-Não foi? -diz irônico e seus olhos se desviam por alguns segundos. -Você tem razão. Você deve ser o que dá o rabo.

 

 

Fico encarando ele, até retomar toda a conversar em minha cabeça. Porra, eu estava me assumindo gay e ainda passivo!!

 

 

-Quem dá a raba é você Park Jimin! Por isso que tá desse tamanho!! -praguejo irritado e me livro do seu aperto, apressando o passo para sair da cozinha.

-Eu não estava agarrando outro no banheiro!

-E você sabe se eu estava agarrando?

-Dá onde você tirou a mancha no pescoço? Que eu saíba sua boca não vai até aí! -se aproxima e eu me encho de coragem para enfrenta-lo. 

 

 

Tá que eu vou ficar parado e deixar ele inventar essas coisas!

 

 

-Eu deixei ele me pegar mesmo e daí? -não me julguem. Quando estou irritado saí qualquer merda mesmo. -E eu fiz isso aí!

-Ah é? Fez? -me olha feio e eu sorrio cínico, dando as costas pra ele.

 

O que deu em mim? Também não sei. Eu estou queimando de raiva e de outra coisa também. Estou sentindo uma coisinha acordar e isso não é bom sinal. Jimin está me fazendo perder a cabeça.

 

 

-Aonde pensa que vai seu dramático?

 

 

Por que raios ele tinha que falar essa palavra? É a pior palavra a ser usada em uma discussão comigo. Faz eu perder completamente o juízo. E se você acha que aqui foi diferente por ser o Jimin.... Está quase enganado.

 

 

Voltei louco da vida até ele, empurrando seu corpo contra a mesma bancada onde a discussão começou, de modo que eu conseguisse prender seus pulsos nas costas. O barulho foi enorme e ele não parava de resmungar. Acho que usei força demais, porém... ninguém mandou ele me irritar. 

Observei seu corpo inteiro e molhei os lábios ao ver seu traseiro empinado na minha direção. Volto a olhar seu rosto e sorrio sem jeito ao vê-lo corado. Ele estava com vergonha no fim de tudo?

 

-Isso doí Jeon!! -resmunga tentando se soltar. -Me solta!

-Não! Você começou a me irritar primeiro. -falo calmo até demais e seu corpo fica tenso.

-Olha Jungkook.... Já tem muita coisa sua no meu corpo, não inventa de fazer mais nada! -fala amedrontado.

-Você fala como se não quisesse. -minha voz saí rouca e começo a levantar sua camisa. 

-Jeon!! Pode parar! -pede se mexendo, mas é inútil. Acho que finalmente descobrir minha força interior.

-Por que eu pararia? -questiono confuso, sem tirar os olhos da sua pele branca. -Se você está reclamando tanto de um simples chupão.... O que acha de várias manchas pelo corpo?

-Você não é louco de fazer isso Jungkook! -fala em pânico e eu me curvo sobre ele, mordendo de leve sua pele. 

 

Seu corpo começa a esquentar e sua respiração se altera. Ele pode se fazer de difícil até o último minuto, mas sei bem que quer isso tanto quanto eu quero.

Volto a morde-lo com um pouco mais de força, começando a marcar sua pele. Sinto meu coração acelerar a cada beijo e começo a apertar sua cintura com a mão livre. Pouco a pouco ele vai cedendo, me permitindo soltar seus pulsos. Subo uma das mãos até seu mamilo esquerdo e começo a massageá-lo, arrancando gemidos do mais velho.

 

-Jeon.... -me chama e eu subo os beijos, passando por cima da sua camisa, parando então na sua bochecha.

-O que foi? -sussurro sobre sua bochecha e logo começo marca-la, praticamente impedindo que ele fale algo coerente.

-O que você está fazendo comigo?

 

Que tipo de pergunta era aquela? Ele sabia o que eu estava fazendo com ele. Ele queria saber o porque de estar aceitando? 

EU queria saber o porque de estar fazendo ele aceitar. Se entregar assim tão fácil tem algum motivo. Eu poderia estar em coma no chão, depois de levar um soco dele, pois convenhamos, Jimin é bem mais forte e em vez de me bater, deixou o caminho livre para eu fazer o que quisesse com seu corpo.

 

 

O que você PARK JIMIN está fazendo comigo?

 

 

Em um momento inesperado ele se ergue minimamente e sela nossos lábios. Meu coração se encheu de desejo e alegria e eu não pude mais me conter. Tinha que tocar no máximo de Park Jimin, antes que ele mudasse de ideia e me jogasse pela janela. 

Desci uma das mãos por suas curvas e apertei de leve sua bunda. Quando recebi um rebolar do mais velho tive certeza que ele queria mais e eu como uma boa pessoa, não podia negar que daria bem mais pra ele. Minha mão esquerda foi parar dentro da sua bermuda, apertando sua bunda com força, deixando marcas vermelhas no local. Eu respirava tão fundo que sentia meu pulmão quase explodir por conta da euforia. Jimin estava gemendo controlado, mas não deixava de rebolar um segundo. 

Sua mão direita segurou a minha, que lentamente me guiava pelo seu corpo, descendo lentamente pelo seu abdômen. Quando chegou no cós da bermuda ele pareceu acordar e me empurrou pra longe.

Ficamos nos encarando confusos e assustados por alguns segundos, até eu sair as presas dali. Passei atônito pela sala e vi que Taehyung dormia profundamente. Um problema a menos, pois não teria que explicar nada pra ele. Quando eu estava a caminho do banheiro no fim do corredor, ouvi Jimin se aproximar e logo entrar no seu quarto, fechando a porta bruscamente. Respirei fundo e fui atrás dele com cautela, adentrando o quarto, vi a porta do banheiro encostada. Andei na ponta dos pés até lá, olhando pela fresta o seu reflexo no espelho. Ele começou a tirar a camisa e se olhava desesperado as manchas na suas costas. 

Pensei que ele surtaria e tentaria de algum modo tirar as marcas vermelhas do corpo, porém ele se virou e começou a se masturbar, enquanto pressiona com uma das mãos a marca dos meus dentes no seu ombro esquerdo, gemendo meu nome baixinho. Instantaneamente minha mão foi descendo até entrar pela calça de moletom, o que resultou no nome do Jimin sendo pronunciado da forma mais indecente possível.

Pelo jeito a noite iria render belos gemidos, mas eu não dormiria naquele quarto. Iria para sala fazer companhia ao meu amigo. Se eu dormisse ali, aconteceria bem mais que simples beijos pelo corpo do alaranjado.


Notas Finais


No final eu me compliquei tanto, mas aí está!!! Desculpe se não saiu bom.... É tão vergonhoso escrever algo *simples" assim.

Tae ficou meio irritado com o Kookie, mas nada melhor que uma reconciliação entre eles ^^

Demorei demais porque o site não estava entrando pra mim T.T aí eu dormir e nem verifiquei se voltou a pegar.

Espero não ter matado nenhum anjo, espero que sorrisos estejam no rosto de vocês!! :D

Bjs e até o próximo!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...