História Não posso te amar! - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Malhação
Tags Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gune, Malhação
Visualizações 182
Palavras 937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Biscoito,Bolacha


- Amamos vocês.- Disseram Ivete, Elizabeth, Richard e Paulo, à Daphne e Bruno, após deixarem os dois em uma casa e saírem em disparada.

Poderia considerá-la uma casa no campo, havia alguns comércios pequenos por no mínimo 2km. Uma ou duas casas BEM a diante.

Depois de uns minutos Daphne e o moreno terem ficado encarando o nada, entraram na casa. Era pequena, mas até confortável. As paredes vermelho claro com detalhes dourados. Algumas árvores ao redor da casa. Daphne havia achado uma graça. Já Bruno, muito gay.

Daphne subiu até o andar de cima, para ver os quartos.

- AAAAHHH. BRUNO SOBE AQUI.- Gritou a morena em pavor.

- EU JÁ TE DISSE, DAPHNE. UMA FOLHA NO CHÃO, NÃO É BEM UMA BARATA.- Gritou de volta, se lembrando de quando tinham 13 anos.

Flashback on.

Aos seus 13 anos, estavam na festa de Giulia, que era ao ar livre.

Daphne e Bruno, como já era de costume estavam brigando mais uma vez, por causa que Bruno tinha empurrado a cabeça da morena no bolo, que nem dela era. Daphne depois que por um segundo, deixou de gritar com Bruno, olhou pro chão. Jurava ter visto uma barata, enoorme, como descreveu. E começou a pular e a gritar histericamente, pra Bruno matar. " Sem querer " o empurrou na piscina, que estava ali do lado. Bruno, obviamente, a puxou junto.

- É UMA FOLHA, SUA IDIOTA.- Gritou revirando os olhos.

- CALA A BOCA, IMPRESTÁVEL.- Retrucou.

E começaram a brigar na piscina. Gabi, Manu, Ana, Matheus, Gabriel e Juan, pularam na piscina, tentando os separar. Sem sucesso algum.

Giulia jurou com todas suas forças, que nunca mais os convidaria para uma festa sua, incluindo os outros 6.

Flashback off.

- NÃO É BARATA, IMBECIL. UMA COISA PIOR. BEEEM PIOR.- Gritou em desgosto.- AGORA SOBE LOGO, DESGRAÇA.- Bruno, Bufou nervoso, subindo as escadas.- NÃO BATE O PÉ NA ESCADA NÃO. ELA NÃO TEM CULPA DE VOCÊ SER UM TROGLODITA.

- CALA A TUA BOCA, VADIA.

- VADIA É AS PUTA QUE VOCÊ PEGA, DESGRAÇA.

- Verdade.- Concordou. Daphne revirou os olhos.- O que tem aqui em cima?

- Além de uma péssima decoração e jogo de cores...- Disse fingindo passar mal. As paredes era

azul-desbotado, laranja-vômito-de-cachorro, verde-gosma e amarelo-te-seguei. Com flores em pink-tipo-roupa-de-puta.- Só tem um quarto, com uma cama de casal. O outro está cheio de bagunça e poeira. Ou seja, você irá para o sofá.- Disse com ar autoritário.

- Aham, aham, pode pá.- Ironizou.- Sou gostoso demais, pra ir pro sofá. Você é que vai, parece um ornitorrinco.

- Você é iludido, isso sim. Você é quem vai para o sofá, eu estou mandando.

- Por que?

- Porque eu sou mulher.

- E..?

- E as mulheres mandam, desmandam e comandam.- Sorriu óbvia.- Eu mando e você obedece.

- Vai nessa.

°•°•°

- Vamos sair, desse inferno..- Disse Bruno.

Estavam esparramados um em cada sofá, que havia ali. A TV só funcionava 2 canais. Um sobre palestra sobre doenças e o outro que mais falhava que outra coisa. Enquanto a morena lia um livro que achou no quarto de bagunça, todo empoeirado, um romance antigo de vampiros. Daphne amou, achava eles gatos, gostosos e sexys. Bruno jogava uma bolinha de ping pong na parede. Não havia coisa mais entediante que isso.

- Ah, não. Chegou na melhor parte.- Sorriu de lado.

- Qual parte?

- A que Denyel, o vampiro gostoso tira a camisa e faz uma Strip Tease.- Sorriu imaginando a cena.- Infelizmente, para Regina. E não para mim.- Deu de ombros voltando a ler.

- Preferia a Regina. Deve ser gata.- Falou maliciando.- Daniel parece viado.

- Denyel.- O corrigiu.- Se ele é viado, você então.- E aqui está a "gata" da Regina.- Riu e mostrou a capa a ele. Onde estava Denyel e Regina. Denyel, era gostoso, moreno dos olhos castanhos. Lembrava Juan. O que Denyel tinha de beleza, Regina tinha de feiúra. Coitada.

- Esquece.- Revirou os olhos.- Vai ver o que tem pra comer na cozinha.- Ordenou.

- Só vou porque estou com fome.- Seguiu até a cozinha, abriu o armário e encontrou um pacote de biscoito.

- Achei um pacote de biscoito.- Disse ao voltar pra sala.

- Isso é bolacha.- Falou óbvio.

- Biscoito.- Retrucou.

- Bolacha.

- Biscoito.

- Bolacha e eu posso continuar com isso pra sempre

- É biscoito e se não concordar não come.

- Olhaaa, é biscoito.- Ironizou com as mãos no rosto.

- Bom menino.- Sorriu irônica.

°•°•°

- DAPHNE. SAI LOGO DESSE BANHEIRO. VOCÊ ESTÁ A 2 HORAS AÍ DENTRO.- Gritou Bruno. Daphne em fim aceitou sair daquela casa. Bruno, por sorte já havia tomado banho.

- NEM VEM QUE TU DEMOROU BEM MAIS QUE EU. PRA SAI DEPOIS, SÓ COM GEL NO CABELO. MAL PASSADO AINDA.- Retrucou.

Daphne, revirou os olhos e saiu de dentro do banheiro. Estava com uma short curto branco, uma regata vermelha, um salto da mesma cor da blusa e um batom Matte vermelho sangue.

- Pronto, apressadinho.- Sorriu irônica sem mostrar os dentes.

- Até que enfim. Pensei que tinha intalado no box.- Zombou.

- Ahh, querido. Se você passa ali, passa umas 7 de mim por ali juntas.

- Ai coitada.- Ironizou. E a empurrou de "leve" para descer as escadas.

- Não aperta, que coisa.- Disse irritada dando um tapa em seu braço. Parou em frente à porta, abrindo a mesma. A noite estava tãão linda. Sentiu a ironia? Era por volta das 19:00.- Para onde vamos?

- A um parque de diversão.- Sorriu maléfico. Daphne jurou ter ouvido trovões na hora.

 


Notas Finais


Sorry o capitulo pequeno. O próximo será mais legal.
Beijoos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...