História Não me catives - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~LoveMatters

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bromance Vmin, Menção Namjin, Menção Taegi, Menção Yoonseokmin, Taekook
Visualizações 147
Palavras 1.672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas voltei!?
Não totalmente
Ocupações me chamam
Em resumo é falta de imaginação
Então! Vamos ao capítulo!

Capítulo sem revisão

Capítulo 2 - Aquele Garoto


Fanfic / Fanfiction Não me catives - Capítulo 2 - Aquele Garoto

"Aquele garoto"ㅡCapítulo 1

"O acidente de ontem envolvendo um jovem rapaz ainda está sendo investigado, há indícios de que o motorista do carro havia bebido durante boa parte da noite. A polícia investiga o local do aciden…"

O total atrevimento de Park Jimin excedia os limites, até quando aquilo iria durar. Pela manhã tenho o costume de assistir o noticiário, ainda mais quando o caso a ser descrevido é o caso de um dos meus pacientes. Jimin desligou a televisão, no intuito de chamar-me a atenção, ele simplesmente poderia ter falado comigo antes mas tudo bem.

ㅡBom dia Taehyung... Já disse que assistir televisão pela manhã não é saudável. Qual o estado do garoto? Não se falava em outra coisa no hospital...

ㅡEle está 'bem', tirando o fato de que ele tem leucemia... Ele já tinha desmaiado no meio da rua, depois sofreu o acidente de carro... Seu corpo tinha hematomas, mas não dava para ter certeza se foram causados pelo acidente... Retiro o que disse, seu estado é preocupante. ㅡ me levantei do sofá onde me encontrava, indo ao quarto, para assim terminar de me arrumar para o trabalho.

ㅡO que vai fazer em relação ao garoto?

ㅡCuidar dele! Não é meio óbvia a situação!? ㅡRespondi seu questionário sem sentido, afinal o caso do menino tinha sido designado a minha pessoa e eu como um bom médico cuidaria.

ㅡNossa, sua grosseria chega à ser como uma facada em meu peito todas as manhãs! ㅡSempre com seu drama, a vida na minha ㅡJá que o mesmo morava comigo, pelo simples motivo de que não queria gastar comprando um carroㅡ vida rotineira já estava começando a ficar um tédio, se bem que as vezes eram bem engraçados. ㅡVamos nos atrasar! Se apressa...

ㅡNão perturba! ㅡFalei batendo a porta ㅡQue não tinha culpa ㅡ com força, já totalmente irritado.

E, silenciosamente, já me preparava para conseguir me erguer durante um dia todo naquele hospital, que continha uma áurea tão deprimente quanto o estado de alguns dos vários pacientes que estavam internados. Não era fácil, requer muita atenção e sensibilidade para conseguir lidar com todos os casos que nós médicos recebemos durante um dia todo, no entanto, a dureza, também é muito eficaz no aspecto de te manter firme, sem derramar uma lágrima ou ficar sentido com alguma morte ou pedidos incessantes de socorro de alguns pacientes. E rodando isso tudo e mais várias outras coisas, me preparar antes de entrar por aquelas portas, vestido em meu jaleco branco com o "doutor" fixo ao lado direito de minha roupa, é e sempre será uma coisa rotineira. Uma coisa que eu fazia sozinho, pensando e pondo todos os pontos sensíveis de mim em seus devidos lugares, ou em algum local que não consiga me afetar durante esses dias, que estavam tão nublados e mortos ao meu ver.

Suspirando fundo entrei em meu carro, sentando no banco confortável e macio. Park Jimin me olhava confiante, passando toda a segurança que eu sempre propus a mim. Dei um sorriso mínimo, em uma forma muda de expressar minha total gratidão.

ㅡ Tudo vai dar certo, eu tenho certeza. ㅡ Jimin, com o seu costumeiro sorriso, lançou-me, tocando meu ombro amigavelmente. Assenti, ligando o carro e partindo em direção ao hospital.

ㅡ Quero muito que este paciente consiga se recuperar. ㅡ Falei calmo, atento a estrada em minha frente. ㅡ Mesmo suas chances sendo mínimas pela leucemia em estágio final, eu realmente quero. ㅡ Não sabia explicar o porque, mas algo dentro de mim gritava para eu dar tudo que eu conseguisse a este caso, mesmo que esse trabalho no final acabe sendo apenas "mais um caso finalizado pelo Dr. Kim". Essa frase soa para mim em total ignorância, e eu a odeio, mesmo sendo a verdade. Porque no final, a morte, acabava apenas sendo a causa da finalização do caso pego por mim, e eu odeio isso. Odeio ter que ver os meus pacientes mortos, já que, como Park sempre me falou, tudo seria simples se a minha disponibilidade fosse mais alta que o valor que seria depositado em minha conta bancária no final de cada mês. E ajudar, passou a ser mais que apenas uma profissão.

(...)

E como todas as manhãs que chegava naquele hospital, a gritaria, as vozes urgentes clamando por ajuda e algumas pedindo para salvar algum ente querido, pai, mãe, irmão e com lágrimas nos olhos aquelas pessoas olhavam para nós médicos pedindo uma salvação que nem sempre éramos capazes de dar.

Me despedi de Jimin que logo seguiu seu caminho, afinal eu não estava tratando de uma criança para pedir ajuda à um pediatra. Segui direto até minha sala, deixando minha maleta sobre a mesa e logo jogando sobre meus ombros aquele jaleco que uso a tanto tempo.

ㅡComo ele está essa manhã? ㅡFalei assim que sai de minha sala encontrando um de meus estagiários parado a frente da mesma.

ㅡBom dia dr.Kim, ele se estabilizou durante a madrugada, acorreram algumas convulsões e hemorragias nasais, essas que logo foram controladas. ㅡHoseok falou olhando a ficha em suas mãos.

Eu iria falar algo naquele momento,  porém um chamado de emergência me impediu, eu sabia bem de que quarto vinha e sem muita demora apressei o passo indo até o quarto daquele garoto quando avistei algumas enfermeiras que estavam tentando segurar os movimentos bruscos que Jungkook dava pela convulsão. Todos ali tinham que ter cuidado para não se machucarem mas acima de tudo não podiam permitir que Jungkook se auto machucasse.

— Saiam todos de perto! HoSeok venha aqui! — Pedi e assim foi feito, HoSeok não perdeu tempo e segurou o mais novo enquanto eu aplicava um remédio em seu braço.

Aquila pouca dose por hora pararia com a convulsão e deixaria Jungkook inconsciente, aos poucos a dosagem foi fazendo efeito deixando o mais novo totalmente desacordado, observei com o canto do olho HoSeok soltando o mais novo e respirando fundo.

— HoSeok quero pedir alguns exames para Jungkook. — Falei olhando a feição angelical do menino deitado naquele leito, era incrível a maneira que o pequeno me cativava — Quero pedir um Eletro* e um exame de sangue.

O mesmo confirmou e saiu da sala com as enfermeiras que estavam ali deixando apenas Jungkook e eu, respirei fundo diversas vezes, estava difícil ver aquele que eu tanto queria salvar pálido e muito magro, seria pedir muito ou querer muito que ele não sofresse tanto? Mas daqui para frente às coisas só tendem a piorar, as convulsões seriam mais constantes e a quimioterapia seria violenta, não sei se sentia pena por ele por causa de medicamentos tão fortes, mas era umas das únicas e mínimas chances de vencer um câncer tão agressivo e avançado.

— Eu não vou desistir Jungkook — Sorriu sem emoção, eu não podia fraquejar, não naquele momento. — Continue comigo sim? Nós iremos vencer essa batalha, você irá viver — Falei passando a mão direita nos cabelo do menor.

Respirei fundo antes de sair do quarto, Jungkook tinha que ficar em observação mais do que nunca agora, quando sai do quarto logo avistei uma enfermeira entrar no mesmo, com certeza ela iria verificar se estava tudo em seu devido lugar para levá-lo ao exame, o mesmo não era tão demorado era questão de duas horas para finalizarem e depois era apenas esperar o resultado ficar pronto.

Nesse meio tempo fui até minha sala logo encontrando JiminㅡO que eu já devia estar acostumado, mas mesmo assim ainda acho que ele irá se mudar para a minha sala a qualquer momentoㅡ em minha cadeira o tampinha estava com um jaleco bem colorido provavelmente era trabalho das crianças, o trabalho de Jimin realmente combinava muito com ele.

— O que aconteceu para você está com essa cara? — perguntou com o mesmo sorriso animado de sempre, o que me fez rir  pouco.

— Jungkook teve outra convulsão! — Afirmei suspirando,  afinal acalmar um corpo convulsionando é cansativo, ainda mais quando é um corpo tão jovem.

A porcentagem de vida quando se descobre que tem leucemia é de 83% isso se for descoberta precocemente, É uma doença que chega sem aviso algum e pode matar em dias ou em semanas. No caso de Jungkook, eu não sabia exatamente quanto tempo o mesmo tinha seu caso era complicado resultando em mínimas chances de vida.

Jimin ficou um tempo comigo, tentando distrair um pouco, até que teve a breve ideia de me levar para almoçar, não demoramos muito e logo já estávamos de volta em minha sala e sem muita demora vesti meu jaleco e o arrumando junto do meu matéria,  teria de sair mais cedo.

— Vou ter que ir agora Jiminnie, obrigado por me distrair durante esse tempo. — Falai ao mais velho lhe reverenciando de leve e lhé dando um selar em sua testa, um costume nosso.

— Não se sobrecarregue tanto, eu vejo o quanto está tentando Tae! — falou e devolveu o selar em minha testa, aquele breve gesto me fez sorrir, por um breve momento Jimin me fez esquecer as preocupações — Vou indo também tenho uma consulta agora. — Sorriu se distanciando. Jimin sabia o quanto eu era esforçados e sempre queria a recuperação de meus pacientes, mas ele sabia também que as vezes o esforço meu esforço nem sempre funcionava, o que me fazia ficar remoendo tudo que poderia ter feito para salvar tal paciente mesmo que não tivesse mais jeito.

Andando pelos corredores de volta ao quarto de Jungkook, eu repetia algumas palavras de encorajamento para mim mesmo.

— Eu não vou deixar acabar desse jeito... — Falei por fim decidido a ir até o fim. Bati de leve na porta não tendo resposta com certeza o Jeon ainda está a dormindo.

Cheguei mais perto vendo o rosto pálido de meu jovem paciente, que ainda continuava muito bonito, observei o pequeno monitor que mostrava a frequência cardíaca de Jungkook, felizmente estava tudo bem, por hora. Eu sabia que aquilo era uma verdadeira corrida contra o tempo e no momento eu estava um passo atrás mas eu não iria me entregar não tão fácil, afinal eu sou Kim TaeHyung, aquele que nunca desiste.

ㅡQuem....é....Você? 


Notas Finais


*Eletrocardiograma - é um exame que permite a avaliação elétrica da atividade cardíaca.

Então? Gostando da história? Preparados talvez para o próximo capítulo que não sei quando vou começar a escrever por que eu tô com um lindo bloqueio! Amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...