História Não olhe pra trás - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 9
Palavras 2.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Ação e Reação


Nina acordara cedo naquela manhã. Sentia-se inquieta, ansiosa, um misto de sensações que nem ela era capaz de compreender, na verdade podia, mas tinha medo. Medo de admitir que talvez finalmente tivesse encontrado uma razão, um lugar, alguém para... Amar. Se havia palavra que a assustava, era essa: AMOR. Mas não qualquer tipo de amor, mas o amor entre duas pessoas, que ao mesmo tempo em que pode te levar ao paraíso e pode te destruir, enlouquecer, fazer perder a cabeça. A leonina aproveitou a manhã para ir à cidade comprar o necessário para o jantar, pois à tarde teria uma reunião com Atena e Mestre Shion.

Enquanto isso na casa de aquário, Rin escrevia contos eróticos no enorme tapete macio que havia na sala do andar de cima, e Camus estava sentado um uma aconchegante poltrona, lendo e admirando a pequena amazona de coruja perdida nos próprios pensamentos, como ela o encantava! O francês era um homem alto, de longos cabelos azuis e expressão séria, mas justo, honesto e inteligente, e o sotaque lhe dava um charme a mais. O guardião da casa de aquário decidiu tocar piano, dirigindo-se para a sala de música. Rin o seguiu sem dizer uma palavra. Ele começou a tocar uma melodia suave e delicada, e a geminiana tentou acompanha-lo, com passos de ballet desajeitados e rudes, mas que Camus achou adorável, embora não admitisse.

-Ai!- Gritou a amazona de coruja. Desequilibrou-se enquanto fazia uma pirueta. Camus foi correndo socorrê-la.

-Você está bem? Machucou-se? Está doendo?- O aquariano preocupado. Ele não era do tipo de demonstrar sentimentos pelas pessoas, mas quando se tratava da pequena garota de olhos dourados e longos cabelos roxos, era todo amor. Gostava dela, acha seus passos de dança encantadores, parecia uma bonequinha.

-Eu estou bem, foi só um susto. Só dói um pouco. – Rin fez uma careta de dor, um pouco manhosa.

Camus a pegou no colo e a levou para sua cama. Colocou uma bolsa de gelo no pé torcido. –Fique assim por enquanto. Quer comer alguma coisa?- Perguntou. A geminiana assentiu. Minutos depois ele retornou com uma bandeja de biscoitos e suco de laranja. Quando ele retornou da cozinha, foi pego de surpresa:

-Camus, eu sei que pode parecer estranho, mas posso te pedir uma coisa?- Rin perguntou envergonhada e meiga.

-Claro, o que você quiser. – Camus aceitou gentilmente.

-Fica aqui comigo e me abraça. –Pediu de cabeça baixa, pois estava muito corada e não queria que ele visse.

-Tudo bem. –Respondeu com um pequeno sorriso. Sentia seu coração bater mais forte por ter aquela garota tão doce e delicada. -Eu sei que pode ser loucura, mas eu tenho algo a confessar: eu gosto de você, de verdade. Não há um só dia que eu não pense em você, quero que seja minha, sei que temos uma diferença grande de idade, mas não me importo, se me aceitar, vou me esforçar pra te fazer feliz. –Se declarando a ela.

-Oh, Camus, esperei tanto pra ouvir isso, eu sinto o mesmo. Posso parecer fria e distante às vezes, mas eu amo você, e estar em seus braços é o que eu mais desejava, e não me importo com nossa diferença de idade, você é especial pra mim. –Disse fitando o belo aquariano.

Entregaram-se a paixão, trocaram beijos e carícias, passando o resto do dia juntos, entrelaçados sob as cobertas.

A reunião de Nina com Atena e Shion corria muito bem, até que foram interrompidos:

-Com licença Atena e Mestre Shion, mandaram me chamar?- Disse cordialmente o cavaleiro de sagitário, que ficou corado ao ver Nina. –O que ela faz aqui?

-Bom dia Aiolos. –Atena respondeu gentilmente.

-Como você já deve saber, uma das atribuições da Senhorita Orso é representar Atena fora do país, quando necessário. Como ela está muito ocupada e dentro de alguns dias será a Reunião dos Deuses Nórdicos em Viena, queremos que a acompanhe, pois é perigoso ela viajar sozinha neste momento. –Explicou Shion.

-Você se importa, Cecyllia? –Perguntou Saori. Cecyllia negou com a cabeça. –Então estamos de acordo. Na próxima semana vocês viajam.

–Sendo assim, dou a reunião por encerrada, alguém mais tem algo a dizer?- Indagou Shion. Todos balançaram a cabeça negativamente.

Pela primeira vez a morena via o cavaleiro trajando sua armadura. –“Ele fica tão sexy nessa armadura, e só nós dois, seria perfeito se eu não fosse ficar o dia todo presa numa sala com um bando de velhos gagás, que discutem pelas mesmas coisas, e ainda ter que aturar o fanfarrão do Odin de ressaca.”- Suspirou a amazona de serpentário.

-Oi Lya, tem certeza de que não se importa de eu acompanha-la nessa viagem? Poderia ter peço à Atena que outro cavaleiro a acompanhasse, ou até mesmo uma de suas amigas. – Disse ternamente. Estava mega animado com a oportunidade, mas não queria que fosse algo forçado.

-Olá Aiolos, mas é claro que não, acho que você será uma excelente companhia, além disso, você é um dos favoritos a ser o sucessor de Shion, então deve começar desde agora a ficar a par das relações do Santuário. E eu adoraria que fosse meu par no baile de Odin. –Respondeu corada. –Mas talvez devêssemos solicitar pelo menos a presença de dois cavaleiros, o que acha?

-Acho uma ótima ideia, e quem a senhorita sugeriria? –Aiolos questionou curioso.

-Eu poderia sugerir Akira e Milo, mas não quero que essa viagem acabe em tragédia. Ashley e Aiolia seriam uma boa opção, mas titio estará presente na reunião, vai surtar quando souber que a filhinha dele está namorando um cavaleiro de ouro. –Nina respondeu pensativa. –O que vamos fazer?

-Que tal Rin e Camus? –O sagitariano sugeriu com um sorriso dúbio.

-Perfeitos! –Nina respondeu aos pulinhos. –Você pode notificar o Camus para mim? Vou avisar a Rin para começar a fazer as malas.

-Será um grande prazer, até a noite. - Aiolos despediu-se com um enorme sorriso, rindo da amazona de coruja.

A leonina estava cada dia mais encantada com o cavaleiro, nem em seus melhores sonhos imaginou que conheceria alguém assim. Era bom demais pra ser real. Estar com Aiolos fazia muito bem a ela, tanto que fazia dias que não tinha mais aquele terrível pesadelo. No horário combinado, Aiolos chegou à sua casa. Trazia um buquê de flores do campo e uma pequena caixa de chocolates. Seus corações dispararam em sintonia.

-Boa noite Cecyllia, trouxe isso pra você. – Aiolos entregou os presentes com um sorriso sincero.

-B-boa noite, não precisava ter se incomodado. –Nina sorriu timidamente, corada pelos galanteios.

Na entrada da sala, Aiolos foi atacado por Isis, mas que rapidamente ficou calma ao sentir o cosmo do cavaleiro. Cecyllia gelou, pois temia que o cavaleiro pudesse faz a sua amada cobra de estimação.

-Desculpe, eu não tive muito tempo para preparar algo, a reunião durou mais do que eu imaginei. Na verdade foram as servas que prepararam o jantar. Espero que goste. –Nina lançou um olhar tímido ao sagitariano, colocando as flores em um vaso.

O jantar seguiu normalmente, começaram a planejar a viagem para Viena, até que Nina o convidou pra subir ao terraço. O espaço era lindo e aconchegante, decorado com diversos tipos de flores, poltronas de vime e um ofurô em madeira rústica.

-Que incrível esse espaço, você fez um ótimo trabalho. – Disse o sagitariano admirado.

-Obrigada. –A morena respondeu com um pequeno sorriso. –Soube que amanhã vai ter uma balada ao ar livre na cidade, e o DJ é o Aldebaran. Você vai?- Perguntou, fitando aquele belo par de olhos verdes.

-Adoraria, mas tenho que acordar cedo no outro dia. Eu preciso de um treinamento especial nesse fim de semana, por causa de nossa viagem. Você vai?- Aiolos perguntou sério, desejando que ela se negasse.

-Sim, adoro dançar, e ouvi dizer que Debas é um ótimo DJ. Assim eu aproveito pra conhecer um pouco mais nossos companheiros. – Nina respondeu animada, embora estivesse chateada por Aiolos não ir.

Ao fundo tocava Norah Jones-Come away with me.

-Posso não ir à festa amanhã, mas adoraria dançar com você agora. –Aiolos puxou Cecyllia pela cintura delicadamente, deixando a morena sem reação. Ela pôs as mãos no pescoço e dele, encostando a cabeça em seu peito. Por um instante esqueceram-se de tudo á sua volta, a companhia um do outro era só o que importava, aquele momento, seus corações batendo como se fossem um só. E quando a música parou, ficaram do jeito que estavam por mais alguns instantes, o desejo de ficar juntos era mais forte que qualquer outra coisa, o sentimento havia nascido e ninguém poderia mudar. Com relutância, Aiolos despediu-se, depositando um beijo em sua testa. A noite fora ótima.

No dia seguinte, as seis amigas se reuniram na arena. Conversavam animadamente sobre a festa que aconteceria à noite. Todas se arrumariam na casa de serpentário, e sairiam juntas. A bagunça estava garantida.

-E aí rapazes, vamos à festa hoje? Vai bombar!!! –O escorpiano animado. –Hoje eu estou para o crime. –Milo ria de forma maliciosa.

-E quando que você não está?- Shura e Saga riram.

-Meu irmão não poderá ir, mas eu estarei de olho. –Advertiu Aiolia.

-Como assim? –O escorpiano se fez de desentendido. Aiolia apenas lançou um olhar de reprovação.

A noite chegou e as meninas estavam na casa de serpentário, se arrumando para festa.

-A Cecyllia tem passado muito tempo com o sagitariano magia, tem até nos trocado por ele. – Ashley se fez de ofendida.

-Também acho. –Akira e Viollet em coro.

-Ah, qual é? Vão pegar no meu pé o tempo agora? –A morena se irritou. –Como eu já disse, gosto da companhia dele, só isso. –Respondeu normalmente. –Além disso, vocês estão demorando a se arrumar, vamos logo. –Apressou as amigas.

Aiolos não parava de pensar nela. Sentia-se mal por não poder acompanha-la a festa, queria estar com Lya mais do que qualquer outra coisa, mas precisava ser responsável, Shion estava no seu encalço.

A festa estava bombando: Debas tocava músicas que levava a galera ao delírio, havia muita bebida, as pessoas estavam animadas e o clima ajudou muito, fazia uma noite agradável com um céu estrelado e sem nuvens.

A amazona de serpentário conversava animadamente com os cavaleiros de áries e libra. Tinha muita facilidade em fazer amigos, todos se encantavam com ela, seu astral e bom humor faziam todos à sua volta se alegrarem.

-Puxa Mu, se você tivesse me dito que o santuário era tão animado assim, juro que teria vindo antes. –Divertiu-se a leonina.

-Eu tentei, mas você não acreditou, preferia ir farrear Europa a fora, ainda bem que Shion nunca descobriu o que você aprontava por aí. –O ariano ria da amiga, que ficou corada.

-Ele não tem motivos para desconfiar, sempre fui responsável e pontual com minhas obrigações, o que há de mal em dar umas “escapadinhas”? –Nina acabou dando uma risadinha maliciosa para o ariano, enquanto dançava sem parar.

-Você está certa, e deixe de ser careta Mu, a senhorita aqui sempre fui muito pontual em suas obrigações. Não é a toa que ela está cuidando das relações exteriores do santuário. –Dohko defendeu a morena. –Vamos aproveitar essa festa que está muito boa!

-Obrigada Dohko, você é um fofo! –A morena apertou levemente a bochecha do libriano, que ficou todo convencido. –Mu, vamos relembrar nossas farras em Londres? Vamos pra pista de dança! –Pediu, puxando o ariano pelo braço, que não teve escolha a não ser segui-la.

As outras meninas estavam dançando, juntaram-se a elas. A música estava muito boa, o que as deixavam mais animadas. De repente Camus, Shura e Aiolia chegaram com taças de espumante pra todos.

-Presente da casa! –Comemorou o leonino. As garotas ficaram muito felizes e jogaram beijinhos pra Aldebaran, que ficou corado. –Essa taça é especialmente pra você, senhorita. Meu irmão pediu que eu cuidasse para que você se divertisse a noite toda. –Aiolia entregou uma taça de espumante com uma orquídea rosa dentro.

-O-obrigada, é muita gentileza sua. Ele não vem mesmo? –Perguntou ao quase cunhado.

-Infelizmente não, ele está preocupado por causa da viagem, não quer decepcionar Shion e Atena, e não se perdoaria se acontecesse algo contigo. –Explicou o leonino.

-De qualquer forma, eu agradeço pela gentileza. Vamos curtir! –Nina sorriu, se atirando na pista de dança.

-Qual é amiga? Desfaz essa carranca e vamos agitar, hoje é festa! –Ashley disse toda empolgada, ganhando beijinhos no pescoço. –Aiolia se comporte! Aqui não é lugar pra isso.

-Desculpa minha perinha, vou tentar me comportar. –O leonino fez bico, em seguida ganhando um selinho da amazona de lagarto, que sorriu.

-Perinha? Mas que droga de apelido é essa? – Shura revirou os olhos, abraçando Viollet pela cintura.

-E você que chama a amazona de câncer de sirizinha? – Dohko comentou debochado.

-A conversa ainda não chegou ao asilo. –O capricorniano resmungou.

-Calma cabritinho, eu não ligo para o que os outro pensam sobre nossos apelidos. –Viollet sorriu, acariciando o rosto do espanhol, que continuava carrancudo.

-Cabritinho! –Milo, Aiolia e Saga disseram ao mesmo tempo, caindo na gargalhada.

-Como se vocês também não tivessem apelidos idiotas... –Resmungou Shura.

-Eu não. – Milo convencido.

-Cascavel te cairia muito bem. –Akira comentou maldosa, fazendo todos caírem na gargalhada. –Ou jararaca.

-E encalhada combina muito bem você. –Milo comentou irritado.

-E quem disse que ela está encalhada? – Dohko agarrou a amazona de ofiúco, beijando-a com vontade. –Akira, você é muito gata!

Todos começaram a rir do escorpiano, que ficou mega irritado. Era sempre assim: toda a vez que ele tentava sacanear Akira acabava se dando mal, e no fundo ele sentia uma pontada de ciúmes ao ver a virginiana ao lado do libriano, mas jamais admitiria, nem mesmo para seu melhor amigo.

Com a ajuda de Kayo, Saori conseguiu fugir do santuário e ir para festa de Aldebaran. Elas usaram a passagem secreta da deusa, e cerca de quinze minutos depois estavam na festa. Como Seiya e Shiryu estavam em missão, Saori sabia muito bem que ele não estaria lá, deixando a deusa da vitória muito intrigada.

-Sabe senhorita Atena, tem algo que eu não entendo. –Kayo disse reflexiva. –Se o seu namorado está em missão, por que quis tanto vir a esta festa? O que a senhorita está escondendo?

-Eu? Absolutamente nada Kayo, o que eu poderia esconder? –Saori respondeu nervosa. –Está imaginando coisas.

-Aham, me engana que eu gosto. –Kayo respondeu irônica. –Vamos procurar as meninas.

As deusas andavam entre a multidão despreocupada, até que os olhos azuis de Saori encontraram certo azulado, fazendo-a tropeçar. Prontamente Afrodite a ajudou.

-Deusa Atena, a senhorita está bem? Feriu-se? – O cavaleiro de peixes perguntou preocupado. –O que faz aqui? Mestre Shion vai nos matar se souber.

-Não se preocupe Afrodite, eu resolvo isso. –Kayo normalmente. –Quer se sentar um pouco, senhorita Atena?

-Eu estou bem, não precisam se preocupar. –Atena esboçou um pequeno sorriso. –Me levem até onde Cecyllia e as outras estão.

-Como desejar. –Kayo e Afrodite assentiram.

A festa corria bem, todos muito empolgados, embalados pelas excelentes músicas do DJ Debas. Nina dançava muito animada, seus passos e ginga faziam os homens ao seu redor babarem, até sentir uma mão desconhecida em sua cintura...

-O que pensa que está fazendo!? Quantas vezes terei que dizer pra não se aproximar de mim, seu desagradável?- Nina berrou furiosa, encarando o cavaleiro de escorpião.

-Ah, deixa disso gatinha. Vamos curtir a festa, não estrague o clima. –Milo respondeu lascivamente, provocando a leonina. –Dance comigo, você me deixa louco com esse rebolado sensual, você é muito sexy, sabia? Quero te mostrar algo... – A morena tentava se livrar das investidas de Milo, mas era quase impossível. Ele estava a milímetros dos lábios dela, até ser derrubado no chão.

-O que pensa que está fazendo, seu imbecil?- O cavaleiro de sagitário apareceu do nada, furioso. –E você, Cecyllia? Isso é forma de dançar? Deveria se portar melhor, o que Shion diria se a visse dançando de maneira tão vulgar!? – Fuzilando a morena com os olhos.

-POF! – Cecyllia deu um tabefe na bochecha esquerda do sagitariano. –Não admito que fale assim comigo, eu me porto da maneira que eu quiser, e você não pode me dizer como eu devo ou não me portar, não temos nada com o outro. – Saiu correndo, deixando as lágrimas cair.

-Cecyllia, espere! – Aiolos tentou conversar, mas foi em vão.

-Eu disse que você ia estragar tudo, seu tapado. Ela não é mulher para você!- Satirizou o escorpiano.

-Ora, seu! É tudo culpa sua, seu canalha. Deixe-a em paz, ela não é o tipo de garota que você costuma sair!- O cavaleiro de sagitário partiu pra cima dele, sendo separados pelos demais.

-Já chega! É melhor irmos embora, irmão. Você precisa se acalmar. – Aiolia saiu o arrastando. –Acho que todos deveriam ir embora, esses dois panacas cortaram o clima. –Acrescentou. Todos assentiram.

O fim de semana foi tenso. Cecyllia ficou trancada em casa, não queria falar ninguém. Estava magoada demais com as acusações do sagitariano, fora muito injusto com ela. Já Aiolos não sabia o que fazer pra se desculpar, mas não teve retorno, passando o fim de semana mal-humorado. O dia da viagem chegara, e ele se decidiu: se declararia de vez uma vez por todas, não podia mais esconder seus sentimentos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...