História Não olhe pra trás - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 13
Palavras 3.265
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Recomeço


-“Cecyllia, aconteça o que acontecer, eu estarei sempre ao seu lado, nossos destinos estão traçados desde eras mitológicas. Mesmo que eu morra, meu coração será para sempre seu.”- Era sempre o mesmo pesadelo, quase todas as noites sonhava com aquele homem ensanguentado em seus braços, lhe dizendo tais palavras.

-“Por que toda vez que tenho este pesadelo, eu sinto um aperto no peito, com medo de perder alguém que eu nem conheço?”- A pergunta ecoava em sua mente.

Como poderia temer perder alguém que nunca conhecera? Quem era ele? Por que aquele homem mexia tanto com seu coração? Ela nunca conseguia reconhecer o rosto, mas a sensação de tê-lo em seus braços era mais real do que poderia imaginar, ou desejar.

-O que foi Nina-san? O mesmo pesadelo? –Perguntou uma garota de cabelos negros e olhos violáceos, que estava sentada ao lado de Cecyllia.

-Sim Akira-chan, não há um só dia que eu não tenha essa droga de pesadelo. É como uma maldição, e o pior é que eu não consigo entender. –Nina comentou aborrecida, folheando uma revista de moda sem um pingo de interesse.

-Entendi. Veja, eu tenho algo que vai te fazer sentir melhor. –Akira entregou a Nina uma barra de chocolate com recheio de amoras, o favorito da garota, que em questão de segundos desfez sua carranca.

Faltava pouco para chegar à Grécia, o avião pousaria em menos de uma hora. Tentava se concentrar em um livro de mitologia grega, mas era inútil, vez ou outra se distraia com os pesadelos, com o “pai” desaparecido, com o futuro incerto no Santuário, o que lhe dava um pouco de consolo era reencontrar as amigas que não via há muito tempo. As conhecia de longa data, especialmente Akira e Viollet, que se conheceram na escola, um nobre internato na Dinamarca, onde posteriormente conheceram Ashley e Rin, já que todas tinham a mesma idade e seriam colegas de classe. Além das três, havia Kayo, que era a reencarnação de Niké, a deusa da vitória. Apesar de estar sempre com Atena, ela também estudou no internato com as outras garotas, e também passou por treinamento, mas não tão rigoroso quanto o das amazonas.

Falavam-se todos os dias, por Skype, WhatsApp, E-mail, elas eram a família que tinha, seu porto seguro, sua alegria. Viollet, Ashley e Rin estavam treinando na Grécia fazia sete anos, mas Cecyllia foi aprofundar seus estudos sobre astronomia na Suíça, e seu treinamento era totalmente diferente das demais, pois consistia em controlar o cosmo e meditar. Cecyllia acabou pegando no sono, até que ouve a voz do comandante, pedindo que se preparem para o pouso. Mal podia acreditar que finalmente estava na Grécia e conheceria o Santuário, e que depois de todos esses anos afastada, estaria ao lado de suas amigas novamente.

-Ansiosa Nina-chan? –Akira perguntou gentil.

-Um pouco. Você já esteve no santuário antes? –Nina perguntou curiosa.

-Sim, diversas vezes, mas como éramos aspirantes tivemos a oportunidade de treinar em diversas partes do mundo, então não passei muito tempo lá. As garotas que resolveram ficar lá de vez faz alguns anos. –Akira suspirou cansada, pegando suas malas. –Você só trouxe uma mala de mão?

-Sim, providenciei que tudo fosse enviado na semana passada, assim me pouparia trabalho. –Nina sorriu prática. As duas caminharam em direção ao saguão principal do aeroporto de Atenas, quando avistaram de longe quatro vultos conhecidos. Eram Ashley, Kayo, Rin e Viollet, que correram para abraçar as duas recém-chegadas.

-Nina, há quanto tempo! Que saudades sua vaquinha!- Ashley abraçou a amiga apertada, como sempre espontânea e escandalosa.

-Você não mudou nada, fico tão feliz de te ver novamente!- Entre risos e lágrimas, Nina abraçava a velha amiga.

Viollet e Rin quase deixaram a amiga sem ar, devido ao abraço apertado.

-Amiga, temos tantas coisas pra te contar, você vai amar o Santuário, o lugar é lindo, a cidade ao redor é fantástica, com vários eventos e atividades divertidas, isso sem contar os cavaleiros, especialmente os de ouro, um mais gatinho que o outro. – Rin comentou assanhada aos pulinhos.

-Rin, deixa de ser abusada, ela mal acabou de chegar e você vem com asneiras. O santuário é muito mais que um bando de cavaleiros marombados. – Kayo repreensiva.

-Claro que é, os aspirantes também não são de se jogar fora, muito menos os cavaleiros de prata e bronze. – Ashley comentou maliciosa. Kayo apenas revirou os olhos.

- Acalmem-se meninas, uma coisa de cada vez. E vocês, como estão?- Akira perguntou curiosa, como se já não estivesse por dentro de todas as novidades, já que elas se falavam quase todos os dias.

- Bem!- Responderam em uníssono.

-Ótimo, então vamos para o santuário! – Viollet disse empolgada. Assim todas entraram nos carros e seguiram viagem.

Ao admirar as belas paisagens gregas, Cecyllia se perdia em pensamentos, os verdes campos e o colorido das flores a fizeram lembrar o tempo em que vivera nos Campos Elíseos, junto a Thanatos e suas ninfas. Sentia falta deles, do canto, da dança, das histórias. Apesar de ser o Deus da Morte, Thanatos sempre fora zeloso, gentil e amoroso com ela, o que espantava seu irmão Hypnos. Mesmo voltando para a Terra, ele cuidava dela de certa forma: deu-lhe boa educação, lhe confiou aos cuidados de Ceres, uma sacerdotisa de Delfos, que foi sua guardiã e mestra, que apesar de rígida, era gentil e dedicada, lhe ensinou mitologia grega, nórdica, celta, oriental, astronomia, além de vários idiomas e etiqueta. Era uma pupila de dar orgulho. Absorta nesses pensamentos confusos e nostálgicos, a solitária garota deixou uma lágrima derramar, até ser sacudida por uma de suas amigas:

- Hey Nina-chan, acorde! Estamos chegando ao Santuário!- Akira falava muito entusiasmada. –Caramba, tinha me esquecido o quanto este lugar é fascinante.

-Oh, mas é... Incrível!- Nina estava impressionada com o que via. Era um local surreal: construções imponentes, podia se ver de longe as doze casas zodiacais e o templo de Atena. O espaço era tão grande que parecia uma cidade. Nina admirava tudo com empolgação e curiosidade, ansiava pela hora de chegar e conhecer tudo, e mais uma vez se perdeu em pensamentos...

-Nininha, chegamos!- Ashley abriu a porta do carro.

- Onde estão suas bagagens?- Indagou Kayo.

- Está tudo guardado em meus futuros aposentos, chegou faz alguns dias, eu tenho apenas essa bagagem de mão. – Nina respondeu orgulhosa, apontando para a mala que carregava.

-Prática, como sempre. – Viollet ria divertida.

-Boas tarde senhoritas; seja bem-vinda senhorita Orso, a Deusa Atena lhe aguarda no Salão do Grande Mestre. – Informou o mensageiro do Grande Mestre, Toya.

- Muito obrigada, já estou indo. – Nina agradeceu cordialmente ao mensageiro. -“Finalmente conhecerei Atena, e poderei desvendar alguns mistérios que tanto me assombram...” – Pensava, com um misto de medo, ansiedade e empolgação.

Ao olhar o longo caminho que teria que subir, a garota teve um súbito desânimo, eram centenas de lances de degraus, além de ter que pedir permissão para o guardião.

-“Eu mereço!”- Nina suspirou aborrecida.

-Não está esquecendo de nada?- Rin a parou.

-Ah, é mesmo; minha máscara. - Retirou uma máscara preta de veludo que cobria apenas os olhos. -Pronto!- Disse satisfeita.

- Isso é sério!?- Ashley revoltada.

-E daí? A minha também só cobre os olhos. – Retrucou Viollet.

-Só porque você é uma amazona de ouro, e tem certas “regalias”- Akira comentou irônica.

-É sim, em muito breve todas vocês terão uma grande surpresa!- A morena respondeu animadamente.

Finalmente chegaram à primeira casa: Áries. Em frente estava um jovem de longos cabelos cor de lavanda, olhar sereno, trajando uma armadura dourada, mas com o elmo nas mãos.

-Muuu, há quanto tempo seu muviano divoso!- Cecyllia estava muito feliz ao reencontrar o amigo ariano.

-Cecyllia, até que enfim você chegou, está se dirigindo à Atena?- perguntou.

-Estou sim, me permite passar?- Perguntou com ansiedade.

-Na verdade eu tenho uma ideia melhor, vou te levar até lá com minha telecinese, preciso mesmo falar com Shion, de acordo?- Mu perguntou gentil. Cecyllia assentiu.

-Bom meninas, nos falamos mais tarde, até mais!- Nina se despediu de suas amigas e foi até o muviano, sumindo no ar em milésimos de segundo.

-Tchau Nina, até logo!- As garotas despediram-se em coro.

-O que está achando do Santuário?- Mu perguntou um tanto curioso.

- À primeira vista parece espetacular, mas pretendo explorá-lo nos próximos dias, já que eu tenho mais tempo livre que os outros-. Nina respondeu com um ar de tédio.

-Ah, não seja tão dramática, você vai ter uma vida de dar inveja aqui, vai passar a maior parte do tempo sem fazer nada, e seus treinos são muito leves, anime-se!-Mu respondeu otimista, tentando animar a amiga. Nina sorriu, seguido de um olhar triste.

- De que adianta tudo isso, se eu estou fadada a ficar só? Você é uma das poucas pessoas que realmente sabem da verdade, estou com medo!- Nina sentia vontade de chorar, mas segurou com determinação.

-Não diga besteiras, sua vida vai ser diferente daqui pra frente, não precisará mais ficar só, tenha fé, só não se esqueça da única regra... – Mu a advertiu sério, mas seu tom de voz permanecia calmo e gentil.

-Pode deixar, não irei me esquecer disso. - Nina respondeu desanimada.

-Chegamos! - Mu fez sinal para que Nina entrasse.

Estava sem palavras para descrever o que seus olhos custavam a acreditar. O Templo de Atena era imenso, mas ricamente decorado, e transmitia uma aura de paz e bem-estar. Haviam muitos cômodos, decorados com esculturas e quadros de todas as partes do mundo, em homenagem aos cavaleiros que vinham de todos os países possíveis.

-Boa tarde Mu, olá Cecyllia, sejam bem-vindos- Disse uma voz doce e calorosa. Era Atena.

-Boa tarde Deusa Atena. –Cecyllia e Mu estavam ajoelhados perante a divindade, reverenciando-a.

Mu foi procurar Mestre Shion, enquanto Cecyllia conversava com Atena. A Deusa lhe pediu que a chamasse apenas por seu nome humano: Saori Kido. A amazona assentiu.

-Fico muito feliz que tenha se juntado a nós, Amazona de Serpentário. Sua casa já está arrumada, as servas terminaram de organizar seus pertences hoje, pela manhã. Não há mais necessidade de usar máscara, amanhã será emitido um comunicado informando a todas as amazonas.- A deusa comunicou gentilmente, como sempre.

-Está bem Senhorita Kido, de acordo, mas preferia retira-la assim que a medida fosse oficializada. - Nina retirou sua máscara e soltou um risinho, pensando no que suas amigas achariam disso.

-Está dispensada, pode conhecer sua casa ou passear pelo Santuário, dentro de alguns dias começam suas aulas na universidade. - Cecyllia iniciaria mestrado em física quântica, matéria que a fascinava desde a infância.

-Obrigada Senhorita, nos vemos em breve. - Cecy despediu-se da deusa, fazendo uma pequena reverência. Saori assentiu simpática.

 Por alguns instantes Nina ficou parada em frente ao templo, estava hipnotizada com a vista.

-“Que lugar lindo, já estou começando a ter esperanças de uma vida melhor aqui, uma nova chance, um recomeço.”- Nina murmurou encantada. As palavras da Deusa lhe deram consolo e alento.

Subindo as escadas das doze casas vinha o cavaleiro de sagitário, Aiolos. Quando olhou para cima, quase caiu ao ver a jovem que não usava máscara em frente ao templo de Atena. Era linda. Aiolos não era como a maioria de seus companheiros, não se interessava pelas garotas do Santuário, as quais julgava serem fúteis e vazias, elas o queriam apenas para se exibir o que ele abominava, afinal, as amazonas que possuíam status diferenciado no santuário era as que namoravam os cavaleiros de ouro.

-Ai seu idiota, você não olha por onde anda não???- Milo irritado. Aiolos havia tropeçado nele. -O que tanto você olha lá em cima, alguma gatinha?- O escorpiano se divertia, rindo do amigo sagitariano.

-Não é nada, até mais tarde. – Aiolos respondeu aborrecido. -“Quem será essa garota?” - Ele não conseguia parar de pensar nela. A morena de olhos verdes, e um quê de mistério haviam sumido, como que por encanto.

No dia seguinte...

Cecyllia acordou bem disposta, havia desistido no dia anterior de passear pelo Santuário e foi direto para sua nova morada. A casa de serpentário era quase um palacete, ricamente decorado e ornamentado com belos quadros e móveis discretos. A mobília havia vindo de sua casa, na Itália, era uma forma de se sentir mais perto de sua terra natal, a qual lembrava com carinho e nostalgia. Sorriu ao encontrar Isis pelo chão, seu píton albina de estimação.

-“A partir de hoje você será Cecyllia de Serpentário, porém poucas pessoas saberão de sua verdadeira identidade, como já lhe expliquei, guardar a casa de serpentário é algo muito delicado, pelo fato de seu poder ser semelhante ao de um Deus. Mas creio que você seja perfeita para o posto por ser uma semideusa, e ter um coração nobre e sincero. Não tema mais pelo futuro, tudo vai ficar bem de agora em diante, você vai ser muito feliz, tem a minha palavra. Mas não se esqueça: além dos que já sabem; e sob hipótese alguma você deve contar isso a alguém, antes que o momento certo surja.”- Advertiu Saori.

-“Mas por que será que essa vaca quer que eu faça tanto segredo sobre a casa de serpentário? Qual o problema de os outros saberem?” - Questionou, sem muitas esperanças, pois nunca amara alguém de verdade.

-"Tudo a seu tempo menina, tenha um pouco mais de confiança em mim." - Respondeu sorridente a deusa da guerra.

Diante de todos os mistérios que rondavam sua vida, Nina se sentia cada vez mais sozinha e confusa, absorta em seus pensamentos. Como alguém poderia amar uma pessoa com tantos segredos?

Enquanto isso, na área de treinamento...

As quatro amigas da amazona de serpentário, mais Kayo, conversavam animadamente, entre uma corrida e outra, já que adoravam matar treino, o que deixava Shion furioso.

-Gente, da onde a Nina conhece o Mu? Viram a intimidade entre eles? Será que já tiveram algum casinho no passado??? - Ashley dava pulinhos de curiosidade.

- Não seja boba, eles são grandes amigos, e mesmo que tivessem algo, ela teria nos contado.- Repreendeu Akira.

-Isso mesmo, Mu e Nina treinaram juntos quando ela passou uma temporada em Jamiel. Apesar de ser um pouco mais velho que nós, ele é extremamente habilidoso e experiente. - Explicou Viollet.

-Mesmo assim, quem sabe, a Cecy nunca fala de vida pessoal... – Rin comentou maliciosamente. -Ai, isso doeu!- A geminiana disse fazendo careta, reclamando do tapa na cabeça que levara de Akira.

Cecyllia tinha motivos de sobra pra não falar de sua vida pessoal, Viollet e Akira sabiam disso melhor que ninguém.

-Bom dia meninas, como estão?- Cumprimentou Cecyllia.

- Bom dia amiga, resolveu se juntar as reles mortais?- Ironizou Rin.

-Não seja maldosa Rin, Nina acabou de chegar, tem muito que fazer, deixa ela se organizar. - Repreendeu Kayo.

-É!- Responderam as demais.

-Calma meninas, eu já resolvi o necessário com Atena, descansei umas boas horas de sono, e agora estou aqui. Que tal uma “girls night” na minha casa hoje? Vamos inaugurá-la!- Disse empolgada.

-Obaaaa!- Todas gritaram. Os cavaleiros que estavam ao redor pararam seus treinos para ver o motivo da bagunça.

- E que tal uma Festa de Boas Vindas?- Sugeriu Ashley. - Assim você aproveita para conhecer o pessoal daqui, a galera é bacana. -Disse maliciosamente.

-Uhum, precisa conhecer os gatinhos daqui, um mais lindo que o outro, só não cai na lábia do Escorpião, ele é o maior malandro, adora paquerar as novatas. - Advertiu Akira, que no fundo morria de amores por ele.

-Você diz Milo, o cavaleiro de Escorpião?- Nina perguntou arqueando uma sobrancelha, fingindo interesse.

-O próprio!- Disse Viollet, com um olhar maldoso. –Aliás, tenho uma coisa pra te contar: você está olhando para a mais nova amazona de câncer.

-Uau Viollet, isso é maravilhoso, que bom saber que tem outra amazona de ouro aqui. –Nina abraçou a loira apertada, orgulhosa da amiga.

-É. –Resmungou Akira, com dor de cotovelo.

-Ignore lady Akira, ela diz isso porque é apaixonada pelo Milo, e não quer que ninguém chegue perto dele. - Ironizou Rin.

Todas caíram na gargalhada.

-Tudo bem amiga, ele é todo seu, não se preocupe comigo, não tenho interesse algum nele. - Cecyllia ria da amiga, que era a amazona de ofiúco.

-Isso não é verdade, ele é um convencido, mulherengo, e eu não o suporto!- Akira comentou emburrada, embora ficasse olhando para Milo de relance o tempo todo.

Assim as garotas continuavam sua animada conversa, planejando a reunião à noite, e também pensando na festa de boas-vindas, queriam fazer algo grande, para isso pediriam a permissão de Atena e Shion.

Não muito longe de onde as meninas estavam, um certo grupo as observava. Eram os cavaleiros de ouro, mais precisamente Aiolia, Milo, Shura, Saga e Camus olhavam atentamente para o animado grupo de amazonas, especialmente a novata. Estavam empolgados, pois ela não usava máscara e era muito bela.

-Cara, que gatinha, eu tenho que convidá-la pra sair, olha só como ela é gostosa!- Milo babava olhando para Nina.

- Poxa Milo, dá um tempo, ela acabou de chegar, deixa a garota em paz!-Saga o repreendeu. -Mas ela é bonita mesmo. - Olhando normalmente para a garota.

-E a amazona de ofiúco, Milo? Vai deixa-la enciumada. - Shura não resistiu a brincadeira. Os demais riram.

-Ela se chama Cecyllia, é italiana e será a nova astrônoma do Santuário. É extremamente culta e inteligente, não treinará aqui, e fará mestrado na Universidade de Atenas. Ela não é pro seu bico, Escorpião. - Explicou Camus, indiferente.

-Uuuuuuh! - Os demais cavaleiros começaram a rir de Milo.

-Ah, bando de idiotas, eu não tenho nada com aquela esquentadinha, ela me dá nos nervos. Mas depois do que você me disse Camus, e pela aparência ela deve ser... -Foi interrompido por Aiolos.

-Bom dia a todos, o que estão fazendo?- Perguntou o sagitariano.

-Admirando a “paisagem”- Suspirou Aiolia.

-Ei Aiolos, aquela garota que fez você cair ontem, não é aquela sem máscara, entre as outras amazonas?- Perguntou Milo.

-Oh, é ela mesmo. É uma novata? – Aiolos perguntou interessado, olhando para Nina sem piscar. –Como é linda... - Murmurou.

-Ela se chama Cecyllia, e é a nova astrônoma do Santuário. - respondeu Camus.

-Cecyllia, além de linda, é inteligente... - Suspirava. Aiolos não conseguia parar de olhar para a bela morena. Estava enfeitiçado.

-Espera aí Aiolos, você viu a garota apenas uma vez e já se apaixonou?- Milo ria do amigo, que ficou corado.

-Não é nada disso, e vamos começar logo o treino, não temos o dia todo. – Aiolos respondeu contrariado.

- Olha só isso, o nosso amigo foi fisgado. Hahahahaha- Shura e Saga se divertiam por causa do amigo, cada vez mais vermelho e irritado.

Cecyllia sentou-se nas arquibancadas, para poder ver as amigas treinarem. Nunca pode treinar com elas, devido sua condição, um simples golpe poderia ser catastrófico. Distraiu-se lendo um livro sobre lendas orientais, e uma delas falava sobre almas gêmeas, que ao nascerem as pessoas já estavam destinadas a ter alguém, e que não importasse o tempo que fosse, se encontrariam, e se reconheceriam pela tênue linha vermelha que os unia. Ela não acreditava nisso, achava impossível que seu destino estivesse amarrado com o de outra pessoa. De repente, numa fração de segundos, ela segura uma flecha dourada na mão, o que a deixa um pouco atordoada e acaba caindo da arquibancada.

Caída no chão, ela vê uma mão lhe oferecendo ajuda. Nina se levanta devagar e leva um susto. O rapaz era alto, tinha cabelos escuros e olhos verdes hipnotizantes. Teve uma sensação estranha ao olhar para o rapaz, e desmaiou, caindo naqueles belos e fortes braços.

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...