História Não Me Culpe! - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Got7, Jackbam, Markjin, Markson, Pepigyeom, Yaoi, Yugbam
Exibições 263
Palavras 2.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse é um capítulo especial mostrando o que de fato aconteceu antes do tão famoso nudes mandado pro número errado.
Espero que gostem, beijos e amo vocês!

Capítulo 14 - A culpa é do ice americano (Capítulo Especial)


“O que acha de ice americano?” Jaebum passava as folhas do cardápio pela quinta vez fazendo com o que o garçom em seus 19 anos rolasse os olhos ao batucar a caneta no bloco de notas em brancos. “Eu realmente não consigo decidir. O que acha desse?” Apontou para uma opção aleatória na página 3.

O garçom jogou o bloco de notas e sua caneta em cima da mesa marrom e lançou um olhar cortante para Jaebum contando mentalmente até dez. “Escuta aqui, Jaebum-ah, eu não faço ideia de qual seja o melhor café para você, e sinceramente eu não me importo. Só escolhe logo qualquer um e me deixa trazer ele pra que você possa sumir logo daqui!” Voltou ao normal olhando como um empregado olha para um cliente.

“Aigoo, Minhyuk, porque está assim todo revoltado?” Jaebum sorriu “Tratar assim seu amigo que está morrendo não é legal, ainda mais quando esse mesmo amigo vem até onde você trabalha em um dia raríssimo que o hospital o deixou passear só pra te ver”

“Jaebum-ah” Minhyuk descansou sua mão na mesa enquanto a outra ainda segurava os dois objetos. “Eu não me importo se você está doente ou não, só quero que você faça o maldito pedido logo!”

“Nem parece que da última vez me levou nos braços para o hospital há 20 minutos de distância depois que eu desmaiei aqui” O moreno sorriu torto.

“Eu só fiz o que qualquer um faria e… aish, Jaebum, faz logo a porra do pedido!” Minhyuk implorava com o olhar e Jaebum mais uma vez sorriu.

“Um ice americano com calda. Por favor!” Pediu vendo o amigo se afastar rapidamente depois de finalmente anotar algo no seu bloco de notas.

Aquele era um dia raro, Jaebum notou ao ver pela janela de vidro do Coffee&Greet, o sol estava em seu ponto alto iluminando todo o país ao meio dia junto com um vento caloroso que passava pela porta aberta do local. O som de pássaros cantando podia ser ouvido mesmo com a melodia baixa de um famoso grupo tocando nas caixas de som espalhadas pelo café e um sorriso foi colocado nos lábios sem cor do moreno.

Ele gostava de ir ali nos dias em que era liberado pelo hospital, normalmente de meses em meses, e nunca se arrependia de escolher pagar uma quantia boa de dinheiro para o taxista o levar até o estabelecimento. Na verdade, fazia até parte de uma rotina pegar o táxi do mesmo motorista que já o conhecia e que sempre contava ótimas histórias no trajeto, e então chegar ali para ter longas discussões falsas com Minhyuk, depois tomar um café qualquer e voltar para o hospital.

Se perguntassem para Jaebum o que aquele lugar tinha de especial ele teria a resposta na ponta da língua, nada, exatamente nada de especial aquele lugar tinha. Era apenas um café nas proximidades da cidade que era frequentado por várias pessoas de Seul, era famoso e muito bonito. Mas isso não o fácil especial, na verdade só o deixava igual aos outros.

E era isso que Jaebum gostava.

Estar num lugar que todos gostam, se infiltrar no meio daquelas pessoas com vidas normais e entediantes.

Jaebum queria ser como elas.

Um som alto de risadas tirou Jaebum de seus pensamentos o levando para a porta do local onde três garotos entravam sorrindo como se o melhor comediante do mundo estivesse entre eles. Os garotos pareciam universitários e suas roupas estavam mais para o inverno do que para o calor insuportável do verão que estavam tendo, e isso fez a testa de Jaebum franzi ao ver os garotos passando pela sua mesa. Os três se sentaram à algumas mesas de distância de Jaebum, permitindo que o moreno tivesse uma visão completa de suas felicidades radiantes.

Um deles, loiro e mais magro do grupo, depositou sua mão na coxa do mais alto por debaixo da mesa, esse por sua vez apenas o olhou sorrindo e voltou sua atenção para o de cabelos vermelhos a sua frente que fingia não notar a tensão entre os dois amigos. O falso ruivo sorriu de algo que o mais alto disse e naquele momento a atenção de Jaebum se prendeu naquele sorriso.

Não tinha prestado muita atenção naquele já que o mesmo estava atrás dos outros ao entrar no lugar, mas isso não o impediu de observá-lo de longe pelos cinco minutos que se seguiram até seu ice americano chegar.

“Como você está?” A voz de Minhyuk chegou até seus ouvidos o forçando a tirar sua atenção do grupo passando seu olhar para o amigo que sentava na cadeira em frente a sua.

“Estou morrendo, mas isso você já sabe.” Tomou um gole de seu café dando uma rápida olhada para o grupo de amigos que agora faziam seus pedidos a um outro garçom.

“Se fazer de forte não vai mudar nada, Jaebum” Minhyuk cruzou os braços.

“Ser fraco muito menos” Jaebum tomou outro gole. “Mas tenho uma novidade!” Sorriu animado e o amigo fez um sinal mudo para que o mais velho continuasse. “Jackson foi promovido no hospital e agora ele tem acesso ao laboratório, com a inteligência dele e a loucura, ele vai fazer um remédio revolucionário” Levantou seu copo de café com um pouco de dificuldade e Minhyuk se segurou para não o dar uma bronca.

“Eu realmente espero que isso aconteça” Minhyuk finalizou sentindo que a parte mais delicada da conversa estava chegando junto ao silêncio prolongado que a mesa foi tomada.

“Ele continua do mesmo jeito” Jaebum disse e o amigo confirmou com a cabeça. “Ele sente sua falta, mesmo que nunca de fato diga isso em voz alta.” Continuou e o amigo abaixou a cabeça. “Ele finalmente voltou a usar o aparelho auditivo e agora anda até sorrindo de algumas bobeiras que eu ou o Jackson fazemos para ele. Mas você deixou um buraco muito grande no peito dele”  

“Eu sei” Foi a resposta curta do garçom que brincava com um palito de dente pego do centro da mesa. “Mas você sabe que eu não poderia continuar ali” Minhyuk mexeu em seus cabelos verdes. Jaebum passou o olhar na mesa dos três amigos e encontrou o olhar do ruivo na direção em que estava, então o moreno desviou o olhar.

“Fingir ser hétero para sua família nunca irá te fazer feliz” Ditou e sentiu que havia ditado um bordão pela quantidade de vezes em que havia dito aquilo para seu amigo.

“Eu sei” O garoto se levantou com a intenção de voltar ao trabalho, mas foi parado pelo chamado baixo de Jaebum. “O que foi?”

“Você conhece aqueles três? Por que o ruivo está praticamente te engolindo?” Jaebum perguntou apontando para os citados com a cabeça.

“Ah, aqueles são uns caras que passaram a vir aqui há alguns dias. Aquele dois-” Minhyuk apontou para o loiro e o mais alto do grupo. “Tem um tipo de relacionamento estranho, já até os peguei no flagra no banheiro daqui.” Sorriu travesso e Jaebum se perguntou o que exatamente Minhyuk tinha visto. “O ruivo é o único que sei o nome, Youngjae, ele vem aqui porque está afim de mim e eu até já andei conversando com ele, mas bom. Eu sou hétero” Sorriu mais uma vez. “Por que o interesse?”

“Por nada” Jaebum continuou a olhar os três, focando-se no ruivo, agora nomeado Youngjae, que olhava para seu amigo de forma que nem notava os olhares em si.

E então pareceu que finalmente o Coffee&Greet havia ganhado um motivo especial para receber a visita de Jaebum.

OoO

“O que está fazendo aqui em menos de uma semana da sua última visita?” Minhyuk jogou seu bloco de notas em frente a Jaebum que prestava atenção na mesma mesa da visita anterior.

“Vim tomar um ice americano com caldas. Acredita que aquilo me viciou?” Jaebum o jogou um olhar cínico.

“Claro, você provavelmente fugiu do hospital para vir tomar um ice americano com caldas!” Minhyuk o olhou de forma séria. “O que você está fazendo aqui, Jaebum-ah? Jaebum-ah? Jaebum para onde você está olhando?” Minhyuk tirou seu foco do amigo e seguiu seu olhar encontrando os três amigos de sempre sorrindo entre si, prestando um pouco mais de atenção, pode notar o olhar do amigo focando apenas num ruivo comendo um pedaço de bolo com cobertura de chocolate. “Eu não acredito!” Minhyuk soltou seus braços ao lado de seu corpo e foi pegar o ice americano com calda.

Jaebum sorriu no momento em que Youngjae foi colocar um pedaço do bolo em sua boca, mas um dos dois amigos falou algo engraçado e o ruivo deixou o pedaço cair em sua blusa branca a manchando imediatamente.

OoO

Jaebum estava novamente ali, quinta vez em somente um mês. Todas fugidas com a ajuda de Jinyoung que sempre levava uma bronca imensa dos médicos ao notarem a falta de Jaebum, mas nenhum dos dois se importavam.

Jinyoung porque dizia ser parte importante daquele romance impossível, e que um dia iria escrever seu livro com o final da história em que seu amigo doente se apaixonava numa cafeteria por um cara de cabelos vermelhos chamado Youngjae. E Jaebum por amar passar uns 20 minutos observando o garoto comer, conversar com os amigos e praticamente comer Minhyuk com os olhos.

O que estranhamente não o incomodava, porque segundo sua mente, o que sentia pelo garoto era apenas uma fixação pela vida normal que o mesmo vivia. Enquanto seu coração dizia palavras totalmente opostas, mas essas Jaebum ignorava no momento em que via madeixas vermelhas entrarem no Coffee&Greet.  

OoO

Jaebum havia levado uma caneta consigo naquela segunda feira, porque segundo Jinyoung, o moreno estava indo pela décima vez e as pessoas iriam começar a achar que ele era um stalker maluco então uma caneta serviria para disfarçar.

Mesmo sem entender a lógica do amigo, Jaebum aceitou a caneta e a levou até o Coffee&Greet, mas só quando se sentou na cadeira de sempre que foi se perguntar o que faria com uma caneta sem papel e mesmo se tivesse, o que iria escrever? Afinal quem era o maníaco por livros e era escritor profissional era Jinyoung e não ele.

Mas assim que Youngjae e seus amigos entraram no local uma ideia surgiu na mente travessa de Jaebum que esticou sua mão até alcançar um guardanapo e enquanto olhava para Youngjae começou a escrever uma lista de coisas apaixonantes no ruivo.

Um sorriso estava estampado no rosto de Jaebum, e Minhyuk de longe sorriu junto mesmo estando preocupado com as constantes saídas de Jaebum do hospital.

OoO

A conclusão de Jaebum naquele era simples e clara.

Estava apaixonado por um ruivo que só sabia o primeiro nome.

E infelizmente, ou felizmente, o ruivo o olhou por três segundos naquele dia antes de desviar a atenção para seu amigo mais alto.

OoO

O verão estava indo embora e naquele dia em que fazia dois meses das constantes visitas de Jaebum ao Coffee&Greet para apenas observar de longe Youngjae, a primeira chuva do inverno começava a cair fora do estabelecimento fazendo finalmente as roupas dos três amigos fazerem sentido.

Se eles tivessem ido naquele dia.

Por que depois de um tempo Jaebum aprendeu os dias exatos com as horas certas em que os amigos iam até o café, mas naquela sexta-feira às 14hrs, os garotos felizes não foram ao compromisso que nem mesmo sabiam ter com Jaebum.

Então o moreno percebeu que a falta de pelo menos ver Youngjae sorrindo era maior do que imaginava.

OoO

Segunda-feira, duas semanas depois, Jaebum estava lá novamente depois de desistir e tentar ao máximo esquecer aquele garoto sorridente com qual nunca tinha trocado nem sequer um oi.

E naquele finalzinho de tarde embalado pela primeira neve da estação, Youngjae estava sentado na mesma mesa de sempre só que dessa vez sem a companhia de Mark e Yugyeom, os amigos que tinha aprendido o nome ao ouvir “sem querer” a conversa dos três.

Youngjae bebia um café, ice americano sem calda, para ser mais exato. Enquanto mexia no celular e vez ou outra olhava para a neve que caía do lado de fora da janela de vidro.

Jaebum então sentiu que aquele seria o momento certo para falar com o garoto, e sorrindo se levantou pronto para ir até lá. Mas uma dor fina nas suas costas o lembrou que o tempo não era seu amigo e que aquilo não iria ser bom para nenhum dos dois.

Voltou a se sentar e recebeu seu ice americano com calda.

OoO

Jaebum se sentou na cadeira puxando o ar de forma bruta para seus pulmões, depois esticando a perna direita que latejava como se tivesse sido esmagada. Deixou seu celular sob a mesa com certa dificuldade já que suas mãos estavam especialmente inchadas naquele dia. Aproveitou que sua mão direita estava próxima aos guardanapos e pegou três ou quatro deles os levando até seu nariz onde os passou ali para limpar o sangramento nasal que teve no caminho até ali.

Minhyuk se aproximou já trazendo o ice americano em suas mãos junto com uma torta de maçã, colocando os dois sob a mesa e mordendo os lábios ao notar a completa falta de cor na pele do amigo. Quis se sentar na cadeira vazia em frente ao mesmo, quis o puxar pelo braço e o levar de volta ao hospital. Quis o ajudar a voltar aos seus sentidos, mas sabia que nada daquilo iria mudar os sentimentos gritantes que Jaebum tinha.

Sabia que o amigo via em Youngjae um pedaço de liberdade da prisão que a doença o colocava e não quis tirar isso dele, mas vê-lo se acabar por alguém que nem mesmo o conhecia também estava acabando consigo.

“Ele mudou a cor de cabelo” Jaebum disse com certa dificuldade. “Castanho fica bem nele” Tentou tomar seu café, mas ao não conseguir o largou em seu lugar de origem. “Estou piorando, Min, e isso é fodidamente péssimo” Ditou olhando Youngjae sorrir junto a Mark e Yugyeom.

“Eu não vou deixar isso assim” Minhyuk jogou seu bloco de notas em cima da mesa e saiu batendo pé. “Oi, Youngjae” Disse ao chegar em frente a mesa dos três, viu como o agora castanho tinha corando com a aproximação repentina, e logo Mark inventou uma desculpa para sair dali com Yugyeom em seu encalço. “Escuta, esses dois namoram?” Perguntou procurando uma forma de começar seja lá o que tinha ido fazer ali.

“Ah.. não… Quer dizer, eles ficavam até um mês atrás, mas decidiram ficar só na amizade” Youngjae explicou confuso. “Por que?”

“Por nada” Balançou a cabeça e depois de pensar por alguns segundos, pegou um guardanapo e em seguida com sua caneta anotou o número de Jaebum. “Esse é meu número, me manda uma mensagem se quiser sair para conversar”

“Uma mensagem?” Youngjae estava corado.

“É, quem sabe um nudes” Minhyuk disse sorrindo com a intenção de melhorar a áurea da conversa, até porque o castanho não iria de fato mandar um nudes. Pelo menos era o que se passava na cabeça de Minhyuk.

Logo o de cabelos verdes saiu dali e foi até Jaebum, pegando seu bloco de notas e antes de voltar ao trabalho disse: “Se receber uma mensagem, provavelmente é para mim, mas pegue essa oportunidade. Entendeu?”

“O que?” Jaebum franziu a testa vendo o amigo sumir, assim voltando a observar Youngjae que anotava alguma coisa no celular.

 

Ao chegar no hospital, se jogou na maca e puxou o respiradou para si, vendo Jinyoung dormir na cama ao lado e até pensou em chamar o amigo, mas viu o aparelho auditivo na mesinha ao lado e soube que não iria adiantar gastar sua voz se o amigo não iria o ouvir e somente continuaria  dormir.

Seu celular vibrou no bolso e ao abrir a mensagem arregalou os olhos e puxou mais ar.

Por que tinha recebido um nudes de um número desconhecido?

 


Notas Finais


Jaebum, você é um stalker maluco, certeza.
Ta, parei

E foi assim que começou toda a história, espero que tenham gostado.
Capítulo normal já está no forninho, logo logo sai!
XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...