História Não se apaixona, não (Imagine Jungkook) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Red Velvet
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Imagine, Imagine Bangtan Boys, Imagine Bts, Imagine Jeon Jungkook, Imagine Jungkook
Visualizações 344
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 4 - A verdade nem sempre é o que enxergamos


Encaro o relógio do meu quarto que marcava quatro e quarenta da tarde, faltando apenas vinte minutos para o meu turno na cafeteria começar. Ao terminar de calçar o meu tênis velho, desço as escadas pronta para sair de casa; eu deveria ser rápida ou chegaria atrasada.

— Faça um café antes de ir — meu pai ordena, sem nem olhar em minha direção.

Não faço questão de responder, prefiro fazer o que ele me pediu para evitar qualquer discussão. Um pouco apressada, faço seu café correndo e como o último pedaço da pizza que pedi ontem — confesso que não estava tão saboroso, porém é o que temos nesse momento.

Ao colocar a bebida quente em uma caneca, vou correndo até a sala para entregar-lhe o café rapidamente antes que eu me atrasasse ainda mais. Infelizmente, derrubo um pouco no tapete, fazendo-o se irritar, e então o mesmo me dá um tapa forte no braço por manchar o tecido felpudo branco.

A vida não podia colaborar nem um pouquinho comigo?

Deixo os meus pensamentos de lado, correndo o máximo que posso assim que percebo faltar apenas cinco minutos para dar o meu horário.

A corrida demora cerca de quinze minutos, e logo estou em frente ao meu local de trabalho. O letreiro “Esquina do café” está aceso, já que está quase escurecendo. Suspiro cansada, entrando na cafeteria. Não há muitas pessoas, na verdade, apenas as que costumam vir aqui sempre durante os domingos.

— Está atrasada — diz Maia, minha chefe chata.

Sua beleza é linda por conta de ser estrangeira, confesso, já sua personalidade é um lixo. Maia consegue ser pior que meu antigo chefe, e olhe que ele me fazia trabalhar sem receber as horas extras.

— Me desculpe — digo, sem me curvar.

Maia não gosta de nossos costumes, por isso não me curvo, já que a morena considera isso tudo como pura chatice. Ela não respondeu, apenas saiu da cafeteria, certamente para estourar o cartão de seu namorado como já fez várias vezes. É engraçado quando ela chega aqui cheia de sacolas, algumas vezes com algo para mim, mesmo que não sejamos próximas.

Vejo alguns clientes entrando, fazendo-me colocar o avental.

A tarde seria longa.

 

[...]

 

— Pode ir, _____ — Maia fala, enquanto lixa uma de suas unhas avermelhadas.

— Como? — não entendo o porquê de ela me dispensar cedo, já que ainda faltavam algumas horas para fechar a cafeteria.

A moça suspirou irritada, encarando-me após deixar a lixa em cima do balcão.

— Você é surda, menina? Eu estou te dispensando — diz ajeitando o seu vestido azul. — Eu tenho um encontro com o meu namorado hoje, resolvi fazer uma boa ação e te deixar ir embora mais cedo, algum problema?

Sorri, agradecendo a todos os Deuses possíveis. O fato dela ter um encontro com o namorado significaria que eu poderia receber um aumento, já que ela sempre voltava muito feliz depois de suas saídas com o tal Sehun.

— Obrigada, obrigada, obrigada! — bati palmas, retirando o avental logo em seguida. — Bom encontro, Maia.

— Que garota estranha, aish! — revirou os olhos, me observando sair do lugar.

Dei risada de sua cara ao ver-me acenando para ela, mas logo desanimei. O que eu faria agora? Nos finais de semana costumo trabalhar até tarde, não sou de sair para algum lugar como os outros adolescentes da minha idade fazem.

Ainda sem ideia do que fazer, vou caminhando até a praça próxima de minha casa. O local é bonito, cheio de árvores, perto dos brinquedos estavam diversas crianças correndo e uma pista de skate, onde Jimin costuma vir com Jungkook às vezes.

Não, eu não fico observando-o, beleza? Apenas o vi aqui algumas vezes com seu melhor amigo.

Sinceramente não entendo como aqueles dois são amigos, Jimin é tão diferente de Jungkook. Enquanto o ruivo está sorrindo por aí ao fazer boas ações, seu amigo fica destruindo os corações das pobres meninas que caem em sua lábia por qualquer besteira dita por ele.

Já que não tenho muito o que fazer em casa, decidi ficar aqui por algum tempo mesmo com o frio que sinto por conta de estar apenas com um moletom. Queria que mamãe estivesse viva para me mandar não esquecer de me agasalhar.

É, ela faz muita falta…

— E aí, _____! — alguém grita, me cumprimentando do outro lado da rua.

Meu sorriso se desfaz ao ver de quem se trata. Jungkook caminha até mim com seus amigos Jin e Yoongi, e infelizmente Jimin não estava acompanhando eles.

— Oi — suspiro, sentindo o frio aumentar.

Seus amigos não me cumprimentam além de um aceno breve, indo em direção da pista.

— Você está bem? — pergunta, encarando-me. Balanço a cabeça afirmando que sim, esfregando as mãos desprotegidas. — Eu tentei te procurar naquele dia, mas Lalisa disse que você precisava de um tempo.

— É, ela estava certa — sorri. — Ainda preciso, na verdade. Tudo isso se tornou uma grande confusão, as pessoas pensam que somos namorados, sabia? — pergunto, lembrando-me das duas meninas que cochichavam no banheiro sobre nós dois.

— Essa não seria a intenção? — ele parece estar confuso, não entende o que quero dizer.

— Bem, talvez… Não sei onde eu estava com a cabeça em aceitar seguir com esse plano — fui sincera, abraçando a mim mesma.

Ele percebeu que eu estava com frio, dando-me um de seus moletons em que estava vestido. Neguei, sorrindo brevemente.

— Não seja tão orgulhosa, por favor — disse, fazendo com que aceitasse o moletom.

— Obrigada — o vesti, sentindo seu cheiro. — Jimin falou alguma coisa sobre nós?

— A única coisa que ele disse foi “Vocês não combinam”, _____.

— Ah... — não consegui esconder o descontentamento em minha voz, eu pensava que sei lá ele poderia dizer mais coisas.

Um clima tenso se forma entre nós, já que nenhum sabe como puxar assunto. Afinal, nunca chegamos a conversar dessa maneira, no máximo trocamos um bom dia na escola.

— Você não deveria estar trabalhando? — pergunta, quebrando o silêncio.

— Como você sabe que trabalho? — me assusto só de pensar na possibilidade desse garoto já ter me seguido.

— _____, o seu uniforme indica que você estava ou vai trabalhar ainda hoje, já que durante os finais de semana nunca te encontrei em casa — explica.

Espera! Ele já havia me procurado na minha casa?

— O quê?

— Jimin fez algumas festas meses atrás e me mandou te chamar — explicou, como se fosse algo normal.

Ai, meu santo Deus, Jimin já havia me convidado para ir em alguma de suas festas? Sorri só de pensar em tal possibilidade.

— _____, não sorria assim — deu risada, tirando-me de minhas ilusões. — Jimin costuma chamar todo mundo da escola, você sabe, não é?

— Poxa, não posso me iludir nem um pouquinho? — fiz um biquinho, mas me arrependi em seguida ao sentir o vento gelado bater contra os meus dentes.

— Relaxe, logo Jimin estará caidinho por você — diz, balançando a cabeça negativamente enquanto dava risada. — Ou você por mim, claro.

Só faltei berrar ao escutá-lo dizer tal coisa, tendo uma crise de risos ao ver sua cara confusa, seus amigos me olhavam de longe.

— Isso é algum tipo de piada ou o quê? — parei de rir, encarando seu rosto que permanecia sério. — Mais fácil chover Soju do que eu gostar de você, Jungkook.

— Nunca diga nunca, _____.

 

[...]

 

— Está entregue, senhorita — disse, parando em frente a minha casa.

Após conversarmos durante duas horas seguidas, ele resolveu me trazer até em casa depois que se despediu de seus amigos. Confesso que o resto da minha tarde havia sido divertido ao seu lado, escutando-o fazer algumas piadinhas sobre o modo que Jin não sabia andar de skate, enquanto o outro ficava apenas nos observando.

— Obrigada — sorri, pronta para tirar o seu moletom.

— Depois você me devolve, está frio aqui fora — murmurou batendo os dentes, esfregando suas mãos em seus braços.

Ri da cena, seus lábios estavam bastante roxos por conta do frio.

— Tudo bem então — peguei a chave de casa no meu bolso, pronta para entrar. — Foi divertido estar ao seu lado.

O que você acabou de falar, _____? Meu Deus, fique quieta boca irritante.

— Como? — tentou fingir-se de desentendido, como se não tivesse escutado.

— Eu não vou repetir, Jungkook — fiquei séria. — Boa noite!

— Boa noite, _____ — falou, mesmo sabendo que eu não gostava dele usando tal apelido.

Quando entrei em casa, fui direto para o meu quarto, tomando um banho quente para me esquentar. Coloquei uma roupa quentinha e um par de meias assim que saí do banheiro, o frio parecia ter piorado. Ao acabar de secar os meus cabelos, deitei na cama na intenção de dormir, se não fosse pelo meu celular apitando, eu com certeza cairia no sono rapidamente.

 

[09:20 P.M.] Chato: Já dormiu, _____?

[09:22 P.M.] _____: Pare de me chamar assim, aish!

[09:25 P.M.] Chato: Por quê? Eu gosto desse apelido, poxa.

[09:29 P.M.] _____: Não me importo com o que você gosta, Jungkook.

[09:30 P.M.] Chato: Você será assim com Jimin?

[09:32 P.M.] _____: Assim como?

[09:34 P.M.] Chato: Grossa, sabe? Jimin não gosta de garotas grossas.

 

[09:40 P.M.] Chato: Não me deixe no vácuo, _____. Estou entediado, fale com o seu namorado!

[09:42 P.M.] _____: Você não é o meu namorado, sabe disso, não é?

[09:44 P.M.] Chato: Eu sei, eu sei… 

 

Escutei alguns gritos vindo de sua casa, fazendo-me se assustar ao ver as luzes de seu quarto acender. Nós éramos vizinhos de sacada, era fácil ver um pouco do que acontece em sua casa.

 

[09:50 P.M.] _____: O que está acontecendo aí?

 

Ele visualizou, mas não respondeu; me deixando ainda mais preocupada.

 

[09:55 P.M.] Chato: Até amanhã, _____. Boa noite!

 

Foi a última coisa que disse antes de ficar offline, ignorando todas as mensagens que lhe mandei enquanto escutava mais gritos vindo do seu quarto. Eu estava assustada, afinal, o que acontecia na casa de um menino como Jungkook que aparentava ser tão feliz?

Talvez as aparências te enganem, _____.


Notas Finais


Capítulo betado pela @taeyeownx. Muito obrigada, Laura.

Caso tenha algum erro, me avisem.

E aí, gostaram? Ficarei muito feliz se vocês comentarem o que estão achando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...