História Não há sentido sem você - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Barry Burton, Chris Redfield, Claire Redfield, Jill Valentine, Leon Scott Kennedy, Personagens Originais, Rebecca Chambers
Tags Chris Redfield, Jill Valentine, Resident Evil, Valenfield
Exibições 17
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei para postar, mas está aqui o terceiro capitulo e como prometido, cheios de emoções e revelações.

Capítulo 3 - Armadilha?


Jill havia tomado banho e colocado o pijama que Anne lhe emprestou e seguiu para o quarto, Anne tinha arrumado o sofá para que ficasse como uma cama e colocado travesseiros, lençóis e um coberta fina. A loira estava sentada na cama de solteiro.

            “Nossa! Não precisava ter se incomodado, muito obrigada! ” – Jill a agradeceu.

            “Isso não é nada comparado ao que você fez mais cedo, atirando naqueles caras...” – Anne pausa tomando coragem para tocar num assunto que a incomodava. “Me desculpe sobre o que aconteceu naquela época, eu ter acusado você de forma tão desonesta. ”

            “Isso foi há muito tempo, vamos deixar isso para trás. “ – Jill fala abrindo um leve sorriso.

            “Obrigada! ”

            Jill deitou-se no sofá-cama e virou de lado pensando que talvez não seria tão ruim ser parceira de Anne, a garota realmente aparentava ser uma pessoa legal e o que aconteceu antes não tinha mais diferença agora, exceto pela curiosidade sobre o relacionamento dela com o Chris, ambos inegavelmente são próximos, mas quanto? Jill caiu no sono depois de criar várias hipóteses na sua cabeça.

 

No dia seguinte

 

            Jill estava acordada pensando em tudo que faria hoje e resolveu levantar de vez, apesar de estar com muito sono ainda a moça se dirige para a pequena cozinha que havia no apartamento, era toda branca e tinha um simples fogão, uma geladeira pequena e uma mesa de jantar, onde comeram pizza ontem à noite.

            “Parece que alguém está ansiosa para o dia de hoje”.

            Ela se virou sorrindo, era Chris. Ele devia ter acordado primeiro, estava com uma calça jeans e camiseta preta e ninguém poderia dormir com algo tão desconfortável, Jill também notou que ele havia acabado de chegar de algum lugar.

            “Chris, onde você foi? ”

            “Fui buscar alguma coisa pra gente comer... e isto”. – Chris levantou a mala de Jill.

            “Obrigada. ” – Ela sorriu indo direção a ele para apanhar a mala.

            Quando se aproximou dele ficaram se encarando como se quisessem perguntar algo um para o outro, até que um deles se manifesta.

            “Chris... tem certeza de que precisa ir comigo? Sabe...”

            “Jill não! Não quero voltar nesse assunto e nós já decidimos que eu vou.” – Chris interrompe em tom sério.

            “Mas e a sua namorada? Não é perigoso ela ficar aqui? ”

            “Namorada? ” – Chris questiona arqueando as sobrancelhas.

            Jill se dá conta do que havia falado e fica visivelmente constrangida, mas tenta disfarçar.

            “A Anne não é sua namorada? ”

            “Não, nossa! De onde tirou isso? ” – Ele diz dando um leve sorriso.

            “Talvez... porque vocês morem juntos? E também parecem bastante íntimos. ” – Ela explica deixando transparecer sua irritação.

            “Você está brava? Eu ia te explicar ontem quando você chegou aqui o motivo de estar morando aqui com ela, mas você cortou o assunto. ” – Ele pausa percebendo que ela aparentava estar ainda mais irritada, mas continua “ Achei que não quisesse saber. ”

            “Por que eu estaria brava? E realmente pra mim tanto faz o motivo pelo qual você esteja morando com ela, só supus o que qualquer um poderia supor ” – Jill estava realmente brava.

            “Não sei, mas você não me parece estar calma também”. – Chris observa.

            “Por sua culpa” – Ela acusa.

            “O que eu fiz? ”

            “Simplesmente não me avisou que a Anne estaria aqui e que haviam se tornado tão amiguinhos” – a morena ironiza.

            Jill, que agora segurava a mala em suas mãos, se afasta de Chris bruscamente e este a segue.

            “A gente já conversamos sobre isso e sinceramente achei que estavam se dando melhor... no jantar não paravam de rir de mim e lembrar da época que trabalhávamos no departamento policial. ” – Ele se aproxima dela segurando seu braço para Jill parar e prestar atenção no que iria explicar “ Não faz muito tempo que estou aqui, estava sempre pagando hotéis para continuar a investigação, até que Anne ofereceu esse lugar por um tempo, nos aproximamos por causa disso e como ela fazia parte da organização achei que seria uma boa”.

            “Tudo bem Chris, tem mais algo pra explicar? Preciso trocar de roupa. ”

            “Era apenas isso mesmo. ” – Ele solta o braço de Jill, esta continuava o encarando.

            Depois da quase briga deles, Jill vai para banheiro e coloca uma calça jeans, uma baby look branca, um colete a prova de balas por cima e botas, tudo isso estava em sua mala, aproveita que estava no banheiro e faz a sua higiene pessoal.

            Quando saiu do banheiro ouvia Anne e Chris conversando na cozinha e começou a refletir sobre a pequena discussão que teve com Chris *Por que eu fiz isso? Agora provavelmente, ele deve achar que estou com ciúmes. Parabéns Jill! *

            “Jill vem tomar café, o Chris trouxe alguns croissants e torradas. ” – Anne gritava da cozinha.

            Jill foi até a cozinha sorriu para os dois que estavam sentados e pegou uma xícara de café e duas torradas, logo, sentou-se perto deles.

            “Quando vocês forem sair quero que me enviem mensagens, se não ficarei em prantos aqui. ” – Anne pede enquanto coloca mais café em sua xícara.

            “Entendido! Só espero que todo café que temos dure até eu e Jill voltar. ” – Chris brinca com o fato de Anne estar tomando café na tentativa de manter-se menos preocupada.

            A loira sorri e Jill também, apesar de tudo Chris tentava manter um clima agradável, desde que o conheceu sempre tem sido assim, após qualquer discussão ou momento de tensão ele gostava de aliviar seus companheiros, com piadinhas ou palavras de conforto.

            Após terminarem o café, os dois se preparam para sair, se equipam algumas armas e Jill coloca um agasalho azul escuro com zíper por cima da baby look branca e o colete. Chris estava com a mesma roupa, porém trocou seu tênis por botas de couro e também se agasalhou. Assim, ambos se despediram de Anne que os desejou boa sorte.

 

 

            Chris dirigia o carro e Jill se atentava as ruas para lembrar com clareza onde era o tal esconderijo, a moça já planejava uma rota de fuga em sua cabeça e gravar o local seria de grande ajuda, caso ambos precisassem fugir.

            “Fazia tempo que não tínhamos uma missão juntos né? ” – Chris puxa assunto.

            “Isso não é bem uma missão, mas estou feliz de tê-lo como parceiro de novo. ” Ela abre um sorriso percebendo que ele fazia o mesmo “Apesar de você as vezes ser um chato. ” Continua.

            Chris começa a rir.

            “Até parece que eu sou o chato aqui, logo de manhã, após um grande tempo sem me ver já veio com todo aquele mau-humor pra cima de mim. ”

            “Que dó dele, confesse que estava morrendo de saudades do meu mau-humor matinal. ” – Jill diz dando uma piscadinha para Chris, que olhava de banda.

            “Não apenas disso, estava com saudades de você por inteira, inclusive se Anne não estivesse no apartamento...” – ele pausa propositalmente.

            “Que abusado! Não aconteceria nada senhor Redfield. ”

            Os dois riem, era ótimo para os dois estarem de novo um perto do outro e por mais que discutissem, nunca passavam mais do que poucos minutos sem se falarem. Chris para o carro próximo do local, mas mantém escondido o automóvel, não daria para aparecer com mesmo carro no mesmo lugar sem querer chamar a atenção.

            “Prepara parceira? ” – Ele pergunta tomando sua atenção para Jill.

            “Sempre estou. ” – Jill responde demonstrando toda sua confiança em si.

            Os dois descem do veículo e depois de uma caminhada de 10 minutos, estavam no prédio abandonado que era utilizado pela organização como ponto de encontro e reuniões e também o local onde Henry havia morrido e os outros dois haviam desaparecido.

            Ambos decidiram ir juntos até o local da morte de Henry Bradley e depois se separariam para investigar todos os lugares que passaram despercebidos da última vez, por conta da troca de tiros. Quando chegaram ficaram surpresos, o corpo de Bradley não estava mais lá, porém havia um envelope.

            “E aí? A gente abre isso? ” – Jill pergunta.

            “Sim... deixe que eu abro, pode ser alguma instrução de onde Phellipe e Pierre estão e alguma condição para libertá-los. ” – Chris supõe.

            Chris pega o envelope tinha muitas chances de aquilo ser uma armadilha, mas não podia ignorar precisava ver o que era. O rapaz abre e quando termina de ler, mostra uma face completamente desesperada, o que deixa Jill preocupada.

            “O que está escrito aí? ” – Jill pergunta assustada.

            “Temos que voltar para o apartamento, Anne corre perigo.”

 


Notas Finais


Dei apenas uma única revisão, provavelmente deve ter alguns erros gramaticais, mas não queria esperar ainda mais tempo para postar esse capítulo hahaha
Obrigada a todos que estão acompanhando minha primeira fanfic de resident evil e pelo incentivo nos comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...