História Não olhe pra trás - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 8
Palavras 3.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Deuses em Viena (Parte II)


-Meninaaaaas, olhem só o que eu acabei de receber! – Viollet aos pulinhos. Estavam todos reunidos na casa de leão. Aproveitaram a ausência do cavaleiro de sagitário, que era tão rigoroso quanto Shion. –Eu tô é morta!

-O que foi meu bem? –Shura assustado. –Aconteceu alguma coisa?

A amazona de câncer mostrou uma foto. Eram Cecyllia e Aiolos, estavam abraçados e sorrindo, e acompanhava a seguinte mensagem: “Olá Viollet, estamos bem, já estou com saudades de todas vocês! Estou feliz por Aiolos ter me acompanhado, ele tem sido ótimo pra mim. Quando eu voltar, farei uma festa. Se cuidem! Cecy. PS: Aiolia, seu irmão pediu pra você não aprontar nenhuma, senão estará bem encrencado.”.

-Aiolos... –Suspirou o leonino. –Ele tem uma neura com controle e disciplina às vezes que me irrita, e em contrapartida às vezes é tão infantil e irresponsável. – Reclamou.

-Ele é o favorito a suceder Shion, por isso se preocupa em manter as casas zodiacais em ordem, além disso, tem muitas responsabilidades por tudo o que já aconteceu. –Shura defendeu o amigo. –Talvez essa viagem o faça relaxar, e ele está muito bem acompanhado... –Riu maliciosamente. Viollet o beliscou. –Ai!- Gemeu.

-Nisso eu concordo com você, Shura. Coitada da garota, de todos os cavaleiros de ouro, mandaram o mais chato a acompanhar. Aiolos consegue ser mais careta que o Camus... –Milo destilando veneno, estava morto de ciúmes. –Aposto trezentos euros que ele não vai nem tentar beijá-la, é tapado demais pra isso. –Seus olhos azuis ficaram obscuros.

-Milo, já está ficando insuportável esse seu ciúme, melhor procurar alguém para afogar as mágoas. E eu também acho que eles formam um belo casal... –Kayo provocando o escorpiano. –Ela disse algo sobre a reunião? –Perguntou a deusa da vitória. Viollet negou com a cabeça.

-Bem, vamos deixa-los em paz. Quem sabe a viagem os aproxime, e quando retornarem, tenhamos uma surpresa, não é? Por hora vamos aproveitar nossos dias de “folga”, e eles que se entendam. –Saga encerrando o assunto. Todos concordaram, exceto Milo, que foi embora irritado.

Os dias seguintes transcorreram muito bem, e reunião estava rendendo ótimos frutos, os deuses estavam bastante calmos e dispostos a assinar os acordos de paz, inclusive Loki.

-Alguém tem notícias de Ares? – Perguntou Poseidon.

-Meus soldados estão procurando, mas nenhum sinal ainda. Isso me preocupa um pouco. – Respondeu Diana, a deusa romana da caça.

-E você Ceres, Thanatos e Hypnos lhe disseram algo sobre Hades? –Indagou o deus dos mares.

-Ele continua adormecido, enquanto seu corpo é reestabelecido, mas ouvi dizer que alguns espectros voltaram á vida misteriosamente e o abandonaram, em especial os três juízes do inferno. Aiacos foi visto na Itália, parecia estar à procura de algo ou alguém, enquanto Radamanthys e Minos foram vistos rondando Delfos. –Respondeu a divindade romana.

-Faz sentido. –Odin pensativo.

-Isso só pode ser obra daquelas duas recalcadas. Só não consigo entender o interesse delas nos espectros, afinal, elas possuem seus próprios soldados, como todos nós.  –Poseidon reflexivo, fitando com cautela a amazona de serpentário. –Seu papaizinho foi muito imprudente em aparecer aqui, mesmo que tenha sido por alguns instantes. –Disse apreensivo.

-Temos que ter o máximo de cautela, Nêmesis não pode suspeitar da aliança dos deuses gêmeos com Atena, não queira nem poder imaginar se isso acontecer. Mas acho que devemos nos focar mais em Ares, que o paradeiro é desconhecido. E Thanatos é cuidadoso, enquanto conseguir disfarçar seu cosmo ao de Ceres, estarão todos seguros. Poseidon, Atena pediu que fosse ao Santuário dentro de um mês, ela disse que tem algo para lhe entregar. – Respondeu a morena. –Odin, soube que houve uma tentativa de ataque à Yggdrasil, tem ideia de quem foi? –Perguntou ao deus nórdico.

-Soldados de Ares, bersekers. Thor, Frigga e os guerreiros deuses conseguiram detê-los e capturaram dois, que antes de se matar disseram que Ares pretendia destruí-la para ficarmos presos em Asgard. Hilda foi ferida, mas não foi nada grave. –Disse seriamente o deus nórdico.

Continuaram conversando, traçando estratégias, firmando acordos, quando por fim Poseidon deu a reunião por encerrada.

-Cecyllia minha querida, estou muito feliz por vê-la, até amanhã no baile. Venha com o belo cavaleiro, ele ficará lindo de terno. –Piscou Ceres. A morena corou, mas assentiu.

No corredor estava Aiolos dormindo, esboçava um pequeno sorriso.

-Sonhando comigo? –A morena sussurrou no ouvido do sagitariano.

-Eh, oi Lya. Já acabou? –Aiolos perguntou com uma carinha fofa de sono. A leonina confirmou. –Então vamos embora. –Puxando gentilmente a garota pelo braço.

-Ei, espere. Já que temos um tempinho até escurecer, gostaria de dar uma volta? Tem uma cafeteria muito boa aqui por perto. – Perguntou animada.

-C-claro. –O sagitariano respondeu sonolento. –Será um enorme prazer. – Fazendo Cecyllia dar um enorme sorriso.

Era um lugar pequeno, mas aconchegante. Lembrava um chalé. Pediram chá e mil folhas. Conversaram sobre assuntos banais, ela se lembrou das vezes que estivera na Áustria, de como amava a neve, dos grandes bailes valseados que a encantavam. No caminho pra casa, fez-se um breve silêncio, quando o sagitariano perguntou:

-Er... Lya... Digo... Senhorita Cecyllia, me daria a honra de ser seu acompanhante no baile? –Pediu de joelhos, a morena não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha.

-C-claro, eu adoraria. –Respondeu corada. A gentileza e o cavalheirismo do sagitariano a fascinavam.

À tarde que antecedera o baile fora de muitos preparativos. Cecyllia as outras garotas ficaram trancadas em seus quartos, descansando. Aiolos saiu com Camus para pensar, queria se declarar naquela noite, mas precisava de uma estratégia.

“-Porque organizar um exército para a batalha é tão fácil, mas dizer o que sinto é tão complicado. Não sei o que fazer, estou ficando louco.”- Refletia o sagitariano. Decidiu ligar para Aiolia, pedindo conselhos. O leonino disse que ele deveria deixar as coisas acontecerem naturalmente, e que daria tudo certo, só precisava se acalmar. Ele assentiu e agradeceu.

No apartamento alguém tocava a campainha.

-Nonna, pode atender pra mim? –Pediu Cecyllia do quarto.

-Está bem querida. –Respondeu gentilmente a senhora. –Boa tarde, a senhorita os está aguardando no quarto. O cabeleireiro e a maquiadora haviam chegado.

-Olá senhorita Cecyllia, continua deslumbrante como sempre. –O cabeleireiro disse pelos dois.

 

-Sam, Holly, há quanto tempo não os vejo. Que bom que puderam vir, não sei o que faria sem vocês. –Cumprimentando alegremente os dois. –Hoje vocês terão muito trabalho, pois são três belas moças para vocês produzirem.

-Ora, o que é isso. Você é nossa cliente favorita, e se não fosse por você, nunca teríamos tido clientes como Angelina Jolie, Madonna ou Megan Fox. –Holly a abraçou. Aparentava ter uns 30 anos, cabelos curtos de cor avermelhada, maquiagem pesada, estilo gótico.

-Chega de papo, vamos te deixar uma princesa, quer dizer todas vocês! – Disse o cabeleireiro, que era um homem de 35 anos, alto, cabelos verdes e corpo musculo. –Soube que tem um par, quem é sortudo?- Perguntou curioso.

Cecyllia pegou o celular e mostrou. –É ele, se chama Aiolos, trabalhamos. –Respondeu sem graça, e em seguida suas bochechas coraram. –Mas a Rin também estará muito bem acompanhada e a Akira nem se fala.

-Mas pelo visto você não o vê assim, não é? Nem tente me enganar, sua expressão entregou tudo, VOCÊ ESTÁ CAIDINHA POR ELE!- Riu escandalosamente o cabeleireiro. –E vocês meninas, quem são os seus pares?

-Ele se chama Camus e é francês, um homem gentil, educado e muito culto, apesar da aparência fria e indiferente é uma pessoa maravilhosa com um coração muito caloroso. –Rin respondeu corada, mostrando a foto do amado.

-Menina, você é uma tremenda filha da mãe. Que sorte hein! –Sam disse escandaloso. –Eu também quero ir pra esse tal de santuário.

-Verdade, lá é um verdadeiro banquete de homens bonitos. –Akira comentou maliciosa. –Eu vou acompanhar o pai de nossa amiga Ashley, que não poderá ir devido uma gripe que pegou ontem.

-Pobrezinha. –Lamentou Holly. –E então Cecyllia?

-É, eu... Gosto dele. Só não sei como lidar com isso ainda, pois é tudo muito novo para mim, e ele é bom demais pra ser realidade. –Respondeu de cabeça baixa.

-Deixa comigo minha estrelinha, vou te deixar tão linda que ele vai te pedir casamento! –Sam tentando animá-la. Todos riram.

Horas depois...

-Como você linda, Cecyinha. Parece uma princesa, o ragazzo vai adorar quando te ver. –Nonna encantada. -Ele te aguarda lá embaixo, está muito bonito também. Divirtam-se. – Admirando a morena. Tinha orgulho da mulher que se tornara. –Vocês também estão lindas senhoritas Akira e Rin.

-Obrigada. –As duas garotas responderam acanhadas.

-Claro que estão, já que fui eu e a Holly que as produzimos. E olha... Eles estão muito bonitos, se fosse comigo, já tinha levado pro quarto e feito miséria deles. –Disse o cabeleireiro, revirando os olhos. Todos riram, menos Cecy, que estava nervosa.

-Obrigada por tudo pessoal, vocês são os melhores!- Agradeceu, indo de encontro ao sagitariano, acompanhada da virginiana e da geminiana.

O sagitariano e o aquariano vestiam terno, gravata e sapatos pretos e camisa branca. Estavam muito elegantes. –“Ela tinha razão, fiquei muito elegante. Ela tem bom gosto, não vejo a hora de vê-la...”- Perdido em seus pensamentos, até ser surpreendido.

-O que acha de tudo isso? –Questionou Camus.

-Como assim? –Aiolos perguntou confuso.

-Essa movimentação dos deuses, é muito estranho. E essas alianças que Atena está formando, jamais imaginei que isso pudesse acontecer. –O francês comentou pensativo.

-São tempos de paz e ela quer que eles durem o máximo. Já passamos por tanta coisa, então é mais do que normal que ela queria que vivamos como pessoas comuns, não concorda? –O sagitariano respondeu sorridente, com o olhar distante.

-Você diz por causa delas, não diz? –Indagou o aquariano, Aiolos concordou. –Sei como se sente, elas são mesmo especiais, embora algumas sejam um pouco bobas e imaturas.

-Tem razão, mas a Lya, digo, Cecyllia é tão madura, tão responsável e comprometida, além de ser muito divertida. Conversar com ela é sempre bom. –Derreteu-se o sagitariano.

-Concordo. –Camus sorriu.

Os cavaleiros, até que as garotas chegaram. Os garotos ficaram sem reação ao ver Nina e Rin, que estavam muito bonitas. Akira se sentiu um pouco desconfortável, resmungando mentalmente por Ashley ter ficado doente.

-Oi Aiolos, me desculpe a demora, mas é que os profissionais demoraram mais do que imaginei, e eu tive um pouco de trabalho pra colocar o vestido, e... Ei, você está me ouvindo? – Perguntou, encarando-o.

Cecy usava um belo vestido rosa com um discreto detalhe roxo no ombro, além do tecido lilás que sobrepunha a peça. O cabelo estava preso em um coque baixo que fazia uma leve onda na frente, e a maquiagem era elegante e sexy. Usava um conjunto de colar e brincos dourados e uma flor no cabelo, da mesma cor do vestido.

-V-você está linda! Permita que eu a conduza. –Aiolos pegou a mão direita de Cecyllia e a acomodou no carro, tomando cuidado para não amarrotar suas roupas.

-O-obrigada, você está muito bonito. –A morena respondeu com as bochechas coradas.

Camus quase engasgou ao ver Rin, cujo vestido era transparente na parte da saia. Outra coisa que lhe chamou a atenção foi a mudança na cor dos cabelos da geminiana, que agora estavam prateados, deixando-a ainda mais bela. Ela usava várias joias e luvas de um tom um pouco mais escuro do vestido.

-Você está bonita. –Camus respondeu sério, depositando um beijo na mão de Rin, que ficou sem graça. –Só acho que esse vestido podia ser menos transparente.

-Não começa. –Rin fez cara feia. –Eu me visto do jeito que eu quiser, goste ou não, querido.

-Garota irritante. –Camus resmungou baixo, entrando no carro em seguida.

Foi um silêncio total até a chegada do baile. Lá, todos os olhares se viraram para eles. Dionísio foi o primeiro a cumprimenta-los, acompanhado de um criado que trazia cinco taças de espumante em uma bandeja de prata. –Olá crianças, vamos nos divertir!- Disse o deus fanfarrão.

Logo Rin e Camus desapareceram pela festa, conversando e confraternizando com as divindades, mas o que a filha do sono queria mesmo era sumir com o aquariano, em algum propício para dar uns amassos. Akira andava distraída entre a multidão, até encontrar seu par, o deus dos mares.

-Boa noite senhorita Yamamoto, está tão bonita quanto uma deusa. –Poseidon a cumprimentou galante, mas a filha da morte se manteve indiferente. –Sou uma companhia tão desagradável assim?

-Me desculpe senhor Poseidon, só não estou em meus melhores dias. –A virginiana comentou com um longo suspiro.

-Eu conheço essa cara. Você está sofrendo por amor, não está? –Indagou o deus. –E não sejamos tão formai. Chame-me apenas de Julian, ou esqueceu que somos parentes?

-Tá bom tio Julian, melhor agora? –Akira perguntou irônica, fazendo Poseidon rir.

-Quase. Vamos aproveitar a festa, não quero que seu pai fique bravo comigo. –Poseidon puxou a sobrinha para o centro do salão, onde se encontravam Ceres e Héstia.

A amazona de ofiúco sentia-se deslocada naquele local, por mais que odiasse admitir queria que Milo a estivesse acompanhando naquela noite. Sentia raiva de si mesma por nutrir sentimentos tão intensos pelo escorpiano, que desejava outra mulher apenas por capricho. Ela foi para o terraço do hotel observar o céu, que estava limpo e estrelado. Estava feliz pelas amigas que estavam apaixonadas e namorando cavaleiros honrados e que cuidariam muito bem, mas não podia evitar sentir inveja.

-Mas que droga! Eu também quero experimentar a felicidade que minhas amigas sentem. –Resmungou a virginiana, bebericando o espumante. –Milo seu idiota, por que tinha que ser você?

-Por que eu sou perfeito pra você. –Akira quase tropeçou de susto ao ver o escorpiano ao seu lado. Milo usava um terno azul marinho e camisa branca, carregando uma gardênia* na mão, que colocou nos cabelos da amazona. Akira não podia acreditar no que estava havendo, chegando a culpar a bebida por estar vendo coisas.

 -Isso só pode ser alguma brincadeira de mau gosto. –A morena de olhos violáceos bradou indignada. –Como você veio parar aqui?

-Não estou a fim de comentar isso agora, mas que tal aproveitarmos essa noite juntos? –Sugeriu o escorpiano, mas a virginiana sentia que algo não se encaixava. De fato era Milo, pois sentia sua cosmo energia, mas ele estava agindo de forma muito estranha. –Senti sua falta, minha bela gardênia.

Akira sentiu um arrepio ao ouvir Milo sussurrar em seu ouvido. Ela não pensou duas vezes e se jogou nos braços do escorpiano.

-“Dane-se!”, ela pensou enquanto beijava o cavaleiro. –“Amanhã eu penso nas consequências.”.

-O que está achando da festa?- Nina perguntou timidamente ao sagitariano.

-Está bem animada, tudo muito bonito, os deuses sabem mesmo como dar uma festa. –Comentou Aiolos fitando a morena, que sorria olhando os casais dançarem.

-Quer dançar comigo, Lya? –Convidou, oferecendo sua mão esquerda.

-Claro. –A morena sorriu animada.

“Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am home again

Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am whole again

 

Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am young again

Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am fun again

 

However far away

I will always love you

However long I stay

I will always love you

Whatever words I say

I will always love you

I will always love you

 

Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am free again

Whenever I'm alone with you

You make me feel like I am clean again...”*

A música caía feito uma luva para eles, que ficaram olhando nos olhos do outro, sem perceber que a música tinha acabado. Quando seus lábios estavam quase se tocando Cecyllia foi puxada por Vênus, a deusa romana do amor e da beleza.

Aiolos a observava de longe, se encaixava tão bem entre os deuses, que parecia ser uma também. –“Ah menina, eu amo você. Por mais que tente, tem algo que me puxa pra perto de ti, é algo tão forte que não sei como explicar, apenas sinto...”- Murmurou.

-É o “akai ito”, e tende a ficar cada vez mais curto, conforme vocês dois se aproximam, fica mais e mais estreito. Foram escolhidos pelos deuses para ficarem juntos. –Disse o deus chinês. Chegara tão mansamente, que assustou.

-Oh, me desculpe. Não tinha visto o senhor. O senhor tem certeza do que disse? –O sagitariano perguntou incrédulo.

-Mas é claro, estão destinados desde o dia em que nasceram, e tudo o que passaram ao longo dos anos foi para se aproximarem, é a vontade dos deuses. Ela recua porque está com medo, acha que foi feita para a solidão, mas está enganada. Em breve você vai descobrir o que ela traz em seu coração... –Afirmou Xia Lau Yue. –Até mais meu jovem, sejam felizes!- Despediu-se do sagitariano, que lhe cumprimentou educadamente. Continuava a observar a bela morena, estava tão animada conversando com as outras deusas, tão descontraída. Resolveu convidá-la pra dançar de novo, que prontamente aceitou. Dessa vez a música era mais animada, Cecyllia parecia uma ninfa com seus movimentos e sensualidade, Aiolos e abraçou pela cintura, que repousou o rosto em seus ombros.

-Olos, você está tão sexy nesse terno, que eu até... Rsrsrs - Disse a morena, mostrando sinais de embriagues. –Me leva pro meu quarto. –Sussurrou no ouvido do sagitariano, que teve de se controlar para não acatar o pedido de Nina.

-Acho melhor irmos pra casa. –Disse sério, pegando Cecyllia no colo. Quando chegaram, deixou-a em sua cama, e pediu a Berta para trocar sua roupa. Quando estava se preparando para dormir, ouviu um resmungo:

-Aiolos, fica comigo, não me deixa mais. Eu tenho medo da solidão, todos que eu amei me deixaram sozinha... –Nina resmungava dormindo.

-Nunca, nunca vou deixar você. Eu te amo, thisavrós mou**. –Sussurrou enquanto a ajeitava em seus braços e acariciava seus cabelos. Ela sorriu involuntariamente. Algumas horas depois Cecyllia acordou, estava feliz. Ao olhar para o lado, viu Aiolos dormindo ao seu lado, o moreno de olhos verdes usava apenas uma calça de moletom cinza, com o peito à mostra. Ficou tentada a alisar, mas aí viu que usava sua camisola de seda vermelha, que mal cobria seu corpo e acentuava suas curvas. Entrou em pânico.

-“O que foi que eu fiz??? Oh, maldito Dionísio, sempre tentando embebedar todo mundo. Por Atena, o que vou fazer agora? Como vou encarar Aiolos de novo?”- Pensou apavorada. Sua cabeça doía, não conseguia raciocinar direito. Saiu de fininho, para que o sagitariano não acordasse.

Horas depois Aiolos acordou, dormiu como há tempo não dormia. Sentia-se feliz e revigorado, mas ao olhar para o lado e não ver a morena na cama ficou um pouco preocupado.

-Bom dia Senhora Berta, onde Cecyllia está?- Aiolos perguntou à governanta.

-Ela já voltou para a Grécia, senhor Aiolos. O avião está á sua disposição, pode partir assim que desejar. –Respondeu gentilmente.

-Mas o que deu nela? Será que aconteceu alguma coisa? Por que não me deixou nenhum recado? Oh não, será que ela acha que nós... –Murmurou preocupado.

Rin, Camus e Akira ouviram a movimentação e foram ver o que acontecendo. Aiolos explicou rapidamente, e Rin e Akira trocaram olhares discretos, desconfiadas do que poderia ter acontecido.

No avião, a leonina chorava baixinho encolhida, não acreditava no que Aiolos fizera. –“Como pudera ser tão baixo, e eu sou uma burra mesmo, caí direitinho na conversa dele.” – As lágrimas caiam enquanto olhava as fotos em seu celular.

 

*Gardênia: Amor secreto.

**Thisavrós mou (θησαυρός μου): “Meu tesouro”, em grego.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...